domingo, 19 de junho de 2011

II- ANGOLA - BRASIL - OS REINOS,POVOS,RAÇAS...



1) ---- O MEU PERFIL ----( ROBERTO CORREIA ) ----
font size=`4`> 2) ---- RESUMO GERAL ---- :
......................................................
II ) - ANGOLA -- 1) -- OS REINOS,POVOS,RAÇAS,SUAS ORIGENS E AS SUAS VIDAS ... --
-"- -- (Com transcrições de artigos de vários autores): --
............................................................
2) --
O ENSINO E A RELIGIÃO EM ANGOLA -- 
..........................................................

3) -- O ENSINO SUPERIOR E A SAÚDE EM :


(A) - ANGOLA / (B) - BRASIL /(C) - PORTUGAL -

==============================================================
                                     ----------------------------------------------------------

====== I )- ÍNDICE GERAL DOS RESUMOS OU TRANSCRIÇÕES PARCIAIS DE OBRAS JÁ PUBLICADAS :

==== A) -- PELO AUTOR E DE OUTRAS ENGLOBADAS NOS SEUS DIVERSOS "SÍTIOS" :

-- "DO TEJO GRANDIOSO AO ZAIRE PODEROSO" ------------------- (Poema Épico)-   Vol. I --
-- "DO ZAIRE PODEROSO AO CUNENE MISTERIOSO" -------------- (Poema Épico)- Vol . II --
-- "DO CUNENE MISTERIOSO AO ZAMBEZE ESPLENDOROSO" -- (Poema Épico) - Vol.III --
                                                                                                                       -- (em actualização)

-- "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - (1482/1975) -- 5 Volumes --
-- "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - (1975/2002) -- 6º Volume --

==== B) - POR DIVERSOS AUTORES (1 a 27) . :

-- 1)- "INFORMAÇÃO ETNOLÓGICA E ETNOGRÁFICA" (de:"EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS - 1940)--- 2) - "NOTA DA TRADUTORA" (de "ORIGEM DAS ESPÉCIES")--- 3) - "BREVE NOTA BIOGRÁFICA","INSERÇÃO HISTÓRICA" e "INTRODUÇÃO DO AUTOR" --- 4) - "BAHÍA BLANCA" - ("A VIAGEM DO BEAGLE" - CHARLES DARWIN) --- 5)- "OS BIENOS - NO REINO DO BIÉ" (de : "COMO EU ATRAVESSEI ÁFRICA" - SERPA PINTO --(1980) --- 6) - "NÓS OS CABINDAS" - ("O TRATADO DE SIMULAMBUCO") --- 7) - "DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS" - (10/12/1948) --- 8) - HISTÓRIA DE ANGOLA - 4º Vol. - RALPH DELGADO - 1953 )--- 9) - "AQUILES E OS SEUS DOIS CALCANHARES" --- 10) - "CAPÍTULO XIX - ORIENTAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL COM RESPEITO AO MUNDO ASIÁTICO"- 1956 --- 11) - "OS HOMENS DO DESERTO" (de : "A MARAVILHOSA VIAGEM" - CASTRO SOROMENHO)- 1961 --- 12) - "O BAIXO CUNENE" - (I Parte - História Geográfica - Demográfica) - de JOSÉ P. NETO - 1964 --- 12/A)- "O HISSOPE - Poema herói-cómico"- (2010) ---(13 - "UM BATUQUE NO CUANHAMA" - (Memórias de Angola) de : ARTUR MORAIS - 2007 --- 14) - "ANGOLA E BRASIL" - (Duas Terras Lusíadas do Atlântico) - 1964 --- 15) - "AS RELAÇÕES RACIAIS" -(A ideologia das Nações Unidas) - A QUESTÃO RACIAL) - 1964 --- 16) - "O BRASIL - (A integração Biológica e Social) - 1964 --- 17) - "A TERRA E A GENTE" - (A resistência do Índio à Dominação do Brasil) - (Entradas e Bandeiras) - (Diversos) - de : LUIZ LUNA - 1965 --- 18 ) - "UM CONTINENTE A DESCOBRIR" - de : "A DESCOBERTA DE ÁFRICA" - (A sucessão das descobertas) - (O Congo) - de : CATHERINE VIDROVITCH - 1965 --- 19) - "NAÇÃO OVAMBO" - (Lista dos sobas) - de : Mª HELENA F.LIMA - 1977 --- 19/A ...

++++++ --- (OBS : - o texto seguinte (19/A)deve ser considerado ("transferido") para a respectiva posição, depois do final deste Índice)  : ---

... 19/A --- " XXIII - A FRONTEIRA SUL DE ANGOLA" ("CARTAS DE ANGOLA")...- ..."Tendo retirado para a Metrópole,por interrupção dos seus trabalhos durante as chuvas, a Missão de delimitação da fronteira sul da Província de Angola,é interessante dizer alguma coisa sobre a sua acção, bem como sobre os trabalhos a realizar ainda, para em boa hora se arrumar a velha questão da zona neutra, que prometia eternizar-se num estado que, tendo sido uma fonte de reclamações,só por milagre se não transformou em motivo de graves conflitos. Efectivamente, tendo sido a zona neutra restabelecida em 1915por acordo entre o general Pereira d'Eça e o encarregado dos negócios indígenas da U.S.Africana,major Pritchard, nunca ela deixou de ser campo aberto ao estabelecimento de foragidos e teatro de intrigas e manobras tendentes a puxar para o sul a população do Cuanhama.indispensável às minas da Damaralândia. Este estado de coisas manteve-se até que,efectuadas as necessárias diligências em Londres e na Sociedade das Nações, uma comissão portuguesa se reuniu na cidade do Cabo com os delegados da União,a fim de solucionarem de vez a célebre questão da fronteira sul de Angola.Os delegados da União quiseram tornar solidária com esta questão a do desvio das águas do Cunene para os territórios da Damara,baseados na velha lenda do trasvasamento do rio,que as próprias cartas e croquis portugueses tão levianamente acusavam (pgs.186) --- ........"A fronteira atravessou pelo norte a região da Unda. Na faixa do terreno que passou a ser definitivamente nossa,ficou abrangido o antigo forte da Dombondola, que em 1908 fora construído por João de Almeida e que mais tarde,por imposição dos alemães e a pretexto de ficar na zona neutra, teve de ser por nós abandonado. Os seus vestígios lá existem, marcando no terreno da faixa neutra,de que só agora estamos sendo reapossados, um padrão avançado da nossa penetração. A grandiosa avenida,aberta na vegetação do mato,corta agora o norte o Ombaranto e do Cuambi,abrangendo pelo sul todo o Cuamato e todo o Cuanhama. Detenhamo-nos agora um pouco a considerar quanta falsidade está contida nas afirmações de Schwartz, o célebre geólogo da União-Sul-Africana, e quanto interesse havia em evitar a demarcação da fronteira, tão desejada por nós,verificando que,realizada ela,ficaram do nosso lado 50.000 cuanhamas,enquanto que do lado da União apenas se mantiveram 4 mocundas, com uma população inferior a 8.000 almas"...(pgs. 186/7) -

--- ( 19/A) - ...Transcrição parcial da obra "CARTAS DE ANGOLA", de GASTÃO DE SOUSA DIAS -- ( Sá da Bandeira, Janeiro de 1928) -- ...
-----------------------------------------------------------
--- (19/B) --

--- ...20) - "TERRAS E ÍNDIOS" - de : MARIA DO CARMO SAMPAIO DE GREDO - 1988 --- 21) - "VOU LÁ VISITAR PASTORES" - de RUY DUARTE DE CARVALHO - 2000 --- 22) - "PRESENTATION DE ÁFRICA" - (ARTE AFRICANO)- de FRANK WILLETT - 1999 --- 23) - "ETNIAS - Costumes Tradicionais Africanos - (Memórias de ANGRA DO NEGRO (MOÇÂMEDES) - de : MIGUEL FARIA DE BASTOS - 2005 --- 24) - "PRÓLOGO" de : "MEMÓRIAS DE ÁFRICA" - de : BENTO DUARTE - 2007 --- 25) - "PORQUÊ NÓS ?" - ("O TRIUNFO DA CIÊNCIA OU QUASE" - (A Hélice Dupla - A Evolução do Homem - O Enigma da Evolução - O Triunfo da Origem das Espécies - A Origem do Homem - A Humilhação do Homem) - de : CHARLES DARWIN - 2009 -- 26) - "POVOS DA EUROPA - ÁFRICA - BRASIL - (Diversos Apontamentos de África)-- 27) . "...os aborígenes da Huíla" --- :

....................................................
----------------------------------------------------

=== I -- A) -- "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - (1º Volume - 1482/1652)-
...................................................
-- 1482/3 - ABRIL(?) - 3(5 ?) - Chegada de DIOGO CÃO à foz do rio NZARE (ou N'ZARI , ZALI, NZAIDI, NZADI, ENGAZE) -- "O RIO PODEROSO", ou ainda "ÁGUA GRANDE" e "CONGO". NZARE significa "rio que engole todos os outros". Foi nomeado pelos portugueses por ZAIRE.
-- ABRIL - 23 - Colocação do padrão de S. JORGE na foz do rio NZARE e na sua margem esquerda, então chamado CABO DO PADRÃO (ou PONTA DO PADRÃO).
-- Viagem dos seus emissários à corte do rei do CONGO, NZINGA-NKUYU, ou NZINGA-A-CUUM, o MUENE CONGO (MANICONGO) - "SENHOR DO CONGO" -, instalado na povoação de EKONGO.
..................................................

+++++

=== (Foto - Pg. 78 /1º Vol /2ª ed. - O rei do CONGO e a sua corte --("Uma feitoria no início de céc. XVIII : a pesagem de ouro - W.Bosman, Voyage en Guinée, 1705)- B.N.)-
.................................................

-- "...O REINO DO CONGO teria sido formado nos fins do século XIV ou princípios do século XV, por separação do antigo REINO DE IUBA(do KATANGA), sendo a sua capital, designada por eles,MBANZA CONGO." Estendia-se então muito além, para norte do rio ZAIRE. Este, assim como o RIO RIAMBELE (LIAMBEJE ou ZAMBEZE). "O PAI DE TODOS", nasce nos GRANDES LAGOS, no "Coração de África", ao sul dos lagos MOERO e BANGUELO; tem ai a designação de LUAPULA e recebe as águas daqueles lagos. Mais ao norte passa a designar-se LUALABA e, a partir de KINSAGANY, começa então a ser conhecido por NZARE (ZAIRE). Na sua margem esquerda recebe depois as águas do seu grande afluente KASSAI, de outros rios mais pequenos e de alguns lagos, até atingir as cataratas de MATADI, passando por NÓQUI antes de atingir a "PONTA DO PADRÃO", na sua foz".
................. (consultar pg. 10) ...............
-- "AGOSTO - 28(?) - Alcançaram o CABO LOBO (CABO DE SANTA MARIA),depois de terem ultrapassado a PONTA CHOCA(CASTELO DE ALTER PEDROSO), onde foi colocado o Padrão de SANTO AGOSTINHO. Era o fim dessa viagem, tendo atingido a posição de 13º e 27',15º (?) sul.
-- 1483 - AGOSTO/SETEMBRO - (?) - Regresso de DIOGO CÃO a caminho da foz do rio ZAIRE, onde tinha deixado os seus emissários.
-- (?) - Não os encontrando ali e, pensando então que tivessem ficado prisioneiros, deteve quatro visitantes do SOYO (SONHO) no seu barco, acabando por levá-los para LISBOA.
-- ? - Foram todos bem recebidos pelo próprio rei D. JOÃO II.
.............................................
-- 1484/85 (?) - DIOGO CÃO regressa com os quatro congoeses (congueses). Permanece cerca de três meses no ZAIRE.
-- 1485 - JANEIRO - Avança para o sul, além da foz do rio ZAIRE.
-- JANEIRO - 16(18 ?) - Colocação do Padrão do CABO NEGRO a 15º 40' 3'' sul, depois de ter chegado à ANGRA DAS ALDEIAS e alcançado ainda a MANGA DAS AREIAS.
-- JANEIRO -(?)- Prossegue ainda para sul; passou pelo GOLFO DA BALEIA, indo fundear próximo do CABO DA SERRA (PARDA). Aí coloca um outro padrão; estava a 22º (?).
-- (?) - DIOGO CÃO continua a sua viagem e chega à BAÍA DAS SARDINHAS e à PONTA DOS FARILHÕES, a 21º 50'.
Regressa ao rio ZAIRE e sobe pelo seu curso até encontrar as QUEDAS DE YELALA (da SERRA COMPRIDA). Ali, nuns rochedos, mandou gravar o seu nome e dos seus navegadores : DIOGO CÃO - PÊRO ANES - PÊRO DA COSTA - e ainda depois de : ÁLVARO PERES - PEDRO ESCOBAR - GONÇALO ÁLVARES - DIOGO PINHEIRO - ANTÃO.
Seguem novos emissários para contactarem com o REINO DO CONGO, então designado por "Mundeles" (Mu-n'dele) - "branco".
-- 1486 - (?) - Regresso de DIOGO CÃO para LISBOA uma embaixada do rei do CONGO, chefiada por CAÇUTÁ, carregado de marfim e panos de palma.
O REINO DO CONGO, assim designado pelos portugueses por derivação do nome do seu chefe, MUENE-CONGO (MANICONGO), era então um território imenso :

A)-- ao norte do rio ZAIRE -(também já chamado de "CONGO"), englobava alguns antigos e pequenos Reinos, tais como os de : LOANGO - CACONGO - N'GOYO(ANGOY), limitados ao norte pelo rio MAYUMBA(MAIOMBA).
-- O REINO DO LOANGO tinha a sua capital em BUÁLI e estendia-se entre os rios MAYUMBA e CHILOANGO, ou seja, entre a aldeia de MACANDA, a 4º.5' de latitude sul, até ao rio LUISA-LUANGO, a 5º,5' de latitude sul;
-- O REINO DE CACONGO (MALEMBA)situava-se ao sul daquele até ao rio BEBE(BELE);
-- O REINO DE N'GOYO,designado CABINDA, situava-se ao sul,limitado pelo rio ZAIRE;
-- O REINO DE IOMBA(MAIOMBA ou MAIOMBE) ficava a nordeste, assim como o REINO DE TECA.
-- Ao REINO DE CACONGO pertencia ainda a baía de MOLEMBO(FUTILA).
-- O REINO DE N'GOYO ficava situado entre o 5º e o 6º de latitude sul e o 12º e 13.30' de longitude leste.

B) -- Ao sul do rio ZAIRE englobava outros reinos menores,seus tributários : NDOANGO(ou NDONGO) - "Ndongo" significa uma canoa, comprida, feita de tronco de árvore).

Abrangia ainda as províncias de : MBEMBA, MBAMBA, MBATA, MPANGU, MSUNDI, SONYO (SONHO), que acabaram por se unificar sob a chefia de NIMIA LUQUENI(ou LUKÉNI MUTINU, NIMIA-A-LUKEME, também ainda conhecido por MOTINO BENE ou NTOTELA NTINU), formando um só REINO, NEKONGO, depois designado "CONGO", com a sua capital em M'BANZA CONGO(M'BAJI ou EMBASSE). Estendia-se então para o sul,alcançando o CABO NEGRO"...(Pgs. 10 a 12) --


+++++ (Foto - Pgs. 135 /1º Vol.- 2ª ed.- Mapa - Os Reinos de ANGOLA e de BENGUELA (no século XVII) -
...................................................

-- O Chefe LUKENI viera do oeste, sendo talvez filho de KWANGU (MINI-NZIMA), chefe da aldeia de KURIMBA, da província de NSUNDI, aliado do chefe NSAKU, curandeiro, que o havia tratado com um rabo de búfalo.

-- Todos os Reinos ao norte do rio ZAIRE foram considerados como formando um único reino: o do LOANGO. NIMIA(NIMI) LUKÉNI terá mandado matar uma sua tia para não lhe pagar tributo e intitulando-se de seguida, na ausência do pai, "NTINU" (rei). Atacou os seus vizinhos, alargando o Reino e instalando a capital em MBAZI-A-NKUNU. Os seus filhos fundaram o REINO DE CACONGO e o do LOANGO. O terceiro filho,cuja mãe terá sido uma escrava branca, era depois o MUENE DE SOYO (SONYO).
-- "O rei de CACONGO tinha de ser casado com uma princesa do REINO DO CONGO e o do REINO DO LOANGO com uma princesa de CACONGO. Ao "rei" LUKÉNI sucederam : NANGA KIA NTINU, depois ainda NKUVU-A-NTINU, até à chegada dos portugueses.

-- No REINO DO CONGO haviam-se instalado os povos BANTOS (BANTUS)- "BA-NTU", em que "NTU" significa "ser humano", "homem", "pessoa" ou MUTU(MUNTU),tem o plural "BANTU". Pertencem à raça negra e teriam vindo do norte, da ETIÓPIA, EGIPTO ou mesmo da ÁSIA, infiltrados pelo SUEZ ou pelo MAR VERMELHO para a ABISSÍNIA,cerca de 2.500 a 2.000 a.C., ou ainda da região dos GRANDES LAGOS, berço da Humanidade, tendo seguido pelos afluentes do KASSAI ou pelo rio LUAPULA e depois pelo LUALABA, cursos superiores do rio ZAIRE. Entretanto, outros seguiram para o sul, desviando-se do deserto do KALAÁRI.
-- Assim,o BANTUS do "RAMO OCIDENTAL" ou "FAIXA OCIDENTAL",em correntes migratórias, foram invadindo os territórios a norte e sul do ZAIRE. Destruidores, talvez vândalos, expulsaram os autóctones e ocuparam as suas terras, mas sem as cultivarem!

-- Na parte superior dessa zona, os BANTU-KONGOS, fundaram o REINO DO CONGO. Deles faziam parte : - MUXICONGOS, MUSSURONGOS, MUZOMBOS, DEMBOS E MUCUSSOS. O prefixo "MU", antes do nome duma região é utilizado para designar os respectivos habitantes. Os MUXICONGOS pertencem ao grupo linguístico designado "QUICONGO", assim como os : BACONGOS, BAIACAS, BASSONGOS , BASSORONGOS, BASSUCOS, BAZONGOS e POMBOS.

-- Eram povos originários da margem esquerda do rio ZAIRE(ou CONGO), e que a partir do século XIV haviam empurrado,submetido ou até eliminado os anteriores residentes. Porém,os primitivos povos do CONGO e doutras regiões africanas, não foram esses Bantos, mas sim os VÁTUA(o plural de Vátua é "Mutua"), mas antes deles, ainda os HOTENTOTES (KHOIS), pertencendo ambos ao mesmo grupo dos KHOISANS (KHOIS-SANS). Esses povos foram expulsos pelos BANTUS para regiões do interior ou zonas desérticas.

Na parte nordeste,os Bantos do grupo BANTU-BONDO (BUMDAS), teriam fundado o REINO DE NDOANGO (NDONGO). Os do leste, (os BANTU-LUNDA), QUIOCOS (KYOCOS), do KATANGA, atravessaram o rio KASSAI e instalaram-se na LUNDA ("Terra abandonada"), sendo seu primeiro rei, MWAKU.(- 1486 - pgs.12/14) --

-- 1486/7 (?) - ABRIL/MAIO(?) - O rei D. JOÃO II recebeu a embaixada do rei do CONGO quando se encontrava em BEJA, refugiado da peste que invadira LISBOA.
-- O CAÇUTÁ foi baptizado com o nome de JOÃO DA SILVA, sendo seus padrinhos os Reis de PORTUGAL.
-- (?) - DIOGO CÃO desaparece de cena de maneira pouco clara, sendo mesmo desconhecido o seu verdadeiro fim !
-- 1487 - AGOSTO - Partida de BARTOLOMEU DIAS, prosseguindo as viagens ao longo da costa africana. na tentativa de descobrir finalmente uma passagem para as ÍNDIAS, sonho "falhado" ou antes, não atingido por DIOGO CÃO, como talvez tivesse acreditado (ou feito acreditar)mas pelo que "teria sido" recompensado financeiramente !
-- (?) - Passagem de BARTOLOMEU DIAS por ANGRA DAS ALDEIAS, ao sul do CUANZA e do CABO DE SANTO AGOSTINHO.
-- DEZEMBRO - 25 - Chegada de BARTOLOMEU DIAS a ANGRA PEQUENA, a 26º sul.

-- 1488 - FEVEREIRO - BARTOLOMEU alcança o "CABO DAS TORMENTAS", ponto extremo da costa africana, ficando assim aberto o "Caminho Marítimo" para as desejadas "ÍNDIAS", a 34º 21' latitude S.
-- DEZEMBRO - BARTOLOMEU DIAS chega a LISBOA, no regresso da sua viagem ás ÍNDIAS.

-- 1490 - DEZEMBRO - 19(17 ?) - Saída de LISBOA dos congueses com uma missão católica (dominicanos)...
-- 1490 - (?) - Por alturas de CABO VERDE faleceu GONÇALO DE SOUSA,em consequência ainda da peste de LISBOA (ou por escorbuto ?), sendo substituído por seu sobrinho (?) RUI DE SOUSA.
-- Faleceu ainda o emissário do rei do CONGO, CAÇUTÁ, já baptizado com o nome de JOÃO DA SILVA.
-- 1491 - MARÇO - 29 - Chegada da armada de RUI DE SOUSA a PRAZA, na foz do rio ZAIRE, bacia do SOYO (SONHO), porto do PINDA, comparecendo à recepção o chefe MANISONHO, familiar do rei do CONGO. (MANISONHO -- "SENHOR DA VERGONHA" -- ou MUENE-SOYO ("SENHOR DE SOYO").

--- (A consultar na INTERNET : www.dightonrock.com/diogocaoi1.htm

www.dightonrock.com/diogocaoil.htm

..........................................................
-- 1509 - O REINO DO LOANGO reforça a sua independência(tributária)englobando diversos outros reinos, ao norte do rio ZAIRE."... -Pg. 20 -
.........................................................................
== 1518 - O REINO DE NDONGO fora dividido então em dois Reinos : - NDONGO(ANGOLA) e NDONGO(MATAMBA).
O termo "ANGOLA" derivou também do nome do seu chefe NGOLA. Ficava rodeado de cinco poderosos reis, "muito grandes" : - CONGO, NDONGO, MATAMBA, MALEMBA(CACONGO), MASSINGA (MJINGA) e MOSSONGONGA(BA-SONGO/MA-SONGO), tributários do REINO DO CONGO.
O REINO NDONGO(ANGOLA) terá tido como seu primeiro rei NGOLA MUSSÚRI, ferreiro de NDONGO. Este fora então assassinado pelo Vice-rei que pouco depois seria substituído pela filha de MUSSÚRI,princesa ZUNDA RIANGOLA. Esta, na sua velhice, terá mandado matar um seu sobrinho, filho de TUMBAR RIANGOLA, que lhe sucedeu, mas acabara por passar o trono a seu filho, NGOLA CHIVALQUI. A este sucedera NDAMBI NGOLA,que, com receio dos irmãos, os mandou eliminar. Antes,porém, terá havido um curto reinado de NZINGA-NGOLA-CHILAMBO-QUIERAFANDA.

Surge então NGOLA INENE que,por intermédio do rei do CONGO,pede a presença de sacerdotes portugueses, pondo à sua disposição as minas de prata.

== 1526 - NGOLA INENE,rei do NDONGO,liberta-se da sujeição tributária ao REINO DO CONGO.

== 1539 - MARÇO - 25 - Carta do rei D. AFONSO I para D. JOÃO III, manifestando o desejo de enviar uma embaixada a ROMA, para prestar obediência ao papa PAULO III, com os mesmos embaixadores escolhidos em 1532, com os quais seguiriam ainda mais alguns dos seus sobrinhos e um neto (D. MANUEL). Os sobrinhos eram : D. PEDRO DE CASTRO, D. MATEUS, D. HENRIQUE, D, GONÇALO e D. FRANCISCO DE MENEZES. Uns iam para estudar e outros para serem ordenados.
Com o apoio dado pelo rei de PORTUGAL, do embaixador PACHECO e de outros portugueses, o rei do CONGO, apesar da sua avançada idade,ia conseguindo manter o seu REINO, pelo que se intitulava :"...rei do Congo, e Ibungo,Cacongo e Agoyo de aquém e de além-ZAIRE, senhor dos Ambundos de Angola e da Quissama e Musuauru e da Matamba e de Muyllu e de Musuci e dos Anzinos e da conquista de Panzoalambu..." !
.............................
== 1558 - Regista-se uma invasão dos povos jagas no CONGO mas não chegando porém so REINO DO N'GOYO (NGOIO).

== 1560 - MAIO (?) - Os Bângalas(Imbangalas)descem do REINO DA LUNDA, atacados pelos Iubas, para KASSANGE, entre os rios CUANZA e o LUI. Eram originários da SERRA LEOA.

== 1563 - Chegada do chefe KINGURI (CHINGÚRI), dos Bângalas(LUNDA) aos rios CUANDO e LUI, fugindo a uma invasão dos Lubas.

== 1568 - D. HENRIQUE (NERIKA-A-MPUDI) também foi derrotado e morto na luta contra os Anzicos. Era o último descendente legítimo da 1ª dinastia congolesa.

== 1569 - Os jagas avançam pelo REINO DO CONGO,destruindo S. SALVADOR. O rei, D. ÁLVARO I, refugia-se na ILHA DOS HIPOPÓTAMOS (ou "DOS CAVALOS",- referentes a cavalos marinhos), no Rio ZAIRE, assim como os portugueses ali residentes.

== 1570 - ...Os jagas, na sua fuga,do CONGO, invadem a MATAMBA. Depois seguem para o sul e dividem o REINO DE MATAMAM.
-- MBULA MATADI revolta-se contra D. ÁLVARO I, mas foi eliminado.
.............................
== 1575 - No REINO DE ANGOLA, NGOLA KILUANJI sucedera ao rei NGOLA NDAMBI.
-- KILUANJI, também designado MBANDI-A-NGOLA-QUILOANJI ou, ainda, NGOLA-MBANDI-A-NGOLA-KILOANJI, assim que teve conhecimento da chegada de PAULO DIAS, mandou alertá-lo que se encontrava nos seus domínios!
..........................
== 1579 - (?) - KILUANJI manda eliminar os residentes portugueses que convocara.
== 1585 - NGOLA KILUANJI retira-se de CABASSA,a capital.
-- 1585 - JUNHO - PAULO DIAS DE NOVAIS demora alguns dias a reagir contra alguns sobas de CAMBAMBE e nem evita a apreensão de ..."500 peças (escravos)e 500 capados".

== ILUNGA MBILI, derrotando um seu sobrinho, fundara o REINO IUBA,onde fora rainha a célebre LUEGI.
-- 1586 - SETEMBRO - 13 - NGOLA KILUANJI com o apoio dado por NGOLA CALUNGA e do soba CACULO CACOBASSA, ataca as forças portuguesas...
== 1587 - JULHO (?) - Falecimento do rei do CONGO, D. ÁLVARO I, sucedendo-lhe o seu filho, D.  ÁLVARO II (NEMPANZU-A-MINI).
== ( ? ) - O rei do CONGO elimina um seu irmão, pretendente ao trono, numa batalha em que ..."o cortou pela barriga" !...
== 1591 - Na ILHA DE LUANDA (ILHA DAS CABRAS), pertença do rei do CONGO, residiam alguns dos seus fidalgos(governadores): - D. PEDRO MANILUANDA, D. ANTÓNIO MANIBAMBA e D. JOÃO MANIPOSO (com o seu escravo africano,FERNÃO DUARTE, refugiado do PORTO).
-- Mais ao sul se M'BANZA CONGO,na KISSAMA, existiam duversos sobados e Estados Independentes,tais como : -MUXIMA - KITANGOMBE - KIZVA - NGOLA KIKAITO e KAFUXE, que não pagavam tributo, fazendo frente ao CONGO, a NDONGO (ANGOLA) e aos portugueses.
..................................
== 1591 - FEVEREIRO - 9 - D. ÁLVARO II, rei do CONGO, obteve a proibição de navegação nos seus portos por barcos estrangeiros.
== 1595 - CHINGURI entrara em ANGOLA ido da MUSSUMBA (CATANGA) e iniciara a formação dos Impérios dos Lundas (RUNDA ou NGANDA).
Este REINO terá sido fundado nas margens do rio CASJIDÍCHI pelo chefe IALA MÁKU ("Mãe das Pedras" - Povos Bungos), enquanto no LUACHIMO já se encontravam os Bena-Mai. Era filho de CUNDE e KÔNDI (e neto de IALA), bem como seus irmãos : TCHINHAMA e LUÉGI. Esta fora indigitada única herdeira porque esses irmãos eram tidos como desordeiros, alcoólicos, tendo até agredido seu pai (CUNDE , que sucedera a IALA).

== Mais tarde (?) surgiu TCHIBINDA ILUNGA, famoso caçador, filho de MUTOMBO MUCULO e neto do potentado MBILI MUCULO.
ILUNGA apaixonou-se por LUÉGI e assim se instalaram em ANGOLA.
.................................
Posteriormente (?) seguiram pelo QUANZA até LUANDA, acompanhados de muita gente, tendo prestado auxílio ao governador (FORJAZ COUTINHO ?). Este,agradecido,ofereceu-lhes algumas terras entre AMBACA e o GOLUNGO ALTO, sendo considerado "jaga" e com direito a bandeira.
Formou o REINO DOS BÂNGALAS e aliou-se ao soba ANGONGA (do LIBOLO). Concordaram que o REINO passaria depois para um filho de ANGONGA.
-- Mais tarde, fizeram uma aliança com CALUNGA (dos Jingas).
-- Um neto de TCHINGURI transferiu a sede do REINO DOS BÂNGALAS para CASSANJE. Uma tia de LUÉGI, ANGUINA CAMBAMBA,interroga alguns Quilolos, seus parentes, sobre a sobrinha, herdeira do trono ("suana um Lunda") acerca do paradeiro de TCHINGURI e solicitaram ao MUATIÂNVULA (ILUNGA -- "Senhor da riqueza", sendo : - "muata" (senhor)-- "iá" (de) -- "ânvu" (riqueza)--, para que o mandasse de volta para ser castigado ! No entanto, a própria LUÉGI, comunica à sua tia qual a resposta dada pelo MUATIÂNVUA, aceitando essa incumbência, mas desde que fossem acompanhados por todos os descontentes. Como tivessem ficado receosos, LUÉGI arranjou uma desculpa por não terem acompanhado TCHINGÚRI.
Aproveitando essa autorização, o chefe ("muata") ANDUMBA, com muito povo, seguiu para as margens do rio CHICAPA, no chamado "caminho de TCHINGÚRI", até ao rio CUANGO, onde se fixou.
-- Depois (?) surgiram os "Quiocos" e que se espalharam e se misturaram com os "Lundas".
.......................................
== 1599 - Foi durante este século que começaram a chegar os Ovahelelo, provenientes dos famosos GRANDES LAGOS. Teriam entrado pelo leste e, atravessando o Planalto Central, seguiram para o sul, descendo depois a SERRA DA CHELA e prosseguindo além paralelo 17º.

== 1600 - Foi formado o REINO UAMBU-KALUNGA --
*== 1608 - O rei de PORTUGAL aprova a ida de missionários para o REINO DE LOANGO (conforme seu pedido de 27/9/1584).
== 1611 - ABRIL - BANHA CARDOSO determinou o ataque ao antigo adversário de armas, o rei de ANGOLA, NGOLA KILUANJI.
Depois de algumas vitórias, mandou degolar o principal apoiante do NGOLA,que era o soba QUILONGA, bem como o ex-aliado BAMBATUNGO e outros sobas menores.
Em consequência desses actos, os REINOS DA MATAMBA e NDONGO coligaram-se num forte ataque contra CAMBAMBE. As tropas de BANHA CARDOSO saíram vencedoras e arrasaram muitos chefes locais.

-- Fundação do Presídio de ANGO-AQUI-COITO, próximo do rio LUCALA, em terras do soba de EMBACA, local designado então "S. BENTO DO ANGO(HANGO)".

-- O soba NABUANGONGO, da QUISSAMA,atravessa os rios DANDE e BENGO, mas foi logo derrotado pelas tropas do governador, sendo ainda detido o soba da TUNDA.

== AGOSTO - BANHA CARDOSO manifesta a sua discordância quanto à separação dos REINOS DE ANGOLA e do CONGO, tendo em atenção os contratos já firmados para resgates ! Entretanto avassala 78 sobas e afastara os corsários holandeses que se tinham aproximado de LUANDA.

== 1614 - (?) - Faleceu o rei do CONGO,D. ÁLVARO II, sucedendo-lhe o duque de BAMBA, D. JOÃO DA SILVA, apenas por 3 dias (de ditadura), sendo nomeado logo para seu sucessor D. BERNARDO II (NENIMI-A-MPANZU).
== 1615 - AGOSTO - O mesmo duque de BAMBA acaba por depor D. BERNARDO II, substituindo-o por D. BERNARDO III (MBIBI-A-MPANZU), filho do falecido D. ÁLVARO II, que, embora se tenha recolhido na igreja sob o privilégio do coito, foi morto pelo próprio D. ÁLVARO III, bem como alguns dos seus fiéis servidores !

== 1617 - NOVEMBRO - No DONGO já reinava NGOLA MBANDI, filho de NGOLA QUILUANJI, depois de ter eliminado o irmão e um sobrinho, filho de sua irmã,JINGA (NZINGA-MBANDI-NGOLA), que tinha ainda as irmãs : QUIFUNJE e MOCAMBO.
-- Transferência do Presídio do ANGO para a margem do rio LUCALA para o DONGO.
-- CERVEIRA PEREIRA, do REINO DE BENGUELA, ataca os Helelso (Ova-Helelo), a noroeste do REINO DA MATAMBA.

== 1618 - O Governador LUIS MENDES DE VASCONCELOS,em CABAÇA, capital de NDONGO(ANGOLA), tenta negociações (infrutíferas) com NGOLA MBANDI. JOÃO MENDES VASCONCELOS, filho do governador, tendo apenas 19 anos de idade, com o apoio de diversos sobas, avança contra sa forças do soba CALABALANGA e obtendo bons resultados. Mandou prender cerca de 100 sobas. Depois ataca o soba KASSANJE.
*-- 1621 - CERVEIRA propõe a D. FILIPE III a união dos Reinos de LUANDA e BENGUELA.
== 1622 - Maio - No REINO DO CONGO morreu D. ÁLVARO III, sucedendo-lhe D. PEDRO II AFONSO (NKANGA-A-MIKI, mas sem o apoio)do governador CORREIA DE SOUSA Este confisca os bens do REINO DO CONGO existentes na ILHA DE LUANDA, onde alguns fidalgos congoleses tinham assassinados uns residentes portugueses.
== 1622 - DEZEMBRO - 18 - O capitão-mor, LUIS GOMES MACHADO, com 130 soldados, escravos, "guerra preta", bem como ainda com bastantes jagas, atacam o território de D.

PEDRO II AFONSO, derrotando-o na localidade de NAMBUA-ANGONGO, que ficou destruída.
.......................................................................
-- NGOLA MBANDI, do REINO DO CONGO, envia sua irmã, JINGA com uma embaixada ao governador de ANGOLA.
JINGA MBANDI foi baptizada na SÉ CATEDRAL DE KUANDA, passando a ter o nome de ANA DE SOUSA, sendo seus padrinhos o Governador e D. JERÓNIMA MENDES, mulher do capitão-mor, GOMES MACHADO.
-- O soba de CASSANJI foi derrotado e enviado para LUANDA. Posteriormente foi decapitado e outros sobas (26)e seus apoiantes foram desterrados para o BRASIL.

-- Os refugiados de CASSANJE instalam-se entre os rios CUANGO e LUI,onde fundam o REINO DE CASSANJE.

-- DEZEMBRO - As tropas de GOMES MACHADO, com a poio da "guerra preta" e dos jagas, derrotam as forças de D. PEDRO II AFONSO, em NAMBUA-ANGONGO, destruindo as instalações existentes.
== 1623 - JANEIRO - Em represália os congueses massacram portugueses no BUMBE, sendo necessária a intervenção directa do próprio rei do CONGO...
== 1623 - Os Mbangalas/Kulaxingo, saídos de AMBACA, movimentam-se para a BAIXA DE CASSANJE, deixando a zona de MBACA.

== No REINO DE NDONGO faleceu NGOLA KILUANJI (talvez envenenado), sucedendo-lhe sua irmã, JINGA MBANDI. com o auxílio dos jagas.

-- 1624 - Os Mbângalas (Imbangalas) instalam-se a oeste da SERRA DA MATAMBA, nas margens do CUANZA, praticando assaltos e roubos (contra os pombeiros).
O governador manda reprimir o NGOLA MBANDI que se refugiara nas ilhas do QUANZA, mas ali acaba por ser eliminado por sua irmã, JINGA MBANDI, talvez envenenado, vingando a morte de seu filho e tomando o seu lugar, tornando-se rainha (de NDONGO ANGOLA)! Exigiu ainda a eliminação do seu sobrinho, de que até talvez tenha ..."comido o seu coração"...

== 1624 - ABRIL - 13 - Morte de D. PEDRO II AFONSO... Deixou viúva D. LUIZA e 8 filhos. Foi sepultado na igreja de Sº ANTÓNIO.
== 1624 - ABRIL - 27 - Sucedeu-lhe seu filho, duque de BAMBA, (MBEMBA-A-NKANGA), designado D. GARCIA I AFONSO. Tinha apenas 20 anos de idade.
== 1625 - DEZEMBRO - D. MANUEL JORDÃO, duque de SUNDE, comanda uma revolta contra o rei D. GARCIA I AFONSO, em S. SALVADOR.O rei acaba por se refugiar no SONHO.

== 1626 - Ataque contra as PEDRAS DE MAUPUNGO (MATADI MAUPUNGO, refúgio de JUNGA MBANDI). Ficou prisioneiro AIIDI, meio irmão de NGOLA AIIDI.
== 1626 - MARÇO - 26 - Partida das terras do soba QUILUANJI-CA-CACONDA para MAUPUNGO.
== 1626 - ABRIL - O duque de SUNDE colocara no trono do REINO DO CONGO, D. AMBRÓSIO I ("CAPACALA"), sobrinho de D. ÁLVARO III.
== 1626 - JUNHO - 23 - Morreu o rei D. GARCIA I AFONSO no CONGO, já retirado do seu cargo.
== 1626 - JULHO - 12 - Ataque à ilha onde residia D. ANA DE SOUSA (JINGA MBANDI). Foge mais uma vez, seguindo de KINDONGA para a ilha de TUNDA.... Tinha então o apoio do Reino do CONGO, do soba de AMBUÍLA, de CACULO CABAÇA e de alguns outros.

== BANHA CARDOSO avança contra JINGA MBANDI refugiada em terras de AMBOLA CASSANJE(CASSAQUE). QUILOANJI entretanto foi vítima duma praga de "bexiga", enquanto JINGA foi salva pelo jaga CAZA.
Além do REINO DO CONGO, JINGA MBANDI era também apoiada pelos sobas de AMBUÍLA, por CACULO CABAÇA e alguns outros.

== 1626 - OUTUBRO - EM MAUPUNGO (PEDRAS NEGRAS), foi eleito NGOLA AIRE(AIDI), "crismado" D. FILIPE DE SOUSA,para suceder ao seu meio-irmão, AIIDI KILUANJI, rei de NDONGO. Entretanto deixara de existir o "REINO DE ANGOLA", passando a ser apenas um "chefe" do sobado do NDONGO, como anteriormente.Instalara-se em PUNGO-ANDONGO (MAUPUNGO).
MAUPUNGO também era designado por : PUNGO-A-NDONGO --- MATADI MAUPUNGO ("PEDRAS ALTAS") -- MATADI-A-MAPUNGO-A-NDONGO - (depois vulgarmente por PUNGO ANDONGO). O termo "UPUNGU" significa "altura".

== 1626 - DEZEMBRO - Os portugueses fazem um acordo com o rei de KAKONGO para negociarem o cobre do BUNGO.

== 1627 - JINGA MBANDI retira-se para a ilha de KATAXE,enquanto o rei D.  AMBRÓZIO expulsa os holandeses do PINDA (rio ZAIRE).
== 1628 - MARÇO - 8 - O duque de SUNDE prende diversos fidalgos, torturando-os, a pedido de D.

AMBRÓSIO !
== 1628 - AGOSTO (?) - JINGA regressa à ilha de KINDONGA com o seu exército. Fica situada no rio LUCALA, afluente do rio QUANZA.

== 1629 - MARÇO - 31 - Regresso de LOPO SOARES LASSO para BENGUELA depois de ter vencido os sobas : CAHURI - MANISONGO - LUBEMBE - CUMBE - MANIEANGA - CABOMBO - COZAMBA - MONADUNDO - MANICA - MANI CATUMBELA - CABAMBE - QUITEMO, LANGUANDA e outros.
CASSANJE retira-se para o CONGO (MANIONDO) com 8o mil flecheiros !

== 1629 - MAIO - 25 - PAIO ARAÚJO AZEVEDO ataca o arraial de JINGA MBANDI, perseguindo-a por QUITUXELA (terras de CANGOLA-CA-CACONDA e de NADALA QUISSUBA). JINGA consegue escapar-se. Entretanto foram presas suas irmãs QUIFUNGE e MOCAMBO) e sua tia QUILOJE (KILUANJI).
== 1629 - MAIO - 28 - JINGA MBANDI "desaparece" na descida de COVA (a QUINA GRANDE DOS GANGUELAS -- "SERRA DO MUGONGO") a caminho da região dos Songos (Mossongos - Bassongos - Cassongos), entre os rios LUANGO e CUANGO (ALTO SONGO). Prossegue ainda para KINA, sob protecção de MBAGALA/KULAXINGO e do soba QUISSUBA.
-- ARAÚJO AZEVEDO foi cercado no rio LUCALA pelos sobas GOLACUMBA e CASSANDA.
== 1629 - JULHO - 20 - As irmãs de JINGA MBANDI (D.ANA DE SOUSA) chegam a LUANDA sendo recebidas com fidalguia pelo Governador, FERNÃO DE SOUSA, e em casa do capitão-mor AZEVEDO e sua esposa D. ANA DA SILVA,que foram então os padrinhos de baptismo das duas irmãs de JINGA e que passaram a ser chamadas : D. BÁRBARA DA SILVA (MOCAMBO) e D. ENGRÁCIA FERREIRA (QUIFUNGE), bem como ainda por outras entidades civis. militares e religiosas.



== 1630 - SETEMBRO - Chegada de DUARTE LEMOS LANDIM ao REINO DE BENGUELA. Reconstituição do REINO DA MATAMBA com auxílio dos Jagas, Holos e de CASSANJE (ESTADO DO CUANGO), onde se encontravam também bastantes Bângalas e Sossos. Assim, JINGA MBANDI regressa ao REINO DA MATAMBA,sendo "eleita rainha",contando com a protecção do poderoso "rei" CASSANJE.-
-- Os portugueses derrotam as duas coligações da QUISSAMA,estando em litígio alguns dos seus sobas : SAMBAGOMBE - KALUNGO - AKAMAKOTO - MOLUNDO, ACABONDA e QUIGOANGOA por um dos lados e ainda a aliança MBANGALA/KULAXINGO.

== 1631 - MARÇO - No REINO DO CONGO falecia D. AMBRÓZIO I, sucedendo-lhe D. ÁLVARO IV (MANI-MBAMBA), apenas com 13 anos de idade, filho de D. ÁLVARO III (rei do CONGO).

== 1632 - DIOGO DE SOUSA ataca e derrota O MONOMOTAPA CAPRANZINE que se havia rebelado.
== 1633 - O governador PEREIRA COUTINHO submete os régulos : QUIGILO -
QUIGOANDA - ACABONDA e AMBUÍLA.

== 1635 - O Governador FRANCISCO DE VASCONCELOS inicia conversações de paz com JINGA MBANDI em terras do soba CABOCO (margens do rio LUCALA).
-- No entanto JINGA MBANDI forma uma nova (2ª) coligação contra os portugueses, sendo apoiada por : NDONGO - CONGO - CASSANJE - DEMBOS e QUISSAMA.

== 1636 - FEVEREIRO - 25 - Falecimento do rei do CONGO, D. ÁLVARO IV, com 19 anos de idade, mas talvez envenenado (como já contecera com outros personagens). Sucedeu-lhe seu irmão(bastardo),ÁLVARO V, pouco depois derrotado e preso pelo Duque de MBAMBA, que por sua vez passou a ser o "rei", designado D. ÁLVARO VI (primeiro da linha "Quimulanza")!.

== 1640 - FEVEREIRO - Depois de se ter deslocado ao BRASIL e HOLANDA,na tentativa de obter apoios contra os portugueses,faleceu o rei D. ÁLVARO VI (talvez também envenenado). Foi substituído por D. GARCIA II AFONSO (GARCIA AFONSO II), designado NKANGA-A-LUKENI, da "linha KIMBAKU" (de Quimpaco -- feiticeiro), irmão do Marquês de KIWA.
= 1640 - FEVEREIRO - Representantes(?) do MANI-SOYO e do rei do CONGO,D. ÁLVARO IV, tinham-se deslocado ao BRASIL e à HOLANDA para tentarem alianças directas contra os portugueses, enquanto a "rainha" JINGA MBANDI continuava em guerra.
== 1641 - FEVEREIRO - 22 - Morre o rei do CONGO, D. ÁLVARO VI, também por certo envenenado, como já era hábito. Foi substituído por D. GARCIA II AFONSO (ou GARCIA AFONSO II), NKANGA-A-LUKENI, da linha "KIMBAKU" (Quimpaco - "feiticeiro"). Era irmão do falecido marquês de KIWA.

== 1641 - DEZEMBRO - 26 - O Conselho da Fazenda aprova o envio de auxílio militar a ANGOLA contra o invasor holandês.
-- Os holandeses tratam de negociar com o cobre do REINO DO CONGO, ao norte do rio ZAIRE(CONGO).

== 1642 - MARÇO - 28 - Tratado Provisório entre D. GARCIA II AFONSO,do CONGO, com os holandeses.

== 1642 - JINGA regressa a SANGAS DE CAVANGA, nas margens do rio DANDE, aliando-se aos vencedores (holandeses)... a ajuda flamenga deu a vitória a JINGA no sobado de DAMBI ANGONGO.

== 1642 - ( ? ) - Presença em PERNAMBUCO duma representação da corte congulesa ao governador holandês no RECIFE, MAURÍCIO DE NASSAU.
== 1643 - JANEIRO - 30 - Acordo assinado entre MENEZES e o director CORNÉLIO, na BARRA DO BENGO.
O rei do CONGO, D. GARCIA II AFONSO, reclamava e afastava-se mais para o lado dos holandeses, enquanto D. FILIPE, do DONGO, felicitava o rei de PORTUGAL, D. JOÃO IV.!
A "rainha" JINGA muda-se para a margem do rio DANDE, dominando os sobas dos DEMBOS, a bem ou a mal !
== 1643 - JULHO - O governador MIRANDA muda-se de VILA VITÓRIA para o sobado de QUIMBANZA, de ANGOLA QUIAITA, em NAMBUA QUIZANZO, ao sul de MASSANGANO, entre os rios QUANZA e CASSUALALA.

== 1645 - JULHO - A "rainha" JINGA derrotara o sargento-mor FRANCISCO F.SARAIVA, em CAMBAMBE, numa saída contra os jagas.
-- SOTTOMAIOR prepara o seu exército para derrotar JINGA MBANDI.
== 1646 - JANEIRO - Avanço do exército de SOTOMAIOR com o apoio do "rei" do NDONGO contra JINGA. Tinha ainda a colaboração do jaga CABUCU, dalguns "cangoandas" (crioulos de ANGOLA vestidos à portuguesa), de muitos empacasseiros negros (caçadores de pacaças) e ainda de 2.000 "Pombos". Atravessam os rios : LIFUME - ZENZA e DANDE.
== 1646 - MARÇO - Derrota do exército de JINGA MBANDI, apoiada pelos holendeses, por D. JOÃO GUTTERRES, do Dembo AMBUÍLA e por GINGA AMONA. A "rainha" consegue escapar-se...Ficou preso dos portugueses o enorme e roliço CACULO-CA-CAENDA... e ainda o soba ANDALA QUISUBA...

== 1646 - OUTUBRO ( ?) - Os portugueses tiveram apoio dos sobras : KABUKU KANDONGO, ANGOLA QUILONGELA, QUIXINGANGO e de MASSANGANO para castigarem ANGOLA QUIAITO e outros sobas além LUCALA, apoiantes dos holandeses.
==================================================


=== A consultar directamente na INTERNET :
"POVOS E LÍNGUAS..." - (de CARLOS PIRES) - Clicar em :

www.c.pires.com/angola_povos.html

===============================

=== B) --- DE : "ANGOLA -DATAS E FACTOS - 2º Volume (1652/1837)===

== 1655 - "Os holandeses, já instalados no CABO DA BOA ESPERANÇA, prosseguem o seu avanço pelo interior, além do rio QUEI e,para o norte,em busca do REINO DE MONOMOTAPA.
Contactam com outros povos, em especial os BOCHIMANES (BUSHMEN, BOSJEMANS ou ainda BOSHEMEN),designação que significa "Homem dos Bosques", conhecidos ainda pelos portugueses por "BOSQUÍMANOS", com certas analogias aos, já detectados anteriormente, mais ao sul e leste, HOTENTOTES, que os perseguiram.
Efectivamente já haviam sido contactados muito antes pelo portugueses, talvez,ainda quando BARTOLOMEU DIAS chegara à ANGRA DOS VAQUEIROS, no extremo sul do continente africano, ou mesmo antes, por DIOGO CÃO, quando alcançou o sul de ANGOLA !
Havia(ou ainda há)dúvidas quanto às suas origens,bem como as dos Curocas, de que são ascendentes, sendo várias as opiniões surgidas :
"...enquanto uma os quer afins dos Bergdamas do sudoeste Africano, a outra considera-os resultado do mestiçamento de Bosquímanes e Hotentotes com Mucuissis -- uma relativa população negra semi-nómada situada a ocidente da Serra da Chela..." -- (em : "ALGUNS VELHOS E NOVOS CONCEITOS SOBRE OS POVOS NÃO BANTOS DE ANGOLA", de ANTÓNIO DE ALMEIDA,pg.179)incluída na obra : "ANGOLA - Curso de Extensão Universitária - Ano Lectivo 1963/4, da Universidade Técnica de LISBOA.

== 1655 - OS Bosquímanos eram os sobreviventes dos povos da Idade da Pedra, já no seu último período, sendo aparentados com os Hotentotes, com base em aspectos linguísticos,mas sendo de estatura inferior à destes, contactados mais tarde, talvez seus descendentes com pré-bantos (Hamitas ?).
-- ... "Ainda não foi determinado com exactidão o verdadeiro parentesco entre Bosquímanos e Hotentotes; têm muitos pontos comuns, quer linguísticos, quer físicos, sendo a principal diferença entre eles o tipo de economia"...- (em : ÁFRICA AUSTRAL", de BRIAN FAGAN, pg. 32 - 1972).

== 1655 - Vejamos,em resumo, como se apresentava a situação desses antigos povos e onde existiam duas diferenças rácicas principais : -

A) - Povos pré-históricos - Paleolíticos, Mesolíticos e Neolíticos.

-- 1) - RAÇA KHOISANE - palavra que resulta dos termos "KHOIN-KHOIN", respeitante aos Hotentotes e "SAN", referente aos grupos Bochimanes, (o que significa "homem"). Assim : "KHOISANE" quer dizer - raça Hotentote-Bochimane. Nestes incluem-se ainda os pequenos núcleos de "KEDES" (MUQUEDES) da zona do CUANHAMA(KUANYAMA), da OMUPANDA e na MUPA.
Os seus antepassados são também designados "BOSKOPOIDES" (localizados em FLORISBAD por BOSKOP). Ocupavam todo o território, antes da chegada da raça negra no século XIII, desde o extremo sul da ÁFRICA até ao sudoeste, tendo características próprias, bem diferenciadas dos Negros.

-- 2) - RAÇA NEGRA : - Há que distinguir os dois grupos : PRÉ-BANTOS (NÃO BANTOS) e os BANTOS, com origens no ALTO NILO, zona dos GRANDES LAGOS, bem no interior da ÁFRICA, donde se dirigiram em avanços para o sul em sucessivas vagas, algumas ainda recentes.
Já mencionámos no 1º volume desta obra (pg.9 e 10), a sua origem e a do termo "BANTO" (BANTU), ou seja, : BA-NTU, em que o radical "NTU" significa "ser humano"("homem", "pessoa"). MUTU (MUNTU)tem o plural "BANTU". Os BANTOS constituíam a grande maioria dos povos do REINO DO CONGO e de outros Reinos. Eram os "BANTOS OCIDENTAIS" e teriam quase eliminado os outros povos,NÃO BANTOS,seus antecessores, quando da sua invasão : - teriam avançado pelo MEDITERRÂNEO e daí passaram ao norte de ÁFRICA, talvez +ela zona de GIBRALTAR, ou vindos da ÁSIA (Caucasóides), pelo SUEZ para a ETIÓPIA ou EGIPTO.

Apenas restaram algumas manchas de CUISSIS, que eram negros pré-bantos, refugiando-se na zona desértica do NAMIBE(NAMIB). Foram designados de "VATWA" (Vátuas), termo depreciativo, significando "errantes" ou MUCUISSOS, bem assim como ainda aos seus descendentes CUROCAS(COROCAS), ou OVA-ZOLOTWA, que significa "errantes negros", ou no BAIXO CUROCA, de "MUCUEPES" -- "KWEPES" -- ('KWAI/TSI ou VAKUEPE), residentes no deserto do NAMIBE, na zona de ONGUAIA e MACALA.

-- Os BOCHIMANES(BOSQUÍMANOS) são ..."os mais extraordinários e notáveis(caçadores) entre todos os povos indígenas de ANGOLA" ...(em "OUTRAS TERRAS,OUTRAS GENTES", de HENRIQUE GALVÃO, pg. 425).

Reside em ANGOLA, entre as vertentes da SERRA DA CHELA às margens do rio CUBANGO, o mais importante ramo da família BOCHIMANE : "... são os IKUNG. Foram derrotados e perseguidos pelos Hotentotes, Bantos e pelos europeus, para o deserto do KALAHÁRI.
Os autênticos BOCHIMANES (amarelos)são os BACANCALS (- MUCANCALA - é o plural de VA-CANCALA, ou ainda OVA-KWANKALA),residentes na região compreendida entre o paralelo 15º e a fronteira, e ainda entre o rio CUBANGO, margens da "MULOLA DO TCHIMPORO" e o ocidente do planalto da OYLLA. São também os BASSEQUELES (MUCUASSEQUELES) e ainda, no SE de ANGOLA, os ditos "pretos" a que pertencem os CAZAMAS. Designados ainda aqueles por CASSEQUELES, BACASSEQUELES ou CAMUSSEQUELES, situados a leste do rio CUBANGO. Instalavam-se nas zonas com cursos de água durante os períodos em que não havia chuvas e em simples abrigos.

MUCUANCALA, deriva de mukua (gente) e Nkala (caranguejo) ou ONKALA, usados como depreciativos.
MUCUASSEQUELES deriva de ; mukua + sequele (porco espinho), também como depreciativo, e ambos designados ainda por "KHUN", na sua própria língua.

-- Os BANTOS generalizaram essa designação a todos os KHOISAN : HOTENTOTES e seus descendentes.
-- Os CAZAMAS(MUCUAZAMAS) e CACUENGOS (MUCUENGOS), residentes no Sudoeste de ANGOLA, ditos "KHWE" (HUKWE ou KWERI)eram talvez descendentes dos Pré-Bantos. A diferença entre os BOCHIMANES e os CUISSIS é que estes,ditos também MUCUISSIS, são provavelmente descendentes da RAÇA NEGRA,e,por sua vez, os ascendentes dos MUCUEPES (CUROCAS), como vimos.
-- MUCUISSO deriva de MOCOISSE (mestiço com alguma raça primitiva e quase desaparecida). Também lhes chamam "MUKUA-MATARI", o que significa ..."a gente das pedras"...,seu refúgio habitual ! Os BANTOS chama aos MUCUISSOS do deserto do NAMIBE, ao sul do rio BERO ("rio dos Mortos"), de V´ATUAS, ou seja o plural de "MUTUA", significando "expulsos" e em que : "VA-TWA", o VA ou OVA é o prefixo plural e TWA traduz..."levar diante de si"...,ou seja, "expulsar". Constituem os grupos COROCAS (OVA KHEPE, ou VAKUEPE) e os CUISSES (OVA KWISI ou VAKUISI).

-- Os NEGROS designam os BOCHIMANES de "VÁTUAS - VERMELHOS) e os CUISSIS de "VÁTUAS NEGROS" !
-- Os BOCHIMANES existem também fora de ANGOLA. Foram assim baptizados pelos "BOERS" (palavra holandesa que significa "camponeses"), quando do seu avanço a partir do CABO DA BOA ESPERANÇA para o norte e sudoeste, onde tiveram de os enfrentar por diversas vezes. São conhecidos, como vimos, por CUANCALAS (OVA-KWANCALA), sendo pois anteriores aos povos Bantos. Mas, antes deles ainda existiam outros povos no sul de ÁFRICA, os pré-Bantos, desconhecendo-se o seu destino.

-- Os BOCHIMANES (BOSQUÍMANOS, BUSHMEN ou OVA-CONGOLO), podem mesmo ter descendido dos "homens de Grimald", negróides, efectuando um percurso,(há 5 mil anos) a partir da ÁSIA CENTRAL, MONGÓLIA, civilizações já mencionadas no "RIG VEDA", o mais antigo livro do mundo, atravessando a RÚSSIA, SOMALIA, ou pelo EGIPTO (os Zindjis), ou ainda pelo MEDITERRÂNEO até ESPANHA, GIBRALTAR e norte de ÁFRICA, refugiando-se depois para o sul ("Bush"), talvez à cerca de 2.000 anos, empurrados pelos invasores BANTOS para o sul do lago TANGANICA e bacias do ZAMBEZE (LIAMBEJE), do CONGO (ZAIRE), para o deserto do CALAARI e do sudoeste angolano mais tarde ainda pelos europeus.
- É provável que os BOCHIMANES - ..."se tivessem deslocado para sul provindos do Norte do Tanganica, passando pela ponta norte do lago Niassa e pelo extremo sul do lago Tanganica e,daí,para sul, através do deserto de Calaari e ao longo da bacia Zambeze-Congo, para o Sudoeste de Angola"... -- em "ÁFRICA AUSTRAL", de BRIAN FAGAN, (pgs. 47/48).
-- Tinham pele acobreada e carapinha, baixa estatura, contrariada com a corpulência dos "homens de Grimald". Foram expulsos para o deserto.
-- "BUSH" é a zona arborizada, que vai desde o sul de BENGUELA-A-VELHA, ao sul das TERRAS ALTAS DA HYLA, englobando uma parte do deserto do NAMIBE, mais na zona litoral (ANGRA DAS ALDEIAS e MANGA DAS AREIAS), região do CABO NEGRO, com deserto absoluto na zona mais ao sul até às margens do rio CUNENE e ainda mais além do mesmo rio até ao CABO DA BOA ESPERANÇA, deslocando para o leste, costa oriental africana, subindo depois a norte e oeste, zona do sudoeste.

-- Os HOTENTOTES "misturaram-se" com os negros ou podem ter sido ainda "originados" pela mestiçagem dos BOSQUÍMANOS com antigos Hamitas (CAMITAS), pigmeus ou outros, ou seriam já o resultado de cruzamentos com os BOCHIMANES (os "OVA-KEDE"). Foram absorvidos ou repelidos para o sul, refugiando-se na zona desértica, no BAIXO CUNENE.
Os residentes do litoral alimentavam-se então de peixes, moluscos e de produtos silvestres, ou mesmo das suas raízes.Os residentes no interior eram pastores nómadas, mas com grandes manadas de bois de enormes chifres e de rebanhos de carneiros, alimentando-se dos seus produtos, da caça, de raízes e frutos selvagens.
Assim, os agrupamentos, muito posteriores, existentes no NAMIBE, eram divididos em 4 agregados : -- CUVALES (ou DOMBES) , os mais numerosos, nas zonas dos rios BERO, GIRAÚL e VINTIAVA; -- os CUANHOCAS, no rio COROCA (CUROCA); -- os CUEPES e os CUISSOS (estes Pré- BANTOS), também conhecidos por CUISSIS ou MUCUISSOS.

O deserto do NAMIBE fica situado desde o norte do rio CUNENE, entre a SERRA DA CHELA e a costa litoral,até ao DOMBE GRANDE (rio COPOROLO), prolongando-se pela zona da costa litoral para o sul até à zona do deserto do KALAÁRI(KALAHARI), mas estreitando-se de sul para o norte, em vez do sentido oposto.
Era habitado desde a pré-história(período Paleolítico), conforme justificam as pinturas e gravuras rupestres do CHITUNDULO (CITUNDU-HULU, ou TCHITUNDU-HULO), no Sudoeste de ANGOLA, em BRÚTUEL e na mulola do TCHIPOPILO (CAMUCUIO),no deserto do NAMIBE, na margens do rio CUNENE, no curso superior do rio ZAMBEZE e ainda na QUIBALA(PEDRA QUISSANGE). Foram atribuídas a povos ainda anteriores aos BOCHIMANES, bem como os instrumentos de pedra da época Pré-Chelense, ou talvez aos próprios BOSQUÍMANOS, assim como algumas outras ainda na ÁFRICA MERIDIONAL.

-- Essas adaptações ao longo dos milhares de anos decorridos, podem ser melhor apreciadas directamente nalgumas transcrições que mais adiante se fazem (rubrica -- II) - DE : DIVERSOS AUTORES...) da extraordinária obra "A ORIGEM DAS ESPÉCIES", de CHARLES DARWIN --

Os desertos do KALAÁRI e o do NAMIBE(NAMIB) são distintos, mas estão situados numa zona própria e por isso com condições climatéricas interdependentes. A causa da existência do deserto do NAMIBE é a "corrente fria de BENGUELA".
..........................................................

============================================================

-----(OBS.-- Vamos intercalar aqui as curiosas notas que se seguem por estarem directamente relacionadas com esta matéria :)
...................................................
...( "4) É verdade que a África, de todos os continentes, é o único que não demonstra arqueologicamente a presença de uma civilização passada. Por isso mesmo, maior oportunidade terá ela, agora, de tornar-se teatro de tal movimento. O filho do solo é perfeitamente adaptável e pode competir de igual para igual com o representante de qualquer outra civilização.. As demonstrações já dadas por africanos e semi-africanos na América Latina e nos Estados Unidos da América, sejam no campo científico, sejam no artístico, são por demais expressivas para que necessitem ser relembradas. Ademais é um sofisma do cientista europeu dizer que o continente negro não foi o berço de civilização. Certo a grande civilização egípcia não abrangia todo o imenso triângulo africano mais em seu apogeu acompanhava o Nilo através do actual Sudão, terra a dentro, quase até aos seus confins. A civilização semítica-cartaginesa é outro exemplo bem forte."...Pgs. 43)
.................................................................
-----------------------------------------------------------
............ "4 -- CONTRASTE DA ÁFRICA PORTUGUÊSA" ............

..."Em todo o rodamoinho de experimentações coloniais, em todas as convulsões nacionalistas que já começam a agitar o subsolo político africano,uma área existe onde o sismógrafo nada acusa : as províncias de Angola e Moçambique, a Guiné e as ilhas portuguêsas do Atlântico.
E, facto curioso, num momento como o actual, em que o colonialismo tanto preocupa a humanidade (as raças não brancas unindo-se para a sua extinção, as potências coloniais divisando sistemas para perpetuá-lo), a África portuguêsa ali está bem ao lado da reacionária União bem vizinha dos atemorizados territórios das áfricas orientais inglêsas, mostrando-lhes a maneira de poder o homem branco viver em paz, e com a possibilidade real de participar de igual para igual com o nativo, para sempre, nas novas nações que vêm surgindo no Continente Negro ..."(Pg.85) -
..........................................................
..."Entretanto, não é só o factor sangue. Não é sómente a percentagem de plasma luso no resultado da amalgama racial que estabelece um perfeito entendimento entre os portugueses e quaisquer outro grupo étnico "soldisant" inferior. Mesmo que o português, por qualquer circunstância, não se mesclasse com os habitantes de outras terras, onde ele se fixou como colonizador ou imigrante, ainda assim as relações sociais seriam quase tão boas. E isso, porque o que estabelece o seu perfeito entendimento, é o fato de que o homem de Portugal não faz linha demarcatória entre branco e preto, entre branco e amarelo, mas apenas entre bárbaro e civilizado"...
...........................................................
..."Como poderia, pois, o português olhar com desprêzo tal homem sómente em função de sua epiderme ? Essa valiosa e salutar atitude ajudou, em muito, tanto a fundação e consolidação do Império português no século XVI, como certamente ajudará Portugal a manter a unidade e a união de suas modernas províncias do Ultramar"...Os portuguêses comparam-se, e com razão, aos últimos herdeiros da tradição romana, segundo a qual o mundo era dividido em bárbaros e cidadãos. O bárbaro de nada valia até que êle merecesse a cidadania. Essa, porém, não lhe era interditada, por ser êle núbio e negro, nem concedida por ser germânico e louro"...(Pg.86) -
............................................................
..."Em Angola já existem presentemente 140.000 (mil) africanos que gozam de cidadania total e que ajudam a administração portuguêsa a governar o resto dos 4 milhões de nativos que compõem a população daquela província. Infelizmente o problema é por demais complexo e a perfeita solução de um sector como o das relações étnico-sociais não implica a completa resposta à equação colonial"....(Pg.87) --

---( Em : "O BRASIL E O MUNDO ÁSIO-AFRICANO", de ADOLPHO JUSTO BEZERRA DE MENEZES, - 1956 - Pgs.: 43 - 87 -)
============================================================

--- (Regressemos ao tema anterior : sobre os desertos do KALAARI e do NAMIBE) :

-- No Sudoeste de ANGOLA os Bantos distribuem-se em três grupos étnicos :

--- A) -- OVA-AMBO(AMBÓ) -- com as tribos de : - Balântu -- Cafimas -- Coluctsi -- Cualuthi -- Cuamátui -- Cuâmbi -- Cuanhama -- Dombondola -- Donga -- Eunda -- Gandjela -- Vales.

--- B) -- MBANGALA/HUMBIS -- compreendendo : OVA-MBANGALA(HUMBI) e afins : Nkumbi -- Donguena -- Hinga -- Cuâncuas -- Handas -- Quipungos(Typungu) -- Tylengue-humbi) -- e ainda os NHANECA(UANYANECA), com as tribos de Mwilla e Ngambwe.

--- C) -- HERERO (OVA-HELELO) - com as tribos de : Chimbuas -- Chavicuas -- Kuvales -- Dimbas -- Guedelengos -- Ndimbes -- Cuanhocas -- Tylengue-musós -- Cuandos -- Cuissis(?) e Hacavonas.

Esses BANTOS OCIDENTAIS terão chegado ao sul de ÁFRICA já no século XI, ou mesmo até ao século XVII ! Em ANGOLA encontram-se divididos em 10 grupos linguísticos, num total de 60 tribos. Os cinco principais grupos são : -- 1) - KIKONGO, ao norte e ao sul do rio ZAIRE(CONGO) e até ao rio CUANDO. -- 2) - KIMBUNDU, ao norte e sul(litoral) do rio CUANZA, até ao CONGO e MALANGE. -- 3) - UMBUNDO - no Planalto Central, do litoral até ao VIÉ(BIÉ). -- 4) -- LUNDA-KIOCO, uma faixa interior, da LUNDA norte, prolongando-se em cunha pelo CUBANGO. -- 5) - GANGUELA, do litoral sul aos planaltos da OYLLA, VIÉ e MOXICO.

== "...O subgrupo étnico-linguístico KIKONGO(QUICONGO) engloba os povos : Mucusso -- Pombo -- Muxicongo -- Mucongo -- Mussosso - Muzombo -- Maiaka e Mussorongo.." - (em "ANGOLA - Curso de extensão universitária - l963/4", do Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina, 1964 - pgs. 197/8 )

-- Dos restantes grupos,principais,ainda os : LUNJANECA -- LUNKUMBI --XIKUANJAMA e XINDONGA, todos do planalto da OYLLA e os TJIHERERO no BAIXO CUBANGO. Mas, o principal de todos grupos é o dos UMBUNDO, com cerca de um terço da população.
.....................................................

-- A origem dos BANTOS será talvez o resultado do cruzamento entre PRETOS do norte do EQUADOR e outros com os PIGMEUS e BOSQUÍMANOS.

-- "...Os povos de raça negra não têm história e a que como tal se intitula é baseada em meras hipóteses, à falta de fontes de informação"...
..."Parece não haver dúvidas que todos estes povos pertencem ao tipo "bantú",que, juntamente com o tipo "chilouk", foram os primeiros invasores "aditas" da raça negra que,segundo os monogeístas, do planalto da Pérsia -- do alto maciço asiático -- desceram,muitos séculos antes da nossa era, à Arábia,donde uns,contornando o Mediterrâneo, atingiram o Nilo pelo istmo de Suez,descendo por ele até à região elevada onde nasce o Branco, o Nilo Azul e outros,seguindo o vale do Eufrates e a costa do golfo Pérsico, alcançaram primeiro esta mesma região, atravessando o Mar Vermelho no estreito de Bab-el-Mandeb..." - ..."Os que penetraram por sueste na região montanhosa do leste de África, sofrem aqui a selecção, e, repelindo para o sul os contingentes inferiores, originam o tipo "bantu",cuja área de colonização abrange toda a região ocidental além do Zaire..." - "...Este movimento migratório é mais rápido, provocando lutas, pois que uns terceiros invasores, mestiços de raça branca e negra -- os segundos "aditas" -- provenientes da Arábia, mais fortes e melhor organizados que os seus antecessores "bantus", alcançam com facilidade os planaltos etiópicos..." - "...Aqueles invasores de raça negrítica, expulsaram do seu "habitat", segundo algumas opiniões,os autoctones,representados hoje por "bushmem" ou "boschjemans" e "hotentotes", havendo quem supunha estes últimos de raça amarela, rechassando-os para os desertos de Kalahári e representados,também, pelos : "ba-cassaqueres", "ba-cancalas","ba-cuisses" e, talvez, pelos "ackas" do equador a que se refere Schweinfuth, todos de pequena estatura,vivendo fragmentados e nómadas, dedicados à caça de que se alimentam juntamente com raízes e frutos de árvores silvestres".--- in "Relatório da coluna de operações aos bondos e sul da Jinga", no B.O. da Província - pg. 88 -, de ALBERTO DE ALMEIDA TEIXEIRA, transcrito na sua obra "ANGOLA INTANGÍVEL" - 1934 - pgs. 619 a 621) --

==================================================

+++++

(Foto - Pg. 210/11 - 2º Vol. - Oleira de Hanha - ( Nhaneca - Humbe)
.............................

== 1655 - No seu avanço para o interior os "Bóers" vão vencendo os HOTENTOTES, mas,embora racistas,não resistem aos "encantos" das mulheres nativas; assim surgem os "bastardos" ou "coloured" que depois os acompanhavam. Por sua vez os "Boers" eram descendentes de emigrantes holandeses (calvibistas) e dos protestantes franceses já ali residentes, designados "africaner" (sul-africano), ou ainda "africander".

== 1655 - DEZEMBRO - 13 - A rainha GINGA acusa os anteriores governadores de terem recebido escravos sem que tivessem libertado sua irmã,D. BÁRBARA DA SILVA.-
- Embaixada do jaga CASSANGE para recuperar escravos portugueses detidos.

== 1656 - OUTUBRO - 12 - Foi então assinada a paz com a rainha GINGA, agradecida pela libertação de sua irmã,D. BÁRBARA...Foi assinado na MATAMBA,com a intervenção dos Capuchinhos, muito embora o desagrado do rei do CONGO, D. GARCIA II...

== 1656 - NOVEMBRO - 27 - O CONSELHO ULTRAMARINO manda suspender a libertação de D. BÁRBARA, irmã da rainha JINGA, a pedido do Senado da Câmara de S. PAULO DA ASSUNÇÃO (já efectuada em Outubro de 1654, a troco de 100 escravos).

== 1657 - FEVEREIRO - 4 - Casamento da rainha GINGA com D. SALVADOR, celebrado por Frei FRANCISCO ANTÓNIO(?)ROMANO, na capela de SANTA ANA,na MATAMBA e de sua irmã D. BÁRBARA com JINGA AMONA, então baptizado ANTÓNIO CARRASCO, que era o seu capitão-geral.
== 1659 - Surgem novos conflitos com o rei do CONGO e, de acordo com as decisões tomadas em Março, o governador ordenou ao capitão-mor o ataque aos sobas DAMBI ANGONGA (NDAMBI NGONGA) e QUITATI CANDAMBI, dos DEMBOS, não só pelas investidas feitas anteriormente como ainda por não se sujeitarem à fé católica. -
.........................................................
-- 1659 - SETEMBRO - O REINO DOS DEMBOS era então governado por descendentes do REINO DO CONGO...
-- 1660 - MAIO - Os primeiros contactos com o REINO DO BAILUNDO devem ter sido efectuados em 1610, no tempo de D. MANUEL PEREIRA FORJAZ.
-- MAIO - Do REINO DE BENGUELA chegam novamente notícias da ameaça das naus holandesas, praticando assaltos e roubos aos navios de mercadorias...
-- 1660 - o soba ANGOLEMEM ACACOMBE envia ao governador VIEIRA uns embaixadores, queixando-se do rei do DONGO, D. FILIPE (NGOLA AIRI),senhor das PEDRAS DE MAUPUNGO(MAPUNGO) que o haviam atacado e saqueado...
-- 1661 - JANEIRO/FEVEREIRO (?) - Morre o rei do CONGO, D. GARCIA AFONSO II e deixa o trono(que pertencera a um seu sobrinho menor) ao seu filho NEVITA-A-NKANGA, da família MANIMULAZA(MANI-AMULAZA), designado então D. ANTÓNIO 1,ou ainda NHE-LEZA.
-- FEVEREIRO - Começou o reinado eliminando um seu irmão mais velho, D. AFONSO,por conselho do seu antecessor...
-- 1661 - AGOSTO - Nomeação de DIOGO GOMES DE MORALES para capitão-mor do Reino.
-- 1663 - SETEMBRO - Apoio da rainha GINGA, de BÁRBARA, bem como de outros Reinos, reforçando também VILA VITÓRIA...
-- 1663 - OUTUBRO - 12 - Carta régia para o governador de ANGOLA sobre a acção missionária e das conivências do REINO DO CONGO com os holandeses.
-- 1663 - NOVEMBRO - O soba CACULO-CAHENDA pede o apoio do governador contra o fidalgo FRANCISCO XEQUE...FRANCISCO JOANES pretendera envenenar CAHENDA. De seguida formara uma coligação com os Reinos de CONGO,MATAMBA,NAMBOA-A-NGONGO,para resistir ao "exército do Norte", ou seja de S. PAULO DA ASSUNÇÃO.
-- 1664 - JANEIRO - 14 - Foi promulgado o Alvará de 28/9/1662 que concede aos habitantes de S. PAULO DA ASSUNÇÃO do REINO DE ANGOLA os mesmos privilégios de que gozem os da cidade do PORTO.
-- 1664 - JANº/FEVº (?) - Morre o rei do DONGO, D. FILIPE I (NGOLA AIRI)...
-- Sucedeu seu filho, D. JOÃO (NGOLA AIDI)...mandou dar luta ao soba ANGOLEMEM-A-CACOMBE, vassalo de PORTUGAL, tendo sido degolado e saqueadas as suas terras.
-- No REINO DA MATAMBA - Depois da morte da rainha GINGA, subira ao trono da MATAMBA sua irmã,D. BÁRBARA,casada com D. ANTÓNIO CARRASCO (JINGA AMONA)...
-- CARRASCO não perdeu tempo e mandou degolar D. CALISTO ZOBOTES (ZELOTE ?), secretário da rainha JINGA, seguindo-se-lhe mais alguns outros ali residentes, tendo mesmo tentado eliminar D. JOÃO GUTERRES.
-- 1664 - ABRIL - JINGA AMONA(CARRASCO) tenta envenenar o padre CAVAZZI com o vinho da missa ! ...
-- 1664 - JUNHO - FRANCISCO XEQUE seguiu para S. PAULO DA ASSUNÇÃO a caminho da BAHÍA, por ter sido expulso e sem hipóteses de regresso...Entretanto rei do CONGO, D. ANTÓNIO I (MANIMULUZA ou ainda MANIMULANZA ?)não pretendia dar cumprimento ao compromisso antes assumido sobre a exploração das tão "desejadas minas de ouro"...
-- JULHO - 1 - LOPES DE SEQUEIRA recebe o apoio e vassalagem do soba AMBUÍLA pela sua regente, D. ISABEL AFONSO, e do seu irmão, MBAMBA-AMBUÍLA,contra o rei do CONGO.
-- 1665 - JULHO - 13 (15 ?) - o rei do CONGO, D. ANTÓNIO I, e os seus ministros assinam no MONTE CALVÁRIO a declaração de guerra contra o rei de PORTUGAL...
-- 1665 - OUTUBRO - O rei do CONGO, D. ANTÓNIO I,avançava com um poderoso exército, cobrindo uma extensa área, calculada em mais de cem mil combatentes...era protegido pelos duques de BAMBA-BATA, do SUNDI e ainda pelo conde do SONHO, os marqueses de BUMBI e de PEMBA...
-- 1665 - DEZEMBRO - 6 - ...A coroa do rei D. ANTÓNIO I havia sido oferecida pelo papa INOCÊNCIO X a D. GARCIA AFONSO I, em 1651...
-- 1665 - DEZEMBRO - 7 - ...O rei do CONGO, D. ANTÓNIO I, tinha-se deslocado para AMBUILA, acompanhado de uma grande corte e de familiares, tão certo estava da sua esmagadora vitória e de se apoderar de outras terras. Seguiam também os seus ilustres ministros, tais como : ..."D. CALISTO SEBASTIÃO CASTELO BRANCO LÁGRIMAS DE MADALENA, D. GERALDO ZILOTE MANUEL ARREPENDIMENTO DE SÃO PEDRO CONCAVO DA TERRA, D. CRISTÓVÃO DE ARAGÃO DOS VIEIRAS DA FELIZ MEMÓRIA, D. MIGUEL TÉRCIO PELO DE TRÊS ALTOS PARA BORGUEGUINS QUE COBREM OS PÉS DEL-REI MEU SENHOR, RAFAEL AFONSO DE ATAÍDE COMO CEDRO DO MONTE LÍBANO"...(de "MADE IN ÁFRICA", de LUIS CASCUDO, pgs.20 e 186/1965).

-- O rei do CONGO,D. ANTÓNIO I, não deixara muitas simpatias em virtude da sua crueldade. Chegara ao ponto de ter mandado eliminar sua mulher, a rainha, sendo metida numa arca bem fechada e lançada ao rio. Sucedeu-lhe D. ÁLVARO VII - (NEPANZU-A-MASUNDU) - que logo desencadeou uma luta contra as tropas portuguesas com um numeroso exército. Intitulara-se D. ÁLVARO TUNY MONANZA, mas teve logo contra si o conde do SONHO.
-- ILUNGA KIBINDA (SHIBINDA ?),casadp com a rainha LUEDJI("amizade")..."a mãe do povo lunda"...chega à região da LUNDA ("terra abandonada")de que se torna o seu 5º rei, MWTA YAMVO ("senhor da víbora"), ou ainda MUTIÂNVUA (MUATA-IANVO), significando : "primeiro rei" !
-- Os povos Lundas,originários da zona do rio LUAPULA (o rio ZAIRE no início do seu curso), atravessaram-no para o ocidente, chefiados pelo CAZEMBE ("IMPERADOR"). Essa região fora "colonizada" pelos "Lundas meridionais" sob chefia do general KANYEMBO,enviado pelo MWTA YANVO ("MUTUATIÂNVUA"), instalados entre os rios CUANGO e CASSAI, supeiores, até ao vale do LUABALA (rio ZAIRE no seu curso médio)"..."O REINO DO CAZEMBE assim recem-formado pelos "Lundas meridionais" passara a ser um posto intermédio entre a costa oriental e a ocidental."...
-- 1665 - DEZEMBRO - No mapa de TEIXEIRA ALBERNAZ surgem os Reinos do CONGO e de MONOMOTAPA relativamente próximos e o rio LIAMBEJE, ou ZAMBEZE, aparece situado quase no litoral angolano, a sul do CABO NEGRO !
-- 1666 - MARÇO - A rainha D. BÁRBARA foi sepultada na Igreja de SANTA MARIA DA MATAMBA, que ficou sempre aberta e ali,certo dia entraram vacas perdidas..."já que a gente nacional não fazia sentimento em sua morte"...
-- D.DIOGO NGOLA CABANGA, irmão do rei do DONGO, supondo-se o ideal sucessor e candidato ao trono da MATAMBA, seguira para as ilhas de QUILONGA,no rio CUANZA, disfarçado de caçador, com alguns acompanhantes.O "CARRASCO" não estava dormindo e ameaçou-o por invasão dos seus domínios, de modo que D. DIOGO..."tomou às de vila Diogo, como lá dizem muito de bom pé"... No entanto o "rei da MATAMBA", JINGA AMONA,mandou prendê-lo..."para lhe tirar a cabeça dos hombros...pois a tinha tão leve que se levara de vaidades em cuidar que lá o querião por Senhor"... (de A.O.CADORNEGA, ob.c. - Tomo II, pg. 251".
-- ..."Os comerciantes portugueses avançam para o Reino (Império) de MONOMOTAPA ("muene-mutapa", o "mestre da pilhagem").
-- 1667 - No REINO DO CONGO - Após a Batalha de AMBUÍLA e do desaparecimento de cena do rei D. ÁLVARO VII, o reino passou a ficar dividido em outros reinos, voltando a um completo descontrole e mesmo abandono. Houve então um desmembramento : em MBULA sobe ao trono D.PEDRO III(NSUKIA NTAMBA, enquanto na zona de AMBRIS (AMBRIZ)era proclamado rei D. AFONSO II, além do rei D. ÁLVARO VIII (antes dito D. AFONSO), instalado em S. SALVADOR, que substituíra D. ÁLVARO VII....- ...D. ÁLVARO VIII intitulava-se :...Rei do CONGO e dos Ambundos e da Matamba e da Quiçama e de Angol e de Cacongo e dos sete Reinos do Congo de Amulaca e dos Panzelungos e Senhor do Rio Zaire e dos Anzinos e de Anzicana e do Luango"... e como se não bastasse, ainda usava também mais uma serie de títulos, tais como :...Rei, por Divina Graça, aumentador da conversão da Fé de Jesus Cristo,defensor dela nestas paragens da Etiópia, Rei do Antiquíssimo Reino do Congo, Angola, Matamba, Veangá, Cundi, Lulha e Souso, Senhor doa Ambundos e dos Matumbolas e de outros muitos Reinos e Senhorios a eles comarcãos d´aqueém e dálém do mui espantosíssimo rio Zaire, suas margens e águas vertentes"... (de : OS SERTÕES D´ ÁFRICA", de ALFREDO SARMENTO - 1880) -
-- O rei do CONGO, D. ÁLVARO VIII (NE-VAMBA-A-MPANZU) faz um acordo com o governador permitindo as explorações mineiras no seu..."vastíssimo território"...O REINO DO CONGO era então limitado a sul pelo rio BENGO, a leste pelo rio CUANDO, enquanto a norte se prolongava além rio ZAIRE(CONGO) até aos limites superiores do REINO DO LOANGO (LUANGO). Como outros, o REINO DO CONGO era dividido em províncias ("Tumbu")e estas por sua vez em distritos... Nessa vasta "administração" havia uma inúmera lista de fidalgos, tais como : duques de BAMBA, SUNDI e de BATA; o conde de SONHO e os marqueses de : AMULACA, BENA, BUMBI, CANGA, CASINDA, CONGO, CUICA, CUNDI, ENGILADA, ENGOMBE, ENZANGA, LIGINGA, LEBITA, MUSSULO, PANGO, PEMBA, PUNGO, QUIFUMA, SANGA, SEMBO, SUNDA, etc, etc...
-- 1668 - D. JOÃO DE SOUSA (D. JOÃO I), do REINO DO DONGO /DONGO-ANGOLA)não agradava aos portugueses pelos abusos cometidos contra os vassalos da coroa e contra alguns residentes e religiosos.
-- O SENADO DA CÂMARA envia uma força ... "para avançar sobre AMBACA, contra o soba NDUMBO-A-PEBO. Sofreram ataques de D.DIOGO NGOLA CABANGA, irnão do rei D.JOÃO I"...
-- 1669 - No REINO DA MATAMBA fora afastado do poder o tirano JINGA AMONA (ANTÓNIO CARRASCO)..."que bastava ver o apelido de Carrasco, para ser Verdugo de seus Vassalos"...("História Geral das Guerras Angolanas" - de A.O. CADORNEGA,Tomo II pg. 255). - Andava também em lutas contra D. DIOGO NGOLA CABANGA, o "caçador disfarçado" !
-- Reunidas as forças e entidades locais, nomeiam para rei da MATAMBA, D. JOÃO GUTTERRES ANGOLA CANINI ("Muenelumbo")de ANA DE SOUSA, cargo principal do Reino) e,por ser descendente dos reis de ANGOLA.
-- ANTÓNIO CARRASCO não desiste do poder e prepara-se para uma luta contra o seu "condenado"...Avança de surpresa sobre as tropas de D. JOÃO GUTTERRES, que era então apoiado pelos portugueses.
-- O revoltado conde de SONHO acaba por atacar e destruir S.SALVADOR DO CONGO, nem escapando as igrejas...- ... Ao rei D. ÁLVARO VIII sucedera D. RAFAEL I. Foi logo ameaçado pelo Conde do SONHO, pelo que preferiu retirar-se para o BUMBI e pedir o apoio dos portugueses.
-- 1670 - Seguiu-se a assinatura dum acordo pelo qual o rei do CONGO, D. RAFAEL I, cedia ao de PORTUGAL o condado do SONHO, incluindo a posse do seu porto e do PINDA. O "REINO DO NORTE" entraria novamente em guerra aberta.
-- 1671 - No REINO DA MATAMBA, após a morte de D. JOÃO GUTTERRES ANGOLA CANINI, do REINO DO QUILOMBO da extinta rainha JINGA, sucedera-lhe D. LUIS, descendente dos Reis de ANGOLA...
-- 1671 - DEZEMBRO - KATEKULU-MENGU, chefe dos Bângalas, funda o REINO DE NDULU. Pertencia à linha MPUNGO-A-NDONGO... Além da vitória sobre o REINO DO CONGO, os portugueses conquistaram MPUNGU, dominam os REINOS DA MATAMBA (vencendo JINGA AMONA) e o de NDONGO, de ANGOLA AIRI II, já em decadência, passando então a designar-se "REINO DE ANGOLA".
-- 1672 - MAIO - 31 - Os detidos,D. FILIPE e D. DIOGO, do NDONGO, foram então embarcados no navio "Nª.Sª.DO ALECRIM" para LISBOA, sendo apoiados pelo Ouvidor-Geral, ANTÓNIO DE CASTRO DE SOUSA, nomeado em 1665 e que então escrivão da Fazenda Real.
-- 1672 - AGOSTO - 20 - Chegam a LISBOA os detidos D. FILIPE e D. DIOGO, do antigo REINO DO NDONGO...
-- 1673 - No REINO DA MATAMBA, em resultado da guerra civil, subira ao trono D. FRANCISCO NGOLA CANINI, tendo recebido o apoio do REINO DO KUANGO, enquanto o soba da QUISSAMA se revoltara, mas depois aceitara a paz que o governador TÁVORA lha oferecera.
-- 1673 - NOVEMBRO - 8 - Os dez fidalgos da MATAMBA, deportados do CONGO para o BRASIL, chegam ao BRASIL com destino ao forte de PENICHE...
-- 1673 - DEZEMBRO - No REINO DO CONGO, D. PEDRO III, de BULA, mandara uma embaixada a BRUXELAS...
-- 1674 - JULHO - No REINO DA MATAMBA, o herdeiro D. FRANCISCO GUTTERRES ANGOLA CANINI, Senhor do Quilombo da rainha da JINGA, filho ilegítimo de D. JOÃO GUTTERRES, "manilumbo" naquela corte corte, fora educado pelo Frei CAVAZZI com a ajuda de D.ANA DE SOUSA...
-- 1677 - (') - No REINO DE BENGUELA faziam-se tentativas de mudança da localização da cidade de S. FILIPE para um sítio, dito "MORRO DA CASA BRANCA", ou ainda para "CATUMBELA DAS OSTRAS"...
-- 1678 - No REINO DO CONGO falecera o rei D. RAFAEL I, marquês de MPEMBA, sucedendo-lhe D. AFONSO III AFONSO (NE-BEMBA-A-NIMI).
-- 1679 - JUNHO - 3 - Nomeação do governador JOÃO DA SILVA E SOUSA para o REINO DE ANGOLA.
-- 1679 - AGOSTO - 26 - O CONSELHEIRO ULTRAMARINO aprova a mudança da cidade de S.FILIPE DE BENGUELA para a CASA BRANCA, já efectuada antes, em 1678...-- No REINO DA MATAMBA e após a morte de D. ANTÓNIO CARRASCO (JINGA AMONA), em 1674, D. PASCOAL ROIZ MACHADO CASANGI CAQUINGUIRI, "miambole" de Sua Alteza,avança com as tropas sobre o quilombo de CASSANJI (KASSANGE), aliado do Reino de JINGA...
-- 1680 - No REINO DA MATAMBA, D. FRANCISCO GUTTERRES ANGOLA KANINI expulsa o representante do governo português.
-- No REINO DO CONGO, D. AFONSO III AFONSO, sucedera a D. RAFAEL I (em 1678)... D. AFONSO III AFONSO não consegue controlar a situação, acabando ser substituído por D. DANIEL DE GUSMÃO (NEMIALA NIA GIMBILLA),designado então D. DANIEL I. Era descendente de D.ÁLVARO MPANZU, morto em 1674 pelos seus próprios parceiros numa guerra. Havia no entanto mais pretendentes ao trono, entre os quais D.GARCIA III (NGANGA MBEMBA) e de D. PEDRO III (NSUKIA NTAMBA)... - Em BULÁ, D. DANIEL I(?)fora vencido por D. PEDRO II(1677/78 ?. Depois, um seu irmão, D. MANUEL, disfarçado de sua noiva, mandou eliminá-lo com um tiro nas cabeça !(Era também conhecido por D. MANUEL MUGINGA ANGUENGUE)... - D. GARCIA III (NGANGA MBEMBA), com o apoio dos Capuchinhos, obtinha o trono, logo enviando uma vistosa embaixada a S. PAULO DA ASSUNÇÃO...
-- 1681 - Novos contactos com HILA(OILLA) e com o seu povo MU-HILA (MUILLA ou ainda MUMUILA), além dos primeiros efectuados em 1665. Era um estado abrangendo : LUPOLLO, JAU, ON-PATA. Os povos BA-MUILA teriam resultado do cruzamento dos Ba-Ximba, ali residentes, com os seus conquistadores. Já tinha havido contactos com a sua zona litoral desde 1641. A região da OILA era ocupada pelos Nhaneca e depois fora dividida em : MWILA - ONDYAU - TYIHITA e NGAMWE. Formavam o antigo REINO DEMATAMAM, que fora derrotado pelos jagas em 1570.
-- O RENO DA OILLA era o maior, sendo governado por uma clã regional,(Kanda)de "TCHIKUYU", com a capital na OILA.
-- O REINO DO NGAMBW era governado a "Kanda" NVYA.
-- O REINO DO HUMBI era governado pelos "LUVUKO"...
-- 1682 - Fundação do presídio de CACONDA, no sobado do BONGO e da sua vila em terras dos sobas BONGA e QUILULA, dominados desde 1640.
-- Foram então estabelecidos os primeiros contactos com o REINO DO VYÉ.
-- ... As capitanias-mores eram, nos REINOS de : BENGUELA - CASSANJE - CUANZA - DANDE - DEMBOS - GOLUNGO (Era a base da organização administrativa (militar) de ANGOLA.
-- 1682 - MAIO - 8 - A rainha D. VERÓNICA (VICTÓRIA)GUTTERRES, que subira ao trono da MATAMBA, por morte de NGOLA CANINI,viu-se obrigada a assinar um Tratado de Paz com o rei de CASSANJI.
-- 1683 - SETEMBRO - Terminavam assim,nessa altura, as lutas na MATAMBA e chegara ao fim o REINO DE NDONGO / MATAMBA, surgindo novas perspectivas na bacia do rio CUANGO, para o REINO DE CASSANGE. Foram medianeiros nesse "Tratado", o bispo, o Vigário-Geral e JERÓNIMO TEIXEIRA DE MENDONÇA.
-- 1685 - O rei do N´GOYO deseja baptizar-se e pede missionários, assim como o conde de SONHO, para a zona ao norte do rio ZAIRE, em ZAIRE-CACONGO.
-- 1687 - FEVEREIRO - 3 - As relações do REINO DE BENGUELA e de outros povos com o soba BONGO pareciam estar normalizadas. Porém, este decide cercar a fortaleza de S.FILIPE.
-- O capitão-mor de CACONDA, MANUEL DA ROCHA, reunira os residentes que decidiram negociar com os sitiantes...
-- 1688 - No REINO DO CONGO a situação continuava instável e muito confusa : no REINO DE BULA reinava então D. JOÃO II, que sucedera a D. PEDRO III, seu irmão. Fora recebido com todas as honrarias mas não podia ser reconhecido como rei do CONGO por não possuir a coroa real ! Esta fora enviada para S. PAULO DA ASSUNÇÃO em 1665, depois da Batalha de AMBUÍLA, com a cabeça do rei D. ANTÓNIO I e, entretanto havia desaparecido ! O governador mandara executar uma outra coroa bem como o ceptro...
-- 1689 - MAIO - 8 - D. VERÓNICA (VICTÓRIA ?)GUTTERRES manifesta-se a favor da paz.
-- 1691 - ABRIL - 29 - O rei de PORTUGAL, D. PEDRO II, ordena ao governador LENCASTRE a nomeação do rei D. PEDRO IV DE ÁGUA ROSADA, para o REINO DE CONGO, de modo a manter-se a mesma dinastia, após a curta estadia de alguns outros reis : D. NICOLAU, D. SEBASTIÃO, D.  ANDRÉ e D. MANUEL (NJINGA ELENQUE ou mesmo D. AFONSO), eleito pelo seu povo como o seu antecessor, mas que de seguida o desacreditou, e de mais algumas tentativas fracassadas...
-- 1691 - SETEMBRO - 2 - Deu-se a REVOLTA DA QUISSAMA e de AMBUÍLA, contra o capelão e o capitão-mor.
-- Os chefes Lubas (lubas) afastam os comerciantes portugueses interessados no marfim, desviando-os para o norte.
-- 1693 - JANEIRO - 24 - O REINO DO CONGO caiu na dependência do governo central que lhe impunha a nomeação do novo rei.
-- 1694 - ...No REINO DO CONGO, a cidade de S. SALVADOR estava quase abandonada..."por estar transformada em terra de lobos, de onças e de leões..." - Os seus comerciantes debandavam para o SONHO e LOANGO, mercê da concorrência ilegal dos holandeses e ingleses. mais interessados no seu negócio de escravos, grande parte destinados à ESPANHA !
-- 1694 - Situação no REINO DO CONGO, D.GARCIA III,eleito alguns anos antes (1680), havia falecido em 1689 e fora substituído por D. NICOLAU, ao qual se seguira D. SEBASTIÃO. Este por sua vez foi substituído por D. ANDRÉ, da linha "Quimulaço" (Quimulanza ?), eleito pela próprio povo, mas que morrera pouco depois (1690/91). Sucedera-lhe então D. MANUEL I (AFONSO ?).
D. MANUEL I teve algumas lutas com uns irmãos de D.GARCIA III, sendo obrigado a refugiar-se no SONHO. Surge então D. ÁLVARO IX (NENIMIA MBEMBA), um dos vencedores do anterior. No entanto não ficara por aí o rosário das desgraças ... D. MANUEL I abandonara S.SALVADOR, seguindo para MUCONDO, sob a protecção dos "Quipanzos".
-- D. ÁLVARO IX, rei de QUIBANGO, derrota D. JOÃO, rei de BULÁ e recebe vassalagem de D. ALEIXO e de D. PEDRO CONSTANTINO, que se prontificaram eliminar o infeliz D. MANUEL I, perdoando no entanto D. ANA AFONSO DE LEÃO (de MUCONDO) contra a vontade dos restantes ! D. PEDRO VALE DE LÁGRIMAS derrota D. ALEIXO..."caiu sobre D.Aleixo, derrotou-o, degolou-o e comeu-lhe o coração"...!
-- D. ANA AFONSO DE LEÃO derrota D. PEDRO CONSTANTINO (KIBANGU), que se refugiara em BULÁ e depois no QUIBANGO, onde faleceu D. ÁLVARO IX.
-- Como desejava e já ordenara antes, o rei de PORTUGAL, D. PEDRO II, sucedeu D. PEDRO IV DE ÁGUA ROSADA (NUMUSANO-A-BEMBA, ou ainda NSANU-A-MBEMBA)), irmão de D. ÁLVARO IX. Assim, no REINO DO CONGO havia então os dois reis : D. JOÃO (em BULÁ) e D. PEDRO IV (no QUIBANGO), reconhecidos por todos, menos por D. ANA AFONSO LEÃO...
-- 1696 - No REINO DO CONGO, o rei D. PEDRO IV, consegue recuperar S. SALVADOR.
-- 1698 - O soba do HAMBO ataca QUITATA.
-- 1701 - FEVEREIRO - GASPAR REBELO DA COSTA comanda uma força militar contra os sobas de : CACONDA, NANA AMBUNDO, para o prender, bem como ao seu irmão CAFUNGA, que se intitulava..."senhor de toda a HANHA"...ou seja, de CACONDA-A-VELHA e de CACONDA-A-NOVA.
-- 1702 - (?) - Confirmação da nomeação do rei do CONGO, D. PEDRO DE ÁGUA ROSADA pelo rei de PORTUGAL, encontrando-se porém já no trono desde 1694 por sua indicação, em Abril de 1691.
-- 1710 - NOVEMBRO - Desde 1665 houve 14 reis no CONGO. A maioria fora morta pelos próprios Mussorongos e Muxicongos.
-- 1710 - NOVEMBRO - Morrera a rainha ANA DE LEÃO, irmã de D. GARCIA II, rei do CONGO, casada com D. AFONSO III AFONSO. Tinha então 80 anos de idade.
-- 1717 - (?) - A anarquia regressa ao REINO DO CONGO, onde os pequenos "reinos" PANGO, MBAMBA e MBATA não reconhecem o seu rei.
-- 1718 - (?) - No REINO DO CONGO morreu o rei do CONGO, D. PEDRO IV e,como havia dois clãs pretendentes ao trono, os Quimulanza (ou Chimulanza) e os Quipango (Chimpanzu), decidiram pacificamente fazer alternância de reinados, sendo D. PEDRO IV um dos candidatos. Porém sucedeu-lhe D. MANUEL II.
-- 1723 - ..."No entanto a situação piorara no REINO DO CONGO. As suas dinastias esfumavam-se e perdiam prestígio. A cobiça dos estrangeiros , já bem conhecida, e a sua quase constante permanência nas costas angolanas, em especial na zona do porto do PINDA (no rio ZAIRE), espreitando sempre as oportunidades, facilitava-lhes o negócio...o "Norte" estava esquecido em favor do REINO DE BENGUELA (e das infiltrações para o REINO DE CACONDA os ingleses haviam mesmo comprado ali um terreno aos sobas, baseados no Acordo de 1713.
-- 1728 - (?) - HILOMBO, filha do velho soba de CHIONGO, instala-se em QUITATA, com sua filha, MARIA DE CACONDA, fruto da ligação com um rico comerciante de BENGUELA. por oferta do seu pai e ali funda uma prometedora povoação.
-- 1730 - No REINO DO CONGO terminara o reinado de D. MANUEL II.
-- 1733 - ..."Mais ao sul,nas "TERRAS DO NANO", surgira uma rebelião dos povos do HAMBO, GALANGUE, CANGUEMBE e onde se verificaram as mortes de alguns "pombeiros" e os assaltos às suas casas e fazendas...
-- 1737 - No REINO DO CONGO, segundo uma lenda, a princesa MUAM PENHA, de LANGUNDO, irmã do rei, apaixonara-se por um caçador que por ali passava, mas que dali não passou, tendo sido "caçado" e comido pela família real ! Desgostosa, a princesa POENHA, com o seu filho TUMBA, duas filhas, LILÓ e SILÓ, com alguns outros familiares, abandonou a corte e dirigiu-se para o litoral norte, ou teria sido expulsa !
-- 1744 - Derrota da rainha da MATAMBA, KAMBAMBE, pelo que foi obrigada a abandonara o Reino...
-- 1750 - VIYÉ, natural de HUMBI, funda o REINO DO VIYÉ, limitado ao norte pelo REINO DO NDULU e, pelas outras fronteiras, pelo rio CUQUEIMA (COQUEMA). Ali vivia o soba de GAMBA-BOMBA, pai de CAHANDA. Esta apaixonara-se por VIYÉ, jovem caçador de elefantes, filho do soba do HUMBI,com quem casou... Assim nasceu aquele REINO, com a capital em CANHOCO. Porém, uma outra versão, ou lenda, sobre a criação deste Reino, refere-se à criação da Terra, sendo FETI o seu primeiro habitante ! Então teve um encontro inesperado e deslumbrante com a primeira mulher, CHOJA, saídas das águas do rio CUNENI ! E o primeiro "fruto" desse encontro foi GALANGUE e o segundo VIYÉ. Este, mais tarde, seguira para o Sul e ela para o Norte. !
Apenas a primeira hipótese tem algum fundamento, havendo mesmo outras referências quanto aos primeiros sucessores : CONGO HAMULANDO que casou com a viúva CAHANDA (sua tia).
..............................................................
................. (em actualização permanente) ...........................
.............................................................
-- 1683 - SETEMBRO - ...Terminavam assim, nesta altura, as lutas na MATAMBA e chegara ao fim o REINO DE NDONGO / MATAMBA, surgindo novas perspectivas na bacia do rio CUANGO, para o REINO DE CASSANGE...
.....................................................
-- 1709 - FEVEREIRO - 15 - No CONGO, D. PEDRO IV, derrota D. PEDRO CONSTANTINO que acabou por ser degolado; os seus "parceiros" dessas contendas desapareceram do mapa.
-- 1709 - OUTUBRO - 3 -Chega a LUANDA o novo Governador de ANGOLA,ANTÓNIO SALDANHA DE ALBUQUERQUE CASTRO E RIBAFRIA, já nomeado em 9 de Janeiro.
-- 1714 - Terminaria o reinado de D.PEDRO IV, tendo vivido esses últimos anos e constantes sobressaltos e receios dos seus antagonistas, em especial do Conde de SONHO.
....................................................
....................................................
===============================================

--- C) --- de : "ANGOLA - DATAS E FACTOS" --- 3º Vol.(1837/1912)--

-- 1839 - SETEMBRO - Revoltam-se os sobas do DOMBE GRANDE, da QUISSAMBA e de QUILENGUES, enquanto no CONGO, D. ALEIXO, que sucedera a D. GARCIA V (?) incita
os povos de ENCOJE e dos DEMBOS a não pagarem o imposto.
-- 1840 - JANEIRO - Expedição dos portugueses ao ALTO ZAMBEZE para ocupação do REINO DO BAROTZE - (LUI) - , com manifesto apoio da Associação Marítima Colonial e dos estudos das expedições anteriores.
-- 1840 - FEVEREIRO - 1 - Depois da instalação em MOSSAMEDES dos comerciantes de LUANDA, JÁCOME FILIPE TORRES e ANTÓNIO GUIMARÃES JÚNIOR, foi publicada uma portaria ministerial fixando o "estabelecimento" de MOSSAMEDES.
Foi fundada assim essa primeira feitoria por aqueles dois comerciantes, estando ainda a dita região "selvagem", mas onde se instalaram 120 colonos.
-- Foi o início da ocupação europeia do Sul de ANGOLA e a caminho do interior, com o apoio do ministro da Marinha e Ultramar, conde de BONFIM.
-- 1840 - ABRIL - 90% dos colonos brasileiros instalados em "DUQUE DE BRAGANÇA" haviam falecido apenas 6 meses após a sua chegada !
Tentativas de colonização do AMBRIZ já ordenada e iniciada em 1830.
-- 1840 - ABRIL - 24 - Portaria do conde de BONFIM autorizando as expedições através de ÁFRICA.
(?) O sertanejo SILVA PORTO chegara ao BIÉ integrado na caravana de BENTO DA CONCEIÇÃO MATOS, falecido nessa viagem, tendo sido substituído pela sua irmã, D. JOSEFA DA CONCEIÇÃO MATOS.
Ali inicia então as suas viagens de negócios com ajuda dos seus "pombeiros", desde BENGUELA, BIÉ até à LUNDA, percorrendo as margens do rio CUANZA e alcançando distantes paragens em direcção ao LUALUI com o objectivo de contactar comerciantes da costa oriental.
-- 1840 - AGOSTO - 13 - Início da construção do Forte de MOSSAMEDES, na PONTA NEGRA (ou PONTA DO PENEDO), tendo sido criado o Presídio no "Estabelecimento" de MOSSAMEDES, para o qual foi nomeado o seu primeiro regente ("comandante"), JOÃO FRANCISCO GARCIA MOREIRA que seguira de QUILENGUES para o CABO NEGRO pela SERRA DA CHELA. Pacto de amizade e de comércio entre os sobas MOSSUNGO e GIRAULO (GIRAÚL)...
... Foi ali instalada uma colónia, bem como outras em PORTO ALEXANDRE e na BAÍA DOS TIGRES com a chegada de alguns "boers" da DAMARA.
Os Makolocolos surgem também no ALTO ZAMBEZE, chefiados por SEBITUANE. Alguns descem até ao CUANGAR, já na zona sul de ANGOLA, para onde entretanto os alemães avançavam.
-- 1841 - (?) - Prosseguem as revoltas de sobas dos DEMBOS... No REINO DO CONGO fora efectuada a prisão de D.ALEIXO ÁGUA ROSADA, dito filho do rei do CONGO, D.GARCIA V...sucedendo-lhe D.HENRIQUE II (NEPANZU-A-XINDI-ALUQUENI), já com mais de 70 anos de idade. Foi coroado por um prelado africano ido de LOANDA e que lá ficou. Entretanto os portugueses abandonaram por completo o CONGO, não havendo então ali nenhum residente europeu. O dito "rei" não passava dum simples "soba"!
-- Destruição do Forte de QUILENGUES, construído em 1834.
-- Revolta de um sobrinho do "rei" D. HENRIQUE II provoca uma guerra civil em S.SALVADOR DO CONGO, já quase sem qualquer poder bélico. Surgira então o clã KIVUGI.
-- 1842 - DEZEMBRO - ARSÉNIO POMPEU DO CARPO foi nomeado pela rainha "coronel Comandante das Províncias do BIÉ, BAILUNDO e HUAMBO".
O sertanejo SILVA PORTO prossegue a sua exploração a partir do BIÉ, para a LUNDA, CATANGA e CARANGANJA (ZÂMBIA), utilizando os seus pombeiros, depois de já ter efectuado viagens de negócios nessas zonas desde 1839/40.
-- 1843 - MAIO (?) - O governador de BENGUELA consegue pacificar os sobas do DOMBE GRANDE, mais ao sul.
Tratado entre o HAMBA da HUILA com FRANCISCO GARCIA para a instalação duma colónia agrícola.Deslocou-se ainda aos Envales, à HUMPATA, HUILA e JAU.
-- JUNHO - 6 - Chegada de RODRIGUES GRAÇA ao BIÉ, não conseguindo concretizar a expedição à LUNDA. Extinta a capitania-mor do BIÉ.
-- 1843 - (?) - Foram publicados os diários das viagens dos pombeiros, PEDRO JOÃO BAPTISTA e AMARO JOSÉ, desde ANGOLA (CASSANJE) até MOÇAMBIQUE (QUELIMANE)...
-- 1843 - Foram instaladas as primeiras pescarias em MOSSAMEDES, tendo-se fixado novas Feitorias de : FERNANDO JOSÉ CARDOSO GUIMARÃES, D. ANA JOAQUINA DOS SANTOS SILVA e JOÃO PINTO GONÇALVES (com AMARO MOREIRA TORRES).
BERNARDINO JOSÉ BROCHADO segue de MOSSAMEDES para os GAMBOS;descreve as viagens.
-- 1844 - MARÇO - BERNARDINO BROCHADO chega aos GAMBOS e ao MULONDO, entre os rios CUNENE e OCHITANDA, tendo ......"sido obrigado a usar saias, não sendo ali permitido(as)calças!.... Ma talvez já lá tivessem ido outros portugueses (de calças) em 1840/1841.
-- JULHO - BERNARDINO BROCHADO e diversos comerciantes de MOSSAMEDES alcançam o HUMBE e o CUAMATO, até ao BAIXO CUBANGO e CUITO, terras dos Ambuela. Foi autorizado a usar calças, depois das calças !
O anterior REINO do HUMBE INENE estava então dividido em Estados : - MULONDO, CAMBA, HANDA e HUMBE.

+++++
-- ( Foto nº 37 / 4º Vol. Pg- 189 - TIPOS INDÍGENAS DO SUL DE ANGOLA )--
............................................



-- SETEMBRO - Rebelião dos povos de QUILENGUES, causando enormes estragos.
Surge o novo soba do BIÉ, RIAMBULLA ("QUINGILA")
-- DEZEMBRO - (?) - Em MOSSAMEDES fora instalada a nova feitoria de VENÂNCIO ANTÓNIO DA SILVA.
-- 1845 - JANEIRO - 17 - "Undamento" e vassalagem do soba FAIONA (de MOSSAMEDES), designado D. LOURENÇO, perante o governador do distrito, capitão JOAQUIM LUIS BASTOS.
-- 1845 - MARÇO - 25 - Proposta para a organização dum "estabelecimento colonial" na AUILA (OYLLAS), apresentada por uma Comissão chefiada pelo conhecido POMPEU DO CARPO e composta por outros elementos, entre os quais se destacava D.ANA JOAQUINA DOS SANTOS SILVA, bem como ainda no LOBITO, com despesas à sua conta, pelo que 200 casais de colonos da MADEIRA e do BRASIL seguiram para MOSSAMEDES.
ARSÉNIO POMPEU DO CARMO tencionava assim fundar um colonato na OYLLA...
-- SILVA PORTO regressa de BENGUELA com instruções do seu armador para avançar até ao BAROTZE (LUI), terra do povo Lozi, então dominada pelos Macorosos (Macololos).
-- MAIO - (?) - Início da campanha contra revoltas na HUILA (AHUILA) e no HUMBE. No CUANHAMA era soba, desde 1811(?), HAIMBIR (NAYMBILI).
-- JUNHO - 26 - Tratado entre D.MARIA II, rainha de PORTUGAL, e o rei do CONGO, D.HENRIQUE II, autorizando a construção de fortalezas...
-- JULHO - O rei do CONGO, D.HENRIQUE II, foi autorizado a enviar a LISBOA um dos seus filhos para ser recebido pela rainha D. MARIA II e normalizar as relações entre os dois Reinos.
-- AGOSTO - 4 - Chegada a MOSSAMEDES dos 200 casais de colonos da MADEIRA, embarcados em Março (incluindo alguns do BRASIL).
-- AGOSTO - 21 - P.M. nº 1342 para o governador geral sobre a fundação do "estabelecimento de MOSSAMEDES" e da povoação da HUILA....
-- AGOSTO - (?) - Portaria nº 279 para a JUNTA DE FAZENDA DE ANGOLA sobre a fundação da povoação da HUILA e da COMPANHIA DE MOSSAMEDES.
Foi obtido um Tratado com o rei do CONGO para a instalação das autoridades portuguesas no AMBRIZ... que estava aberto a todos países...
-- Portaria nº 1354 do Ministro da Marinha e Ultramar para o governador geral em que nomeia o tenente DIOGO DE BRITO para uma comissão de 4 anos no governo de MOSSAMEDES
...................................................

-- 1859 - NOVEMBRO - 24 - CHARLES DARWIN publica "A Origem das Espécies".
-- 1868 - Descoberta dos primeiros restos mortais do "Homo Sapiens" (ou "Homem de Cro-Magnon") - (Grande Buraco).
-- 1871 - Publicação da obra de CHARLES DARWIN : "A Origem do Homem e a Selecção Sexual".
...................................................
========================================

-- I-D) -- DIVERSOS : DE OUTROS TEXTOS E "SÍTIOS" DO AUTOR : --

-- 1909 - FEVEREIRO - 22 - AUTO DE VASSALAGEM DO SOBA NANDE (na sua embala OMOCOMBAIME,no CUANHAMA) e o Rei de PORTUGAL, D. MANUEL II, a quem reconhecia ..."como único soberano e de todo o território do Cuanhama"...,representado pelo Capitão ARTUR DE MOVAIS, Administrador da Circunscrição do HUMBE, estando presentes : - o tenente VIRIATO SERTÓRIO DOS SANTOS LOBO (do 2º Esquadrão dos Dragões), os intérpretes AUGUSTO JOSÉ DE ALMEIDA e LUIS ANTÓNIO MAJOR.
-- Nos seus principais artigos constava :
-- 1º)..."Que deseja que a bandeira portuguesa, única que reconhecia na sua terra, seja colocada na fronteira".
-- 2º) ..."Que está pronto, sempre que os interesses de Portugal o exijam, a auxiliar o Governo contra os inimigos internos e externos e não deixar o seu povo, armado, auxiliar outros povos que as forças portuguesas tenham que castigar".
................................................
-- 4)º ..."Que pede ao Governo que ponha termo às guerrilhas constantes dos cuamatos, que ultimamente têm assolado a borda da sua terra, matando gente e roubando gados e que pela sua parte, hoje mesmo, vai expedir ordens ao seu povo para que as guerrilhas não vão atacar povos dos cuamatos"...
.....................................................

-- 1953 - James Watson e Francis Crick descobrem a "HÉLICE DUPLA".
-- 1961 - Decifrado o Código Genético.
-- 1974 - Descoberta de "Lucy", Australopithecus afarensis, datada de 4 milhões de anos a.C.
-------------------------------------------------------

========== ( FOTOS DE ANGOLA ANTES DE 1975 ) ==========

www.youtube.com/watch?v=xSEjDDeQ1eE&feature=related

youtube.com/watch?v=xSEjDDeE&feature=related
----------------------------------------------------------------------

youtube.com/watch?v=xSEjDDeQle&feature=related

-- 1984 - O "Rapaz de Turkana" : primeiro esqueleto completo do Homo erectus, datado de 1,5 milhões de anos a.C.
-- 1987 - Decisão do Tribunal contra o "CRIACIONISMO". Era uma decisão anti-DARWIN

-- 2001 - Publicação do Genoma Humano.

-- 2004 - Descoberta dum osso dum animal (peixe ?) de cabeça achatada a que foi atribuída a "idade" de 375 a 380 milhões (?) de anos. Era talvez a transição entre répteis e mamíferos, que foi designado por "tiktaalik".

oglobo.globo.com/quemle/diversos/default_seres.asp

cienciahoje.uol.com.br/114504

pos-darwinista.blogspot.com/2007_01_01_archive.html

http://pos-darwinista.blogspot.com/2007_01_01_archive.html


-- 2004 - Continuava a dita "GUERRA DA EVOLUÇÃO" -
-- 2004 - DEZEMBRO - 14 - Acção contra a teoria da "CONCEPÇÃO INTELIGENTE".
-- 2005 - SETEMBRO - 26 - Decisão do Juiz JOHN JONES (Tribunal Federal da PENSILVÂNIA) sobre a "CONCEPÇÃO INTELIGENTE"

=========================================================

===== II) - DE DIVERSOS AUTORES -- :
.....................................................

=== 1) --------- "INFORMAÇÃO ETNOLÓGICA E ETNOGRÁFICA" ----------
---- (Na "EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS) -- 1940 --

..."ORIGEM DOS POVOS,DIVISÃO E DISTRIBUIÇÃO : --- ..." Os aborígenes de Angola são os boximanes dispersos desde a embocadura do Cunene e da cordilheira da serra da Chela até ao Cubango, constituindo núcleos que tomam diversas denominações, segundo o predomínio do cruzamento, nomes da terras e dos chefes, Bacuisses, Bacuandos, Bacubais, Bacangalas ou Mucancalas, Bacassequeres, etc. desconhecendo a agricultura, alimentando-se de raízes e frutos, levando vida primitiva e errante , representantes de uma raça decadente, rechassada e vencida pelos pelos invasores Bantus, mistura da raça negra e hamita que hoje praticamente ocupam toda a África ao sul do Equador.
..."A existência dos povos da raça negra em Angola está intimamente ligada com a introdução das plantas que hoje cultivam e aproveitam para a sua alimentação, chegando-se à conclusão de que anteriormente à existência dessas plantas, que a botânica prova serem estranhas ao território, só podia existir uma raça que as não cultivasse e usasse, como sucede com os boximanes"...
..."Com a invasão Bantu deu-se a introdução das plantas vindas da Arábia, como o coqueiro, a palmeira, mangueira, bananeira,etc., em que a Abissínia foi o colector e centro das emigrações. Quanto à introdução das outras plantas como o milho, mandioca, jindungu, tabaco, etc.,vieram pelo contacto da América pela colonização portuguesa."...
..."A data das emigrações Bantus deve ter sido à cerca de dois mil anos, como se concluiu da existência de certas palavras entre os povos Bantus semelhantes às que existiam no Alto Egipto 400 a.C. e que portanto, os Bantus conheceram antes de dispersarem para as várias correntes de emigração"...
..."As primeiras emigrações dos povos de raça negra partindo da Abissínia e encontrando pela frente a rêde fluvial do rio Zaire,tornearam-no, seguindo, uns, pelo norte da sua bacia hidrográfica e outros pela região dos lagos, verdadeiro corredor entre duas cordilheiras. Os que seguiram o primeiro caminho estão actualmente representados pelas tribos estabelecidas ao norte do Zaire, como os de Cabinda. Quanto aos que seguiram a região dos lagos, desceram até às nascentes dos rios, afluentes do Zaire e subindo ao longo destes, uns, alcançaram o ZAIRE e por ele desceram,, outros vieram a dar origem à constituição dos estados Muat-Ianvua, Bakololo, Luva; ainda outros dirigiram-se para oeste, os primeiros que ao ocidente chegaram, deram lugar à constituição do império do Ovampo."...
..."Retalhado o estado de Luva por diversos invasores, os seus povos por diversas emigrações alcançaram o Zaire, desceram-no, e fixando-se deram origem ao grande reino do Congo, no território de Angola. Foi deste reino que partiram sucessivas migrações para sul; a influência do rei do Congo chegava até ao sul do Cuanza, podendo considerar-se como legítimos descendentes daqueles primitivos povos os Mussorongos, Muchicongos, Muzumbos, Sossos, Pombos,Maiacas,Mucussos e Dembos"...
..."Os Maungos, Jingas,Ngolas,Kissamas e LIbolos, não são descendentes puros dos invasores do Congo mas sim um produto do cruzamento, com os que invadiram o território por nordeste."
..."Dos povos que vieram fixar-se na parte média dos rios Cassai e Luabala encontramos os Bungos entre o Lubilaxi e o Luísa."
..."Das diseenções no estado do Muat-Ianvua resultaram as sucessivas invasões por nordeste e constituição das tribos Lundaa, Bangala, Quioco, Luena, Songo, Minugo, Xinge, Bondo e Holo."
..."O território de Angola foi ainda invadido pelos povos do Ovampo e Damara descendentes dos primeiros povos que alcançaram a costa ocidental e que tendo seguido pela região dos Lagos tornearam pelo N. o Kalahari e foram estabelecer-se ao sul do Cunene, donde fizeram as invasões, são seu representantes hoje os Banctuba e Cuangares."
..."Os que actualmente habitam o centro da colónia onde se deu o embate das sucessivas invasões resultando desse choque a sua fusão e dispersão, como sucedeu com os povos hoje pertencentes às tribos dos Bimbundun, GancuecasVanianekas, Humbes, Vaimbas e Cuangares" (fls.26-27-30).--
.........................................................
--- "VIDA INTELECTUAL (LINGUAGEM) : --- ..."Quanto às línguas faladas em Angola podem dividir-se em três grupos : Kicongo e Kimbundo, Umbundu e Onianeka e Ganguela e dialectos de Herrenro.
..."Quanto às línguas faladas em Angola foi o Kimbundo, antigamente designado Ambundu, Bundu ou Bunda aquela que mais cedo foi conhecida e divulgada. A sua área abrange os concelhos de Luanda e Ambris e as circunscrições de Malange, Cazengo, Alto Dande, Golungo Alto, DEmbos, Encoge, Duque de Bragança, Pungo Andongo, Ambaca, Icolo e Bengo, Massangano e Muchima."
..."O Kimbundo, como todas outras línguas Bantu, pertence ao grupo das línguas aglutinantes, assexuais e prefixais ou inflexivas...." (Pgs. 35) --

........................... (em actualização) ...........................

---- Extraído de : EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS - SECÇÃO COLONIAL" --- 1940 - NEOGRAVURA,LIMITADA -- LISBOA --
===================================================================

=== 2) ------------- "NOTA DA TRADUTORA" ---------------
------ (de : "A ORIGEM DAS ESPÉCIES" - CHARLES DARWIN) -----

..."Quando parti nesta aventura que foi traduzir a obra original de tão ilustre Darwin, criei, logo à partida, grandes expectativas de como seria o desenvolvimento das suas teorias. Não me desiludi. Não há dúvida que a "A Origem das Espécies" representa um ponto de viragem na história da Ciência e, em particular, da Biologia, tal como um século mais tarde a descoberta da estrutura da dupla hélice de DNA por Watson e Crick, em 1953. São os momentos únicos na vida dos homens que mudam para sempre a compreensão dos fenómenos, a forma de ver as coisas, as atitudes e os valores, que,por conseguinte, permitem alcançar e explorar áreas nunca antes sequer imaginadas. Charles Darwin foi o fundador dos conceitos modernos de evolução que, consolidados por dados bioquímicos e moleculares. levaram à definição e organização do mundo animal e vegetal tal como o consideramos hoje."...
.......................................................
..."Sabendo o que teria de enfrentar e as implicações que o seu trabalho teria sobre a tese da imutabilidade das espécies, Darwin reuniu, metódica e minuciosamente, durante mais de vinte anos, dados para provar a transformação gradual dos seres orgânicos, mostrando sempre grande relutância em publicá-los. Acaba por fazê-lo sob pressão, a pressão de Alfred Wallace, um jovem naturalista que chega quase às mesmas conclusões que ele. O primeiro mecanismo, convincente e coerente, de evolução é assim proposto por ambos, em conjunto : a selecção natural."...
Com os factos científicos que acumulou, Darwin escreveu então "A Origem ´das Espécies" (cujo título original era On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or the Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life), ..." (Pg. 9) - ...por DORA BATISTA em "A ORIGEM DAS ESPÉCIES" - obra de CHARLES DARWIN (publicada em 1859) --- (Edição nº 151085/8675 - de AGOSTO de 2005 -- PUBLICAÇÕES EUROPA-AMÉRICA) --
-----------------------------------------------------------------

=== 3) ----- "BREVE NOTA BIOGRÁFICA E INSERÇÃO HISTÓRICA" ------
---- (de : "ORIGENS DA ESPÉCIE" -- CHARLES DARWIN) --

..."Charles Darwin nasceu em 1809. Filho de Susannah, descendente do magnata industrial da cerâmica, Josiah Wedgwood, e de Robert Darwin, um abastado médico do Shropshire, Charles Robert Darwin, era uma figura que pouco provavelmente se tornaria um cientista revolucionário. Após a sua formação com medíocre aproveitamento em Shrewsbury, seguiu as pisadas paternas, frequentando a Universidade de Edimburgo e cursando medicina..."
..."A verdadeira paixão de Darwin pela História Natural já era contudo bem patente...
..."Entre 1831 e 1836, o cargo de naturalista a bordo do HMS Reagle permitiu-lhe aprofundar conhecimento sobre um mundo totalmente novo..."
..."Entre umas férias em família, na ilha de Wigh, e um tratamento de hidroterapia e repouso em Moor Park, no Surrey, e na sua própria casa, Darwin escreveu "A Origem das Espécies" no espaço de dez meses, recorrendo praticamente apenas à sua memória. A sua obra foi publicada pelo editor John Murray em Novembro de 1859 e, devido ao seu estrondoso sucesso, foi necessário efectuar de imediato uma segunda edição." --- (Pgs. 13/15 da obra acima referenciada : "A ORIGEM DAS ESPÉCIES"...)
.............................................................

=== 3) "A ORIGEM DAS ESPÉCIES")--- "INTRODUÇÃO DO AUTOR": ---------

..."Durante a minha viagem a bordo do navio HMS Beagle, na condição de naturalista, fiquei profundamente impressionado com certos factos relativos à distribuição das populações da América do Sul e com as relações geológicas existentes entre os habitantes do presente e do passado desse continente. Estes factos pareciam-me lançar alguma luz sobre a origem das espécies -- esse mistério dos mistérios, como tem sido designado por um dos nossos maiores filósofos. No meu regresso a casa, em 1837, comecei a pensar que talvez algo pudesse ser elucidado sobre esta questão se pacientemente acumulasse e reflectisse sobre todos os tipos de factos com qualquer possível relevância para o caso. Após cinco anos de trabalho, permiti tomar a liberdade de especular sobre o assunto e redigi umas pequenas notas. Estas foram ampliadas em 1844 num esboço das conclusões que então me pareciam prováveis. Desde esse período até à data, tenho perseguido firmemente o mesmo objectivo. Espero que me perdoem por entrar nestes detalhes pessoais pois revelo-os com o intuito de mostrar que não tomei qualquer decisão irreflectida"... Pg.19) --
...................................................
..."É perfeitamente concebível que um naturalista a abordar a questão da origem das espécies, reflectindo sobre as afinidades mútuas dos seres orgânicos, as suas relações embriológicas, a sua distribuição geográfica, a sucessão geológica e outros factos afins, possa chegar à conclusão que as espécies não foram criadas independentemente e descenderam , porém, como no caso das variedades,de outras espécies. Todavia, mesmo que bem fundamentada, tal conclusão não poderia ser considerada satisfatória, até que se pudesse demonstrar como têm sido modificadas as inúmeras espécies que habitam o nosso mundo de forma a adquirir essa perfeição de estrutura e de coadaptação que tão justamente exalta a nossa admiração"..... (Pg.20) ..."Como nascem muito mais indivíduos da cada espécie do que os que conseguem sobreviver e como consequentemente a luta pela sobrevivência é renovada a cada instante, o que acontece é que se algum ser apresentar uma variação, mesmo que ligeira,que de alguma forma, é vantajosa para si mesmo, sob as complexas e por vezes variantes condições de vida, este terá maior probabilidade de sobreviver e, por isso, é naturalmente seleccionado. Com base no poderoso principio da hereditariedade, qualquer variedade obtida por selecção tende a propagar a sua nova forma modificada".. (Pg.21)--

..."Ninguém pode dizer-se surpreendido pelo tanto que fica por explicar sobre a origem das espécies e das variedades, se contabilizar devidamente a nossa profunda ignorância no que diz respeito às relações mútuas entre todos os seres que nos rodeiam. Quem pode explicar a razão porque determinada espécie se apresenta em grande número e vastamente distribuída,enquanto outra espécie tem uma amplitude restrita e rara ?".......................
..."Estou plenamente convencido que as espécies não são imutáveis. Pelo contrário, penso que aquelas que pertencem ao que chamamos o mesmo género são descendentes directas de uma outra espécie, geralmente extinta, da mesma forma que as variedades reconhecidas de qualquer espécie são os descendentes director dessa mesma espécie. Mais, estou convencido que a Selecção Natural tem sido o principal, embora não o exclusivo, meio de modificação das espécies." -- (Pg. 22) --
.............................................
------------ "CAPÍTULO I -- VARIAÇÃO POR DOMESTICAÇÃO" ------------

..."Quando observamos os indivíduos pertencentes à mesma variedade das plantas cultivadas há mais tempo e dos animais domésticos mais antigos, um dos primeiros aspectos que sobressaem é que estes, geralmente, diferem muito mais uns dos outros do que o que acontece entre os indivíduos pertencentes a qualquer espécie ou variedade no estado selvagem"...
..." Existe também, na minha opinião, alguma probabilidade real na ideia proposta por Andrew Knigh de que esta variabilidade pode em parte estar associada ao excesso de alimento. Parece bastante evidente que os seres orgânicos tenham de ser expostos às novas condições de vida durante várias gerações, até que se produza qualquer variação apreciável; como também parece evidente que, uma vez que a organização interna comece a variar, esta continue em regra a fazê-lo por inúmeras gerações. Não existe nenhum registo de um caso em que o organismo variável tenha cessado de variar no estado doméstico..."
..."Muitas plantas exóticas produzem polém completamente inútil, tal como acontece com a maioria dos híbridos estéreis. Quando vemos, por um lado, animais domesticados e plantas cultivadas que, embora frequentemente débeis ou doentes, não deixam de se reproduzir bastante livremente no estado de cativeiro e, por outro lado, indivíduos que, apesar de arrancados muito novos ao seu estado selvagem, perfeitamente domesticados, na força da idade e saudáveis (dos quais eu poderia citar inúmeros exemplos), apresentam o seu sistema reprodutor tão seriamente comprometido por causas imperceptíveis, ao ponto de deixar de funcionar, não é de estranhar que o sistema reprodutor possa actuar em cativeiro, de uma forma não muito regular, e produza uma descendência ligeiramente diferente dos progenitores ou variante"...(Pg. 23/24) -
..............................................................
-------------------- "SELECÇÃO NATURAL" -----------------
.........................................................
..."Compreendemos melhor o curso provável da selecção natural tomando para exemplo o caso de um país que está a passar por algumas alterações físicas, por exemplo, do clima. O número proporcional dos seus habitantes mudaria quase imediatamente e algumas espécies poderiam tornar-se extintas. Podemos concluir, do que temos visto, relativamente à forma complexa e íntima como estão interligados os habitantes de cada país, que qualquer alteração na proporção numérica de alguns dos habitantes afecta seriamente muitos outros, independentemente das alterações climatéricas que se estejam a sentir. Se este país for contíguo a outros, novas formas irão certamente imigrar, o que também perturba seriamente as relações de alguns dos habitantes originais."...
..."Temos razões para acreditar, como demonstrámos no primeiro capítulo, que as alterações das condições de vida, por actuarem especialmente a nível do sistema reprodutor,causam ou aumentam a variabilidade"...(Pg. 78)-

..."Também não acredito que sejam realmente necessárias grandes mudanças físicas, tais como mudanças climatéricas,ou um grau extraordinário de isolamento, evitando a imigração, para que novos lugares desocupados sejam produzidos e a selecção natural os preencha, recorrendo à modificação e melhoramento de alguns dos habitantes variáveis. Com efeito, como todos os habitantes de cada país lutam entre si num equilíbrio de forças, basta uma modificação extremamente ligeira na estrutura ou nos hábitos dum habitante para lhe conferir vantagem sobre outros. Outras modificações da mesma natureza poderão aumentar ainda mais a vantagem. Não se conhece nenhum país cujos habitantes nativos estejam todos tão perfeitamente adaptados uns aos outros e às condições físicas em que vivem que não haja algum deles que possa ser melhorado de alguma forma porque, em todos os países, as espécies nativas têm sido tão completamente conquistadas pelas produções naturalizadas que têm deixado os estranhos tomar definitivamente posse da terra. Ora, como os estranhos têm assim vencido, em todo o lado, alguns dos nativos, podemos seguramente concluir que os nativos poderiam ter-se modificado com vantagem por forma a melhor resistir aos intrusos."...
..."Se o homem consegue produzir e certamente tem produzido grandes resultados através dos seus meios de selecção metódicos e inconscientes, o que não conseguirá a natureza fazer ? O homem pode apenas agir sobre caracteres externos e visíveis."...
..."Não permite que os machos mais vigorosos lutem pelas fêmeas. Não destrói inflexivelmente todos os animais inferiores, pelo contrário, protege todas asa suas produções, tanto quanto lhe é possível, durante todas as estações. Normalmente começa a selecção escolhendo algumas formas semi-monstruosas ou,pelo menos, escolhe uma modificação suficientemente proeminente para captar a sua atenção ou para lhe ser imediatamente útil. Na natureza, uma ligeira diferença de estrutura ou de constituição, pode ser o suficiente para fazer pender a balança na luta pela sobrevivência e, assim, ser preservada. Como são fugazes os desejos e os esforços do homem ! Como é curto o seu tempo !"... (Pg. 78-79) --
..."Pode dizer-se que a selecção natural é um escrutínio diário, de hora a hora, que ocorre em todo o mundo e inclui todas as variações, mesmo as menos perceptíveis. Rejeita as que são nocivas, preserva e acumula as que são úteis, silenciosa e incessantemente laborando em todas as oportunidades para aperfeiçoar os organismos face às condições de vida, que sejam de índole orgânica ou inorgânica. Não nos apercebemos do progresso destas mudanças lentas, até que o tempo tenha deixado a sua marca em vastos períodos e, nessa altura, a nossa perspectiva dos longos períodos geológicos decorridos é tão imperfeita, que nos contentamos em dizer que as formas de vida são hoje diferentes do que outro eram."...(Pg.80= --
.......................................................
--- (Transcrição parcial de : "A ORIGEM DAS ESPÉCIES" , de CHARLES DARWIN (24-11-1859)-- in Edição de Agosto 2005 -- (Publicações EUROPA-AMÉRICA ) ----
.................................................................
---------------------------------------------------------------

=== 4) --------------- "BAHÍA BLANCA" --------------------
...................................................
..."Acreditava-se que já se tinham reunido 600 ou 700 índios e que no Verão o seu número iria duplicar. Os embaixadores iam ser, supostamente, enviados aos índios que se encontravam nas pequenas salinas próximas de Bahía Blanca, os quais (como já referi) este mesmo cacique denunciou. Portanto, a comunicação entre os índios estende-se desde a Cordilheira até à costa do Atlântico.
..."O plano do General Rosas era o de matar todos os grupos isolados, e dirigir os restantes para um ponto comum, de forma a poder atacá-los todos em conjunto no Verão, com a assistência dos "Chileños". Esta operação seria repetida durante três anos sucessivos. Posso imaginar o porquê do Verão ser escolhido como a altura para o ataque principal, uma vez que as planícies se encontram,nesse momento, sem água e os índios só podem viajar em determinadas direcções. A fuga dos índios para as zonas a sul do Rio Negro, onde estariam a salvo nesse território tão vasto, foi prevista através de um tratado com os "Tchuelches", realizado para este efeito. Rosas paga-lhes muito dinheiro para matarem cada índio que passa para sul do rio, mas se falhassem no se objectivo eram, eles próprios, exterminados. A guerra é combatida, principalmente,contra os índios que se encontram próximos da Cordilheira; muitas da tribos que se encontram neste lado oriental combatem contra os homens de Rosas. Contudo, o general, tal como o Lord Chesterfield, pensando que os seus amigos serão, no futuro, os seus inimigos, coloca-os sempre nas linhas da frente de modo a que o seu número se vá reduzindo. Depois de termos partido da América do Sul, tivemos notícias de que esta guerra de extermínio tinha fracassado por completo."...
..."Isto dá-nos uma ideia da imensidão do território sobre o qual os índios vagueiam. Não obstante a sua dimensão, não creio que daqui a 50 anos se encontre um único índio selvagem a norte do Rio Negro. A carnificina é sangrenta demais para continuar a durar : os cristãos a matarem os índios e os índios os índios a matarem os cristãos. É de certa forma melancólico pensar como os índios foram cedendo terreno antes da invasão dos espanhóis"....
..." Não só foram exterminadas tribos inteiras, como os restantes índios se tinham tornado mais bárbaros : em vez de viverem nas vilas, e de ocuparem das artes da pesca,bem como da caça, agora vagueiam nas grandes planícies sem casa ou ocupação fixa."...(Pg. 100)--
................................................
------------------- "TERRA DO FOGO" -------------------
.............................................................
..."Creio que nesta parte da América do Sul o homem existe numa situação inferior a tudo o que podemos encontrar em qualquer outra parte do mundo. Os habitantes das ilhas do Mar do Sul, das duas raças que povoam o Pacífico, são comparativamente civilizados. O esquimó na sua cabana subterrânea goza de algumas das comodidades da vida, e nas suas canoas, quando devidamente equipadas, dá provas de grande destreza. Algumas tribos sul-africanas que vagueiam pelo território à procura de raízes e vivem, escondidas nas planícies selvagens e áridas, são bastante miseráveis. Os australianos que, na simplicidade das suas artes da vida, se encontram muito perto dos fueguinos, podem, apesar de tudo, gabar-se do seu boomerang, da sua lança, do seu método de trepar às árvores, de seguir a pista dos animais e de os caçar.." (Pg.200).
..........................................................
---(Transcrição parcial de "A VIAGEM DO BEAGLE", de CHARLES DARWIN -- Fevereiro/2009 - (Relógio d'Água) ---
.......................................................

OBS - (Para consultas directas na INTERNET sobre este tema clicar em :
pt.wikipedia.org/wiki/Charles_Darwin

pt.wikipedia.org/wiki/Evolução

www.dw-world.de/dw/article/0..335433.00.html
www.vidaslusofonas.pt/charles_darwin.htm

====================================================

------- 5) - ("OS BIENOS") -------.....( NO REINO DO BIÉ (VYÉ) -

..."O Bié limita ao N.com o sertão do Andulo a N.O. com o Bailundo, a O. com o país de Moma, a S.O. com os Ganzelos de Caquingue, ao S.e L. com os povos ganguelas livres. O rio Cuqueima é quase um limite natural do Bié por oeste, sul e leste, mas,na realidade, a autoridade do siva do Bié ainda se exerce para além daquele rio em alguns pontos. O país é pequeno,mas muito povoado."
............................................
..." Em tempo. como se verá,pouco distante, estas terras do Bié eram povoadas por matas densas,onde abundavam elefantes e onde assentavam raras povoações de raça Ganguela."...................................
..."O rio Cuanza,depois da sua confluência com o Cuqueima, divide o país do Andulo do país de Gamba, que lhe fica a leste. Era sova de Gamba um tal Bomba, que possuía uma filha de grande formosura,chamada Cahanda.
Este sova Bomba vivia na margem esquerda do rio Luando,afluente do Cuanza.A formosa e negra princesa Cahanda pediu ao pai para ir visitar umas parentas que eram senhoras da povoação de Ungundo,única de alguma importância no Bié de outrora.
Estando a filha do sova Bomba nessa povoação de Ungundo a visitar as parentas, aconteceu chegar ao país um ousado caçador de elefantes chamado Bié,filho so sova do Humbe,que, com grande comitiva, tinha passado o Cunene e estendido as suas excursões venatórias até àquelas remotas terras. Um dia,o selvagem discípulo de Santo Huberto teve fome e,estando perto da povoação de Ungundo, dirigiu-se ali a pedir de comer. Foi então que viu a formosa Cahanda, e é preciso dizê-lo que vê-la e amá-la foi obra de um momento. Estas questões de amor em África são muito semelhantes às questões de amor na Europa,e, pouco depois do encontro dos dois jovens,Cahanda era raptada e Bié plantava a estacada da grande povoação que ainda hoje é a capital do país,país a que deu o seu nome,fazendo-se aclamar sova"...
..."Assim, os Bienos são mohumbes,nome que na África austral de oeste dão aos descendentes da raça do Humbe,os quais não se encontram só no Bié,mas estão também espalhados em outros pontos, sobretudo frente da costa entre Moçamedes e Benguela,misturados com os Mundombes, que são a verdadeira raça daquele país.Hoje, a verdadeira raça mohumbe no Bié,é representada pela nobreza e gente rica do país, os descendentes dos caçadores do primeiro sova,e, ainda assim, fora da família reinante,está ela misturada com sangue de raças muito diferentes,porque, sendo o Bié,desde o seu começo,um grande empório da escravatura, e tendo sido colonizado em grande parte por escravos de raças diversas,o baixo povo provém de uma mistura inexplicável e a nobreza mesmo, nas suas bastardias numerosas, tem trazido às suas descendências sangue dos países mais remotos da África Austral.
Da união de Bié e da formosa Cahanda nasceum único filho varão, que teve o nome de Jambi e sucedeu no governo a seu pai. Este Jambi teve dois filhos, dos quais o primogénito se chamou Giraul e o segundo Cangombi. Giraul herdou o poder por morte de seu pai e, receando de seu irmão, que tinha grande influência no povo, o fez prender secretamente de noite e o vendeu como escravo a um preto que ia levar uma leva de escravos a Luanda.
Cangombi,por acaso, em Luanda, foi comprado pelo governador-geral,de quem foi escravo. Tempos depois, os despotismos e as arbitrariedades de Giraul fizeram-no detestado do seu povo;houve conspiração e alguns nobres partiram secretamente para Luanda, com muito marfim,para resgatar seu irmão e aclamá-lo,depois de deporem aquele. O governador de Angola de então, vendo o partido que podia tirar desta questão, para a coroa portuguesa, não só entregou Cangombi sem resgate, mas ainda o encheu de presentes e lhe deu auxílio contra seu irmão;e por isso Cangombi se apresentou no Bié com grande comitiva, que veio por Pungo Andongo e subiu o Cuanza, entre a qual se contavam muitos portugueses.Declarada a guerra,Giraul foi vencido, sendo traído pelos seus, e entregou as rédeas do governo a seu irmão mais novo, que lhe deu uma povoação e um pequeno domínio para viver.
Quatro anos depois,Giraul revoltava-se e vinha pôr cerco à capital. Novamente vencido e prisioneiro, foi entregue por seu irmão aos Ganguelas de além-Cuanza para o comerem; não que estes Ganguelas sejam positivamente canibais,mas, de vez em quando, não desgostam de comer um bocado de homem assado"...
..."Cangombi foi grande sova e teve oito filhos, dos quais seis foram sovas do Bié; o que não é para admirar, porque ali herda o poder o mais próximo da ascendência.Assim, enquanto existem filhos de um sova, os netos não vão ao poder e o neto primogénito do filho primogénito só toma as rédeas do governo quando não existe nenhum dos seus tios,irmãos mais novos de seu pai. Por esta lei herdou o poder Cahueue, filho mais velho de Camgombi e, por mortes sucessivas, seus irmãos : Moma, Bandua, Ungulo, Leamula e Caiangula. Os dois filhos de Cangombi que não foram sovas foram Calali e Óchi, por terem morrido cedo.Este Óchi era imediato ao mais velho,Cahueue, e deixou um filho que foi sova por morte de seu tio Caianagula, por não ter deixado filhos o irmão mais velho de seu pai. Este sova chamava-se Muquinda e,por sua morte, foi o governo a seu primo Gubengui, filho mais velho do sova Moma, imediato a seu pai. A este Muquinda seguia-se outro irmão, chamado Quitungo, que morreu quando ia ser aclamado,já dentro da capital.
De todos os oito filhos de Cangombi só existia um descendente legítimo, filho do sova Bandua, que foi aclamado.É ele Quilemo,o actual sova do Bié. Há, contudo, um filho bastardo de Moma, chamado Canhamangole, que está indigitado para suceder a Quilemo; em seguida passarão ao poder os filhos deste último, que são muitos.
Por este breve resumo da história do Bié se vê que aquele país é de fundação recente e que,desde o seu começo quase,existiram relações íntimas entre os portugueses e Bienos, pela intervenção tomada pelo govrrnador-geral de Angola na aclamação do sova Cangombi, avô do actual sova Quilemo e neto do fundador da monarquia biena. Assim,pois, o Bié, desde sua fundação, tem sido governado por treze sovas em cinco gerações..." -- Pgs. 141/144 --
.............................................................
..."Os sovas do Bié fazem repetidas vezes uma festa, na sua libata, a que chamam a festa do quiçunje, em que são imoladas e devoradas 5 pessoas, sendo 1 homem e 4 mulheres, desta sorte : 1 mulher que faça panelas, 1 do primeiro parto, 1 que tenha papeira (é vulgar ali),1 cesteira e 1 caçador de corças... Presas as vítimas, são degoladas e as cabeças lançadas no mato. Os corpos entram de noite para o lombe da libata grande, onde são esquartejados, e, morto um boi, a sua carne é cozida com a carne humana,parte da qual é também fervida na capata; sendo que tudo o que aparecer no banquete deve ser deve levar sangue humano. Logo que está pronta a sinistra e repugnante ceia, o sova manda participar que vai começar o quiçunje e todos os habitantes da povoação correm pressurosos ao festim"...pgs.183 --
..."O luxo dos penteados não se encontra entre os Quibocos ou Quiocos e o seu vestir é mais miserável do que entre os Quimbandes. As mulheres andan nuas! Causará decerto estranheza ao leitor que eu, estando em pleno país dos Luchazes, lhe esteja falando em Quiocos. Se isso o admira, não me surpreendeu menos a mim o caso de os encontrar ali !. A emigração constante dos Quiocos e a colonização das terras luchazes por eles são um facto... O país dos Quiocos ou dos Quibocos(que lhes chamam indiferentemente) é colocado ao norte de Lobar, nas vertentes leste da serra da Mozamba. Livingsyone fá-lo cortar pelo paralelo 11 sul e pelo meridiano 20 leste de Greenwich...Os Quiocos são viajantes, caçadores e ousados. Alguns, descontentes com o seu país, emigraram para o sul, atravessaram o Lobar e vieram estabelecer-se na margem direita do Lungo-é-ungo, em país luchaze."...pgs.226/227-
...........................................................
-- (Extraído parcialmente de : "COMO EU ATRAVESSEI A ÁFRICA" - I - (A CARABINA D'EL REI)- de SERPA PINTO - JULHO/1980 -(a sua primeira edição foi em 1881 (SAMPSON LOW,MARSTON,SEARLE, e RIVINGTON, EDITORES -

=====================================

6) ------------- "NÓS, OS CABINDAS" -------------

..." Embarcou meu pai -- como disse -- para o BRASIL, no dia 20 de Março de 1784 (*) e por lá demorou 15 anos. Mais tarde havia de voltar ao Brasil com um carregamento de escravos, em barco seu, mas isso é facto que se conta adiante na história que haveis de ler."...
..."Juntando todos estes documentos, posso, agora, reconstituir o passado do reino de N'Goio, para que se não perca a lembrança de uma época de grandeza e esplendor em que viveram os povos e, sobretudo, os nobres de Cabinda. Faleceu meu pai em 30 de Abril de 1875. Eu, então, segui a minha vida de trabalho, encarregando-me da administração de várias feitorias de parentes meus, não deixando nunca de anotar em novos cadernos todos os factos notáveis que em nossos reinos se iam desenrolando"...
........................................
..."Decorreram, como fica dito, desde a expulsão da princesa Poemba até à sua chegada a Santo António do Zaire, quinze anos; seus filhos gémeos, duas raparigas de nomes Lilo e Silo e um rapaz de nome Tumba, eram, por conseguinte, nesta altura já pessoas crescidas. Deu-se o caso de Tumba ter atentado contra a honra de uma das suas irmãs, o que levou a mãe a expulsá-lo da sua reduzida família... De Ifumba, partiu a princesa para o N'Goio, levando consigo Lilo e Silo. Tumba, expulso, seguiu para o Loango-Grande. Em N´Goio foi bem recebida a princesa Muam Poenha pelos nobres daquela terra e em especial por Mibimbi Pucuta, grande senhor em riqueza e nobreza... De tal forma foi a simpatia criada entre os dois que, pouco tempo passado, Mibimbi Pucuta recebia como espôsa a princesa Muam Poenha, e deste enlace nasceu, tempos depois, um filho chamado Mõe Panzo e mais tarde um outro que se chamou Mõe Pucuta."...
..."O Rei após o regresso da sua embaixada, convocou todos os seus conselheiros,e, em grande reunião, propos a desanexação do seu império dos reinos de N'Goio, Cacongo e Loango-Grande. Aceite a proposta real, foi enviada uma ordem para a princesa Muam Poenha, determinando que tomassem conta daqueles três reinos as princesas e o príncipe seus filhos, cabendo a Lilo o reino de N'Goio, a Silo, o de Cacongo e a Tumba -- o filho expulso -- o reino de Loango Grande, tendo ficado assim constituídos os três reinos que são, hoje. conhecidos por Macacongo, Mangoio, Maloango"...
..."Deu-se o facto de ter sido marcado o referido N'Cando para a realização da cerimónia da coroação da princesa Muam Lilo, quando esta estava no seu período de fluxo, e, segundo os costumes no N´Goio, em tal estado princesa alguma poderia ser coroada. Assim, os conselheiros resolveram dar os direitos da princesa Muam Lilo a seu irmão o príncipe Mõe Panzo, primeiro filho do matrimónio de sua mãi com Mibimbi Puvuta, sem que para tal tenha ouvido o Rei do Congo. E assim se fêz, tendo sido, portanto, Mõe Panzo, o primeiro Mongoio Rei do N'Goio (Cabinda)." ...
..."Seguiu-se no Governo, ao Rei Mõe Panzo, seu irmão Pucuta, sem facto algum a assinalá-lo, e a êste, o Rei Mõe Benci Luemba, que mais tarde havia de ser expulso destes reinos"..."O rei Benci Luemba tinha uma mulher de nome Ieze, que deu à luz um filho chamado N'Zingo. êste filho -- dizia-se -- era santo, pois que no mesmo dia em que nascera se verificou que já falava, que tinha dentes, não mamava, não comia e nem tão pouco bebia"...
..."Mais tarde, os conselheiros e maiores do Reino, reunidos, resolveram, por bem, determinar a expulsão de Mangoio Mõe Benci Luemba e de seu filho para o Reino de S. Salvador do Congo. Ali chegados foram bem recebidos."... "Sucede, porém, que um mês depois escasseiam, também, as chuvas em S.Salvador do Congo e tal facto é atribuído pelo povo à sua estadia. Por isso, os conselheiros e maiores do reino resolveram pedir ao Rei do Congo não a expulsão de Benci Luemba, mas sim o meio de dar cabo dele."..." Com efeito, Benci Luemba recebeu o convite do Rei do Congo tal qual o previra seu filho"..."Em seguida,os conselheiros convidaram Benci Luemba para ir cumprimentar o Rei do Congo, pessoa que êle nunca vira e que, por malícia daquela gente, se achava disfarçado, vestido miseràvelmente e sentado num cantinho. Benci Luemba, sempre prevenido por seu santo filho N'Zingo, levantou-se, fez as suas devidas vénias, olhou de um lado ao outro a multidão, e, em seguida, passando por um dos grupos, foi directamente ao cantinho onde se achava o Rei disfarçado; aí, de joelhos, fêz-lhe as cortezias do estilo. Então, conselheiros e povo aplaudiram e aclamaram o Rei de N'Goio e seu filho, tendo havido até algumas salvas"...
..."O príncipe santo tomou a resolução de fazer uma demonstração à gente de S.Salvador do Congo do seu sobrenatural poder...Os seus gestos eram acompanhados por algumas orações, e logo o céu apareceu carregado de nuvens, em seguida se desencadeou uma grossa chuva que durou quatro dias continuamente. Em face do acontecimento, os conselheiros do Rei do Congo foram ter com êste, pedindo-lhe instruções âcêrca do caso que se passava. O Rei determinou que fôssem pedir ao Mangoio Benci Luemba para dizer ao filho que fizesse parar a chuva, que já haviam reconhecido o grande poder do Santo N'Zingo, e que lhe pediam que perdoasse o mau procedimento tido para col êles. O Santo N´Zingo assim procedeu. A chuva parou e tudo entrou na normalidade. Todavia, Benci Luemba tomou a resolução de regressar para N´Goio, contra o qual muito insistiu seu filho."...
..."Partiram, depois, em direcção do sítio a que o Mongoio deu o nome de Cabimbe, na região de Iabe..."
................................................
..."É de notar, que foi na ocasião do Mongoio Benci Luemba reassumir as suas funções no N'Goio, que este, por indicação do seu filho, o príncipe Santo, decretou que ninguém, dentro daquele reino, podesse ter relações sexuais a não ser numa cama alta, devidamente preparada, e dentro de uma casa com as portas convenientemente fechadas; assim como nenhuma virgem, com a idade de casar, pudesse ter relações com homem sem que primeiro fôsse cumprida a disposição da lei mongoio, que manda Cualicá(pôr na casa da tinta). Antes desta época tudo se fazia livremente".
..."O Rei Mongoio Mõe Benci Luemba foi,na ordem de sucessão, o 3º Rei do N´Goio (Cabinda), sucedendo-lhe o Mongoio Mõe Cito Tafi, da casa do Mocata-Calombo."...(pgs. 9/27) --
.....................................
..."COMO VIVEU E MORREU O MAFUCA VABA DE MOLEMBO" ... Por uma questão de dívida, entre duas famílias, foi vendido ao capitão dum navio de tráfico de escravatura, um homem chamado Tati, filho de um Mafuca. Decorridos muitos anos, a Tati e a outras pessoas foi dada a liberdade. Tati regressou à sua terra num barco carregado de mercadorias para compra de escravos. O comandante dêste navio afeiçoou-se a Tati, durante a viagem e, ao chegar a terra, entregou-lhe as mercadorias para lhe fazer o negócio. O barco regressou carregado, e passados mêses voltava com outros carregamentos de fazendas à consignação de Tati".
.."Tati, já muito rico, requereu o título de Mafuca, a trôco de muitas fazendas e aguardente...Feito Mafuca, começou a sbusar da sorte, da seguinte forma : Enterrava todos os mortos por sua conta. Se alguém ia chorar junto dêle por não ter com que fazer as despezas de um ênterro, êle dava dois ou três fardos de fazenda. Se tinha que satisfazer necessidades corporais, levava consigo dois ou três pacotes de barretes finos para se limpar. Quando passava, tôda a gente o espreitava para, depois correr ao sítio e tirar os barretes que se encontravam quási limpos... Uma vez, mandou capinar uma grande planície para -- dizia -- semear ginguba(amendoim). Pronto o serviço, mandou espalhar no terreno vinte caixas de coral fino. Depois, quando chegou o tempo da colheita, chamou tôda a gente e disse : - Vão apanhar a ginguba, quem mais apanhar mais aproveita de coral... Assim esbanjou quanto tinha. Quando faleceu, nem bom entêrro teve, pois que a miséria lhe entrou pela porta e a virtude lhe saíu pela janela"...(pgs. 186/7)--
..................................................

(6) ---------- O TRATADO DE SIMULAMBUCO -------------

..."Nós,abaixo assinados, príncipes e governadores de Cabinda, sabendo que na Europa se trata de resolver, em conferência de embaixadores de diferentes potências, questões que directamente dizem respeito aos territórios da Costa Ocidental de África,e, por conseguinte, do destino dos seus povos, aproveitamos a estada nêste porto da corveta portuguesa "Rainha de Portugal", a-fim-de em nossos nomes e no dos povos que governamos pedirmos ao seu comandante, como delegado do Governo de Sua Majestade Fidelíssima, para fazermos e concordarmos num tratado pelo qual fiquemos sob o protectorado de Portugal, tornando-nos, de facto, súbditos da corôa portuguesa, como já o éramos por hábitos e relações de amizade. E, portanto, sendo de nossa inteira, livre e plena vontade que de futuro entremos nos domínios da corôa portuguesa, pedimos ao Exmo Sr.Comandante da corveta portuguesa para aceder aos nossos desejos e dos povos que governamos, determinando o dia,onde, em sessão solene, se há-de assinar o tratado que nos coloque sob a protecção da bandeira de Portugal." ----
---..."Escrito em reunião dos príncipes abaixo assinados, no lugar de Simulambuco, aos 22 de Janeiro de 1885."
..."Sinal em + de Ibiala Mamboma, Rei representante da regência; sinal em + da princesa Maria Simbo Mambuco; (a) Manuel José Puna (mais tarde Barão de Cabinda); sinal em + do príncipe Iambo Franque, governador de Chinga; sinal em + do príncipe Jack,governador de Buco-Sinto; sinal em + de Fernando Mengas, filho do príncipe Jack; sinal em + de King Jack, príncipe; sinal em + do príncipe King Faine; sinal em + de Fernando Sonça, governador do Povo-Grande; sinal em + do Mongovo Velho, dono do povo grande; sinal em + do Mongovo Mamgombe, governador de Siamona; sinal em + de Betti Jack, governador de Cai;(a)Manuel Bonzela Franque, governador de Pôrto-Rico e Mambu; (a) Francisco Rodrigues Franque,governador de Pernambuco e Vitória; sinal em + do Massabo; sinal em + de Machimbe Mafuca Franque ; sinal em + do príncipe Muan Sambi Linguister de Francisco Franque."
..."Reconhecem as assinaturas e sinais como sendo dos próprios, por os terem visto fazer,(aa) Vicente Puna, João Puna, João Barros Franque e Guilherme Franque."
..."Guilherme Augusto de Brito Capello, capitão tenente da Armada, comandante da corveta "Rainha de Portugal", comendador de Aviz e Cavaleiro de várias ordens, autorizado pelo govêrno de Sua Magestade Fidelíssima El-Rei de Portugal, satisfazendo os desejos manifestados pelos prínicpes de Cabinda em petição devidamente por êles assinada, em grande fundação concluiu com os referidos príncipes, governadores e chefes abaixo assinados, seus sucessores e herdeiros, o seguinte:" -
..."Artigo 1º -- Os príncipes e mais chefes do país e seus sucessores declaram, voluntariamente, reconhecer a soberania de Portugal, colocando-se sob o protectorado desta nação todos os territórios por êles governados."..."Artigo 2º -- Portugal reconhece e confirmará todos os chefes que forem reconhecidos pelos povos segundo as suas leis e usos, prometendo-lhes auxílio e protecção."..."Artigo 3º -- Portugal obriga-se a fazer manter a integridade dos territórios colocados sob o seu protectorado"...
...................................................
--- (Extraído da obra "NÓS,OS CABINDAS", de D.DOMINGOS JOSÉ FRANQUE (príncipe negro "Boma-Zanei-N´Vimba")-- (pgs. 9/27) - Editora ARGO - Lisboa - 1940 --
...... (Para uma mais completa informação consultar na Internet :

cabinda.org/historia.htm

ccp.home.sapo.pt/Tratado_Simulambuco.htm
================================================

7)--------- "DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS" --------

..."Artº 1º - Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns com aos outros com espírito de fraternidade"...

..."Artº 2º - I) - Todos os homens tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidas nesta Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião pública ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento ou qualquer outra"...

..."Artº 3º - Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal."

..."Artº 4º - Ninguém será mantido em escravidão ou servidão ; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas."
.......................................................

..."Artº 30º -(FINAL)- Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer ato destinado à destruição de quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidas".

----- (RESOLUÇÃO Nº 217 A (III) - de 10 de DEZEMBRO DE 1948) ---
------------------------------------------

---- (Para consultar dirtectamente na INTERNET, clicar em :

www.onu-brasil.org.br/documentos_direitoshumanos.php

www.dudh.org.br/

============================================================

8) ------------ "HISTÓRIA DE ANGOLA" ------------

..." -- (2) Novas sucessões reais no Congo --- Recolocado nas suas terras de Quibango, a rogo de Fr. Jerónimo de Mérola, provavelmente por volta de 1687, D. Garcia não se aguentou muito tempo no seu posto de comando, por ter falecido.
..."Em sua substituição, o povo, possivelmente em 1689, elegeu D. André, descendente dos quimulaços, cujo governo também não foi duradoiro, por sucumbir aos estragos de uma grave enfermidade, naturalmente em 1690 ou 1691..."Convidado a manifestar-se sobre a nova chefia, a gente de Quibango escolheu D.Manuel (Njinga Elenque), descendente dos quipanzos e dos quimulaços, o qual dispunha da protecção do condado do Sonho..."Acerca da cadeira de S.Salvador, há uma compacta nebulosa, no período seguinte à fuga de D.Daniel, cujo clareamento se torna difícil. É de supor verdadeira, porém, a versão segundo a qual ali se teriam alcandorado, depois de D. Garcia, um após outro, D.Nicolau (Nemassaqui-Manimi) e D. Sebastião(Mbemba-a-Luqueni), governando este em 1688."
..."Mas, voltando aos Quibango : desejando destruir a oposição levantada por D. Álvaro e D.Pedro, irmãos do defunto D. Garcia, o novo rei, D.Manuel I,travou com eles duas batalhas, a segunda das quais, sendo-lhe adversa, o obrigou a abandonar o país e a refugiar-se no Sonho, com as insígnias reais do Quibango...Com a fuga do monarca, foi coroado outro rei, na irriquieta jurisdição : D. Álvaro ( Nenimia Mbemba), um dos irmãos do falecido D.Garcia, adversário intemerato do soberano fugido. Esta eleição não agradou, porém, ao conde de Sonho, obstinado orientador da política conguesa, a despeito das contrariedades conquistadas com as suas atitudes e das promessas feitas ao governo português de absoluta neutralidade política; e, assim,convicto da sua superioridade armada em relação ao governo de Angola, isto é, tripudeando a seu talante, mercê da reconhecida e apoucada fraqueza militar de São Paulo da Assunção, D.António da Silva deliberou intervir, apoiado na força entregando o trono de São Salvador ao seu protegido Njinga Elenque, a troco do assassinato do seu possuidor, Sebastião I. Pela segunda vez, portanto,D. Manuel, à sombra de um único eleitorado, sem desfrutar da simpatia geral,foi considerado legítimo soberano do Norte." -- (pgs. 143/144) --
............................................................
..."Desenroladas entre 1692 e 1694, essas evoluções tiveram uma trajectória movimentada. Vivendo, embora, em Mucondo, sob a protecção da rainha mãe, D.Ana Afonso de Leão,sua tia, os infantes D.Aleixo e D.Pedro Constantino (Quibanza) resolveram matá-la. Avisada da disposição ingrata dos sobrinhos, a velha soberana, incansável conselheira das pugnas, eleiçoeiras do território, fugiu para o Quibango, deixando as suas terras à ambição desmascarada dos príncipes vitoriosos. D. Ana não se conformou, contudo, com o esbulho, fez queixa dele ao duque de Bamba, D.Pedro Vale de Lágrimas, e pediu-lhe castigo para os intrusos. O seu pedido foi atendido. Mas, caíndo com as suas forças sobre as de Mucondo, Vale de Lágrimas foi cruelmente derrotado, dando ensejo a que D.Aleixo lhe sucedesse no ducado e D.Pedro Constantino se assenhoreasse do marquezado de Pemba. Aterrado com estes acontecimentos e receando a morte D.Manuel, o triste candidato do Sonho, abandonou São Salvador e refugiou-se no Mucondo, sob a protecção dos seus parentes quipanzos."
..."Por esta altura, D.João, rei de Bulá,resolvendo guerrear D.Álvaro, rei de Quibango, para disputar o título de soberano exclusivo do Norte, foi vencido. Este entre-acto dos polos máximos da política real conguesa encheu D.Álvaro de tanto prestígio, que logo recebeu bastas vassalagens, entre elas a de D.Aleixo e D.Pedro Constantino, dispostos a negar obediência ao desafortunado D.Manuel. A prestação de vassalagem, foi, depois, mais além : -- serviu de pretexto a uma proposta, por parte dos dois príncipes, para o favorecido rei do Quibango, segundo a qual eles matariam D.Manuel, para livrar D. Álvaro de um opositor legal,em troca do assassinato da rainha mãe, refugiada na sua jurisdição. A pproposta foi aceite e o malogrado D.Manuel (Njinga Elenque) decapitado, em holocausto às loucas ambições dos seus próprios parentes."...
..."Manobrando com astúcia, D.Álvaro festejou o assassinato dos seu opositor, mas não tirou a vida a D.Ana Afonso de Leão, como prometera, antes meteu os infantes a ridículo, por o terem tomado a sério. Entretanto, conseguindo forças para se vingar do desatre sofrido no Mucondo. D.Pedro Vale de Lágrimas caiu sobre D.Aleixo, derrotou-o, degolou-o e comeu-lhe o coração. Esta vitória permitiu o regresso de D.Ana ao Mucondo,onde, após a sua chegada, preparou forças para se vingar de D.Pedro Constantino, conseguindo, apenas, a sua derrota e a sua fuga para Bulá, que teve também de abandonar, para se refugiar, definitivamente, no Quibango, cujo rei, D. Álvaro, acabara de expirar, tendo-lhe sucedido D.Pedro IV (Nunusamo-a-Mbemba)"...
..."Em 1694, encontravam-se à frente do Congo, consequentemente, dois reis de reconhecido prestígio : D.João, em Bulá; e D.Pedro, no Quibango. Toda a nobreza prestou vassalagem aos dois privilegiados da sorte, com excepção de D.Ana, caída em ostensiva imparcialidade, por D.João se ter recusado a transferir a sua corte para São Salvador, como era seu desejo e como ele chegara a prometer aos capuchinhos; e por D.Pedro ter protegido D.Pedro Constantino, seu odiado rival, colocando-o no lugar de capitão-generale príncipe do Congo"...(pgs. 145/146)--
.............................................
..."As novas rebeliões de Caconda, seguidas às provocadas pela prisão de Huiamba Cafuca, forçaram o governador a recorrer à força armada.
..."Eram cabecilhas do movimento, desta vez, os sobas Lobando, Luceque e Ngola-Njimbo, este último nome já celebrado nos anais da penetração do sul. Aflito com o temporal prestes a desabar sobre o seu insignificante reduto e desejoso de restabelecer a normalidade comercial, o capitão-mor do presídio pediu socorro para Luanda, que lhe foi imediatamente enviado. Efectivamente, D. Lourenço de Almada apressou-se a deslocar, para a Hanha,uma coluna de 51 soldados e oito cavalos, para reforçar a guarnição da sentinela do interland de Benguela."...
....................................................
..."Estamos ainda lembrados da atitude condescendente de Pedro IV, rei de Quibango, para com D.Pedro Constantino, inimigo acérrimo de D.Ana Afonso de Leão, nomeando-o capital-general do exército e distinguido-o com o título de príncipe do Congo. Depois da sua escolha para rei de São Salvador, provocada pelo presbicito conduzido por Fr. Francisco de Paiva,Numesamo--a-Mbemba (D.Pedro IV)viu-se forçado a abandonar a sede da sua moderada realeza,para se instalar no Outeiro do Lelunda. Antes de fazê-lo, porém, ordenou ao seu protegido que se adiantasse para a corte antiga, devendo erguer libatas, pelo caminho, e promover a fixação dos seus acólitos, por meio da agricultura."
..."Instalado no Lendi, D.Pedro Constantino apressou-se a executar as ordens que lhe deram. No entanto, ao apanhar-se para lá do rio Ambriz, animado por um intenso e doloso anseio, resolveu angariar adeptos e interpor, junto do rei, um programa de reivindicação da coroa conguesa. Assim, em vez de gastar três dias a chegar a São Salvador, o ingrato capitão-general levou 3 anos, quando se julgava suficientemente apoiado para se desmarcar ao seu soberano,o qual, por sua vez, não houve forma de se transferir para Ambasse, pois, informado dos passos do seu lugar tenente, achou conveniente sustar a mudança da corte do Quibango, não fosse ela cair nas mãos poderosas do seu inesperado adversário".
.....................................
..."Cansado de esperar, D.Pedro soube,então, ser terminante. Ao ver as desinteligências cavadas na falange do seu mortal inimigo, antes protegido e antigo colaborador, caiu sobre ele, derrotando-o e degolando-o, para futura tranquilidade do país, na remota sede da realeza nortenha, palco ensanguentado de lutas fraticidas. Era o dia 15 de Fevereiro de 1709".
..."Os principais colaboradores do insaciável procurador real tiveram que fugir, após a batalha : uns para o Taririanzundu, vindo a cair nas mãos de D.Rafael, meio irmão do rei; outros para o ducado de Bamba, para se colocar sob a protecção de Njinga Nguengue; outros ainda para o Sonho ou para a floresta Finda Aucongo".
"Reinstalada a paz, alguns infantes do Quipanzo dirigiram-se à corte e prestaram obediência ao rei; e muitos elementos populares, escondidos pelos matos, tomaram igual atitude, por se não poderem conservar num estado de ocultação peprpétua. Animado de boa vontade e dirigido por bons conselhos, D.Pedro IV a todos recebeu bem e a todos perdoou."... -- (Pgs. 229/231) --
..................................................
--- (em : "HISTÓRIA DE ANGOLA" - 4º Volume (Terceiro Período - 1648 a 1836) - de RALPH DELGADO - 1953 - Edição do Banco de Angola ---
==================================================

9) ----------" 2 -- AQUILES E OS SEUS DOIS CALCANHARES" ---------

..."É provável que os orientais e os africanos, que estão no palco mais como observadores do que como atores, tenham reparado naquilo que as potências anglo-saxãs ainda não perceberam, ou seja : que a espécie de civilização que elas querem implantar como Ocidental Cristã, não se difere muito do veneno que Moscou quer derramar sobre o mundo. Bem pelo contrário; há muita afinidade. "O Comunismo está para a nossa civilização ocidental materialista, assim como putrefação está para a doença. Ambos acreditam em egoismo. Nós, em egoísmo individual; o comunismo, em egoísmo colectivo" (+)...
..."Por que a raça anglo-saxã que teve e tem tantos predicados para liderar a civilização ocidental há-de possuir em tão alto grau o conceito de superioridade baseada na côr ? Por que há-de possuir esses altos predicados, se é deformada pelo preconceito da pigmentação ?
Como muito bem acentua Arnold Toynbee : "se bem que em certos aspectos o triunfo dos povos de língua inglêsa possa ser julgado, em retrospecto, como uma bênção para a humanidade, neste perigoso assunto de sentimentos de raça, não se pode negar que semelhante triunfo foi um verdadeiro infortúnio (++)"...
..."Realmente, o conceito de superioridade baseado na pigmentação é uma invencionice puramente anglo-saxã. Através de todas as civilizações, desde a egípcia até a grego-romana -- mesmo na nossa civilização ocidental, até à expansão ultramarina da Inglaterra e da Holanda, o preconceito da côr era completamente desconhecido.
..."Agora mesmo, em pleno século XX, Sua Majestade Ibnin Saud, o rei da Arábia, nomeou um escravo negro, Mohammed Surour es Sabban, para seu Ministro de Finanças. O monarca árabe do petróleo vem assim reavivar o velho conceito escravista do mundo grego-romano e oriental de que a escravidão nada tinha a ver com a côr.
..."O servo era servo porque assim nascera, ou porque assim se tornara devido aos azares das guerras ou captura ; mas não era servo por causa de sua côr. Desde o momento que demonstrava qualidades era elevado a posições superiores como no caso citado.
A condição de côr para graduação social é conceito moderno e puramente anglo-saxão. Acresce dizer que o Ministro negro é oriundo da África Oriental, e foi trazido para Riyadh pelos complicados e tortuosos canais de um mercado de escravos, ainda bem activo em nossos dias, na Península Arábica.
..."Certo, antigamente todos os povos julgavam-se superiores uns aos outros, tão cedo derrotavam seu vizinho mais próximo. Mas era uma superioridade baseada na força militar, na qualidade do armamento, na grandesa das cidades, na religião que professavam ou mesmo na "finesse" da civilização que julgavam possuir, como é o caso do grande "Filho do Céu", o imperador Chien Lung, em sua resposta negativa ao Embaixador Britânico, Lord Macarteneyu, quando este diplomata tentava fazer com que nossa civilização (que aos chineses se afigurava bárbara), penetrasse nos filigranados umbrais do Império de Meio : --"Nossas cerimónias, nossas leis, diferenciam-se tão completamente das vossas que, mesmo que os enviados do vosso rei pudessem adquirir rudimentos de nossa civilização, não podereis transplantar nossas maneiras e costumes para o vosso solo estrangeiro. Além do mais, eu não dou o menor valor a vossos objectos estranhos ou engenhosos e não tenho uso para as manufacturas de vosso país."(+++)
..."Em todo o caldeamento de povos civilizados e bárbaros ditado pelo epílogo do Império Romano; na complicada alquimia étnico-política que precedeu à cristalização europeia ; através das páginas heróicas das cruzadas -- a côr do opressor ou do oprimido era fator completamente irrelevante. Havia escravos brancos no Oriente -- escravos gregos em Roma -- e nigérrimos núbios e abissínios comandavam posições de destaque no Império Bisantino. Amarelíssimos mongóis ficaram lá pelos Bálcãs na mareta deixada pelos hunos, e branquíssimas escravas povoavam os hárens de escuríssimos xeiques e vizires, desde Fêz até Baghdad."... (pgs. 24/26) --
...........................................................
..."Por outro lado, no trato de assuntos com os membros do partido na África ou na Ásia, nos congressos e conferências, nas tramas de agitação, os enviados oficiais ou particulares comunistas procuram demonstrar, o mais claramente possível, que desconhecem qualquer noção de superioridade relacionada com a pigmentação.
Evidentemente, essas manifestações são por demais ostensivas, para serem acreditadas 100%. Entretanto, é surpreendente o resultado que Moscou obtém com essas tácticas que certamente não têm o menor cunho de sinceridade e que talvez obedeçam tão somente a ordens superiores e transitórias emanadas da alta estratégia soviética."
..."De resto, é muito difícil avaliar a honestidade dessa política igualitarista exportada para fins de propaganda, quando ponderamos que não existe sequer uma pequena minoria negra na imensa extensão da Eurásia russa e que, no Oriente, o "habitat" da minoria amarela, é por demais recondito, misterioso, mesmo desde os tempos dos Czares, para que essa igualdade total tão buzinada por Moscou possa ser julgada e analisada sèriamente.
..."O outro sector não racista (e êsse o é inegàvelmente), é o muçulmano. Essa virtude que já o ajudou a expandir-se descomunal e repentinamente, há treze séculos, empresta-lhes grande importância política na formação da África moderna e na ressurreição da Ásia. Em vista das práticas perigosamente ilógicas da União Sul Africana e de outros setores coloniais onde se admira a política aparteista, não deverá constituir surpresa se em cinquenta anos toda a África negra estiver independente debaixo, por exemplo, da liderança egípcia e, não só independente, mas toda ela maometana, odiando sem quartel o mundo branco e cristão"...(pg.27/8)

-- (+) - Fulton J.Sheen - Ibid.
-- (++)- Arnold J.Toynbee -- "Civilization on Trial".
-- (+++) - Earl of Macarteney -- "An Embassy to China".
.............................................................

10) --- "CAPÍTULO XIX -- ORIENTAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL COM RESPEITO AO MUNDO ÁSIO-AFRICANO"---

..."Devemos martelar paulatina, inexoràvelmente, doa a quem doer dentro e fora de nossas fronteiras que, se bem que ocidentais, não somos "vinhos da mesma pipa". Que quer por nossa origem luso-tropicalista (na apropriada expressão de Gilberto Freyre) pelas misturas raciais negro-ameríndias de nossos tempos de colónia, ou ainda pelos mais recentes influxos de sangues das mais diversas proveniências, somos um país, um povo, que descrê completamente em separatismos ou superioridades raciais. Que temos muitos traços de aproximação não só étnicos como espirituais com a África e com a Ásia. Que só as distâncias nos separam, pois que os ideais são os mesmos. Que somos tão anti-colonialistas como qualquer outro país que tenha participado de Bandung, porquanto, se bem que o colonialato português no Brasil tenha sido dos mais brandos e patriarcais em seus aspectos sociais, no lado político e económico, foi dos mais ríspidos e sufocantes. Que tivemos um Tiradentes, que tivemos gente degredada, que também possuímos nossos mártires, nossas vítimas, nossos patriotas como qualquer outra colónia da Ásia e da África os teve e os está tendo. Que ademais de colónia de Portugal fomos vítimas também da cobiça de franceses e de holandeses que chegaram de fato a tomar e a exercer longo mando sob grandes tratos do nosso território. Que somos por índole, e já o provamos, inteiramente anti-imperialistas. Que tivemos a Banda Oriental em nossas mãos e nos curvamos às inclinações dos seus habitantes; que ganhamos sangrenta e demoradas guerras e respeitamos a integridade do Paraguai; que com imensas fronteiras e considerável número de vizinhos pudemos fixá-las numa sinfonia de pacifismo e respeito mútuo, sob a batuta mágica do Rio Branco. Esses fatos de nossa história são inteiramente desconhecidos nestas regiões e sua divulgação teria um imenso valor psicológico.
..."Finalmente, devemos fazer ver,divulgar entre os povos da África e da Ásia, que essa busca de entendimento, de conhecimento e de mútua compreensão, é de fato sincera e não ditada por interesses particulares, pelas reviravoltas da política internacional como acontece com certos países"...--- (Pg.330) ---
..............................................
----(Transcrito de "O BRASIL E O MUNDO ÁSIO-AFRICANO", de ADOLPHO JUSTO BEZERRA DE MENEZES -- 1956 --(pg.25 a 28) ---

==========================================================

11) -------------- "OS HOMENS DO DESERTO" -------------

..."Na poeira do deserto sem trilhos, bandos de Bochimanes correm destino de nómadas. No rato das poeiras doiradas pelo sol,deixam ficar,bocas agonizantes sobre a terra, os velhos que longas e duras fadigas imobilizam.
..."Um velho caiu no caminho, os joelhos dobrados para sempre, as mãos sem forças para empunhar a flecha, e vê o bando distanciar-se mais e mais, perdido para sempre, mas a sua voz não se levanta num apelo ou injúria ao filho e aos companheiros que o abandonaram à morte. É essa lei milenária da sua tribo errante.
..."Abutres, de grandes asas como sombras,pairam no céu parado sobre o corpo esquálido do Bochimane. Espiam-lhe os movimentos e esperam o seu fim, impacientes.
..........................................................................
..."De longe, nas margens dos rios das abas do deserto, os negros vêem os abutres levantarem voo e desaparecerem na sombra da noite que vem do Kalahari. E as suas bocas abrem-se numa grande gargalhada.Deixara de existir um Bochimane e isso alegra-os. Um selvagem a menos, anunciam os atabaques dos negros das margens , nas bordas do Kalahari , entre o mar e as terras altas da Chela, ao longe.Eles sabem que o deserto há-de matar,um a um. esses homens de olhos oblíquos e duros, bocas sujas de sangue da carne de todos os bichos, de pele bronzeada e cabeleira lanosa,longos braços e pés espalmados, que todos negros da África desprezam.
..."Vinham de longe, de bosques fechados, esses selvagens. O negro entrava na mata para abrir uma clareira e construir a aldeia e eles fugiam, escorraçados e malditos,de bosque em bosque,até os areais. Amanhã voltariam a encontrar matas virgens, nas orlas do deserto. Mas todos os negros sabem que é ali, no grande areal, que a raça proscrita há-de acabar, como aquele velho que os abutres comeram.
..."O gentio das margens do Coroca, do Bero, do Giraul e doutros pequenos rios vêem de quando em quando essas aves negras correr o céu do deserto, após a passagem dos Bochimanes. largados nas suas viagens de caçadores destemidos de arco e flecha ou en fuga. E pela noite dentro, à volta das fogueiras, contam histórias fantásticas do destino dessa gente estranha que consideram selvagem. Os Corocas, que tomaram o nome do rio em cujas margens habitam, falam desse povo com o mais profundo despreso e nojo."..."Mas não foram os Bochimanes que desceram às praias para matar os náufragos e despirem os mortos. A gente que João Pilarte da Silva encontrou,quando viu o Cabo Negro e percorreu aqueles areais, não era desse povo. Corocas ou Cussis deviam ser esses ladrões de mortos e assassinos de náufragos. Essa é que é a gente das abas do deserto. E Cuissis da beira-mar deviam ser os negros das furnas do Cabo Negro, no tempo dos navegadores"...--- Dos Bochimanes todos conhecem as aventuras das suas caçadas, a certeza do seu tiro de flecha e a destreza no desfazer da caça morta,coisa que todo o negro admira. Mas os Cussis nada disso fazem. Só sabem envenenar as águas onde os antílopes vão morrer e pôr armadilhas para as aves e caça miúda. Mais atrasados que os amaldiçoados homens de pele bronzeada. Os Corocas vivem à margem do destino dos Cuissis, embora oriundos da mesma tribo de Vátuas, os estilos de vidas são diferentes. Os Corocas são donos de gado e lavram as suas terras.O seu braço nunca se alugou fora da tribo. O povo guarda na memória das gerações a tradição e orgulha-se da sua origem. Nunca uma Coroca gerou um filho de homem que não fosse do seu pequeno país. .(pgs.12/15) --
...........................................................
..."O Mundombe adora tanto o boi quanto as mulheres a seus filhos, que os têm em quantidade. Não há fêmea mais fecunda do que a Mundombe. Quando casa, o seu homem planta nesse dia uma bananeira, que terá da dar fruto um ano depois,"porque é presságio do primeiro filho". Se a bananeira não frutificar e a mulher não estiver grávida, de pronto abandona o marido; e todo o povo lhe dará razão, porque a culpa da sua esterilidade cabe inteiramente ao companheiro que não soube escolher uma boa bananaeira."... - (pgs. 55) --
...............................................
..."-- CACONDA DAS LENDAS E MISTÉRIOS..." -- "Caconda tem um história de guerras, lendas e mistérios...História de guerras de brancos e de negros, com incêndios de aldeias e fortalezas e igrejas arrasadas, sobas deportados para ilhas longínquas e populações escravizadas, caveiras de Europeus nas estacas das paliçadas das libatas e túmulos de guerreiros negros à beira dos caminhos públicos"... Caconda é o antigo país dos degredados e colonos, nas fronteiras dos sertões do Nano, com trilhos de caravanas,e um longo caminho de belas e terríveis aventuras de pioneiros. É o último palmo de chão sob a bandeira da Conquista. E é a terra dos avós bárbaros de Maria Caconda, mestiça, neta de soba e filha de um mercador português, rico morador de Benguela, e da negra Tchilombo, que trouxe do litoral brancos , mulatos e negros para colonizarem o grande planalto."... -- (pg.84) --
...................................................
..."Passaram-se sete anos de paz e de comércio para os conquistadores. Depois, ouviram-se os tambores de guerra de alguns sobas que se lançaram ao ataque após baldados esforços para atrair à sua aventura os outros régulos. Quebrara-se a unidade entre os sobas. Muitos tinham feito aliança com os brancos. No leito dos mercadores dormiam as suas filhas. E o soba de Galangue tinha uma neta mestiça. Mas ainda viviam guerreiros e feiticeiros com os seus ódios velhos... Os sobas de Caconda foram vencidos, mortos os seus guerreiros mais valentes e incendiadas as libatas. Os soldados amaram as mulheres dos vencidos e vestiram-nas de panos garridos. Mestiços de olhos tristes nasceram desses amores e ficaram no sertão quando o pai voltou à sua terra. Tinham o nome português e uma sina desgraçada a cumprir. Mulato pobre e abandonado na selva é um cão vadio."... "..."Mulatos nascidos e medrados nessas povoações ali aprenderam com o pai branco o usos do fuzil e o trato do comércio; e mal o buço lhes despontava acompanhavam-no nas viagens pelos sertões. O branco ensinou-lhes a língua do seu país e os processos de tratar com os sobas e escravos -- manha e presentes para aqueles e chicote para estes. A mãe negra iniciou-os nos segredos da sua raça e falou-lhes nos mistérios dos deuses. Lado a lado de seu pai branco, eles vararam sertões, feiraram de senzala em senzala, beberam água de todos os rios, caçaram nos matagais e planícies e amaram as mulheres dos países longínquos."... ..."Os mulatos foram grandes aventureiros do sertão. Os que se cansaram das longas e perigosas viagens recolheram às povoações que os brancos fundaram e tornaram-se colonos. Herdaram do pai a povoação, as lavras, os escravos, a loja e a bandeira das quinas que os pombeiros levavam à cabeça das caravanas nas viagens de comércio, sertões em fora."...--(pgs. 87/88/89) --
....................................................................
..."ALEMBA E A SERPENTE" -- ..."Serpa Pinto e os carregadores entraram no caminho para o país do Sambo, atravessado pelas águas fundas do Canhungamua, marcharam todo o dia sob Sol a dardejar. A noite cálida surpreendeu-os numa floresta de acácias. Dormiram com o perfume das flores debaixo de um céu de estrelas."... "Vieram do Bailundo distante os primeiros homens que viveram nestas terras com o nome tribal de Sambos. Mas há mais de dois séculos que aqui vieram parar os Nhembas. O seu chefe edificou cubatas no alto de um outeiro, no meio de vasta planície cruzada por riosa e riachos. Eram oleiros e viviam da sua indústria, mas também criavam gado e lavravam terras ribeirinhas. Um dia, guerreiros Bailundos, fugidos à ira do seu soba que, mesmo depois de lhes ter morto o chefe, não cessava de os perseguir, pararam no sopé do outeiro e intimaram os Nhembas a abandonarem a aldeira, porque esse lugar só podia ser morada de fidalgos, deles que eram filhos do chefe Sambo,morto na guerra. Medrosos, os pacíficos Nhembas desceram o monte e nesse dias os atabaques dos filhos do tocaram aos ventos altos da aldeia abandonada, e o povo fugitivo dançou o batuque dos mortos, para que a alma de Sambo descansasse em paz."..."Eram cinco os filhos do soba Sambo, cinco rapazes, caçadores de elefantes e hipopótamos, e a moça Alemba, que os irmãos escolheram para rainha. Ali, ela fundou a libata e deu ao país conquistado sem sangue o nome de seu pai Sambo. Tempos depois, Alemba casou com um caçador Ganguela que ousara levantar o fogo das caçadas na planície dos Sambos e depois se agasalhara na aldeia do outeiro para nunca mais de lá sair, preso nos braços da dona da terra...." -- (pgs. 111/112) --
......................................................
--- ..."DO CUBANGO A BELMONTE" ..."Entre a aldeia de Chindonga, à beira do Cubango, e Belmonte, nas terras do Bié, ficam os países de Moma e Caquingue. São Ganguelas os seus povoadores e de há muito tratam com o branco, sem submissão nem medo, porque se sentem os verdadeiros donos da terra, muito embora suba alto o pavilhão das Quinas dos mercadores e as brisas das aldeias indígenas o desfraldem sobre os povos.
Grandes agricultores e comerciantes,os Ganguelas abriram os seus países aos feirantes portugueses e com eles permutam toda a sorte de artigos. Mas o comércio mais rendoso para o mercador e chefes indígenas é feito muito longe, em terras do Mucusso, Sulatebele e Cuanhama. Saem do Capingue, rio abaixo, as caravanas de escravos, que o mercador leva de país em país, através de planícies e florestas, trocando-os aqui por bois que, mais adiante, são permutados por cera e marfim. Os povos destes países vivem de armas na mão, guerreando tribos vizinhas na caça ao escravo. Mas não descuram o amanho da terra, nas margens do Cubango, Cutato e muitos riachos onde vicejam, duas vezes em cada ano, grandes campos de milho, de que se alimenta a população."...-- (116/117) --
..................................................
....-- "AS LENDAS E A HISTÓRIA"...-- ..."A história do país do Bié começa a interessar os Portugueses a partir do seu oitavo soba, Gila-Hul. É nessa época que se dá a primeira interferência dos brancos no destino do Bié,. e um seu soba governa com um nome português, mercê do aparecimento, em Luando, de um escravo, irmão de Gila-Hul, e por ele vendido. Chamava-se Cangombe e foi escravo do Governador de Angola (1772/1779), D. António de Lencastre, que, mal soube de quem se tratava, lhe deu mão -forte, mandando-o com uma expedição ao seu país. Venceu os guerreiros de Gila-Hula e fez-se proclamar soba com o nome de António de Lencastre. Gila-Hul seguiu para o desterro ; mas, tempos depois, rebelou-se, sendo vencido e preso. Não lhe perdoaram a vida e escolheram morte afrontosa entregando-o aos antropófagos de Dumba Amotumbo..." - ..."De todos os sobas do Bié, só Gangobengue não fez a guerra da Quipunda. Desamparado dos deuses, os cães comeram-lhe o cadáver na própria casa mortuária. Foi o décimo sétimo soba. Herdou-lhe o trono um irmão pobre, e por sua morte foi eleito Quilemo, que Serpa Pinto encontrou em Belmonte,já sem prestígio e governando por favor dos sertanejos que o resgataram do cativeiro, em Caquingue. Voltou ao Bié pela mão dos mercadores mas nunca os protegeu, a ponto de Silva Porto ter de ausentar-se de Belmonte por causa do mucano, "esse roubo infame,porque é legal e autorizado"... Era uma fortuna e os seus recursos para nada serviriam se, por desmando de qualquer dos seus homens, fosse arrastado a um mucano."...(pgs. 136/137) --
...................................................................
--- (Extraído de : "A MARAVILHOSA VIAGEM" - de CASTRO SOROMENHO - 3ª Ed. -- Editora Arcádia,Limitada - Lisboa - 1961 --

=====================================================

12)--"O BAIXO CUNENE - I Parte - História,Geografia e Demografia " --

..."Os primeiros exploradores que penetraram nesta região encontraram as tribos fortemente organizadas e governadas por "reis" (sobas). A "monarquia" era,por vezes, dualista, com a área tribal repartida entre dois "reis" (Evale). Entre estas tribos aparentadas -- Cuanhamas, Evales, Cafimas e Cuamatos -- havia, até há pouco tempo (trinta anos), uma zona desabitada, relativamente larga.Hoje, essas zonas estão ocupadas e não há limites visíveis entre as gentes misturadas. --(pgs. 16) --
......................................................
..."Como vimos, a grande maioria da população do concelho pertence ao agregado étnico dos Ambós (Ova-ambo). Foram os seus vizinhos do Sul -- os Hereros -- que assim começaram a designar especialmente as gentes da tribo donga. Esta designação foi,no entanto,abrangendo todas as tribos.
..."Este agregado étnico compreende doze tribos : Cuanhama - Evale - Cafima - Cuâmbi - Cuamato - Dombondola - Donga - Cualuthi - Balântu - Colucatsi - Eunda e Gandjela, repartidas pelo Sul de Angola e pelo Sudoeste africano".
...........................................
..."Alguns,segundo os antigos, teriam vindo do Leste (Cubango) : as gentes de Cafima e de Evale. Quando estes chegaram ao Cuvelai, o chefe teria mandado avançar os vales ("homens altos"), para serem os primeiros a atravessar o rio -- facto que originou a denominação.As gentes de Evale e Cafima ainda hoje se consideram da mesma origem e mais ligadas entre si do que aos Cuanhamas do Sul.
Os Cuanhamas,que constituem, dentro do Baixo Cunene, o grupo mais importante, vieram, segundo a tradição, do Sul (Ondonga). Um soba da tribo donda teria enviado alguns elementos para o Norte em busca de alimentos. Esta gente, apesar de o soba o haver ordenado,não regressou, por ter encontrado uma região muito rica em caça. Então, o soba acabou por dizer : "...Deixai-os lá com a sua carne". Aqui estaria a causa detrminante do título : ova-kwa-nyama ("os da carne")...-- (pgs. 51/52) --

--- Em : "O BAIXO CUNENBE - Subsídios para o seu Desenvolvimento" - de JOSÉ PEREIRA NETO - 1964 - (Junta de Investigações do Ultramar - Centro de Estudos Políticos e Sociais) ---
===========================================

==== "SÍTIOS" recomendados :
muhuila.hpq.ig.com.br/lubango.html
===============================================

--- 12/A ------- O HISSOPE -- "Poema heróico-cómico" -------

--- CANTO SÉTIMO - (384/400) :

...... "Quando,subitamente (caso horrendo
...... Que as carnes faz tremer ao repeti-lo !)
...... O velho galo,que num prato estava(+)
...... Entre frangos e pombos lardeado,
...... Em pé se levantou e as nuas asas ...... Três vezes sacudindo,estas palavras
...... Em voz alta articulou triste,mas clara :

...... -- Em vão, cruel Deão, em vão celebras
...... Com nosso sangue o próspero sucesso
...... Que a futura vitória te promete,
...... Que por fim, cederás a teu contrário.
...... Disse. E caindo sobre o grande prato,
...... Sem mexer-se ficou.Neste momento,
...... Um gelado suor dos circunstantes
...... Banha as pálidas faces; os cabelos
...... Nas fontes se lhe eriçam;largo espaço
...... Imóveis ficam,sem dizer palavra"...
.........................................
--- (+) -- ..."O velho galo, que num prato estava" : "Este galo poético é maravilhoso. Nós,porém, vamos apresentar ao leitor outro galo que, sendo histórico, nos parece ainda mais estupendo. O caso foi este : os dous frades capuchos italianos da província da Sardenha,Fr.Jerónimo de Merolla de Sorrento e Fr.Francisco de Monteleana, foram destinados,pela Congregação de Propaganda Fide, à Missão de Congo, para onde embarcaram em 5 de Maio de 1682... Na dita Relação, pois, afirma o tal capucho, que achando os soldados das tropas de Sinuntamba, pretendente ao reinado do Congo, deserta a principal cidade de KlonconKienza, que pertencia ao conde de Songo ou Sogno, com quem andava em guerra.E, não tratando por isso mais do saque da cidade,principiaram por ir degolando os animais e aves que encontravam para matarem a fome que os apertava. Entre aquelas, apareceu um galo de grandeza extraordinária, que trazia em uma das pernas um grosso anel de ferro. Os mais cordatos clamaram que este galo estava encantado por meio de algum sortilégio e que,portanto,não era seguro o matá-lo.Outros, porém,não fizeram caso disso, mataram o galo e,despedaçando-o, como é costume dos negros, o cozeram em uma panela. Logo que se achou cozido, o puseram no prato e se dispuseram a comê-lo. Mas quando, segundo o mesmo costume, dous negros daquela associação abençoavam a mesa, qual foi seu espanto, admiração e pasmo de verem que todas as partes do galo se mexiam no prato, se reuniam umas às outras, ficava o todo na sua antiga forma ! O animal ressuscitado de repente saiu logo do prato, deu alguns passos em ar de muito contente, e saltou para cima de um muro vizinho, aonde todos os circunstantes lhe viram recuperar a sua plumage em um momento. Dali voou para cima de uma árvore mais distante; e batendo três vezes as asas com um grito horrendo, desapareceu.Pode-se bem imaginar(continua o dito Merolla)qual foi a consternação dos que estavam presentes...."
..............................................................
---- (transcrição parcial da obra "O HISSOPE" - Poema Heróico-Cómico - da autoria de ANTÓNIO DINIZ DA CRUZ E SILVA - Editora "angelus novus"- 2010 - Pgs. 153/174 --

====================================================================

13) ------------ "UM BATUQUE NO CUANHAMA" ----------

..."Pouco depois, chegava o soba com o seu irmão Amálua, alguns lengas e velhos da terra. Soba e irmão ficaram sentados entre mim e o tenente Viriato Lobo, junto ao carro bóer que nos transportou. Havia vários pretos com tambores de várias formas, xingufos(*) e marimbas. A um sinal dum lenga, principiaram os músicos a bater os tambores, com as mãos, numa fúria desmedida, fazendo um barulho ensurdecedor.
..."Primeiro, principiaram as mulheres a bambulear-se, quadris em movimento peneirante, em requebros lânguidos, aos pulos, agitando os seios nus, batendo palmas, cabeça e corpo cobertos de manteiga com tacula encarnada(**), cobrindo-lhe as nádegas, e o resto uma pele de boi preto, também untada, e, em volta da cintura, missangas de várias cores -- a toilette das grandes cerimónias da corte.
..."Uma delas cantava motivos referentes à minha ida à terra do Cuanhama e à amizade do soba, seguindo-se depois um coro de centenas de vozes de homens e de mulheres, aplaudindo a cantadeira, terminando esse coro por uma harmoniosa e prolongada suspensão.
..."Os guerreiros armados detinham-se além do grupo dançante das mulheres, fazendo esgares, saltando com ritmo ao compasso dos tambores, apontando as armas em várias direcções, como para alvejar um inimigo imaginário.
..."A certa altura, cessa o canto e a dança das mulheres, dando passagem àquela grande massa de guerreiros, ue avança em linhas sucessivas e pára a uns 10 metros de nós. Destaca-se um deles, que canta saudações "ao grande soba do Cuanhama o mais poderoso das terras do Muene-Puto, e ao capitão-mor das terras do Mutâno (Humbe), amigos dos cuanhamas, que trouxe mmassango para matar a fome dos seus filhos". Seguiu-se depois um coro saído daqueles centos de peitos vigorosos, de um efeito assombroso, que se apodera do nosso espírito de uma forma misteriosa, um coro que parece fazer abalar o solo, formidável e não mais esquecido.
..."Dispersam-se do grupo alguns pretos que correm em várias direcções, uns com espingardas, que apontam e disparam, outros brandindo as azagaias. Os das espingardas rastejam por vezes pelo solo. simulando aproximar-se dum imaginário inimigo, aproveitando os troncos das árvores e arbustos para se encobrirem. Alguns deles, ainda, simulam uma retirada, para novamente avançarem, mostrando assim que, possivelmente, mão estranha os instruía na arte da guerra.
..."Em dado momento, o negro que antes se havia destacado da grande massa para cantar as saudações ao soba e a mim, um verdadeiro Hércules, destaca-se novamente do grupo, estende para mim o braço esquerdo, fita-me e, aos saltos, vem de zagaia ao alto, ameaçador, olhar injectado, espumante. Crava no solo o extremo oposto da lança, na minha frente, ecurvando-se exclama : "Bákueto" ! (***)
..."Disse-me o soba que a lança da zagaia só era cravada no solo em sinal de desafio e que, tal como estava, era sinal de respeito e amizade.
..."Recomeça, então, o verdadeiro batuque, furioso, a valer. Dançam homens em grandes rodas,; ao centro, mulheres embriagadas pelo prazer,coleantes,batendo as palmas, um verdadeiro rito e culto, os tambores tocando sempre.
"...De quando em quando, tiros que partem da multidão em redor.
..."O soba, a um sinal, chama um lenga -- talvez o mestre de cerimónia -- e dá ordem para parar e que todos retirem para as suas mucundas. É já noite. Homens e mulheres desaparecem em poucos minutos."
...""Não quiz que te fosses embora sem veres um batuque de guerra dos meus rapazes" -- disse-me o soba. -- "Foi pena estar pouca gente, porque alguns andam à caça lá para os lados do Otchimporo. Este batuque foi em tua honra".
..."Momentos depois, o soba mandava abrir a terceira garrafa de conhaque "Macieira", de que era um grande consumidor, e eu, tendo que o acompanhar, provando primeiramente a bebida escaldante segundo as praxes estabelecidas, confesso que nessa noite não senti mosquitos !..."
........................................................
..."(*) -- Xingufo - espécie de grande sarronca feita do tronco de uma árvore"...(**) - Tacula - árvore bem conhecida em Angola... (***) - Bákueto - obrigado, em dialecto Cuanhama... -- (Pgs. 157/159) --
.......................................................
---------- ..."Certos acontecimentos no Sul de Angola"... ----------

..." (Cópia) - "Serviço da República -- Circunscrição Civil do Humbe -- Nº 360 -- Humbe, 25 de Outubro de 1911) -- Ao soba Mandumbe do Cuanhama : Acabo de receber a sua carta de 15 do corrente. É verdade que algumas guerrilhas do Cuanhama têm atacado alguns povos pacíficos da Circunscrição do Humbe e, ultimamente, os povos do Cuamato. E foram os lengas Calóla, Chiconhengue e Angúla que atacaram a mucunda do Cabongo, matando-o e a muita da sua gente -- homens, mulheres e crianças --, roubando perto de 300 cabeças de gado, sendo algum de brancos que ali estava a pastar
Há poucos dias lá foi outra vez o Calóla e o Chiconhengue atacar uma libata do Cuamato, mas desta vez apanharam uma boa lição, porque perderam muita gente e ficou preso o Chiconhengue. Ora um soba nunca deve deixar armar guerrilhas, e custa a crer que o Mandumbe não saiba quando as guerrilhas saem porque, no seu regresso, também recebe parte das presas. Pode estar descansado que o Chiconhengue e os outros cuanhamas presos no Cuamatao não serão mortos, porque o Governo da República Portuguesa não consentirá em tão grande barbaridade. Em Portugal não há a pena de morte, e fique certo que serão muito bem tratados. Fico satisfeiro por me dizer que deseja viver em harmonia com todos e que deseja a sua terra frequentada como noutros tempos e que castigará as guerrilhas que de futuro saírem. Vou dar conhecimento ao Governo da sua resolução, mas para que a sua terra torne a ser frequentada e possa tornar a viver em boa harmonia com todos, é preciso consentir no seguinte :
... 1º - Na ida para junto de si dum representante do Governo Português...
... 2º - Na montagem de uma escola para ensinar aos rapazes a língua portuguesa.
... 3º - Deixar passar a linha telegráfica do Cuamato para o Cuangar...
... 5º - Proibir igualmente que na sua terra se mate gente,e que se faça escravatura.
... 6º - Consentir que o comércio também monte casas de negócio na sua terra, mas garantindo a todos vidas e haveres... Os povos onde está hoje a autoridade portuguesa gozam da maior liberdade e assim sucede aos do Cuamato, Evale, Humbe, Cuangar; todos enfim. Eu espero que o soba Mandume do Cuanhama pense muito bem e que aceite as propostas que lhe lhe faz este seu amigo. Saúde e fraternidade. ass). Artur de Morais,Major e Administrador do Humbe". -- (Pgs. 166/168) --
.................................................
-- Transcrição parcial de "MEMÓRIAS DE ANGOLA" - do Major ARTUR DE MORAIS - 2007 -- ...............................................

+++++++
--- Foto nº 70 / 4º Vol. Pg. 296 - BATUQUE EM PEREIRA D'EÇA --
............................................
===========================================

14) ------------ "ANGOLA E BRASIL" ------------

..."Os aborígenes de Angola seriam os bochimanes, hoje muito reduzidos no número em que se encontravam dispersos, desde a embocadura do Cunene até ao Cubango. Conforme os locais da sua fixação (passageira como veremos) e os nomes dos seus chefes de tribo, os bochimanes tomam vários nomes : bacuisses, bacuandos, bacuacos, bacubais, baconcabos ou mucancabos e muitos outros.
"Eram um povo atrasado, de vida errante, de nível extremamente primitivo, que preferia consumir raízes e fritos selvagens a dedicar-se a uma agricultura mesmo que rudimentar. Raça decadente, ia ser vencida e dispersa pelo invasor banto, mistura de raça negra e hamita,que hoje constitui o filão preponderante nas populações da África centro e subtropical.
"Sobre o destino dos bochimanes, foi agora publicado o interessante estudo de Laurens Van Der Post, The lost World of the Kalahari, que mostra o melancólico fim das tribos que primeiro pisaram as terras do Sul de Angola.
"A amálgama resultante da invasão banto iria beneficiar substancialmente o trem de vida dos habitantes de Angola. Povo cultor da agricultura e da pecuária, introdutor de plantas, vestes e hábitos árabes (através da Abissínia) o banto iniciou a sua expansão em África há cerca de dois mil anos. Descendo até ao Zaire, teve de contorná-lo infiltrando-se na região dos lagos, ou fixando-se ao norte do rio, nas terras de Cabinda. Os que preferiram enviesar para sudoeste acabariam por fundar os Estados de Muota Janvua, de Bakololo e do Luva. Ou foram mais longe, criando as vastas dimensões do Império Ovampo.
"Do Luva, acoçadas por diveras invasões, correntes bantos desceram até aos Congos, ocupando o norte de Angola. Daqui,o movimento foi sempre para o sul até ao Cuanza, e viria a dar lugar aos actuais muchicongos, sossos, pombos, maiacos, mossucos e dembos.
"Não vem a propósito refereir-vos os inúmeros grupos étnicos que constituem Angola de hoje... Não cabia, de resto, nos limites deste pequeno apontamento, a referência às centenas de sub-raças que compõem o quadro deste território da África Ocidental Portuguesa.
"Fundamentalmente, temos, portanto, os povos bantos e os não bantos, estando os quatro milhões de negros de Angola de hoje, assim divididos : Povos bantos : Kikongos(meio milhão), quimbundos(um milhão), lunda-kiocos(quatrocentos mil), Umbundos(um milhão e meio), ganguelos(trezentos mil), nhaneka-humbes(cem mil), ambós(cinquenta mil), hereros(vinte e cinco mil), xindongos(quatro mil). Povos não bantos : hotentotes-bochimanes (sete mil), vátuas (cinco mil).
" Regressando da região dos lagos e cordilheiras, os ovampos e os damaras seriam os primeiros a ganhar a costa atlântica e a estabelecer-se até às margens do Cunene." - Pgs. 114/115) ......................................................

--- Em : "ANGOLA E BRASIL - Duas Terras Lusíadas do Atlântico" - de JOÃO PEREIRA BASTOS -- 1964 -- (Conbferência realizada no Instituto Geográfico e Histórico da Baía, a pedido do "Pen Club" de SALVADOR - Julho de 1963 - ) ---------

===================================

15) --------------- " 1. As relações Raciais " ---------------

..."Tende a generalizar-se entre os estudiosos a opinião de que não deve atribuir-se especial importância às características biológicas dos grupos na explicação dos fenómenos sociais. Isto parece ser, em muito, um fenómeno de reacção contra certas tentativas para explicar a evolução cultural dos povos, o seu maior ou menor sucesso no desenvolvimento das ciências e das técnicas, a sua habilidade para proteger melhor ou pior os seus interesses em eventuais conflitos com outros, a partir de determinadas características que permitiriam identificá-los como pertencendo a certas raças. Os desvios que cedo conheceram essas análises, que se ligaram muito intimamente com a escola socióliga do "darwinismo social", traduziram-se em muitas generalizações apressadas, que poderiam ter ido apenas engrossar a massa das concepções inadequadas aos factos que têm ficado a assinalar as dificuldades do entendimento das coisas sociais, se não tivessem sido invocadas para justificar situações dolorosas, incompatíveis com preceitos morais da maior importância, ou acções que se traduziram por incalculáveis sofrimentos."
..."A orientação actual dos estudiosos não foi decerto indiferente à vivacidade das latitudes que sobre isto se constituíram, mas tem podido apoiar-se nas investigações e nas opiniões de muitos especialistas de biologia. Estudos mais cuidados permitiram, com efeito, estabelecer apenas uma muito limitada relação entre os antecedentes biológicos dos indivíduos e dos grupos e os seus comportamentos e realizações. Reduzidos efectivamente tais antecedentes a umas quantas predisposições ou potencialidades que as circunstância exteriores podem impressionar e orientar por formas muito diversas e posta muito em evidência a dificuldade em identificar com segurança as "raças" e a impropriedade científica do frequente emprego da etiqueta racial para designar certos grupos,tende, por vezes, em encarar-se com repugnância a invocação da raça nas ciências sociais." -- (Pgs. 17/18) --
..................................................
----- " 2. A tradição doutrinária e a conjuntura internacional" -----

..."A apreciação na doutrina dos problemas que têm andado ligados às relações dos grupos humanos com características étnicas diferentes, e que têm vindo a ser ultimamente conhecidas pela designação genérica de "questão racial", tem seguido de perto a evolução das ideias sobre a questão geral dos direitos do homem." -(Pg.19)--
............................................
..."Na enumeração que o Prof.Adriano Moreira fez dos pontos em que assenta a política dos papas nesta matéria contam-se justamente os seguintes : "a) Os direitos sobrenaturais dos homens implicam o respeito dos seus direitos naturais, cuja inobservância tornará infrutífero o apostolado; b) Todos, sem qualquer distinção de raça ou de cor, têm direito à igualdade civil, à liberdade, à propriedade e à família, por simples imposição da dignidade do homem; c)A escravidão e os seus sucedâneos são, por isso, inadmissíveis." -- (Pg.21) --
........................................................

--------------- " 3. A ideologia das Nações Unidas" ---------------
.....................................
..."A Declaração Universal dos Direitos do Homem, votada no dia seguinte (10 de Dezembro) após laboriosas negociações, como denominador comum entre ideologias divergentes, ia mais além nesta matéria, mas tratava-se de facto de um enunciado de princípios que careciam de ser objecto de convenções internacionais para vincularem os Estados e de medidas de aplicação para terem algum efeito concreto na vida dos povos. Na Declaração, a Assembleia Geral da O.N.U.,"considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo", enunciava, como "ideal comum a atingir por todos os povos e todas as nações", certos direitos e liberdades que "cada um pode invocar", "sem qualquer distinção, nomeadamente de raça, cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou de qualquer outra opinião, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação". Nesse enunciado incluíam-se princípios que a experiência tinha mostrado serem da maior relevância para a questão racial"(pg.28) --
..."O artigo 73º fala no reconhecimento do "princípio da primazia dos interesses dos habitantes", dos territórios não autónomos e da obrigação de "assegurar, no respeito da cultura dos povos em questão, o seu progresso político, económico e social".
..."Na Declaração, porém, quando se diz(artigo 2º) que não se fará qualquer distinção entre as pessoas fundada na raça, na cor, no sexo, e assim por diante, tem-se o cuidado de juntar que "além disso, não se fará qualquer distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território de que uma pessoa esta jurídicamente dependente (dont une personne est ressortissante), quer esse país ou território seja independente, sob tutela ou não autónomo, ou sujeito a qualquer limitação de soberania". Este ponto parece tanto mais relevante quanto é certo que na parte V de Declaração de Filadélfia se diz que os princípios aí enunciados "são plenamente aplicáveis a todos os povos do mundo" e que "se, nas modalidades da sua aplicação, deve ter-se devidamente em conta o grau de desenvolvimento social e económico de cada povo,a sua aplicação progressiva aos povos que são ainda dependentes, tanto como aos que já atingiram o estádio em que se governam a si próprios, interessa ao conjunto do mundo civilizado" , sem que isso, em matéria de não-distinção com base racial, ou religiosa ou outra semelhante, encontrasse qualquer expressão no capítulo XI da Carta.
Assim, a Declaração dos Direitos de 1948, que na parte relativa à questão racial parecia fundar-se directamente na experiência da guerra (1), tornava-se um texto de grande importância para a apreciação das condições dominantes nos territórios não autónomos, e por aí um instrumento ao serviço da política anticolonialista. A limitada identidade de concepções entre os países que subscreveram a Declaração tornava "puramente verbal" o acordo sobre os seus preceitos, e isso naturalmente contribuiu para fazer dela sobretudo um instrummento de táctica política (2)". --
....................................
------" (1) - No Preâmbulo escrevia-se : "...considerando que o desenvolvimento e o desprezo dos direitos do homem conduziram a actos de barbárie que revoltam a consciência da humanidade e que o advento de um mundo em que os seres humanos serão livres de falar e de crer, libertos do terror e da miséria, foi proclamado como a mais alta aspiração do homem", etc. etc. Vê-se que se trata de uma referência à doutrina das quatro liberdades de Roosevelt. (2) - Adriano Moreira - Ideologias Políticas, pp. 143-144." -- (pgs.29/30) --
.........................................................

--------------- " 3. - A segregação e a igualdade " ---------------

16) -- (* " 4º -- O BRASIL -- 1. A Integração biológica e social")--

..." Na sociedade brasileira as pessoas de cor encontram-se por toda a parte e a todos os níveis e isso constitue um dos elementos essenciais de qualquer apreciação das tendências aí dominantes nas relações entre indivíduos com tipos físicos diferentes. Isolar esse fenómeno e dar dele uma descrição estatística é uma das dificuldades que têm de enfrentar logo de início os estudiosos. O mestiçamento continuado ao longo de muitas gerações tornou difícil distribuir as pessoas com alguma precisão por um número restrito de categorias rácicas.
..."Esse facto anda ligado ainda a uma tendência dos Brasileiros para atribuírem muitas vezes pequena importância às características físicas das pessoas na identificação da sua raça, o que tem levado a classificar como brancos indivíduos cultos, abastados, com influência política, ou por outro modo socialmente eminentes nas respectivas colectividades, apesar de serem claramente mestiços, ou, diversamente, a considerar como pretos os mestiços escuros pobres e como mestiços ou caboclos alguns brancos das categorias económicas inferiores. A tudo isto acresce o facto de as características "rácicas" das pessoas serem no Brasil geralmente consideradas como assunto demasiado pessoal para serem objecto de conversação ou de perguntas, e o receio das referências a essa questão serem tomadas por manifestações de preconceitos socialmente censurados, para tornar delicada a recolha e publicação de dados sobre esse aspecto da população"...
..........................................
..."Realmente, "a única afirmação que não é contestável sobre a composição da população brasileira é que ela compreende todos os matizes do branco ao negro, passando por pardos que revelam tanto a presença de contribuições índias como a de contribuições africanas" (1).
..." Sem perder assim de vista estas reservas, pode dedicar-se alguma atenção aos dados disponíveis. Esses dados mostram uma diminuição da importância relativa das pessoas de cor na população total, embora o Brasil seja ainda, no continente americano, o país com maior proporção de não-brancos. Os elementos reunidos no quadro 14 mostram que os brancos, que em 1872 eram 38,1 % do total, representavam 61,7 % em 1950. Os negros no mesmo período passaram de 19,7 % para 11 % e os pardos de 42,2 % para 26,6 %. Isto foi igualmente acompanhado por uma diminuição do número absoluto dos pretos nos últimos anos." --(Pgs. 168/9) --
--(1)-- JACQUES LAMBERT - "Le Brésil, struture sociale et institutions politiques"--

..." Em 1940 havia no Brasil 6 milhões de pretos e em 1950 5,6 milhões, o que parece significar que o grupo classificado com "pardo" absorve parte do crescimento que, em harmonia com a forte natalidade brasileira, tem de atribuir-se ao elemento negro. Os pardos passaram nestes mesmos dez anos de 8,7 milhões para 13,7. Os brancos, de de 26 para 32 milhões."...
...........................................
..."Brancos, pretos e pardos vivem lado a lado por toda a parte no Brasil, mas a proporção de uns e de outros no total varia por vezes substancialmente de uma região para outra. Os indivíduos de cor distribuem-se especialmente no Norte, no Nordeste e no Leste. No Norte são muito mais numerosos de que os brancos, mas o elemento étnico dominante é o índio, de que o caboclo é o representante misto. No Nordeste, na maioria de cor avulta sobretudo o elemento africano. No Leste, homens de cor de composição principalmente africana e brancos equilibram-se. No Sul predominam os brancos, mas há igualmente um número substancial de pessoas de cor. Nesta região encontram-se igualmente as maiores colónias de amarelos, principalmente japoneses. O Centro-Oeste, que abrange os estados de Goiás e Mato-Grosso,é francamente povoado, mas aí o elemento de cor não deixa igualmente de estar presente. O quadro 15 mostra a repartição da população por cores nas grandes regiões do Brasil em 1950 e os quadros 16 e 17 a mesma repartição nos diferentes estados e territórios da Federação." ...
.............................................
-(1)- JACQUES LAMBERT - "Le Brésil,structure et institutions politiques"(pgs.171/2)- ................................................
..."No seu estudo sobre a capital do estado da Baía, Salvador, o Prof. Thales de Azevedo descreve uma situação que não se afasta substancialmente, apesar da diferença das condições de vida, do que se observa nas zonas rurais. Entre os 300.000 habitantes de Salvador em 1950, os brancos representavam cerca de 33%, os mestiços cerca de 47% e os negros cerca de 20%. A cidade e o estado são reputados no Brasil pelo caldeamento das raças. Encontram aí pessoas de todos os tipos físicos a todos os níveis e em todos os sectores da actividade económica e em todos os níveis da instrução."...
..."Aquele investigador sublinha ainda que "se vêem por toda a parte pessoas de todas as idades, misturadas sem qualquer distinção de tipo, homens e mulheres, reunidos nos lugares mais frequentados, comentando os acontecimentos do dia, apreciando o vaivém das ruas ou discutindo política e desportos, bebendo nos cafés, passeando-se nos arredores e nas praias, comprando nos armazéns e nos mercados, trabalhando nas fábricas, nos estaleiros, nas casas de comércio e nas administrações públicas e nas secretarias, viajando pelos meios de transporte colectivos, participando nas festas religiosas e nas comemorações cívicas sem o menos constrangimento. Os amigos, mulatos, brancos e negros, cumprimentam-se mutuamente com grande cópia de abraços e apertos de mão; sentam-se uns perto dos outros no teatro, nas igrejas, nos cafés e nos eléctricos com a maior naturalidade. Conforme os costumes locais, confirmados por Pierson, os Baianos juntam-se ou evitam-se em função bem mais do seu nível social do que da sua cor ou da raça".
..."Pelo que se refere às duas maiores cidades do país, onde os negros são relativamente menos numerosos e parte por vezes substancial da população branca não é de origem brasileira, tem-se considerado que as relações entre pessoas com tipos físicos diferentes dendem por vezes a apresentar-se com características particulares."...(Pg.188) --
..."..."em 1957 à adopção de uma lei sobre as discriminações de cor ou de raça, que ficou conhecida por "Lei Afonso Arinos", do nome do deputado por Minas Gerais, Afonso Arino de Melo Franco, promotor do projecto. Esse diploma declara logo no artigo 1º que ..."constitui contravenção penal, punida nos termos desta lei, a recusa, por parte de estabelecimento comercial ou de ensino de qualquer natureza, de hospedar, servir, atender ou receber cliente,comprador ou aluno, por preconceito de raça ou de cor." ... Fixa as sanções para todas estas hipóteses, que podem ser prisão, multa ou a demissão do responsável quando se tratar de estabelecimento público"...(Pg.189) --
...
-- " 5. O problema das diferenças entre as situações de coexistência."
--- & 2º-- A Consolidação das atitudes Raciais. -- 1.A organização inicial da coexistência" ---

..."O estudo histórico põe em evidência uma grande semelhança entre as condições iniciais, no que respeita às relações das raças, tanto nas colónias norte-americanas como no Brasil ou na colónia do Cabo. Em todos os casos o grupo branco achou-se em contacto com um grupo negro em condições de inferioridade social, quer logo em situação servil, quer em situação de escravatura depois de um período transitório (Cabo). Também, do ponto de vista das normas europeias da época, que deviam necessariamente inspirar os juízos de valor dos primeiros colonos, esse grupo negro apresentava-se em geral composto de elementos muito ignorantes, rústicos completamente diferentes nos seus comportamentos e sobretudo nas suas atitudes e práticas em matéria de moral, muito especialmente no domínio da moral sexual."...(Pg.216/7) --
...........................................
----- " 4. A estratificação e a mobilidade vertical no Brasil" -----
....................................
..."No Brasil, como se referiu, a integração de pessoas de todos os tipos físicos num mesmo corpo social onde não se observa com qualquer consistência a intervenção de linhas divisórias de base racial, coexiste com uma certa preferência social pelos tipos claros ou em que predominam os traços do tipo sumático europeu. Tem-se falado por vezes, quanto a este aspecto das relações sociais no Brasil, de "preconceito de cor", que se documenta com a imagem estereotipada e desfavorável que por vezes corre a respeito do negro. Mas tende a considerar-se que "o estereótipo de cor é no fundo um preconceito de classe".
..."Assim, se o homem de cor muito escura encontra por vezes comportamentos que podem ser considerados discriminatórios, isso deve-se sobretudo ao facto da cor provocar a intervenção de um estereótipo de classe. De facto, dado que a maioria dos homens de cor muito escura pertencem às classes mais humildes, parece haver uma inclinação para considerar "a priori" que um homem deste tipo físico deve possuir as características que se julga serem as dessas classes -- falta de instrução, maneiras impróprias, etc. Mas também é certo que um homem de cor escura que se apresente bem vestido, que tenha instrução, boas maneiras, tem geralmente acesso a todos os círculos, sem qualquer obstáculo resultante da cor. Como nota o próprio Bastide, "não se deve confundir preconceito com selecção. A selecção faz-se aparentemente conforme a linha das cores, mas porque a cor é, em todos esses casos, sinónimo de baixa condicção social". Se a cor da pele (e não a origem racial) desempenha na mobilidade racial um papel de certa maneira directamente proporcional à intensidade da pigmentação, não parece dever isso ser considerado como verificando-se de maneira definitiva. Essa é a opinião da maioria dos homens de cor que na Baía exercem profissões liberais, ensinam na Universidade ou ocupam outras posições de prestígio social."
..."Todavia, puderam assinalar-se algumas diferenças de atitudes a este respeito nas diversas camadas sociais. No Norte e mesmo no Sul, os brancos das famílias tradicionais tendem a adoptar uma atitude benevolente e paternalista a respeito dos homens de cor, mesmo muito escuros."...(Pgs. 257/8) --
.....................................
..."Os brancos ou claros das classes inferiores vivem em geral nos mesmos bairros urbanos que os negros pobres, com quem mantêm relações muito amigáveis. Nas camadas sociais um pouco acima destas, Roger Bastide assinalou já um esforço de selecção, mas este orienta-se menos no sentido da "respeitabilidade", da "moralidade" ou do "asseio". De resto, o casamento de pessoas de cores diferentes é bastante frequente nestas classes e mesmo noutras mais elevadas." (Pg. 259) --
...........................................

----- QUADRO Nª 15 (CENSO DEMOGRÁFICO DO BRASIL em 1950) (pg.172)-----

--- Região ........ Totais ..........Brancos ...... Pardos............ Pretos......... Amarelos.....

- Brasil.......... 51.944.397 - 32.027.661 - 13.786.742 -   5.692.657  -    392.082 -
- Norte............. 1.844.655 -      577.329 -   1.171.352 -        90.061  -       1.446  -
- Nordeste..... 12.494.477 -    5.753.697 -   5.339.729 -   1.374.899  -           216 -
- Leste........... 18.893.007 -    9.878.386 -   6.007.294 -   2.959.423  -        5.967 -
- Sul.............. 16.975.293 -   14.836.496 -     696.956  -  1.093.887  -      316.641-
-Centro-Oeste. 1.736.965 -        981.753 -       571.411 -    174.387  -         4.812 -
.....................................
.....................................
---(em : "A QUESTÃO RACIAL -- INTRODUÇÃO" -, de ÓSCAR SOARES BARATA - Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina - 1964 --

==================================================

17) ----------------- "A Terra e a Gente" -----------------

..."Mas eles, os donos da terra, -- o povo de então --, era,sem saber e sem querer, as grandes testemunhas da História e também vítimas inocentes e indefesas. Presenciavam a instalação do marco de domínio estrangeiro que, há cinco séculos, esmaga um povo, sufocando-lhe todas as iniciativas de autodeterminação e roubando, impunemente, as reservas das suas riquezas naturais.
..."Era, realmente, organizado o povo que Cabral encontrou e que presenciou em festas a instalação do domínio estrangeiro na sua terra. A Nação, na época, segundo Capristano de Abreu, era formada por setenta e seis (?) tribos, divididas em cinco grupos distintos. O primeiro -- o mais numeroso -- habitava o litoral, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul. Eram os Tupis, também encontrados no médio Uruguai, no Paraguai e, pela costa, quase até aos Andes; no baixo e no médio São Francisco e também na margem meridional do Amazonas. Entre o Rio Grande do Norte e o Rio Grande do Sul, subdividiam-se em três secções menores : Carijós, Tupiniquins e Tupinambás".(pg 13)-- .............."O terceiro grupo, que Karl Frederick von Martius e Paul Ehrenreich classificaram Gé, era conhecido pelo nome de Aimorés, na Bahia; Botocudos, na Espírito Santo e Minas Gerais; Apinagés, no Maranhão, e Bugres ou Sinklão, em Santa Catarina.
..."O quarto grupo era composto pelos Caraíbas ou Caribes. Entre os rios São Francisco e Parnaíba eram chamados Pimenteiras; na região do Tocantins, Apiacás; no Xingu, Bacaeris e Enaucucuas; Orixinás, Pianagotos, Macuxis, Acavoios e Vanás, no Amazonas e na Guiana"...(pg. 14) --
...............................................
..."A primeira classificação dos índios foi feita pelos jesuítas, levando somente em consideração as diferenças somáticas e a diversidade linguística entre os que habitavam o litoral e o interior. Aos primeiros (de "língua geral", falando uma reunião de dialectos tupi-guaranis); aos segundos (de "língua travada", isto é, falando dialecto diferente), deram o nome de Tapuias."...
..."Os Tupis ou Tupi-Guaranis, considerados a principal tribo brasileira, tiveram seu centro de expansão, segundo Basílio de Magalhães, na Mesopotâmia dos dois formadores do rio da Prata"....
..."O nome Tapuia significa bárbaro, como era conhecido esse povo pela sua rebeldia e espírito de independência. Dele faziam parte os Aimorés, que não deram trégua aos portugueses até serem completamente dizimados. Como recordação dessa brava tribo, resta o nome de uma serra na divisão dos Estados de Minas Gerais, Espírito Santos e Bahía, e de um município mineiro, com trinta e oito mil habitantes. Também Tapuias foram os Cariris, que viviam pelas margens dos rios Paraguaçu, Ttapecurá e Mearim, criando problemas aos portugueses"...
..."A organização social das tribos brasileiras era bem mais humana do que a dos portugueses. Viviam em regime comunal, repartindo entre todos o que colectivamente produziam. Não tinham assim a ambição económica dos invasores. Cada produtor torna-se possuidor da área que cultivava. Todos, indistintamente, tinham o necessário para viver,com a decência da época. Mesmo porque, como observou Thevet num exemplo que serve de lição a muita gente, "um selvagem morreria de pejo se visse o seu vizinho ou o seu próximo junto a si, carecendo daquilo que ele possuía"...(pgs. 15/16) --
..................................................

(17) ----------------- "Entradas" e " Bandeiras" ----------------

..."Na tripulação dos barcos de Cabral incluíam-se vinte degredados, dos quais dois foram deixados em terra. Mais dois tripulantes desertaram e se embrenharam nos matos, enquanto a frota se afastava. Assim, foram esses quatro lusitanos(dois à força e dois por gosto e vontade) os primeiros estrangeiros a fixarem-se na terra. Entregues à própria sorte, em ambiente ignorado e hostil, forçados foram a adaptar-se ao viver dos naturais. Não tiveram outro meio senão alimentar-se do comer dos índios e empregar os processos comumente usados para conseguir os alimentos. Na convivência diária e na luta desesperada para sobreviver, aprenderam a língua e assimilaram usos e costumes dos nativos. Procedentes de civilização mais adiantada, conhecedores da utilidade dos metais, muito ensinaram aos índios. Por sua vez, também muito aprenderam e, dessa experiência, adquirida em duro viver, grandes proveitos tiraram os que vieram depois. Os outros chegaram nas diversas expedições que sucederam à frota de Cabral. Além dos que desertavam e aqui preferiam ficar, muitos degredados foram foram compulsoriamente deixados. Só de uma vez, ficou em terra uma leva de mais de mil desses indesejáveis. Foram os primeiros povoadores da terra descoberta. Ladrões, assassinos, proxenetas, crápulas de toda a espécie, eram mandados do Reino para o Brasil".
..." Do seu cruzamento com as índias, saíram os primeiros luso-brasileiros que deram origem à raça. Quando chegou a primeira expedição oficial para se fixar definitivamente na terra e fazê-la produzir para "glória de Deus e da Coroa", já havia muitos luso-brasileiros por estes matos, produtos daquele cruzamento. Eram os mamelucos, surgidos do coração das selvas para assentar as primeiras pedras nos alicerces do futuro povo brasileiro. Simultaneamente, com as primeiras expedições portuguesas, após Cabral, chegaram os franceses que, também, se atribuíram a glória da descoberta, mas sem fundamento"...(pg.43) --
..........................................................
..."Fica, pois, claro que nos primeiros anos da nossa História, não apenas portugueses, mas franceses, para não falar nos espanhóis, que andaram pelo Sul e, certamente cruzaram também com índias brasileiras, contribuíram para o povoamento do nosso solo. Isso com honra para os franceses, que nunca foram atrabiliários, como os portugueses e os espanhóis. Foram os ibéricos os maiores responsáveis pelo tráfico infame"...(pgs.44/45) --
....................................................

--------- "Antropofagia e Sexualidade dos Portugueses --------
.........................................................
..."Praticavam a antropofagia tanto algumas tribos Tupis como Tapuias. Entre a Paraíba e o rio São Francisco, com grande aldeamento em Pernambuco, que na "língua geral" significa "pau furado", vivia a tribo Caétes, apreciadora de carne de gente. Por causa de intrigas lusas, andaram esses índios, em certa época, às turras com os Tapajaras e Potiguares, estabelecendo, depois de muita luta, um pacto de paz. Na faixa litoral, para onde se deslocaram os Aimorés, acossados pelos invasores, só esses índios nordestinos não se deixaram imbuir pelas lábias intrigantes dos portugueses e receberam com surpresa a atitude hostil dos Tabajaras e Potiguares. Também os Aimorés assim procederam. Não aceitaram as provocações do inimigo e, dominando o litoral e a parte do interior da Bahia, causaram, por muitos anos, graves prejuízos às pretensões lusitanas. Mantiveram-se equidistantes das lutas entre irmãos e constituíram grande impecilho à expansão invasora."...
..."Tão próximos eram os Caetés dos Tabajaras e Potiguares que, ao descrevê-los, observa Gabriel Soares que tinham a mesma cor baça, a mesma tradição, idênticos usos e costumes. Como seus irmãos Aimorés, os índios caeteses lutam desesperadamente contra as pretensões esclavagistas dos invasores."...
..."Creio serem do ramo Caetés, apesar de algumas opiniões contrárias, os remanescentes indígenas que, hoje, vivem miseravelmente nos arredores da cidade de Águas Belas, ao sul de Pernambuco"...(pg.56) --
..." Os Caetés eram caçados como feras, mas nunca deixaram de reagir, com hombridade, às tentativas de extermínio. Com os Aimorés e Potiguares, talvez tenham sido os índios que mais resistiram, no Nordeste, à ira lusitana. Chegavam a morrer de tristeza ou nostalgia quando caíam escravizados. As mulheres também eram de bravura incomparável. Certamente que delas saíram as heroínas de Tijucupapo. Impossível mulheres de raça Caeté deixarem-se escravizar. Não foram dessa massa de gente, evidentemente, as vinte e três índias despachadas para Lisboa como escravas".(pg. 57)...
.........................................................
--------------- "Massacre e Resistência" -------------
....................................................
---"Os Aimorés, que nunca confraternizaram com portugueses, foram batidos e exterminados, mas lutando até à última resistência. À medida que aumentava o poderio lusitano, diminuía consequentemente, como era natural, a reacção indígena. Eram os Aimorés originários da serra a que emprestaram o nome e pertenciam à grande e briosa família dos Tapuías. Na luta contra os invasores, fixaram-se por algum tempo na região baiana de Caravelas e enfrentaram-nos com bravura inaudita. Dessa tribo descendem os Goiatases, de Campos, além dos remanescentes indígenas hoje encontrados no Espírito Santo e em algumas regiões ao sul da Bahia. Eram nómadas, caçadores por excelência e, por isso mesmo, não aqueciam lugar. Foi a última tribo brasileira eliminada pelos portugueses e os remanescentes da carnificina final refugiaram-se no vale do rio Doce.
A princípio, na luta contra a invasão, os Aimorés tiveram como aliados principais os Tamoios e os Temiminós. Depois essas tribos, por via das intrigas lusas, desentenderam-se e tornaram-se inimigas rancorosas, o que levou uma para o lado dos franceses e outra para as hostes portuguesas, por ocasião das lutas finais pela posse da terra, travadas no Rio de Janeiro. Dedicavam-se Tamoios, Aimorés e Temiminós à caça e pesca. Raramente plantavam. Aos últimos, devem os portugueses, em grande parte, a vitória sobre os franceses e a fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, que em 1965 comemorou o seu IV Centenário. Foram os Temiminós, na realidade, os grandes colaboradores da vitória lusa. Contavam ainda com a ajuda de outros grupos indígenas, enquanto os Tamoios, sozinhos, lutavam, no Rio, a favor dos franceses, de quem eram velhos e sinceros amigos (pgs. 63)... ---
...............................................
--- ( em : "RESISTÊNCIA DO ÍNDIO À DOMINAÇÃO DO BRASIL" de LUIZ LUNA - 1965 --
==============================================================

18) -------------- "UM CONTINENTE A DESCOBRIR" ---------------

..."Isolada do mundo mediterrânico pela terrível barreira do Sara, entre o Oceano Atlântico e o Oceano Índico, a África Negra permaneceu durante muito tempo envolta em mistério. A influência das civilizações estrangeiras, precária e episódica, só se fez sentir de uma forma perdurável numa estreita faixa litoral : nas margens dos oceanos e do deserto. Nunca atingiu o mundo negro, cujas civilizações só desenvolveram longe da costa, no coração do continente." --(Pg. 9) --
........................................................
..."A verdade é que enquanto os estrangeiros não penetraram profundamente no interior da África, os africanos não se abriram ao resto do mundo : os árabes do Mediterrâneo e do Mar Vermelho, os chineses e os malaios do Oceano Índico, os europeus do Atlântico é que foram ao encontro desse mundo desconhecido; tudo leva a crer, em contrapartida, que os africanos nunca renunciaram à posse da sua terra ; durante séculos, os africanos os milhões de africanos (pelo menos vinte, mais provavelmente cinquenta, talvez até cem milhões) que foram expulsos das suas terras, foram-no sob a ameaça e o horror de uma escravatura sangrenta que esgotou os povos e arruinou os impérios."...
.................................................
..."Aventureiros audaciosos. mercadores ávidos, sábios obstinados esforçaram-se sempre por ultrapassar os limites deste continente negro fechado sobre si próprio; os sonhos desses homens, feitos à medida da sua ignorância, atribuíam àquele mundo desconhecido riquezas fabulosas : marfim, ouro, pedras preciosas; o reino do Preste João e o império de Monomotapa fascinaram durante muito tempo as imaginações. Foi, todavia, um mapa quase em branco que as potências mundiais, ignorando de igual modo as culturas, as etnias e o relevo, desenharam, no século passado, em traços tão enérgicos como infelizes, as fronteiras por vezes absurdas das suas colónias, essas "fatias de mistério... que elas se permitiam desvendar em nome da civilização" - (*)... R.Delavignette, "Décalages entre la Colonisation et la Connaissance" - Études Maghrébines, Mélanges Ch. A.Julien,Paris, 1964, p. 1) -- Pg.10) --........................................

(18)--------------- "A sucessão dos descobridores" ---------------

..."Mas ninguém aportou à costa da Guiná antes dos Portugueses no século XV (a existência de alguns documentos apócrifos incontroláveis não é o bastante para estabelecer a dúvida). A sua chegada alterou as trocas tradicionais e, consequentemente, a configuração dos impérios e a estrutura do poder. Claro que existiam já, no interior da floresta, Estados organizados, o mais perfeito dos quais era, no século XIII, o reino de Ifé, herdeiro da civilização de Nok, centro de expansão das cidades iorubas, a mais célebre das quais -- Benim, que os Portugueses conheciam -- subsistiu até ao século XVIII. A deslocação para o Sul das civilizações negras correspondeu, em primeiro lugar,à propagação do comércio sudanês : o Mali, para satisfazer as exigências crescentes do mercado do Magrebe, ia procurar, cada vez mais para o sul, o ouro, o marfim e as nozes de cola que trocava por sal, cavalos, cobre ou cauris, conchas do oceano Índico transportadas através do Egipto e que serviam de moeda em todo o Oeste africano.
"Mas a aparição dos Portugueses inverteu as correntes comerciais, que doravante se dirigiam para o Sul : os centros de riqueza passaram a deslocar-se do Sudão para a costa." -- (Pg. 15) --
..........................................................
..." Foi preciso esperar até ao fim do Século das Luzes para que o sistema esclavagista fosse abalado pela acção conjugada dos filantropos, dos progressos da ciência e da revolução industrial que aumentou e transformou as necessidades da Europa. Surgiram, nessa altura, novas relações de forças que modificaram o destino da África Negra, que permanecera, até então, mau grado certos esforços, raras tentativas dos missionários ou algumas investidas ousadas em direcção ao interior, uma terra de escalas e de escravos".. (Pgs. 15/16) ---
...................................................................

(18) ------------------- "O Congo" -------------------

..."O entusiasmo mercantil dos Portugueses nessas terras desconhecidas era acompanhado de um proselitismo religioso não menos ardente; a conversão, em 1491, do Manicongo, rei da margem esquerda do Baixo Congo, cujo território se estendia de norte a sul, desde o Loango e o Cacongo de Cabinda até ao reino de Luanda, ao norte de Angola, não foi dos episódios menos surpreendentes deste périplo africano; Filipo Pigafetta e Duarte Lopes deixaram-nos o seguinte relato desses acontecimentos :

.."El-Rei Dom João o segundo, querendo descobrir as Índias Orientais, mandou diversos navios pela costa de África a reconhecerem esta navegação; os quais,havendo já achado as Ilhas de Cabo Verde e a Ilha de S.Tomé, correndo a costa, viram o rio Zaire, de que arrazoámos, e tiveram ali boa prática com aquelas gentes e as souberam corteses e amoráveis. Depois, expediu para o mesmo efeito outros navios a buscarem este comércio de Congo; os quais, vendo livre o trato e o proveito e a gente amigável, deixaram lá alguns Portugueses para aprenderem a língua e negociarem com elas, entre os quais ficou também um Padre de Missa; e convivendo os Portugueses com o Senhor de Sonho, que era tio de El-Rei, e muito idoso, que ao tempo demorava no porto de Praça, que é a foz do Zaire, eram eles Portugueses estimados daquele Príncipe e referenciados quase como Deuses terrenos, vindos do Céu àquelas regiões."... (pgs. 88/89) --

--- (Transcrições parciais de "A DESCOBERTA DE ÁFRICA", organizado por CATHERINE COQUERY-VIDROVITCH - 1965 -- (Edições 70 - Biblioteca de Estudos Africanos) ---

===========================================================

--- 18/A -------------- "A ANTIGA LUNDA E SEUS POVOS" ----------------

..."1. - A LUNDA. SUA EXTENSÃO E DESIGNAÇÃO -- A Lunda de hoje reduz-se apenas ao ainda assim vasto distrito de Angola, encravado,a nordeste,entre as nascentes do Cuango e seus cursos até à fronteira do Congo ex-Belga..... Chegaram estes territórios a constituir o chamado Reino do Muatiânvua ("senhor da riqueza"),reino que,nascido por volta de 1550, em 1874,de facto,se comprimia apenas entre o Cassai e o Lubiláxi. A expressão Lunda ou Runda deve-se à amizade(lunda ou runda)e harmonia em que viviam os chefes dos Estados bungos, verdadeiro substratum do novo Estado do Muatiânvua. Lunda foi também chamada a nganda dos povos de Cazembe na margem direita do rio Mofo,junto do lago Moero. Com efeito,os Cazembes são povos lundas que, sob a chefia de Fuaissupa Canhimbo (Canhenvo), partiram,no reinado de Muatiânvua Ianvo,das bandas da Mussumba para sueste a fim de avassalarem novos povos e constituírem estados tributários deste soberano. Foi Canhenvo quem,em homenagem à pátria então distante, quis apelidar de Lunda a sua capital."...)pgs. 54) --............... -- 3. - SEUS POVOS -- 3.1. Uandas, Congos, Matapas e Lubas ---- Em 1885, data em que o Estado Independente do Congo fazia a sua estranha aparição na comunidade internacional, a Lunda, a antiga Lunda, albergava no seu seio imbricado complexo de povos,muitos dos quais se ligavam ao Estado do Muatiânvua por laços morais apenas,que a sua ascendência teimava em manter vivos mas independentes. Povos havia, no entanto,nela encrustados,que,anteriores à constituição do reino Lunda e dele afastados por quaisquer vínculos de sangue ou afinidade, mas depois seus tributários, viam com bons olhos a decadência que o Império do Muatiânvua estava experimentando na segunda metade do século XIX. Estavam nesse caso os povos do Muquengue, depois chamado do Lubuco, a norte do 7º de latitude sul entre o Cassai e o Lulua. Um núcleo de Lubas,possivelmente do seu primeiro Império, devia ter caminhado para sul até encontrar pela frente povos já ali fixados, como eram os Uandas (*), os Congos e os Pinjes. Aos Lubas sucederam migrações de Quetes e Cubas, que vieram engrossar a população sujeita ao Muquengue. A sobre posição de povos com tradições e origens tão diversas criou no Lubuco uma estratificação social formada pela classe dos de Moio (os Muquelengues),mai evoluída, e pela classe dos Quipelumbas (os Chilangues),mais selvagem...
-- (*) - Distingue-se entre este povo dois grandes grupos : os que se cobriam com peles de animais e os que tapavam as partes pudendas com a pele do seu próprio ventre. Aos primeiros se deu o nome de Pele-animais; aos segundos, a designação de Peles-barrigas. Os Uandas,deste grupo,os quais viviam mais ao norte, eram antropófagos..." --- pgs.54/55 --
..."Dos Uandas e Congos, só um reduzido número que emigrou para sul do paralelo 8º ficou sujeito aos potentados súbditos do Muatiânvua"...
..."Os Matapas,entre o Luachimo e o Cassai, embora avassalados ao domínio lunda, que lhes impôs um governador,sempre se consideravam independentes na sua administração"...
..."Os Os Nhiucas, entre o Calânhi e o Lubiláxi,e o 6º e 7º de latitude sul,apesar de terem sido sujeitos ao Muantiânvua como tributários, souberam tirar partido da abundância de marfim das suas terras"...
..."Os Lubas de Mahi Munene,não obstante este ser descendente do primeiro Muatiânvua,não eram na realidade lundas..."
..."Vizinhos deste lubas, entre o Luangue e o Chicapa,havia grupos de congos e de outros nativos que nunca tinham tido contactos com europeus ou mesmo com chimbares de Angola,e que eram inteiramente independentes dos muatas lundas."...
..."Do Cuílo até ao Lóvua, estendendo-se para norte, estavam os Pendes de Muata Cumbana,que a tradição dava como súbditos do Muatiânvua,mas,com rigor,também independentes"... (pgs. 57/58) --
---...3.2. Lundas ..."Segundo a tradição ,foi por cerca do ano de 1550 que se fundou nas margens do rio Cajidichi, sob a chefia de Iala Máku, o reino da Lunda com povos bungos. Cunde, sucessor do velho Iala, teve da primeira mulher, Kôndi, dois filhos, Tchingúri e Tchinhama, e uma filha,Luéji. Ao morrer deixara o lucano a Luéji,deserdando, desta maneira o primogénito Tchinguri e Tchinhama,por eles serem muito desordeiros e nada respeitadores..." -- pgs. 58 --

---... 3.3. Bângalas - ..........
---... 3.4. Quiocos -..................
---... 3.5. Capendas - ................
---... 3.6. Caungulas - ...............
---... 3.7. Sucos,Pacas,Cóxis e Tengas.
---... 3.8. Cazembes - ................


..... "A Lunda era,pois,um complexo de povos,originários e dependentes dos Lundas da Mussumba uns,originários e independentes outros e,finalmente,de proveniência diferente e de obediência ou não ao Muantiânvua os outros."--... pgs, 59/68 -- ...
................................................................
----....... (Transcrição parcial extraída da obra "ULTRAMAR - nº 19 -- Revista da comunidade portuguesa e da actualidade ultramarina internacional" -- 1965 -- (artigo de : EDUARDO DOS SANTOS) --
.............................................................

===================================================================

19)--- ------------ "NAÇÃO OVAMBO" ---------------

................ "2. Origens " - .................

--"...É do conhecimento geral que, ao tempo do descobrimento do reino, existiam dois potentados, o Manicongo e o N'Gola, com quem os Portugueses contactaram de (***** ??) imediato. dentro de toda a probalidade que já antes de 1482 tivessem surgido migrações de outros povos, entre Jagas, Umbundos e Anzicos. A história fixa grandes invasões, pacíficas ou hostis, pelo norte. No século XV, os Umbundu concentraram-se no planalto da Matamba, sem atingir o litoral.Chamaram-se Umbundu (vencedores) porque batiam todos os povos que encontravam. Também a etnia conguesa, que, percorrendo o Zaire, ocupou todo o Sul e parte do Norte, derrotando os Anzicos e criando o Congo. Os Congueses formavam um agrupamento de 13 reinos, sendo seu chefe o mais poderoso da África, conhecido pelo grande Macoco. Os Jagas eram uma de suas tribos. Segue-se a rebelião dos Anzicos (1491),expulsos pelos Portugueses comandados pelo capitão-mor Rui de Sousa, que largando de São Salvador (Embasse), foi combatê-los nas margens do Zaire, no Porto do Sonho,à altura do Pinda, em Março desse ano...)"
...........................................................
..." A terceira invasão vem mais tarde, trazida pelos Jagas*, grandes guerreiros afins dos Manes,em que 1550 invadiram a Serra Leoa. Comecemos por uma primeira invasão, já no século XVI, do velho reino de Muatiânvua, na Lunda,um dos grandes impérios da África,pelos Balubes, afins dos Betchuana, a oeste do Transvaal.Atravessando o deserto do Kalahári ou Callaári, a leste, passaram o Zambeze, alcançando enfim, a Lunda. Logo a seguir, nova invasão guerreira, pelos citados Jagas, que afinal eram da mesma origem dos primeiros invasores.Muito mais ferozes que os precedentes em todas as suas expedições invasoras,cometiam sacrifícios de pessoas"...................
..."Apareceram ao tempo da presença portuguesa, na segunda metade do século XVI,precisamente entre 1567 e 1570,vindos da Serra Leoa,em hordas invasoras.Concentraram-se parte em Cassange, e parte entrando pelo Congo, rumo ao norte do Zaire. Mais tarde, outro grupo dirigia-se para Quissama, Bié, até ao Cunene e Humbe.
..."Levaram um século as actividades do Jagas,desde a irrupção pelo Congo Oriental, da Etiópia, até à costa atlântica.Desta invasão triunfou, finalmente, Francisco de Gouveia, em 1571, reinando D. Álvaro I, rei do Congo, em luta que durou um ano e meio, mas só em 1575 foram expulsos definitivamente do Congo."
...............................................................
..."Os Jagas chamavam-se assim mesmos de Imbângola, e ainda hoje os seus descendentes são conhecidos por Bângalas. Invadida a região habitada pelos Balubas da Lunda, massacraram os povos de Benguela-a-Velha --Porto Amboim-- e terminaram por fixar-se, por pouco tempo, na localidade de nDala Cachibo. Novamente seguiram para Calango, cruzando o Cuanza na altura de Pungo Andongo, até à Quissama. Eliminaram o Soba Cafuxe, que lutou contra os Portugueses em 1594,portanto quase 20 anos após a acção de Paulo Dias de Novais"..."Assim,os Ovimbund (Umbundu)seriam os remanescentes de uma invasão jaga vinda do norte ao meio do nGanguela. Outras hordas,descendo a margem direita do Cunene,ali se fixaram,dando origem ao povo Humbe (Vankhumbi), aparecendo o reino Humbe-Unene, até final do século XIX. Mas, no século XVII, uma fracção desta outra migração passa a fronteira sul de Angola e invade uma parte do Sudoeste Africano,dando forma aos Herero..."
..."Uma horda Jaga teria vindo do norte,logo após a chegado de elemento branco,provavelmente em 1560; é empurrada pelos Portugueses para o sul, a partir de 1567. Daqui o afirmar-se do caldeamento jaga com os povos Umbundu,segundo Hambly na obra citada.Ora esta mesma massa, ao entrar no Sudoeste Africano,origina os povos Ambós,Hereros e Hotentotes (Vatwas). É também Delachaux que presume essa junção de jagas com Ovambos. É-nos, assim, lícito assegurar que os Jagas. na sua corrida para o sul, ao serem expulsos pelos brancos,demandaram o litoral e voltaram para o interior, dispersos. Um grupo ficaria no Caoko,na margem do Cunene,de onde sairiam logo após os Hereros, e outro atingiria o Zambeze, passando daí a oeste do lago Tanganika, entrando na Abissínia e Moçambique."...
.........................................................
..."Assim, partindo das diversas deslocações dos Jagas, pretende-se chegar à conclusão final de que os Ambós,grupo étnico a que pertencem os Cuanhamas, são provavelmente da mesma massa étnica, quando da sua rota avassaladora através dos Grandes Lagos, cruzando o Zambeze e infiltrando-se no Sudoeste de Angola, ocasionando, como dissemos,os Chimbembas do Caoko,tendo em conta que o Sudoeste Africano era um só todo, uma terra de ninguém. Hereros e Ambós são hoje Bantus, mas nem sempre o foram."....
...................................................
..."o reino de Matamam,estabelecido na bacia do Cunene,desmoronou-se no fim do século XVI,sob os ataques dos primeiros Jagas. Com efeito, foi nesta época que os Chimbembas ou Dâmaras corridos pelos invasores vindos do Norte, tomaram refúgio no Kaoko, donde saíram mais tarde os Ova-Herero. Este Reino de Matama, de Avelot, é o mesmo reino de Mutamu que compreendia os da Huila e Humbe, situado na confluência dos rios Caculuvar e Cunene.Diveros escritores confirmaram ter um grupo de Jagas,nos fins do século XVI, entrado no Cunene e fundado um grande Estado, o Humbi-Nene,nome do seu Soba...".
..."A grande incógnita continua a ser,para muitos etnólogos, a origem dos Ambós....Mesmo assim,parece não haver dúvidas de que os Jagas,dominando pela força os povos que iam encontrando,avassalaram Humbes,Chimbas,ou Chimbembas, Zimbas ou Tjimbas e Hereros da Damaralândia e os nossos Ambós, ainda não bantuizados.
Resumindo,uma mistura de Jagas com outros grupos autóctones,proveniente do Norte,depois de sucessivas invasões,ao cabo de um século,emigrava para o sul, atravessando o Cunene e infiltrando-se nos limites já apontados,o Sudoeste Africano,originando Hereros e Hotentotes,no século XVII. Os ambós seriam,pois,um produto jagal,nómada,de mescla com um povo bantunizado que de qualquer maneira não estaria comprometido com os Ganguelas ou Ambwelas..."
....................................................
..."O aparecimento do Cuanhama como tribo do grupo Ambó, obedeceria, assim, à migração dos Jagas pela força da sua penetração no Sul de Angola," ... "Concluindo, os Jagas são provenientes,de um lado, dos Garamantes, que ficaria compreendido na região dos Grandes Lagos, ao sul destes até ao distrito de Vitória (Zimbaué), segundo João de Barros, ou a oeste do Lago Vitória; o seu poderio estender-se-ia pelo Marave,Gazembe e Zimbaué,portanto a norte e sul do Zambeze.Dessas paragens teriam partido os Jgas em diferentes direcções : - 1) -- uma de suas migrações tê-los-ia levado ao reino do Congo e de Angola (Manicongo e N'Gola), onde, defrontando os Portugueses,foram empurrados para o sul,indo invadir o reino de Matama (Humbe), que destruíram,expulsando os Chimbembas.Dessa migração resultaram os Chimbas e Hereros. 2) -- outra leva de Jagas,acompanhando o curso do Zambeze,penetram na região do Ovakango(Cubango),onde origina os n'Dongas, que por sua vez se dividiram em dois grupos,um que parte rumo ao sudoeste para a Dongua e outro que, permanecendo ao princípio no Okavango, logo emigra para um local onde se encontra um povo pastor sedentário, que domina em número,embora a ele ficasse submetido culturalmente.Nessa circunstância, Jagas invasores, vindos do Okavango (um ramo dos Dongas)foram chamados Ingas (os que não têm que comer)pelos seus dominados,ou ainda "ovakwanyama" ou "ovakwanhali". O povo sedentário que foi dominado, os "ovakwanamgombe", seriam bantos e bantunizaram os dominadores jagas (Dongas ou Ingas)mesclando-se com eles. Esses Bantos, Kuanamgombe, pertenceriam ao potentado de Matama, o que não quer dizer que fossem propriamente Chimbembas. Seriam,pois,os actuais kwanyama (Cuanhamas)descendentes da mescla de kwanamgombe (Chimbemba) e Jagas (dongas do Okavango ou Ingas),bantuizados."...
.......................................
(19) ..............."2. Ocupação pelo interior" .................

..."Soube-se que entre os séculos XVII e XVIII, "funantes" portugueses tinham passado pelo Cuanhama, a caminho do Humbe, adquirindo escravos e marfim. A comprovar essas visitas e as que se seguiram, foi encontrada muito mais tarde em N'Giva, na Ombala de Weyulu, soba Cuanhama, uma espada portuguesa dessa época, presente ofertado àquele Sobado no século XVIII, graças às boas relações já mantidas com os Portugueses. Esta afirmação foi feita pela fidalga Inhambar, prima de Mandume, o último soba do Cuanhama.
"É muito importante este detalhe se levarmos em conta haver poucos dados relativos aos Sobas anteriores a Haimbiri, que reinou de 1811 a 1858.Qual seria o Soba que recebeu tal presente ? Mutota, Haiambo ou Hautolonde ? Todos eles teriam reinado no século XVIII. Haiambo reinou precisamente de 1770 a 1810. Os outros dois teriam vivido no mesmo século, mas é de calcular que os dois primeiros sobas do reino, Kavonga ya Haindongo e Kapuleko ka Vandye, tivessem ocupado o século XVII. Com qual deles teriam os "funantes" mantido transações e oferecido a espada ? Provavelmente Hautolonde, que é descrito pela Missão alemã do Ovambo, bem como pelos meus informadores, como "homem bom que dava a caça às crianças" e protegia o povo. Hautolonde, segundo Soba do século XVIII, naturalmente teria tomado contacto com os "funantes" e merecido deles a espada de presente. Não custa a estabelecer a data do reinado de Hautolonde, pois, se Haiambo, o sexto Soba,começou a reinar em 1770, é lógico que seus três antecessores, Mutota,Hautolonde e Muvale,ocuparam os setenta anos desse século,já que não seria normal, como Haiambo, um longo reinado de quarenta anos"...........
---------------------------------------
(19)............... "3. GOVERNO DE SOBAS" .............

1) - KAVONGA YA HAINDONGO -- SÉCULO XVII -
2) - KAPULEKO KA VANDEJE -- SÉCULO XVII -
3) - HAITA YA MUVALE -- SÉCULO XVIII -
4) - HAUTOLONDE WA VANDJA -- SÉCULO XVIII -
5) - MUTOTA WA HAIPIA -- SÉCULO XVIII -
6) - HAIHAMBO YA MUKUMANGILU (SIKUMANGUA)-XVIII / XIX - (1770/1810) -
7) - HUMANGULU YA NAIAVALA -- SÉCULO XIX - - (1810/1811) -
8) - SIMBILINGA YA NAYIMBILI -- SÉCULO XIX - - (1811) -
9) - HAIMBIRI YA HAUFIKO -- SÉCULO XIX - - (1811/1858) -
10) - HAIKUKUTU YA SINANGOLO -- SÉCULO XIX - - (1858/1859) -
11) - SEFENI YA MUKWIYU -- SÉCULO XIX - - (1859/1862) -
12) - TSIPANDEKA YA SANINGIKA - SÉCULO XIX - (1862/1882)
13) - NAHMADI YA MWEIHANYEKA -- SÉCULO XIX - - (1882/1885) -
14) - WEYULU YA HEDIMBI -- SÉCULO XIX e XX -(1885/1904) -
15) - NANDE YA HEDIMBI -- SÉCULO XX - - (1904/1911) -
16) - MANDUME NDEMUFAYO -- SÉCULO XX - - (1911/1917) -
.........................................

----- de : "NAÇÃO OVAMPO" - de M.HELENA FIGUEIREDO LIMA - 1977 --- Extractos das Pgs. 31/32 ; de 61/75 ; de 93/100--- UN - universidade nova - 1977 ---

----- (CONSULTAR DIRECTAMENTE NA INTERNET O RESPECTIVO "SÍTIO", CLICANDO EM :
www.rubelluspetrinus.com.sapo.pt/mandume.htm

www.laboutiquedelpowerpoint.com/

============================================================
++++++ -- .... OBS - (A transferir para este local o artigo 19/A "A FRONTEIRA SUL DE ANGOLA" que por lapso ficou incluído no respectivo "ÍNDICE".
=========================================================
20)----------------- "TERRAS E ÍNDIOS" --------------------
..........................................................
..."O Vale do Paranapanema teve como primeiro desbravador o mineiro José Theodoro de Souza, que, em meados do século XIX, saiu de Pouso Alegre, Minas Gerais, e veio para a Província de São Paulo. Passando por Mogi Mirim, chegou a Botucatu e daí passou pelas vertentes do Rio Pardo, atravessou os campos que ficavam do lado dos Lençóis e São Domingos. Chegou até às margens do Rio Turvo. Daí para frente, era o sertão desconhecido e virgem e, se quisesse continuar, só poderia fazê-lo em duas direcções : descer até ao barranco do Rio Paranapanema e continuar por este rio abaixo ou pelo campo afora."...
..."Depois desse percurso de 25 léguas, regressou ao Turvo e de lá para Botucatu, para registar sua imensa posse."...
..."A gleba de José Theodoro de Souza estendia-se por dez léguas da barranca do Rio Paranapanema até ao espigão divisor com o Rio do Peixe, ainda desconhecido, e 25 léguas do Rio Turvo do Ribeirão da Figueira, cujas nascentes ficavam no rumo do mencionado espigão"...
..."Abrindo uma corrente de entrada de grupos familiares mineiros, José Theodoro de Souza foi vendendo as "sortes de terras" da sua gleba"...

--------------------------------------------------
..."José Theodoro de Souza, em viagem a Pouso Alegre, passando por São João da Boa Vista, vendeu a Francisco Osório de Oliveira, lavrador ali residente, o Ribeirão "São Bartolomeu", nas vertentes do Capivara.

..."Pedro Alves de Morais ficou com um córrego que depois passou a José da Costa Alemão Coimbra e, por isso, se chamou "Coimbra"."...

..."As vendas realizadas até 1865 apresentavam um número considerável. A maioria dos compradores porém, não saiu de Minas para a nova propriedade. Como não interessasse a José Theodoro de Souza que a região continuasse deserta, e as terras sem valor, dirigiu-se novamente a Minas Gerais para arrigementar novas famílias para a região do Vale do Paranapanema. Com a Guerra do Paraguai, muitas pessoas tentaram escapar do recrutamento militar dirigiram-se para as "afamadas" terras do Sertão do Paranapanema"...

--- Extraído parcialmente in : "TERRAS E ÍNDIOS" - de MARIA DO CARMO SAMPAIO DI CREDO - Editora "ARTE & CIÊNCIA" - Universidade Aberta - (pgs. 89/91) -- 1988 --

terraseindios:Botucatu("bocadesertao):opovoamentoea...

books.google.pt/books?idbn=8574730246

============================================================

--- --- 1999 -- ( Consultar : "ANGOLA E BRASIL nas Rotas do Atlântico Sul" --de SELMA PANTOJA e JOSÉ FLÁVIO SOMBRA SARAIVA ) -- (Ver na rubrica seguinte) -- ...

+++++
___________________________________________________________

(21)-------- "Namibe (Moçamedes) onde há uns que dão nas vistas" --------
.....................................................................
..."Talvez porque foi fundada e desenvolvida entre o deserto e o mar e praticamente à margem da efectiva participação dinamizadora das escassas populações verdadeiramente indígenas,Moçamedes sempre foi terreno propício a afirmações identifitárias fundamentadas na anterioridade da chegada. É esse hoje o caso dos descendentes de Kimbares e era até à independência o dos Portugueses de quem os antepassados tinham constituído as duas primeiras colónias de comerciantes chegados do Brasil, de Pernambuco, em 1849 e 1850, na sequência de uma agitação nacionalista conhecida na história brasileira como "revolta Praieira", que os perseguiu e acabou por expulsar. Se fores ao pequeno museu da delegação local do ministério da cultura podes ver material iconográfico a eles ligado e até uma magnífica mesa de jacarandá que pertenceu a uma dessas famílias. Estou a referir-tos porque a história local dos Kimbares está ligada à deles. A agricultura foi a actividade dominante dos primeiros tempos desses "Brasileiros", que se investiram nos vales dos rios de enxurrada desta costa, do Bentiaba ao Kuroca e passando pelo Carunjamba, pelo Giraul junto à foz e no Bumbo, e pelo Bero, e o governo de então, perante a confirmada dificuldade de envolver as populações locais nas iniciativas agrícolas, fez vir trabalhadores do resto de Angola para entregá-los aos colonos. O tempo e a interacção fizeram com que daí emergisse o grupo dos Tyimbari, com a especificidades de expressão identificáveis, como a língua de relação interna,por exemplo, tributária do Português,do Kimbundo, do Umbundo e das línguas locais, principalmente, e a sua tão celebrada estatuária tumular, presente em cemitérios espalhados por toda a Província."...Pg. 19 ) -- .
..............................................................

(21) ----- "Bero - onde a história nos confunde (colocação histórica" ----

..."Antes de partir para o deserto, e para além dele,à procura dos Kuvale, comigo se entretanto ainda me apanhares na cidade, ao meu encontro se eu já tiver partido, proponho-te o programa que já tinha pensado para ti : dar uma volta pelos três rios que, quando trazem água, desaguam perto.
Eles constituem, em meu parecer, um roteiro excelente para ensaiar uma colocação dos Kuvale tanto do ponto de vista histórico, um passado que ajude a situá-los no nosso presente, como étnico, se quizermos dizer assim, e isso é o que posso muito bem tentar a partir do Bero e do Kuroka. Ao Giraul reservo-o para uma tentativa mais ousada, e arriscada também"...
..."Para começar irás ao Bero, é o que te proponho. Procura na cidade a rua que se chama hoje Nzinga Mbandi. No tempo colonial chamava-se Luz Soriano. Antes ainda,à data da sua implantação seguindo o traçado do governador Fernando Leal, que tomou posse em 1854, chamava-se rua do Alferes. Depois foi a Rua das Hortas e muita gente ainda usa hoje este nome para referi-la. Invoca as hortas do Bero, naturalmente, e é para lá que aponta."... ( Pg. 35)--
.............................................
..."No princípio da colonização e durante muito tempo foi a cana de açúcar que dominou ali, para destilar aguardente, e foi talvez principalmente a mira de tal negócio que a partir de 1841 terá despertado para estes rios as atenções de Luanda. Grandes e pequenos nomes da praça local,como D. Ana Uberthal, D. Ana Joaquina dos Santos Silva, Francisco de Assis Pereira, Clemente Eleutério Freire e Augusto Garrido, decidiram investir na zona, Foram criadas feitorias. Em 1849 havia oito centros de actividade agrícola, de pesca e de comércio com os povos da zona e do interior : bebidas, tecidos e missangas contra cera, marfim, gado e couros.Era a cana do açúcar que imperava ainda quando chegaram os primeiros "Brasileiros" e foi nisso que se investiram. Um dos três engenhos para o fabrico de aguardente que tinham trazido das paragens do Recife foi aqui instalado num terreno demarcado pelo chefe da primeira colónia, Bernardino Freire de Figueiredo Abreu e Castro, dando assim início à exploração da fazenda de St. António dos Cavaleiros, que ainda hoje existe."...
..."O tempo do algodão foi depois, em resposta ao mercado favorável que entretanto se abriu, quando, com a Guerra da Secessão, os Estados Unidos deixaram de dominar a oferta no mercado internacional. Para o caso de interessar-te, em 1859 existiam no vale do Bero oitenta explorações agrícolas a funcionar e a produzir algodão e aguardente, açúcar e hortícolas, tabaco e vinho,trigo e mandioca, milho e cevada, e a exportar sobretudo algodão em caroço, batata rena, batata doce e aguardente. Mas não, fica tranquilo, não foi para falar disto que te introduzi no Bero. Trouxe-te aqui porque toda a ocupação e penetração europeias destas remotas costas se estabelece e desenvolve, de facto,a partir da embocadura desse rio, onde agora exacto estás."...(Pg. 36/37) ---
....................................................................

(21) ----------- "PARALELOS (e ver luz de noite ao longe) " ----------

..."Mas o gado que agora aqui se mantém irá beber,de dois em dois dias, no leito do Bero que se cava para além daqueles morros, e aí a água dura todo o ano. E, andando por aqui,os próprios bois sozinhos saberão encaminhar-se para o afloramento de sal que o Bero também dá. Além de pastos e de água, o gado precisa de sal. E estás na vizinhança , no meio deste deserto, de um importante banco de sal. As populações do Sayona, com quem mais tenho privado, recorrem ao sal do Lute, do Vithelo, encostado à serra, e a este, que o Bero dá. Vêm buscá-lo, para uso doméstico,ou trazem aqui o gado. As mulheres, antigamente, formavam colunas para vir,depois de um mais-velho as ter tratado, através do Fogo, e nomeado um homem para acompanhá-las e chefiar a marcha. Alcançavam uma mulola chamada Mukwamungwa, precisamente, abaixo da Bomba, encostado ao Vitumba. É só um lugar de sal, abundante e branquinho, não tem terra de cultivo para aproveitar como na Bomba, e no passado foi fonte de abastecimento não só das populações destes interiores como de algumas dos cursos inferiores do Bero e do Giraul. Nas imediações, disse-me o André, no Vitivi, ainda há vestígios da sepultura de um Branco. Corresponderá ainda aos mesmos restos de ocupação que em 1886 o capitão de 2ª linha José da Costa Alemão Coimbra assinalou, depois de ter feito reconhecimento do curso do rio Bero, e que ele atribui a algum degredado fugido da Vila, "porque ninguém, por mais filósofo que fosse, iria habitar um sítio tão deserto e pavoroso" ? Eis uma nova rampa de lançamento para a imaginação mórbida do poeta que não dá folga ao antropólogo." - Pgs. 116) --
...........................................................

(21) --------------- "BUMBO , onde o assunto é casar..." -------------
...............................................................
..."No Bumbo contacto com um Mumwíla aparentado ao Bolande, ex-tractorista do Tyivinguiro e de um fazendeiro branco, que andou preso pela Unita, e com mais um agricultor local instalado na ex-fazenda do Buraco, mas recolhido agora no Bumbo. Conhecem os vestígios das valas antigas de irrigação. Gregório José Mendes quando passou por aqui em 1785 manifestou a sua surpresa quando esbarrou com um sistema de regadio a funcionar. Luz Soriano mais tarde,1846, põe de parte a hipótese de se tratar de uma modalidade endógena e alvitra que tenha sido um Português, empurrado até aqui pela necessidade de sobreviver depois de algum naufrágio, quem introduziu a técnica. Gostaria de passar ali dois dias. O Bumbo foi um importante centro da penetração civil e militar (a fortaleza de Capangombe, da colonização e da economia deste sudoeste costeiro durante a segunda metade do século XIX. Foi aqui que veio parar um dos engenhos que os "Brasileiros" trouxeram do Recife e muita aguardente saiu destes terrenos, que são os primeiros a receber a água que desce da serra em cascatas,no tempo das chuvas. Ainda se mantêm, e tituladas, embora fechadas, , propriedades de pessoas do Lubango, estruturas de fazendas cuja fundação remontará a esses tempos."... (Pgs. 227/228)--
.........................................................
--- Extraído parcialmente em : "VOU LÁ VISITAR PASTORES", de RUY DUARTE DE CARVALHO) -- Julho 2000 - Círculo de Leitores ) --

======================================================

22) --------------- "PRESENTACION DE ÁFRICA" ---------------

................................................................
..."El África moderna se halla poblada por una gran variedad de pueblos cuyos origenes más remotos todavia están siendo investigados mediante várias técnicas. Quizás el pueblo que ha estado alli más tiempo es el de los bosquimanos del desierto de Kalahari, cuya cultura de caza parece ser muy similar a la que caracterizó al Paleolítico superior. De hecho, el estudio de los bosquimanos modernos ha proporcionado datos etnográficos valiosos para la interpretación de materiales que encontraram los arqueólogos. No obstante parece improbable que todavia vivan su antiguo estilo de vida sin alteracion. Durante siglos han sido empujados por pueblos vecinos a zonas inhóspitas, de manera que su estilo de vida presente quizá refleja algun reajuste al entorno hostil, más que la vida del Paleolítico conservada intacta .- No obstante, es improbable que los cambios hayan sido fundamentales. Nunca aprendieron a trabajar el hierro y han permanecido dependientes de la madera, el hueso y el cuero para las herramentas con que ganan el sustento....
..."Los pigmeos, que ocupan partes del bosque ecuatorial, tambiém +parecen ser sobreviventes de uma poblacion de la Edad de la Piedra. Ellos tambiém cazaban em el bosque, aunque muchos grupos han desarrollado una existencia simbiótica, cambiando los resultados de su caza por produtos agrícolas, además de hierro para sus pontas de lanzas y flechas,con los granjeros bantúes vecinos."... (Pgs. 12/15
...................................................................
..."Tanto los bosquimanos como los pigmeos se ven forzados a emigrar frecuentemente en su búsqueda de caza. Por lo tanto, sus cazas son los refugios más simples, unas pocas ramas o unos árboles, que los pigmeos en su entorno más húmedo cubren com lojas. Esto da poco campo de acción al desarollo de la arquitectura, e incluso a la decoración de sus casas (en contraste con los indios de las llanuras norteamericanas , que tambiém eran cazadores migratorios, pero que llevaban sus tipis, hechos de pieles de búfalo, a todas partes y se convirtieron en um apoyo para dibujos y pinturas..." (pgs.16) --
........................................................
--- Extraído de : ARTE AFRICANO" - de FRANK WILLETT - Ediciones Destino,S.A.-1999-

=================================================================

-- 23) - "I.9 -- ETNIAS -- COSTUMES TRADICIONAIS AFRICANOS FACE À ORDEM JURÍDICA DE ANGOLA" --
.......................................................
..."Seria, sem sombra de dúvida, interessantíssimo por inovador, e "sui géneris" para o sistema jurídico de Angola, que a sua Ordem paralelamente instituísse uns Estatutos dos ancestrais usos e costumes sociais dos povos naturais, que na órbita das suas cidades e particularmente nas regiões mais afastadas, desempenham a seu modo e contento, a sua grandiosa actividade, não só na agricultura como, sobretudo, na pastorícia dos seus enormes rebanhos.
..."As etnias que povoam esta região são, de facto, todas as que os historiadores, como o DR.A.A.Mendes Correia, o Dr.António de Almeida e o Padre Carlos Eastermann, referem em alguns dos seus trabalhos. São de referir os Bancangalas, os Cuandos, os Ovakuepes, os Cuisses, os Curocas, os Bosquímanes, os Ovakubales e os Hereros, todos, a fim e ao cabo, descendentes dos Bantos, que aqui o vulgo denomina de Mucubal.
..."Todos, excepto os Bosquímanes, falam a mesma língua banta em metade do território de África, do Equador ao Cabo e nas margens dos rios Zaire e Zambeze.
Curiosamente, em relação aos Dâmaras-- ou Bantos da Damaralândia --, dizem os etno-antropologistas que as figuras rupestres gravadas a sílex no rochedo do "Chitundu-Hullo" (que se traduz por Morro Sagrado do Céu) e as do "Cabilundo" (que em português quererá dizer Orelhas de Coelho) são trabalho seu, da era neo-paleolítica que remonta há 30.000 anos, figuras estas que, já nessa data, traduziam a sua cultura.
..."Todavia e, fundamentalmente, todos os autores não deixam de reconhecer quanto, para estas tribos que o infortúnio fraccionou, contam os usos e costumes que religiosamente mantêm e fazem prevalecer social e familiarmente, testemunho insofismável da lealdade em obediência à herança que lhes foi transmitida, e que em sentido lato só os Bantos entendem.
..." Todas as tribos descendem originariamente do Banto, com acentuada raiz na Damaralândia, no Sudoeste de África. Se uns tantos entenderam debandar, procurando, nos paizes vizinhos, melhores condições de vida e até de segurança para as poucas cabeças de gado que então possuíam, outros, mesmo sem algumas possuírem, distribuíram-se ao longo da costa.
..." Se a Sul do Distrito, uns quantos localizaram pastos a cerca de 80 km do mar,porque até esta distância os solos não os proporcionaria, por grande parte serem constituídos de areia eólica e de formações dunares inacessíveis, outros, os que se fixaram a Norte, encontraram melhores condições, a começar logo pelo litoral..."
.............................................................
..."Os Cuissos e os Curocas, antigamente chamados Bacuandos, são parecidos com os Bosquímanes, de baixa estatura, esqueléticos e de pele áspera e suja e andam curvados - o que se explica por conveniência aerodinâmica, contra o vento. Os Cuisses, por terem degenerado, em consequência da ociosidade, perderam o estatuto de criadores de gado, não passando, agora, de simples pastores sob a maior vigilância dos Mucubais.
Os Cuisses, tal como os Cuandos, são atrasados e miseráveis, alguns um pouco desnutridos, obesos e com o ventre proeminente. Alimentam-se miseravelmente de frutos da Muchieia (Albízia angolensis), de raízes de árvores, de pequenos animais, moluscos e de peixe"....
.................................................
---(Transcrição parcial duma "Comunicação apresentada a 25/26-11/1999 pelo DR. MIQUEL FARIA DE BASTOS na Sociedade da Língua Portuguesa") - e inserta na obra "MEMÓRIAS DE ANGRA-DO-NEGRO (MOÇAMEDES)-- (Pgs. 96/97) -- de ANTÓNIO A.M. CRISTÃO -- 2005 --
========================================================

--- 2006 -- INTERNET -- "SÍTIOS A CONSULTAR :

plano-da-obra.blogspot.com/2006/05/02-roteiro-da-viagem.html

===========================================

24) -------------------- " PRÓLOGO" --------------------

..."Quanto à margem esquerda do rio Cunene, território de Cuamatos e Cuanhamas,a situação era o seu tanto diversa. A "ocupação" portuguesa restringia-se aí à presença de alguns comerciantes e funantes e de algumas missões religiosas. Mas mesmo os comerciantes e missionários eram, por vezes, incomodados ou até mesmo chacinados. Demais, estes povos, de seu natural muito aguerridos -- principalmente os Cuanhamas --, costumavam fazer razias sobre os seus vizinhos para lhes confiscarem gados e escravos, o que punha em causa a "autoridade" dos portugueses sobre o território. A ousadia dos Cuanhamas, por exemplo, levavá-os até ao Humbe, para leste, e mesmo às portas de Caconda, a algumas centenas de quilómetros para norte. Entretanto a situação agravou-se na sequência da Conferência de Berlim (15/11/1884 - 26/02/1885), convocada pelos apetites imperialistas da Alemanha de Bismark. Aí, impôs-se o princípio da ocupação efectiva dos territórios "(...) Desta forma, as grandes potências, tardiamente chegadas ao Continente, arredaram de um golpe o embaraço das prioridades de descobrimento e dos velhos actos de posse, ou seja, a grande trapalhada dos direitos históricos branditos por maçadores enfraquecidos, mas pertinazes, como os Portugueses. Estão finalmente claras as regras do jogo (...)Os interessados ficam daí em diante cientes de que só lhes resta encaminharem os seus contingentes para África -- com pé ligeiro, dedo no gatilho e atenção constante às manobras da concorrência. É o tempo dos predadores(...) - (BENTO DUARTE, 1999, pg. 174).-

--- Em : "MEMÓRIAS DE ÁFRICA", de ARTUR DE MORAIS - 2007 - Pg. 8 ---
======================================================

----- A consultar na INTERNET :

pt.wikipedia.org/wiki/koisan

pt.wikipedia.org/wiki/Linguas_khoisan

==============================================================

25) --------- " 1 - O TRIUNFO DA CIÊNCIA, OU QUASE" ---------

..."É espantoso constatar que, actualmente, os astrónomos podem detectar os ecos distantes desse "momento de glória" do Big Bang, há tantos milhares de anos, captando essas extraordinárias imagens transmitidas a partir do telescópio Hubble -- os próprios processos que originaram a criação do nosso sistema solar. É espantoso o facto de os geólogos terem descoberto que as placas maciças de rocha, debaixo da superfície da Terra, deslocando-se a um ritmo de um centímetro por ano, tenham formado os continentes e os oceanos, e que as montanhas e os vales dos picos gelados dos Himalaias tenham sido levantados pela colisão do subcontinente indiano com a massa terrestre asiática. É muito espantoso também que os biólogos já entendam o funcionamento interno das células microscópicas e como as combinações de quatro moléculas iguais, alinhadas na elegante espiral da Hélice Dupla, contém o "plano estrutural" de todas as coisas vivas que alguma vez existiram."
..."É impossível transmitir a euforia intelectual dessas descobertas monumentais, mas a descrição que Donald Johanson da sua descoberta do primeiro esqueleto quase completo do nosso antepassado hominídio "Lucy", com três milhões e meio de idade, transmite parte das emoções que tantos cientistas têm vindo a sentir,ao longo dos últimos cinquenta anos."... (Pgs. 19/20) --
..................................................
..."A história do nosso universo que os últimos cinquenta anos revelou lida com muitas disciplinas : Cosmologia e Astronomia, como é evidente; as Ciências da Terra e da Atmosfera; Biologia, Química e Genética; Antropologia e Arqueologia, entre muitas outras. Contudo a Ciência é igualmente um empreendimento unificado e todas essas áreas de investigação "andam a par", ilustrando a coerente história já citada. No entanto, permaneciam dois grandes temas desconhecidos -- dois obstáculos finais para uma teoria verdadeiramente abrangente, capaz de explicar também o nosso lugar nesse universo."
..."O primeiro é saber como é que nós,à semelhança de todos os seres vivos, reproduzimos a nossa espécie com tanta fidelidade, de geração em geração. As "instruções", tal como tão bem se reconhece, surgem na forma de genes, alinhados ao longo das duas sequências entrelaçadas da Hélice Dupla, presente no núcleo de todas as células. Todavia, subsistia a questão de saber como fazem esses genes para gerar essa infinita diversidade e beleza da forma, do feitio e do tamanho, bem como do comportamento, que distinguem as diferentes formas de vida. Como modelam eles , a partir de um único óvulo humano fertilizado, as características físicas e mentais próprias de cada um de nós ?.... ( Pg.22) --
..................................................
(25) ...................... "A HÉLICE DUPLA"....................

..."A Hélice Dupla, descoberta por James Watson e Francis Crick, em 1953, é uma das imagens mais conhecidas da ciência do século XX. A sua simples e elegante estrutura
espiralada composta por duas sequências entrelaçadas desdobra-se e reproduz-se sempre que a célula se divide -- cada uma das sequências, uma imensamente longa sequência de apenas quatro moléculas (de momento o melhor que se consegue conceber, como quatro discos de cores diferentes -- azul, amarelo, vermelho e verde). A combinação específica de mil ou mais destes discos coloridos constitui um "gene", passado de geração em geração, que determina o nosso tamanho e a nossa forma, a cor dos nossos olhos ou do nosso cabelo, bem como outros traços igualmente característicos, juntamente com as milhares de peças ou partes de que todos somos compostos".... (Pg.24) --
..................................................
..."Svante Paabo, director do projecto do genoma do chimpanzé previa que a sua comparação com o genoma humano revelaria os "pré-requisitos genéticos profundamente interessantes" que os diferenciavam :
--- A percepção de que alguns acidentes genéticos possibilitaram a história humana forneceram-nos-á todo um novo conjunto de reptos filosóficos sobre os quais reflectir (...) tanto uma fonte de humildade, como um golpe no que respeita à noção de singularidade humana."
..."Todavia, a publicação em 2005 da versão completa do projecto do genona do chimpanzé deu origem a uma interpretação mais moderada da sua relevância : "Não encontramos aqui a explicação para o facto de sermos tão diferentes dos chimpanzés", comentou ele. "Embora parte do segredo esteja aqui contida, ainda não o compreendemos ". Assim "as diferenças evidentes entre os humanos e os chimpanzés não encontram explicação apenas na genética" -- isto pode até parecer uma observação justa, até percebermos que se essas diferenças " não encontram explicação" nos genes, então qual é a explicação ?" -- (Pg. 34) --
.....................................................
..." Por outras palavras, a composição dos genes da mosca e do homem não apresenta a mais leve indicação da razão pela qual a mosca tem seis patas, um par de asas e um cérebro do tamanho de um ponto final"...
..."Segundo explicou a historiadora científica Evelyn Fox Keller, estamos perante :
--- Um daqueles raros e maravilhosos momentos em que o êxito nos ensina humildade (...) Convencemo-nos de que ao descobrirmos a base da informação genética tínhamos encontrado "O segredo da vida"; estávamos certos de que se conseguíssemos descodificar a mensagem contida na sequência química, poderíamos entender o "programa" que faz de um organismo aquilo que ele é. Contudo, agora temos, pelo menos, o reconhecimento tácito da verdadeira amplitude do fosso entre a "informação" genética e o significado biológico"...(Pg. 35) --
...........................................................
(25) ----- "A EVOLUÇÃO DO HOMEM : UM ENIGMA EM DUAS PARTES" -----
...........................................................
..."É com uma espantosa precisão que se consegue determinar o nosso princípio -- Homo sapiens, o moderno, escrupuloso, argumentativo, reflexivo e criativo Homem -- tendo nós surgido em 35.000 a.C. ou perto, e no Sudoeste europeu. Foi aí, à sombra dos cumes gelados dos Pirenéus que separam o que é agora o Sul da França do Norte da Espanha, que floresceu a primeira e mais resistente civilização humana -- uma cultura vigorosa, unida e coerente -- que se foi transmitindo, de geração em geração, ao longo de 25.000 anos. Essa civilização paleolítica (Idade da Pedra), criada pelos primeiros europeus verdadeiramente modernos durou mais do que qualquer outra das que lhe sucederam : dez vezes mais do que o reino de 2500 anos dos faraós egípcios e vinte e cinco vezes mais do que os mil anos da antiguidade grego-romana.
"A linha histórica da nossa espécie remonta a um tempo muito anterior, a um passado de uma distância quase inimaginável, há cinco ou seis milhões de anos, ainda que os nossos mais antigos antepassados nada nos tenham deixado, para além de uns escassos crânios, ossos e dentes, utensílios, raspadores, lâminas e cabeças de machado de pedra com que matavam e esventravam as suas presas, considerados preciosos e alvo de grande controvérsia.
"O Homem Sapiens, ou o "Homem de Cro-Magnon", tal como é conhecido o primeiro representante da nossa espécie (assim chamado em honra do abrigo na rocha Cro-Magnon" (Grande Buraco) onde foram encontrados os seus primeiros restos mortais, em 1868),foi diferente."... Pgs. 44/45) --
.............................................................
..."À semelhança dos primeiros humanos que há vários milhões de anos atravessaram as planícies da savana africana, os seus antepassados directos na Europa -- os Neandertais, com as suas sobrancelhas proeminentes e pescoços atarracados (assim chamados em honra do vale alemão Neander, onde foram descobertos os primeiros restos mortais) -- também não seriam capazes de criar objectos tão delicados. Ora, os referidos Neandertais tinham muitas virtudes. Com uma capacidade cerebral ligeiramente maior do que a nossa, tinham sido suficientemente resistentes e inteligentes para sobreviverem 250 mil anos no ambiente mais hostil que se possa imaginar, o das recorrentes glaciações que assolaram o continente de forma periódica. Contudo, não nos deixaram uma só imagem como as supracitadas. Assim sendo, a Dame de Brassempouy leva-nos a centrar a nossa atenção, com excepcional clareza, na questão mais importante de todas : o que é que aconteceu durante a transição para o homem moderno ? O que é que nos separa e porque é que somos tão diferentes ?
..." A chegada dos Cro-Magnons ao Sudoeste da Europa foi o culminar de uma diáspora inexplicável que, cem mil anos antes, impelira o moderno homo-sapiens a abandonar a sua pátria africana e a espalhar-se por todos os cantos do mundo. Fazia frio, como era evidente, porque ao longo das dezenas de milhares de anos da civilização Cro-Magnon, várias centenas de quilómetros a norte, o calote de gelo expandia-se e recuava. No entanto, encontraram abrigo dos ventos gélidos nas cavernas do Sul, frente aos vales da Dordonha e dos Pirenéus. Tinham fogo para se aquecerem e peles de animais para se vestirem, cosidas com a ajuda de agulhas de marfim e presas por delicados botões de marfim. Viviam em centenas de comunidades, distribuídos em habitações próprias, totalizando uma população de, provavelmente, pouco mais de vinte mil habitantes."... (Pg.46/47) --
..."Enquanto que os seus antepassados pouco haviam aperfeiçoado as suas ferramentas de pedra ao longo de um milhão de anos, os Cro-Magnons alargaram prodigiosamente os seus recursos alimentares, inventando a lança e o arpão. Inventaram igualmente as lanternas a petróleo para iluminar as grutas, o perfurador que fazia o "buraco" nas agulhas e a corda para manter as suas tendas."...(Pg.47/48) ---
............................................................
..."Hoje em dia já temos outros conhecimentos . As sensacionais recentes descobertas dos mais antigos antepassados do Homem -- e, em particular, os dois esqueletos fossilizados, praticamente completos, de "Lucy" e do "rapaz de Turkana" marcam as duas primeiras etapas distintas da Evolução do Homem, a sua decisão de manter-se erecto e o seu cérebro prodigiosamente expansivo."
..."A forma mais comum de entender a herança evolutiva do Homem começa com "A Origem das Espécies", de Charles Darwin, em 1859, alargada para nos incluir a "nós próprios" n'A Origem do Homem e a Selecção Sexual" publicado doze anos depois, com a afirmação central de que a diversidade quase infinita da forma, do feitio e dos atributos dos seres vivos evoluiu da primeira e mais simples forma de vida, auto-aglutinada de "todos os tipos de sais amónios e fosfóricos" num "qualquer pequeno pântano quente" da superfície da Terra, há vários milhões de anos."...
..."Sempre que a célula se divide, os genes reproduzem-se com uma espantosa precisão, ainda que, ocasionalmente, possa ocorrer um erro, ou uma "mutação", de modo que um disco verde (por exemplo) seja substituído por um vermelho, alterando, subtilmente, as instruções genéticas. Em geral, é irrelevante ou prejudicial, mas a mudança nessas instruções genéticas poderá conferir alguma vantagem biológica à descendência, maximizando-lhe as hipóteses de sobrevivência na luta pela existência.
A descendência posterior, irá, por sua vez, provavelmente, herdar a vantajosa variação genética dos seus progenitores e, à medida que o processo se prolonga, de geração em geração, as características das espécies transformar--se-ão a favor dos espécimes mais inseridos (ou "adaptados") no seu ambiente".
.................................................................
..."Explicado de outra forma, a vida, na sua totalidade, terá "descendido por modificação", a partir desse antepassado comum.
Para além desse facto, segundo Darwin, "n'A Origem do Homem e a Selecção Sexual", o Homem não é excepção. Com efeito, é provável que não existam provas mais "convincentes" da sua teoria evolucionista do que as impressionantes semelhanças físicas entre o homem e os seus primos primatas, apontando, inexoravelmente, para o facto de terem "descendido por modificação" de um qualquer antepassado semiesco. O homem sobreviveu e prosperou porque, ao "selecionar" as mutações genéticas que o fariam andar erecto e adquirir o tal cérebro maior, a Natureza o dotou de uma considerável vantagem biológica para lhe maximizar as hipóteses de sobrevivência. Decerto que as faculdades intelectuais amplamente superiores do Homem o poderiam colocar em destaque mas, tal como nós, os nossos primos primatas,demonstram emoções idênticas de ciúme, suspeição e gratidão, fazem escolhas, recordam eventos passados e são capazes de raciocinar. De acordo com Darwin, a superioridade da mente humana representa um contínuo -- é uma diferença de "grau, mas não de espécie"...(Pgs.52/53)- .......................................................
(25) ----------- " O ENIGMA D'A EVOLUÇÃO" Parte 1 : Partir ------------
.....................................................
..."Existem, pelo menos, uma dúzia de especulações evolucionístas para o facto de "Lucy",como os da sua espécie,ter desejado andar erecta e para a vantagem dessa posição -- para melhor avistar os potenciais predadores, transportar os seus descendentes ou, com efeito, tal como o próprio Darwin, supunha :"a postura bípede permitiria que um antecessor simiesco se aguentasse, segurando-se num ramo com uma mão, enquanto apanhava a fruta com a outra" No entanto a comparação anatómica mais esquemática relativamente aos nossos primos primatas revela as prodigiosas dificuldades dessa nova forma de locomoção."... (Pag. 62)--
.........................................................
..."Ao longo dos últimos cinco milhões de anos, novas espécies de hominídeos surgiram regularmente, competiram, coexistiram, colonizaram o ambiente e vingaram ou fracassaram. Embora tenhamos apenas uma percepção por demais diminuta da forma como se desenrolou essa dramática história de inovação e de interacção, torna-se evidente que a nossa espécie é, pura e simplesmente, uma ou mais dos seus muitos galhos terminais."
..."Os métodos da Nova Genética confirmaram que todas as raças humanas -- Negras, Caucasianas, Asiáticas e daí por diante --são genericamente idênticas e que, portanto, todos os descendentes de uma nova espécie inteiramente diferente -- Homo sapiens, nós próprios -- que se presume ter surgido na África Oriental ou Central, em 120.000 a C., antes de começar a disseminar-se e a colonizar o mundo. No entanto, isso deixa o tal "galho terminal" de nós próprios suspenso num limbo, sem uma ligação evidente aos ramos anteriores dessa planta evolutiva. Assim, os fundamentos da nossa própria existência, até há pouco tempo tão claros, parecem já imbuídos de um sentido profundamente inexplicável -- cujas implicações retomaremos, depois de abordarmos o segundo aspecto do enigma dessa trajectória evolutiva : os Cro-Magnons e o seu "gosto pela arte"...(pg.71)--
.......................................................
..."Na opinião de Chomsky, a aplicação da jovem mente para o domínio da desconcertante complexidade da linguagem pressupõe que o cérebro dispõe de uma qualquer forma de "Dispositivo de Aquisição da Linguagem" altamente específico, implantado e que, de algum modo, "sabe" o significado das palavras e as fórmulas gramaticais necessárias para delas retirar sentido."...
..."Os nossos primos primatas não possuem esse "dispositivo" e é por isso que, por mais espertos que sejam, permanecem (tal como explicou a veterana observadora de chimpanzés, Jane Goodall)"encurralados em si próprios". Em contrapartida, qualquer sociedade humana, por mais "primitiva" que seja, dispõe de uma linguagem para Expressar conceitos abstractos e linhas completas de raciocínio. Os milhões de habitantes das terras altas na Nova Guiné que vivem na Idade da Pedra, "descobertos", pela primeira vez, em 1930, tendo permanecido isolados do resto do mundo durante vários milhares de anos, falavam entre eles "oitocentas" línguas diferentes, cada qual com as suas próprias regras complexas de sintaxe e gramática."...(Pg.75/76) --
.....................................................
..."Passados trinta e cinco mil anos, nós, os seres humanos, podemos recorrer a esse grande tesouro acumulado dos conhecimentos e da tecnologia das muitas civilizações que já tiveram o seu lugar ao sol : os Egípcios, os Gregos, os Romanos, os Árabes e daí por diante. A genialidade dos Cro-Magnons, com o seu gosto pela arte e lanças astuciosamente decoradas, reside no facto de terem chegado a tudo isso por eles próprios.
Esse é, então, o enigma da Evolução do Homem : saber como e porque razão vinte ou mais espécies distintas de hominídeos terão sido submetidas, durante vários milhões de anos, a essa transformação anatómica em grande escala necessária para a posição erecta,tendo-a, depois, complementado com a aquisição do tal cérebro prodigiosamente alargado, cujo potencial intelectual para compreender o funcionamento do universo parecia tão desproporcionado, relativamente às necessidades da vida de um caçador-recolector. Parece por demais evidente que a sofisticação e a inteligência do homem lhe deveriam ter conferido alguma vantagem biológica." (Pg.80) --
.............................................................................
(25) ---------- "O TRIUNFO D'A ORIGEM DAS ESPÉCIES" : PARTE 2 ----------

..."As raízes do Iluminismo remontam a meados do século XVII em que, no rescaldo das vingativas guerras entre Católicos e Protestantes que lançaram a Igreja no descrédito, a revolução científica de Galileu e Newton trouxe a promessa de que o guia mais fiável para o conhecimento e para o progresso futuro era a razão humana e não divina relevação. A confiança optimista do Iluminismo no poder individual e colectivo das pessoas comuns para mudarem as suas vidas para melhor parecia bem preferível ao fatalismo religioso que considera a vida humana como sendo , simplesmente, um estado transitório no caminho para a realização, no outro mundo"...(Pg. 134) --
............................................................
..."No entanto, mais crucial ainda, era o facto de a sua explicação materialista (se não realmente milagrosa) pertencer à visão científica para a qual, segundo assinala o historiador positivista William Provine ..."o mundo é organizado estritamente de acordo com os princípios mecânicos, onde não existem quaisquer princípios intencionais na natureza. Não existem deuses, nem forças criadoras racionalmente detectáveis(...) não existem leis morais e éticas inerentes, nem princípios orientadores absolutos para a sociedade humana (...) não existe a esperança de uma vida eterna (...) o livre arbítrio, tal como tradicionalmente concebido, não existe (...)não há um supremo significado para os seres humanos"...
..."Assim, "A Origem das Espécies", de Darwin, não se limitava a libertar a história natural das garras da teologia, também libertava o Homem das crenças supersticiosas do passado, abrindo o caminho para um futuro glorioso de progresso científico inspirado pela razão e direccionado para a promessa da autodeterminação humana. Os cem anos seguintes testemunhariam , efectivamente, uma relação inversa (e causal)na sorte relativa da ciência e da religião, estando a ascensão da primeira como porta-estandarte da razão e do progresso em proporção directa com o declínio da segunda, cujas autoridade e autoconfiança foram profundamente afectadas."...
..."Essa transição de uma visão do mundo de predomínio religioso para uma de predomínio secular revelou-se quase surpreendentemente indolor, assim que se constatou não ser minimamente necessário invocar (ou pressupor) um qualquer "poder superior" para se levar uma vida boa, exemplar e moral. Contudo, a ultrapassagem da religião pela ciência não deixou de implicar os seus custos. Esta criou uma rotura histórica na continuidade da civilização ocidental, erigindo uma janela de vidro para separar o presente e o futuro do conhecimento e dos feitos do seu passado. "Até l859, todas as tentativas para responder à pergunta "O que é o homem ? foram em vão", observou o biólogo evolucionista Gaylord Simpson, "e ficaria-mos melhor se as ignorássemos completamente"..." ( Pg. 135/136) --
..............................................................
(25) --------------- "PRIMEIRO ACTO : A ORIGEM DO HOMEM" -------------

..."Tanto a obra "A Origem das Espécies" como "a Origem do Homem e a Selecção Sexual" visavam, cada uma à sua maneira,libertar a ciência da Teologia. Contudo, enquanto que, n´"A Origem das Espécies", Darwin considerou relativamente simples passar por cima da doutrina defeituosa da "criação especial", o conceito teológico do Homem que ele desafiava n'A Origem do Homem e a Selecção Sexual" expressava duas verdades profundas mais difíceis de descartar. A primeira era o conceito da imaterialidade da alma humana, tal como já se resumiu, com todas as suas ramificações improváveis do Céu e do Inferno, da Trombeta Final e da Ressurreição dos Mortos que podem testar a credulidade, até de quem professa a fé cristã. Evidentemente que numa teoria materialista do homem a alma (ou um conceito semelhante) é necessária para apreender a tal verdade acerca do aspecto transcendental da experiência humana e essa inextirpável sensação do "ego" como entidade espiritual que cresce e muda com o tempo."...(Pg. 191) --
..."A segunda "verdade" oculta na doutrina cristã é a noção de uma lei moral absoluta transmitida por Deus, mais claramente resumida na imagem de Moisés a descer da montanha com os Dez Mandamentos talhados (alegadamente) pela mão divina em duas placas de pedra. Contudo, existe mais moralidade para além dos Dez Mandamentos, e a visão filosófica seria que a "lei moral interior" -- a distinção entre o bem e o mal, o reconhecimento do dever e da responsabilidade -- tem, efectivamente, uma qualidade absoluta(em que um dever só pode ser posto de parte quando deixa de ser um dever) e exige que os seres humanos apliquem o seu discernimento dotado de razão aos dilemas morais, para encontrarem o correcto procedimento a tomar."...(Pg.192) --
..............................................................
..."Em paralelo com a nova ciência da eugenia,"A Origem do Homem e a Selecção Sexual" fornecia a lógica para o racismo científico. Darwin não inventou propriamente o racismo e opunha-se veementemente à escravatura, mas não se inibia de descrever as raças humanas como "superiores" e "inferiores" e aproximava as "inferiores" aos macacos "superiores".
No entanto, "A Origem do Homem e a Selecção Sexual", com as suas afirmações a cerca da suposta inferioridade dos "selvagens", disfarçava o racismo com a aura da responsabilidade científica, desafiando o espírito progressista da altura de que os pobres e os analfabetos poderiam aspirar a uma melhor qualidade de vida."
Como poderiam eles ansiar por tal, se seriam precisos milhares de anos de progresso evolutivo para adquirirem a mesma capacidade cerebral alargada e os mesmos padrões morais das raças europeias ?
A obra "A Origem do Homem e a Selecção Sexual" originou uma espécie de estereótipo racial, patente na descrição que Francis Galton faz dos Índios Americanos, prevendo o seu destino diante de uma "civilização" superior "...(Pg. 195) --
.......................................................
(25) ------------- "SEGUNDO ACTO : A HUMILHAÇÃO DO HOMEM" --------------

..."O problema de saber onde colocar o Homem e os seus singulares atributos mentais,no amplo enquadramento evolucionista, ressurgiu nos anos 70.

..."Essa interpretação era, por sua vez, sustentada por uma das mais espantosas afirmações da história da ciência -- que não somos, tal como nos definimos a nós próprios, agentes livres e autónomos, mas antes os brinquedos dos nossos genes "egoístas". Ao que tudo indica, somos máquinas que os genes criam para a sua própria propagação -- à semelhança de um qualquer envelope descartável em que eles se estabelecem temporariamente, durante uma vida, antes de avançarem para a geração seguinte."...(Pg.200) --
..................................................
..."Tal como sempre existiu, existe uma clara incoerência entre o pressuposto de Darwin da competição constante e implacável entre as pessoas, de modo a que apenas "os mais aptos sobrevivam", e a realidade quotidiana da sociedade humana, marcada pelo altruísmo e o apoio necessário para qualquer tipo de esforço cooperativo. Daí, (supões-se),há muito tempo, quando os seres humanos viviam "num estado selvagem", a sua vida ter sido, com efeito, e tal como descreveu Thomas Huxley, "ma contínua batalha livre, e em que cada homem se apropriava do que quer que gostasse e matava quem quer que se lhe opusesse". Os seres humanos acabaram por sair desse estado selvagem , desenvolvendo as suas formas de ligação e de lealdade simbolizadas pelo casamento, a religião, as leis e os costumes que são uma característica universal da sociedade humana. Ainda não se esclareceu quando é que essa reviravolta ocorreu, precisamente, mas terá sido, com certeza, há vários milhões de anos, por mais nenhuma razão para além do facto de o bebé humano ser bastante indefeso, tornando-se essencial qualquer forma de cooperação mútua, simplesmente para criar a geração seguinte...(Pg. 201) --
.....................................................
..."Por vezes, pode existir simetria em todas as coisas. Nos finais dos anos 80, a teoria evolucionista de Darwin, tal como foi apresentada n'A "Origem das Espécies", encontrava-se em grandes apuros -- mas foi precisa a ciência, sob a forma da Nova Genética, para desferir sobre ela o golpe fatal, com a revelação da equivalência quase perfeita dos genomas do homem, do rato, do primata, da mosca e do verme. Neste momento, ao que tudo indica, os argumentos de Darwin aplicados ao homem, apresentados n'"A Origem do Homem e a Selecção Sexual", e desenvolvidos por Hamilton, Trivers, Wilson e outros estão igualmente em grandes apuros, sendo a vez das neurociências da Década do Cérebro de dar o seu próprio veredicto acerca dessa explicação materialista da mente humana. É isso mesmo que acontece e, nesse processo, tropeçam, quase inadvertidamente, numa das reflexões científicas mais importantes deste século ou de qualquer outro. Passaremos agora a tratar dessa questão"... (Pg. 212) --
.............................................................
-- (Transcrição parcial de "PORQUÊ NÓS ?" -- de JAMES LE FANU - (Civilização Editora - 2009 ) --
=======================================================

26) ==== POVOS DA ÁFRICA (ANGOLA) -- AMÉRICAS (BRASIL...) : =====

----- (BRASIL CABOCLO -- BRASIL CAIPIRA -- BRASIL CRIOULO -- BRASIL SERTANEJO -- BRASIS SULINOS -- ... MATRIZ AFRO -- MATRIZ LUSA -- MATRIZ TUPI -- ....)-- ------ ------------(Transposição do original de : DARCY RIBEIRO e OUTROS...

--- Consulta na INTERNET (clicar e ligar o som):

forumeja.org.br/book/export/html/1236
................... (em actualização) ....................

===========================================================

---- 27) -- ..."os aborígenes da Huíla"...

..."Supõe-se , que os aborígenes da Huíla sejam os Khoisan que viviam,sobretudo,na África do Sul,Botswana e Namibe. São também conhecidos por "Boximanes" e em Angola por Mucancalas. Foram os primeiros habitantes do deserto do Calaári. Vivem de uma forma muito primitiva, que em muito se assemelha aos Pigmeus da África Central.São caçadores-recolectores. Cada grupo familiar tem cerca de vinte a trinta pessoas e partilham tudo. Estão perfeitamente adaptados à vida no mato e vivem facilmente daquilo que a natureza lhes dá. A caça é tarefa dos homens. Fazem arcos e armadilhas e o resultado da caçada é para distribuir por todo o grupo. As setas são envenenadas. Fabricam o veneno com larvas de escaravelho (são necessárias cerca de dez por cada seta),seiva de plantas (que serve para colar o veneno à seta) e saliva.A mistura é feita numa concavidade de um osso de antílope "...
...................

------ (Transcrição parcial do autor JOSÉ VIANA LEITÃO BARROS --- extraído de : "Página (24) - Naturais e Amigos de Quipungo" -- (facebook)... ---

..................... (em actualização).................
++++++++++++++++++++++++++++++++
=====================================================

-- 28) - DIVERSOS APONTAMENTOS S/OUTROS ANTIGOS POVOS DE ÁFRICA : ÁFRICA DO SUL (COM ORIGENS COMUNS E BASTANTES INTER-LIGAÇÕES AOS TERRITÓRIOS DE ANGOLA e MOÇAMBIQUE) ...-

--- Há 30 mil anos ali chegaram e se instalaram os "san" ("Bosquímanos").
--- Entre 500 a 1000 d.C surgiram povos bantos do nordeste seguindo para o Sul (ÁFRICA CENTRAL),sendo os "xhosa" os primeiros a chegar ao CABO com os europeus.
--- Desde o século V instalaram-se na ÁFRICA DO SUL os "zulus" (povos bantos).
--- Nos séculos XVI / XVII foram mortos mais de 200 mil "san".

--- 1650 - Foram transportados indianos,descendentes de antigos escravos,escapados da limpeza étnica efectuada no Bairro Malaio (Bo-Kaap,Tana -- Baru...),para trabalharem nas minas do Cabo,tendo apenas um único dia de folga anual (1º de Janeiro) que festejavam como sendo um autêntico Carnaval "Coop" !

--- Em 1797 os Khoisan enfrentaram os xhosa nas margens do Great Fish,dando início a uma terrível campanha de 9 guerras que só terminou em 1879 com a rendição (ou extermínio) dos xhosa ! O Sundays e o Great Fish foram fronteiras entre sangrentas guerras entre colonos e negros.

--- SHAKA (1783/1828)- Rei Zulu,com o seu exército ("mfegame")promovia guerras de devastação com adesão popular e formando-se nova províncias na região Kwazulu-Natal e Mpumalanga.
Avançaram para ocidente e sul,enfrentando os sotho,sendo depois dominados pelos "brancos".
--- Ndebele,dissidentes zulus,refugiam-se no ZIMBABWE.

-- 1838 - Os Bóers fundam a cidade de POTCHEFSTROOM,uma das mais antigas, após a batalha dos 9 dias,entre os Vortreker e ndebe que utilizaram bois em vez de cavalos,tendo sido derrotados e expulsos para além LIMPOPO.

--- Na primeira metade do século XX (os san) estavam quase extintos,restando cerca de 50.000 (no nordeste)..

--- Os "khoikhoi" ("homens de homens", que surgiram em 200 a.C, tiveram igual destino,estando quase extintos,por guerras e doenças. Dominaram no desenvolvimento da da pecuária. Avançaram pela NAMÍBIA até ao CABO,emigrando depois para o litoral ocidental,donde foram desalojados durante o século XVII.
-- O termo "NAMAQUALAND" derivou do seu antigo povo (namas - no plural "namaquas"),o primeiro a instalar-se nessa região. Eram descendentes do khoikhoi ali surgidos há 2 mil anos e convivendo com povos da NAMÍBIA (san).
Escaparam ao domínio dos Bóeres que consideraram a região de "infértil".

-- 1924 - A vila de TAUNG,próximo de VRYBURG,tornou-se famosa com a descoberta dum crâneo fossilizado do primeiro "australopithecus",então designado "australophitecus africanus",como prova da origem do homem em ÁFRICA, com 2,3 milhões de anos !
--

-- 1957 - Foram encontradas partes de cabeças de argila do século VI ("cabeças de Lydemburg"),sendo o primeiro achado de esculturas na ÁFRICA DO SUL,talvez utilizadas em cerimónias.

-- 1964 - Expulsão da tribo dos makuleke instalados ao norte do Parque Nacional KRUGER por motivos raciais.

-- 1973 - Início do "Realojamento" das pessoas "não brancas" que vivessem próximas dos "brancos",segundo o "GROUP AREA ACT".
Início do "Realojamento" das "pessoas de cor" e dos indianos em novas áreas residenciais ("townshipps")à volta do CABO (Norte e Leste),enquanto as negras imigradas foram para "zonas arenosas".
Surgiram também zonas de habitação (casas de chapas) ilegais (zona do aeroporto),constantemente destruídas e de novo levantadas pelos transgressores!

.................... (em actualização) ..............

===============================================

==== 2)--- O ENSINO EM ANGOLA : -----
........................................................

--- De : "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - (1652 / 1837) - 2º Vol. :

-- 1699 - JANEIRO - 15 - Carta régia determina o funcionamento em S.PAULO DA ASSUNÇÃO de uma ..."aula de FORTIFICAÇÃO e (ou ?) GEOMETRIA".
-- 1764 - OUTUBRO - 28 - Remetida uma cópia régia da ordem de 15/1/1699 sobre a criação duma "Aula de Fortificação e Geometria" em ANGOLA.
-- 1765 - JANEIRO - 1 - Entra em funcionamento a "AULA DE FORTIFICAÇÃO" em S. PAULO DA ASSUNÇÃO, sendo 5 dos alunos..."moços oficiais e sargentos".
-- 1768 - JULHO - 20 - Proposta a renovação da "AULA DE GEOMETRIA E FORTIFICAÇÃO" para MATHEMÁTICA (? - v. 1/1/1765), e sua entrada em funcionamento pelo período de 3 anos. Justificava-se essa medida pela necessidade de se efectuarem obras nos presídios e fortalezas, para o que não havia mão-de-obra devidamente habilitada. Seria orientada pelo sargento-mor engenheiro, JOSÉ CIPRIANO DOS SANTOS.
-- 1789 - ABRIL - 24 - D. MARIA I manda abrir, em S. PAULO DA ASSUNÇÃO, um curso técnico de "MEDECINA E CIRURGIA", para funcionar sob orientação do físico-mor do Reino de ANGOLA, JOSÉ PINTO DE AZEREDO.
-- 1799 - AGOSTO - Carta régia criando...aulas de língua latina e grega, de retórica, filosofia e aritmética..." em ANGOLA. muito embora nem houvesse mestres para tal !
....................................................
--- De : "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - (1837 / 1912) - 3º Vol. :

-- 1844 - SETEMBRO - 14 - Organização dos Serviços de Saúde em ANGOLA. Foi criada a Junta de Saúde nas capitais das Províncias Ultramarinas de CABO VERDE, ANGOLA e MOÇAMBIQUE, bem como o Ensino da "Práctica Médica", em cursos de 4 anos e "ESCOLA CIRÚRGICA" para oficiais de enfermagem "autóctones", havendo em LUANDA apenas uma Escola Primária para cada sexo e uma "Escola de Latim" !
-- 1844 - SETEMBRO - 20 - Decreto sobre a Reforma do Ensino no Continente.
-- 1845 - JANEIRO - 27 - Proposta de Lei sobre a Instrução Primária e Secundária nas Províncias Ultramarinas.
-- 1845 - ABRIL - 2 - Decreto que regulamenta o "ENSINO MÉDICO e de FARMÁCIA" nas Províncias Ultramarinas, criado em 14 de Setembro de 1844. Nessa altura a assistência médica oficial quase se limitava aos colonos, funcionários e a alguns "assimilados" ! Foi fundada a respectiva Escola em LOANDA (v.1836 - 2º vol.) --- 1845 - AGOSTO - 14 - Decreto do Ministro do Ultramar, J. FALCÃO, que reorganiza o Ensino Primário em todas as Províncias Ultramarinas, controlado em cada uma delas por um Conselho Inspector. Nesta altura ainda não havia qualquer estabelecimento de ensino em MASSANGANO, PUNGO ANDONGO e noutros locais.
-- 1845 - SETEMBRO - 13 - Foi criado o CURSO DE MEDICINA e regulamentado o Ensino Primário (em ANGOLA).
-- 1847 - JANEIRO - 11 - Foi criada a ESCOLA MÉDICO-CIRÚRGICA DE GOA (NOVA GOA), enquanto em ANGOLA já haviam sido tomadas iniciativas nesse sentido desde Setembro de 1844.
-- .....................
-- 1851 - DEZEMBRO - 11 - Anulada a criação do Ensino Médico nas Províncias Ultramarinas face à recém-formada ESCOLA MÉDICO-CIRÚRGICA DE NOVA GOA, criada em 11 de Janeiro de 1847. Assim deixa de funcionar a FACULDADE DE MEDICINA DE LOANDA.
-- 1852 - DEZEMBRO (?) - Foi criado o ENSINO FEMININO em MOÇÂMEDES.
-- 1853 - ABRIL - 2 - Publicação do 2º anúncio para a fundação do Colégio de INSTRUÇÃO SECUNDÁRIA (particular), com as disciplinas de : Gramática Portuguesa e Latina - Aritmética, Geometria e Noções de Álgebra - Filosofia Racional e Moral - Princípios de Direito Natural, Línguas Francesa e Inglesa !
-- 1853 - JULHO - 23 - Criação do SEMINÁRIO CATÓLICO DE LOANDA para a formação de sacerdotes e do implemento do ENSINO LICEAL.
-- 1853 - DEZEMBRO - 17 - Publicação do Aviso para a realização dos exames dos alunos habilitados na ESCOLA DE INSTRUÇÃO PRIMÁRIA, sendo o Governador-geral o Presidente do Conselho Inspector da mesma.

-- 1853 - DEZEMBRO - 22 - -- Nos referidos exames distinguiram-se alguns alunos, tendo um deles apenas 3 anos de idade !
-- 1868 - DEZEMBRO - Aprovação do Regulamento do LICEU ANGOLENSE para o Ensino Particular, em LUANDA.

.................................................
-- 1884 - ABRIL - 21 - P.P. nº 203 - Regulamento da Escola Profissional de Artes e Ofícios de ANGOLA.
...........................................................
-- 1885 - MARÇO - Foi criada a Escola Primária "LUÍS DE CAMÕES" (nº 60) no LUBANGO, destinada ao ensino infantil.
-- 1885 - SETEMBRO - Abertura da Escola Primária para o sexo feminino no LUBANGO... Abertura do Colégio das Irmãs de S.JOSÉ DE CLUNY, em MOÇÂMEDES, ali chegadas em Agosto.
-- 1886 - ABRIL - A Escola Primária do LUBANGO, aberta em Setembro anterior apenas como feminina, passa a mista ("GREGÓRIO JOSÉ MENDES").
-- 1886 - DEZEMBRO - 30 - Reforma do Ensino Industrial e Comercial pelo ministro EMÍDIO NAVARRO.
-- 1888 - FEVEREIRO - Implantação da primeira Escola Primária na CHIBIA, mas só para o sexo masculino.
-- 1888 - JUNHO - 27 - A Escola Primária, particular, pertencente a SILVA PORTO, passou a oficial e destinada ao sexo feminino, sendo sua professora D. MARIA LEONOR FERREIRA ALEGRE, com 120$000 réis anuais ( o que não dava para muitas alegrias!).
-- 1888 - JULHO - 28 - Falecimento, em LISBOA, de MIRANDA HENRIQUES, antigo professor da Escola Principal e Provedor do Instituto D. PEDRO V, em LUANDA, depois de muitos anos (desde 1850) dedicados ao Ensino Primário, Secundário e Superior,oficial e particular.
-- 1890 - DEZEMBRO - (?) -
-- 1892 - FEVEREIRO - 24 - Instalação da Missão do TCHIVINGUIRO onde funcionava a Escola Primária Mista, fundada em Novembro de 1885.
-- 1892 - ABRIL - Instalação do Colégio das Irmãs de S. JOSÉ DE CLUNY, em LUÁLI, no MAIOMBE, para o sexo feminino e de missões católicas nos distritos da HUILA...
-- 1893 - DEZEMBRO - Instalação do Colégio das Irmãs de S. JOSÉ DE CLUNY, em CABINDA e MALANJE.
-- 1895 - JUNHO - Foi nomeado professor para a Escola Feminina da CHIBIA, FRANCISCO SOARES ROSA, na falta de professora,lugar que já ali existia desde 1892.
-- 1895 - (?) Foi fundada a ESCOLA PRIMÁRIA OFICIAL da CATUMBELA ("ALFREDO DE MELO").
-- 1897 - JANEIRO - Instalação das Irmãs de S., JOSÉ DE CLUNY, em LUANDA; com um Colégio.
-- 1899 - DEZEMBRO - (?) - Fundação da ESCOLA PRIMÁRIA "EMÍDIO MONTEVERDE", em LUANDA. A ESCOLA COLONIAL, em LISBOA, passa a ser responsável pela formação dos administradores coloniais.
-- 1900 - OUTUBRO - Fundação da Missão do TCHIPELONGO com uma Escola para indígenas, situada próximo do rio CACULOVAR, pelo padre JOSÉ MARIA ANTUNES...
-- 1902 - ABRIL - 14 - Tomada de posse em LUANDA da professora do Ensino Primário Oficial, D. IRENE BETTENCOURT DE MEDEIROS PORTELA.
-- 1904 - ABRIL (?) - Foi reaberta a Escola Primária Feminina da CHIBIA que tinha sido criada em 1892.
-- 1905 - SETEMBRO - 8 - P.P. nº 584 - Regulamenta o Ensino Primário, considerado então bastante actualizado.
-- 1906 - JANEIRO - 18 - Foi organizado o Ensino Profissional nos territórios ultramarinos e estabelecida na Sociedade de Geografia de LISBOA uma Escola Superior Colonial. Foi criada a Escola Profissional "D. CARLOS I", em LUANDA,para substituir a Escola Principal.
-- 1906 - MARÇO - 20 - Regulamento do Ensino Agronómico nas Colónias.
-- 1906 - MAIO - 9 - O Regulamento do Ensino Primário e Regulamento do Corpo de Inspectores foi publicado no Boletim Oficial : altera o anterior, publicado em Setembro de 1905 (Portaria nº 584) e teve a intervenção do dr. MANUEL ALVES DA CUNHA.
-- 1906 - OUTUBRO - 1 - Embarca em LUANDA, para MOÇÂMEDES, com destino ao LUBANGO, a professora D. IRENE PORTELA, colocada como professora régia da Escola Feminina.
-- 1906 - OUTUBRO - 4 - Regulamento Provisório da Escola Colonial, criada em 18/1/1906.
-- 1906 - OUTUBRO - 10 - A professora D. IRENE DE MEDEIROS PORTELA, transita pela Secretaria do Governo de MOÇÂMEDES,seguindo para o LUBANGO.- (V. "PATRONOS DAS ESCOLAS DE ANGOLA" - de MARTINS DO SANTOS - 1970 - pgs. 645).
-- 1907 -- JANEIRO - A Escola Municipal do CARMO desdobra-se em : Escola Régia do Carmo, para o sexo masculino e Escola Missionária para o sexo feminino.
-- 1907 - FEVEREIRO - 26 - P.P. nº 137 - Aprova o Regulamento Interno para a Escola Profissional.
-- 1907 - FEVEREIRO - 28 - Nomeação do padre MANUEL ALVES DA CUNHA para Vice-reitor do Seminário (Liceu), já regressado da HUILA para LUANDA, por influência dos Bispos LIMA VIDAL e BARBOSA LEÃO.
-- 1907 - MARÇO - 11 - Criada a Escola Primária na nova freguesia de Nª.Sª. DO CARMO, em LUANDA.
-- 1907 - JULHO - 17 - Inauguração solene do SEMINÁRIO DE LUANDA, transferido da HUILA pela acção do Bispo D. ANTÓNIO BARBOSA LEÃO que ainda solicitara a fundação dum Liceu com hipótese de adaptação ao próprio Seminário. Também teve lugar a inauguração do MUSEU ETNOGRÁFICO anexo ao Seminário-Liceu e um curso de Língua Quimbundo na Escola de Intérpretes "EDUARDO COSTA", promovido pelo Bispo e com o apoio do Governador-geral.
-- 1907 - JULHO - 19 - Inauguração da Escola Profissional "D. CARLOS I", criada em 18/1/1906, em substituição da antiga Escola Principal.
-- 1911 - MARÇO - 29 - Reorganização dos Serviços do Ensino Primário.
-- 1911 - DEZEMBRO - 31 - Durante o ano foram encerradas as Casas das Irmãs de S. JOSÉ DE CLUNY,em LUANDA e MOÇÂMEDES, mas continuando as restantes. Foi apresentado um projecto para a criação de uma Escola do Magistério Primário Indígena.
.......................................................

------------ DE : "ANGOLA- DATAS E FACTOS " - 4º Volume -----------
........................................................

-- 1912 - OUTUBRO - 5 Inaugurada a construção da Escola Profissional "RITA NORTON DE MATOS", em LUANDA, destinada ao sexo feminino indígena.
-- 1912 - OUTUBRO - 6 - Inauguração duma ESCOLA AGRÍCOLA.
-- 1913 - JANEIRO - 22 - Aprova o Regulamento Provisório da Escola Profissional "RITA NORTON DE MATOS".
-- 1913 - MARÇO/ABRIL - P.P. nº 340 - Cria a primeira Escola Primária para a povoação "CIDADE DO HUAMBO".
-- 1913 - SETEMBRO - 9 - P.P. nº 1056 - Cria uma Escola de Artes e Ofícios em LUANDA, junto da IMPRENSA NACIONAL.
-- 1914 - FEVEREIRO - Cria uma Escola Primária mista no LOBITO.
-- 1914 - MARÇO - 26 - P. P. nº 389 - Aprova o Regulamento da Escola Profissional "PÁTRIA NOVA", em SILVA PORTO (BIÉ).
-- 1914 - MARÇO - 29 - Instalação da Escola Profissional "PÁTRIA NOVA", no BIÉ.
-- 1916 - JANEIRO - 10 - P. P. nº 10 - Estabelece o funcionamento de dois cursos práticos de enfermeiros (as) e de parteiras indígenas, junto à Escola de Enfermagem do Hospital de LUANDA.
-- 1918 - ABRIL - 18 - P. P. nº 94 - Aprovado o Regulamento da Escola de Agrimensura e respectivo programa.
-- 1918 - JUNHO - 6 - Decreto nº 4.392 - A Escola de Medicina Tropical, a Escola Colonial, o Hospital Colonial, o Instituto das Missões Coloniais e o Museu Colonial, passam a ficar na dependência directa da Secretaria de Estado das Colónias.
-- 1919 - FEVEREIRO - 19 - P. P. nº 51 - Determina a criação do LICEU CENTRAL DE ANGOLA, em LUANDA.
-- 1919 - MARÇO - 22 - Portaria nº 81 - Organiza o LICEU CENTRAL DE ANGOLA, em LUANDA, para iniciar as suas funções com 14 professores e 200 alunos.
-- 1919 - MAIO/JUNHO (?) - Foi criada a Escola Primária Superior de MOÇÂMEDES.
-- 1919 - AGOSTO - 23 - P. P. nº 269 - Os Governadores de BENGUELA, HUILA e MOÇÂMEDES, foram autorizados a criar Escolas Primárias Superiores ao nível da Metrópole.
-- AGOSTO - 29 - Foi criada a ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE LUANDA.
-- 1919 - (?) - Foram criadas Escolas Primárias em : LUANDA ; CAÁLA, HUILA.
-- 1920 - NOVEMBRO - 29 - Decreto nº 7.192 - Aprova o Regulamento do Museu Agrícola Colonial.
-- 1920 - DEZEMBRO - Durante o ano foram criadas as ESCOLAS PRIMÁRIAS OFICIAIS de : CAXITO ("OLIVEIRA CADORNEGA) e de "PEDRO CÉZAR DE MENEZES" na BARRA DO DANDE.
-- 1921 - FEVEREIRO - 24 - P. P. nº 34 - Cria Escolas Primárias Mistas no distrito de BENGUELA.
-- 1921 - JULHO - 26 - Cria as Escolas Oficinas (a regulamentar posteriormente), em regime de Semi-internato para ambos os sexos.
-- AGOSTO - 29 - Decreto 7.697 - Cria a cadeira de "Noções de higiene geral, puericultura e higiene escolar na Escola Primária Superior ("ESCOLA NORMAL").
-- 1919 - AGOSTO (?) - Foi criada a ESCOLA PRIMÁRIA SUPERIOR, no LUBANGO, sendo a primeira do distrito da HUILA para funcionar no edifício da Câmara Municipal
-- 1921 - DEZEMBRO - 21 - P.P. nº 149 - A ESCOLA PRÁTICO-AGRÍCOLA anexa à Repartição Superior de Agricultura e Florestas passa para ESCOLA PRÁTICA DE AGRICULTURA ALIMENTAR, sendo transferida para o distrito do CUANZA NORTE.
-- 1922 - FEVEREIRO - 22 - Decreto nº 242 - Regulamenta o Ensino Profissional Indígena.
-- 1922 - FEVEREIRO - 23 - Foram criadas as ESCOLAS DO ENSINO TÉCNICO PRIMÁRIO para indígenas do sexo feminino em : DONDO, ANDULO e BELMONTE (BIÉ).
-- 1922 - FEVEREIRO - 23 - P.P. nº 29 - Cria a ESCOLA OFICINA DE LUANDA
-- 1922 - FEVEREIRO - (?) - Foram criadas Escolas Primárias em : ANDULO , CAÁLA, CAMACUPA,CATUMBELA, CHINGUAR, CUMA e VILA NOVA.
-- 1922 - MARÇO - 10 - P.P. nº 54 - Criadas Escolas Oficinas para o Ensino Técnico Primário para indígenas do sexo masculino em diversas localidades : CABINDA , CUBANGO, GANDA, MALANJE, MAQUELA DO ZOMBO e SANTO ANTÓNIO DO ZAIRE.
-- 1922 - MAIO - 10 - P. p. nº 55 - Regulamenta o funcionamento da ESCOLA PRIMÁRIA SUPERIOR DA HUILA e transforma-a em LICEU NACIONAL DA HUILA" com nível equivalente aos outros Liceus e onde funcionaria ainda, além do CURSO GERAL, os Cursos de COMÉRCIO, AGRICULTURA, PECUÁRIA e outros aconselháveis às circunstâncias.
-- 1922 - JULHO - 18 - P.P. ~º 145 - Cria a ESCOLA OFICINA DO CUMA para o Ensino Primário e Técnico de Indígenas do sexo masculino.
-- 1922 - JULHO - 27 - Decreto nº 199 - Criado um estabelecimento de beneficência e de instrução profissional para o recolhimento e educação de crianças indígenas femininas.
-- 1922 - JULHO - 28 - P.P. nº 149/A - Aprova os Estatutos da LIGA PROMOTORA DE INSTRUÇÃO E BENEFICÊNCIA DE LUANDA.
-- 1922 - NOVEMBRO - 10 - Decreto nº 214 - Trabalhos preparatórios para a realização do 1º CONGRESSO DE MEDICINA TROPICAL, a realizar em LUANDA em 1923.
-- 1922 - NOVEMBRO - Criada a Escola Mista de Instrução Primária do LÉPI("SALDANHA DA GAMA"), entre a CAÁLA e o CUMA. A povoação do LÉPI passa a ser a sede de circunscrição civil, com o mesmo nome.
-- 1922 - DEZEMBRO - Durante este ano foram criadas as seguintes Escolas Primárias :IRMÃOS ROBY" (LUBANGO, na parte alta da cidade "Povoação de Cima"),a Escola Primária da MAPUNDA (um Bairro da mesma cidade)...Foram ainda criadas as ESCOLAS PRIMÁRIAS : VILA LUSO("André REZENDE") -- DONDO ("Francisco Souto Maior") -- MAQUELA ("Neves Ferreira") -- BELA VISTA ("Roberto Ivens") -- GANDA ("Pereira do NAscimento") -- CUBAL ("Serpa Pinto") -- QUILENGUES ("Abade Arcozelo")-
-- 1923 - FEVEREIRO - 22 - Decreto nº 242 - Aprovação de ESCOLAS OFICINAS e seu funcionamento.
-- 1923 - JULHO - 16/23 - 1º CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEDICINA TROPICAL DA ÁFRICA OCIDENTAL, em LUANDA, com a presença de 75 assistentes, alguns de muito renome. Era o primeiro na ÁFRICA CENTRAL e destinou-se essencialmente à Assistência Indígena.
-- 1923 - Durante este ano foram fundadas as seguintes Escolas Primárias Oficiais : MALANJE("VASCO DA GAMA") - QUINGENGE ("FERNÃO DE OLIVEIRA") - SILVA PORTO ("SILVA PORTO") - TEIXEIRA DE SOUSA ("BALTAZAR DE ARAGÃO") - CHIBIA ("PINHEIRO CHAGAS") - HUMPATA ("REBELO DA SILVA") --

-- 1924 - JANEIRO - 30 - D.L. nº 5 - Aprova a alteração de LICEU CENTRAL DE ANGOLA, em LUANDA (já fundado em 19/2/1919), para a designação de : "LICEU CENTRAL DE SALVADOR CORREIA", equiparando-o então aos restantes liceus metropolitanos.
-- 1924 - Durante o ano foram criadas as seguintes Escolas Primárias : "HUMBERTO DE ATAÍDE" (MACHIQUEIRA - LUBANGO) - "JOSÉ ANCHIETA" (LUANDA) - "ANDRADE CORVO" (CALENGA (distrito de BENGUELA) - "FERREIRA RIBEIRO" (BAILUNDO).

-- 1925 - MARÇO - 27 - P.P. nº 28 - As Escolas Centrais Mistas de LUANDA passam a designar-se : nº 1 "SOUSA COUTINHO" -- nº 2 "JOSÉ ANCHIETA" --
-- 1925 - MARÇO - 30 - D.L. nº 77 - Autoriza o funcionamento da ESCOLA PRIMÁRIA SUPERIOR DE MOÇÂMEDES, segundo o Regulamento da ESCOLA SUPERIOR DA HUILA.
-- 1925 - MARÇO 30 - D.L. nº 79 - A Escola Primária do ASILO D. PEDRO V passa a ser considerada como oficial e com encargos de conta do Estado.
-- 1925 - MAIO - 20 - P.P. nº 62 - As Escolas Primárias de BENGUELA, MOÇAMEDES, SÁ DA BANDEIRA e de MALANJE passam a funcionar como "centrais", designando-se, respectivamente : "MANUEL CERVEIRA PEREIRA" - "FERNANDO LEAL" - "GREGÓRIO JOSÉ MEDES" e "VASCO DA GAMA" - .
-- 1925 - MAIO - 23 - P.P. nº 63 - As ESCOLAS PRIMÁRIAS SUPERIORES de MOÇÂMEDES e da HUILA (SÁ DA BANDEIRA", passam a designar-se "BARÃO DE MOÇÂMEDES" e "ARTUR DE PAIVA".
-- 1925 - SETEMBRO - 22 - Inauguração da Escola Primária do CHINGUAR ("SESINANDO MARQUES".
-- 1925 - NOVEMBRO - 16 - P.P. nº 9.130 - Cria a Escola Primária nº 83 ("MOUZINHO DE ALBUQUERQUE" no Bairro da VILA ALICE (LUANDA).
-- 1925 - Durante o ano foram ainda criadas as Escolas Primárias Oficiais de : LUANDA("EMILIO DE CARVALHO") - ASILO D. PEDRO V --

-- 1926 - JANEIRO - 16 - Alvará nº 18 - Aprova o Regulamento das CAIXAS AUXILIARES dos alunos das Escolas Primárias da HUILA.
-- 1926 - Durante o ano foram fundadas as seguintes Escolas Primárias :"PAULO DIAS DE NOVAIS" (LUANDA - "ALMEIDA GARRETT" (LUCALA) - "JÚLIO DINIZ" (CAMABATELA) - "GUILHERME CAPELO" (QUISSOL) - "TRAVASSOS VALDEZ" (NOVO REDONDO) - "CONDE DE FICALHO" e "BARBOSA DU BOCAGE" (NOVA LISBOA -

-- 1927 - MARÇO - 12 - Decreto nº 13.279 - Organização e programas de ensino e nomeações de professores para os liceus coloniais.
-- 1927 - ABRIL - 16 - D.L. nº 518 - Reorganização do Ensino Primário em ANGOLA...
Foi criado o Ensino Infantil nas Escolas Rurais Indígenas com ensino directo da língua portuguesa...
-- D. L. nº 519 - Reorganização do Ensino Primário em ANGOLA - normaliza a situação de várias Escolas Primárias e atribui-lhes a respectiva numeração e designação.
-- 1927 - MAIO - 30 - Abertura da Escola Primária "HERMENEGILDO CAPELO" e da Escola Municipal, em BENGUELA.
-- 1927 - JUNHO - 17 - D. L. nº 546 - A administração da Escola Primária Superior "BARÃO DE MOÇÂMEDES" passa a ser da conta do Estado.
-- 1927 - JUNHO - 28 - D.L. nº 575 - Cria Escolas Oficinas nos distritos de : CONGO - MALANJE - HUILA - MOXICO - BIÉ e CUANZA NORTE.
-- 1927 - Durante o ano foram fundadas as seguintes Escolas Primárias Oficiais: "GRÉMIO AFRICANO"(LUANDA) - "BAPTISTA DE ANDRADE" (AMBRIZ) - "PEDRO ALEXANDRINO DA CUNHA" (LOBITO) - "HENRIQUE DE CARVALHO" (VOUGA) - "PINHEIRO FURTADO" (MOÇÂMEDES) - "MARIA DA CRUZ ROLÃO" (PORTO ALEXANDRE) -- Desdobramento da ESCOLA CENTRAL PRIMÁRIA DO LUBANGO com secção masculina e outra feminina, passando a funcionar em separado, como ESCOLAS MISTAS : "LUÍS DE CAMÕES" e "GREGÓRIO JOSÉ MENDES".

-- 1928 - MARÇO - 21 - D.L. nº 731 - Extingue algumas Escolas Primárias e cria outras.
-- 1928 - MARÇO - 26 - D.L. nº 755 - Regulamenta o Ensino Primário Infantil e Geral...
-- 1928 - DEZEMBRO - 26 - As "Irmãs de S.JOSÉ DE CLUNY" instalam-se nos Colégios de LUANDA e do BAILUNDO.
-- 1928 - Durante o ano foram fundadas as Escolas Primárias de : PORTO AMBOIM ("ALEXANDRE HERCULANO") - MOÇÂMEDES ("FRANCISCO NOGUEIRA") - IOBA (CHIBIA) "PADRE BARROSO") -

-- 1929 - ABRIL - 6 - D.L. nº 40 - A ESCOLA PRIMÁRIA SUPERIOR "ARTUR DE PAIVA" ... foi extinta por ter passado a LICEU NACIONAL DA HUILA (ou LICEU NACIONAL DE "ARTUR DE PAIVA" (?)), mantendo-se os professores : Dr. ALFREDO LOBO DAS NEVES, Capitão GASTÃO DE SOUSA DIAS e Capitão SANTOS TORRES, que formavam o seu Conselho Escolar.
-- D.L. nº 42 - Fixa a duração dos anos escolares nos liceus de ANGOLA e equipara à legislação do continente.
-- 1929 - DEZEMBRO - 16 - D.L. nº 222 - Cria a ESCOLA NORMAL RURAL DO BAILUNDO.
-- 1929 - Durante o ano foram fundadas as seguintes Escolas Primárias Oficiais : "JOÃO DE DEUS" (infantil) e "LOPES DE LIMA" (LUANDA) - "JOÃO FRANCISCO GARCIA" (QUIBALA) - "AUGUSTO GIL" (GABELA) - "FELICIANO CASTILHO" (infantil em SÁ DA BANDEIRA.

-- 1930 - JUNHO - 5 - Decreto nº 18.452 - Cria a ESCOLA TÉCNICA ELEMENTAR DE LUANDA.
-- 1930 - JULHO - 3 - Aprovado o Regulamento da ESCOLA NORMAL RURAL DO BAILUNDO, criada pelo D.L. nº 222, de 16/12/1929.
-- 1930 - SETEMBRO - 6 - Decreto nº 18.827 - Reorganiza os Serviços do Ensino Superior.
-- 1930 - NOVEMBRO - 6 - D.L. nº 153 - Cria um curso facultativo de língua indígena e aprova o seu Regulamento para funcionar nos liceus de LUANDA e da HUILA, bem como na ESCOLA PRIMÁRIA SUPERIOR do "BARÃO DE MOÇAMEDES" e nas Escolas Primárias nºs : 25 - 30 - 33 -- D. L. nº 154 - Cria o "INSTITUTO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL", em LUANDA.
-- NOVEMBRO - 20 - P.P. nº 691 - Cria uma Biblioteca de Educação em PORTO AMBOIM.

-- 1931 - MARÇO - 31 - Acordo entre as ACADEMIAS DE LETRAS DE LISBOA e do BRASIL para unidade ortográfica da língua portuguesa em todos os seus territórios.
-- 1931 - MAIO - P.P. nº 787 - Isenta de "Imposto Indígena" os alunos da ESCOLA NORMAL RURAL DE VILA TEIXEIRA DA SILVA (BAILUNDO).
-- 1931 - JUNHO - 9 - Decreto nº 19.868 - Cria o ARQUIVO HISTÓRICO COLONIAL no respectivo ministério.
-- 1931 - OUTUBRO - 15 - P.P. nº 874 - Cria em NOVA LISBOA uma Biblioteca de Educação.
-- 1931 - OUTUBRO - 20 - Decreto nº 20.420 - Aprova a organização do ENSINO TÉCNICO PROFISSIONAL.
-- 1931 - DEZEMBRO - 18 - Decreto nº 20.741 - Promulga o ESTATUTO DO ENSINO SECUNDÁRIO.
-- 1921 - DEZEMBRO - 20 - Decreto nº 20.613 - Promulga o ESTATUTO DO ENSINO PARTICULAR.
-- 1931 - Durante o ano foi fundada a Escola Primária Oficial "LOPES DE SEQUEIRA", em NOVA LISBOA.

-- 1932 - ABRIL - 7 - Fixa o dia 14 para a abertura das aulas do LICEU de LUANDA.
-- 1932 - ABRIL - 7 - P.P. nº 963 - Transfere a ESCOLA RURAL nº 9 , do QUIRIMA (SONGO), no distrito de MALANJE, para o QUELA (BONDO E BÃNGALA).
-- 1932 - MAIO - 19 - P.P. nº 991 - Transfere para a povoação do QUELA(BONDO E BÂNGALA) a ESCOLA RURAL nº 8, do CAMO CAMANA (no DUQUE DE BRAGANÇA).
-- 1932 - OUTUBRO - 1 - D.L: nº 396 - Transforma a ESCOLA PROFISSIONAL "PÁTRIA NOVA", de SILVA PORTO, criada em 29/3/1914, em ESCOLA OFICINA ao cargo do Estado.

-- 1933 - MARÇO - 23 - Decreto nº 22.346 - Equipara o LICEU DA HUILA aos liceus nacionais do Continente, para efeitos pedagógicos e equivalentes de habilitações.
-- 1933 - JUNHO - Concedido o grau de Cavaleiro da Ordem do Império Colonial à professora do Ensino Primário do LUBANGO, D. IRENE PORTELA (v. 5/10/1929).
-- 1933 - Durante o ano foram criadas as seguintes Escolas Primárias Oficiais : "DUARTE LOPES" (CABINDA) - "LUCIANO CORDEIRO" (AMBRIZETE) - "JÚLIO HENRIQUES" (LUANDA) - "RODRIGUES GRAÇA" (GOLUNGO ALTO) - "TRINDADE COELHO" (DALATANDO) - "DELGADO DE CARVALHO" (UIGE). Havia então 69 Escolas Primárias Oficiais com um total de 4.500 alunos e 120 professores, além dos 48 professores do Ensino Profissional Indígena (Ensino Rural).

-- 1934 - SETEMBRO - 28 - P. P. nº 1.497 - Autoriza à Caixa Auxiliar dos Alunos do LICEU NACIONAL DA HUILA a instalação dum INTERNATO para os mesmos.
-- P. P. nº 1.498 - Determina que o LICEU DA HUILA passe a designar-se "LICEU NACIONAL DIOGO CÃO".
-- 1934 - NOVEMBRO - 3 - P. P. nº 1.521 - Declara de utilidade pública o "COLÉGIO ALEXANDRE HERCULANO", em NOVA LISBOA.

-- 1935 - FEVEREIRO - 2 - P. P. nº 1.597 - Aprova o Regulamento da Biblioteca do LICEU DA HUILA.
-- 1935 - JUNHO - 17 - Aplicação ao Ultramar do Decreto nº 25.406, de 25 de Maio sobre os exames de admissão às Universidades.
-- 1935 - OUTUBRO - 19 - P. P. nº 1.824 - Aprova o Regulamento do INTERNATO da CAIXA DE AUXÍLIOS dos alunos do LICEU NACIONAL "DIOGO CÃO", em SÁ DA BANDEIRA.
-- 1935 - Durante o ano iniciaram-se as construções da Escolas Primárias em : BELA VISTA, VILA NOVA e CAÁLA (distrito do HUAMBO). O LICEU DE LUANDA tinha uma frequência de 280 alunos e 12 professores, sendo o seu Orçamento de 907 contos;o LICEU DA HUILA tinha 183 alunos matriculados e o seu Orçamento era de 546 contos. No CONGO BELGA existiam 880 missionários nas Escolas, apoiados por 5.000 auxiliares, num ensino para 214 mil alunos.

-- 1936 - AGOSTO - 1 - P. P. nº 2.601 - Declara de utilidade pública o INTERNATO DO LICEU NACIONAL "DIOGO CÃO".
-- 1936 - OUTUBRO - 14 - Decreto nº 27.294 - Cria um Instituto Secundário de Agro-Pecuária e estabelece as idades mínima e máxima para a matrícula no 1º ano liceal.
-- 1936 - NOVº/DEZEMBRO - Decreto nº 27.294 - A Escola Superior de MOÇÂMEDES ("BARÃO DE MOÇÂMEDES") passa a denominar-se ESCOLA PRÁTICA DE PESCA E COMÉRCIO DE MOÇÂMEDES.

-- 1937 - JANEIRO - 9 - D.L. nº 868 - Substitui as ESCOLAS OFICINAS por ESCOLAS ELEMENTARES PROFISSIONAIS DE ARTES E OFÍCIOS E AGRO-PECUÁRIAS, fazendo a transição dos respectivos professores : - em LUANDA(duas), BENGUELA, BIÉ, MALANJE,HUILA, CATETE, CAZENGO, MALANJE, BIÉ, HUAMBO e HUMPATA. Mantém o ASILO ESCOLA "RITA NORTON DE MATOS" e cria 8 Escolas do Ensino Primário Geral.
-- 1937 - FEVEREIRO - 13 - P. P. nº 2.215 - O Ensino de Enfermagem é alargado a todos os distritos da Colónia e às ESCOLAS ELEMENTARES PROFISSIONAIS DE AGRICULTURA E PECUÁRIA.
-- 1937 - ABRIL - 3 - P. P. nº 2.280 - Regulamenta a ESCOLA PRÁTICA DE PESCA E COMÉRCIO DE MOÇAMEDES.
-- 1937 - MAIO - 8 - P. P. nº 2.309 - Aprova o Regulamento Provisório das ESCOLAS ELEMENTARES PROFISSIONAIS AGRÍCOLA-PECUÁRIA.
-- 1937 - JULHO - 27 - D.L. nº 914 - Cria Postos Escolares para alunos brancos e assimilados nos centros rurais com menos de 30 alunos.
-- 1937 - JULHO - 27 - D.L. nº 915 - Simplifica o Programa do Ensino Primário Geral e iguala-o ao da Metrópole.
-- 1937 - (?) - O INTERNATO da CAIXA AUXILIAR dos Alunos do LICEU "DIOGO CÃO", passou a designar-se INTERNATO DO LICEU PROVINCIAL DE "DIOGO CÃO" -

-- 1938 - SETEMBRO - 8 - Criação do MUSEU DE ANGOLA, a funcionar na Fortaleza de S. MIGUEL, em LUANDA.

-- 1939 - FEVEREIRO - 25 - P. P. nº 2.939 - Transferências das seguintes Escolas : - Primária nº 26 - "GUILHERME CAPELO",do QUISSOL para o DUQUE DE BRAGANÇA; a Escola Profissional de Artes e Ofícios de VILA HENRIQUE DE CARVALHO para BENGUELA ; A Escola Profissional Feminina "D. FILIPA DE LENCASTRE") para BENGUELA.
-- AGOSTO - 28 - P. M, nº 21 - Cria uma ESCOLA DE ARTES E OFÍCIOS da Província da HUÍLA. P. M. nº 22 - Institui duas bolsas para cursos superiores destinadas a alunos angolanos com situação de carência e mais classificados, tendo completado o 7º ano dos Liceus.
-- 1939 - NOVEMBRO - 4 - P. P. nº 3.130 - Regula, em ANGOLA, os Ensinos Primários Elementar e o Geral.
-- Durante o ano foram estabelecidas as Bases para a ESCOLA AGRO-PECUÁRIA DO TCHIVINGUIRO na Província da HUILA.

-- 1940 - MARÇO - 6 - P.P. nº 3.312 - Aprova o regulamento dos Liceus de ANGOLA.
-- 1940 - MARÇO - 13 - P.P. nº 3.315 - Aprova o Regulamento da ESCOLA DE ARTES E OFÍCIOS "ARTUR de PAIVA", em SÁ DA BANDEIRA.
-- 1940 - MAIO - 22 - P.P. nº 3.363 - Aprova o Regulamento da ESCOLA AGRO-PECUÁRIA "DR. FRANCISCO VIEIRA MACHADO", no TCHIVINGUIRO (HUILA)
-- 1940 - DEZEMBRO - 11 - P.P. nº 3.578 - Aprova o Regulamento do INTERNATO DO LICEU NACIONAL DE "DIOGO CÃO".

-- 1941 - ABRIL - 7 - P.M. nº 9.774 - Atribui ao curso da extinta ESCOLA PRIMÁRIA "BARÃO DE MOÇÂMEDES" a equivalência ao 7º ano, a favor dos seus diplomados anteriores.
-- 1941 - NOVEMBRO - 19 - P.P. nº 3.844 - Aprova o novo Regulamento da BIBLIOTECA DO LICEU DA HUILA.

-- 1942 - SETEMBRO - Início da construção da ESCOLA AGRO-PECUÁRIA DO TCHIVINGUIRO.
-- 1942 - DEZEMBRO - 7 - P. M. nº 21 - Criação do curso de habilitações para os exames de admissão aos liceus no INTERNATO do LICEU "DIOGO CÃO".

-- 1943 - SETEMBRO - 8 - P.P. nº 4.494 - Concede um fundo ao LICEU "SALVADOR CORREIA", de LUANDA.
-- 1943 - DEZEMBRO - 29 - CONVENÇÃO ORTOGRÁFICA LUSO-BRASILEIRA realizada em LISBOA.
-- 1943 - Durante o ano : conclusão de 3 Escolas Primárias em LUANDA . Inauguração do INSTITUTO MODERNO para o Ensino Liceal, em SILVA PORTO.

-- 1944 - FEVEREIRO - 21 - Decreto nº 33.541 - Cria a Direcção-Geral do ENSINO DO ULTRAMAR.

-- 1945 - AGOSTO - 10 - Decreto nº 35.228 - Aprova o ACORDO ORTOGRÁFICO da língua portuguesa obtido na Conferência Inter-Académica de LISBOA e de harmonia com a Convenção LUSO-BRASILEIRA de 29/12/1943.
-- 1945 - OUTUBRO - 23 - P.M. nº 16 - Considera oficial o CURSO COMERCIAL DA SOCIEDADE EDUCADORA DE ANGOLA ("ESCOLA COMERCIAL DE LUANDA"). P. M. nº 17 - Cria o "SUBSÍDIO DE ESTUDO", na Metrópole, para os alunos habilitados com o curso complementar dos liceus (7º ano) que ali desejassem continuar os seus estudos em cursos técnicos ou superiores.
-- 1945 - Durante o ano foi fundada a CASA DOS ESTUDANTES DO IMPÉRIO, em LISBOA.

-- 1946 - AGOSTO - 16 - P. M. nº 11.462 - Cria a JUNTA DAS INVESTIGAÇÕES DO ULTRAMAR e o CENTRO DE ESTUDOS DE CARTOGRAFIA E GEOGRAFIA COLONIAL.

-- 1947 - ABRIL - 3 - Foi criado I INSTITUTO LICEAL TÉCNICO DO BIÉ.
-- 1947 - AGOSTO - 6 - P.P. nº 5890 - Concede um Fundo Permanente ao LICEU "DIOGO CÃO, em SÁ DA BANDEIRA.
-- 1947 - SETEMBRO - 17 - Decreto nº 36.508 - Aprova o Estatuto do ENSINO LICEAL.

-- 1948 - MARÇO - 6 - Despacho - A Escola Industrial da Alfândega de LUANDA passa a ser denominada "ESCOLA INDUSTRIAL DE LUANDA".
-- 1948 - MAIO - 25 - Decreto nº 36885 - Cria 2 ESCOLAS DE "PREPARAÇÃO DAS AUTORIDADES GENTÍLICAS" em ANGOLA, sendo uma para cada sexo (por iniciativa d Ministro das Colónias, TEÓFILO DUARTE.
-- 1948 - AGOSTO - 25 - Decreto nº 37.029 - Promulga o ESTATUTO DO ENSINO PROFISSIONAL E COMERCIAL DE ANGOLA.
-- 1948 - DEZEMBRO - 28 - D.L. nº 2.117 - Cria a ESCOLA INDUSTRIAL DE LUANDA e a ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE NOVA LISBOA.
-- 1949 - ABRIL - 27 - P.P. nº 6.698 - Entrada em vigor do Regulamento do CURSO DE REGENTES ESCOLARES e de PROFESSORES DO QUADRO DOCENTE EVENTUAL.
-- 1949 SETEMBRO - 9 - D.L. nº 2.163 - Cria o FUNDO ESCOLAR DE ANGOLA.
-- 1949 - Durante o ano entraram em funcionamento no LICEU DA HUILA os CURSOS DE REGENTES ESCOLARES E DE PROFESSORES DO ENSINO PRIMÁRIO.

-- 1950 - FEVEREIRO - 6 - P.P. ~º 7.079 - Aprova o Regulamento do ENSINO RUDIMENTAR e MAGISTÉRIO RUDIMENTAR para ambos sexos, dos 7 aos 15 anos de idade.

-- 1951 - DEZEMBRO - 12 - Cria as ESCOLAS PRIMÁRIAS de : Nº 42 - "ANDRÉ CORVO" (ANDULO) -- Nº 45 (ex- nº 9) - "PAIVA COUCEIRO" (CALUQUEMBE) -- nº 9 - "PRESIDENTE CARMONA" (anterior GRÉMIO AFRICANO DE LUANDA)-- Nº 71 - "MONSENHOR ALVES DA CUNHA" (PALANCA).

-- 1952 - MARÇO - 13 - P.M. nº 13.883 - Manda aplicar a ANGOLA a Lei nº 2.025, de Junho de 1947, estabelecendo modalidades de Ensino Agrícola no Ultramar.
-- 1952 - MARÇO - 17 - Decreto nº 38.679 - Disposições sobre o funcionamento das ESCOLAS INDUSTRIAIS E COMERCIAIS de ANGOLA.

-- 1953 - SETEMBRO - 16 - Decreto nº 39.362 - Aprova o Regulamento para a concessão de passagens a estudantes ultramarinos para PORTUGAL.

-- 1954 - MARÇO - 3 - P.P. nº 8.514 - Elevação a Escolas Primárias dos Postos Escolares de : LONGONJO (nº 72 - "EDUARDO COSTA") -- Stº ANTÓNIO DO ZAIRE (nº 77 - "PRÌNCIPE D. LUIS") -- NEGAGE( nº 78 -"D.JOÃO DE ALMEIDA") -- CACUSO (nº 79 - "D.ANTÓNIO BARROSO") -- e dos subúrbios de NOVA LISBOA nº 80 "LUIS CARRIÇO"). A Escola Primária nº 5 "PEDRO CÉZAR DE MENEZES" passa a feminina.
-- 1954 - OUTUBRO - 15 - Decreto nº 39.850 - Crias várias ESCOLAS DO ENSINO PROFISSIONAL nas Províncias Ultramarinas. Classifica de COMERCIAL E INDUSTRIAL a ESCOLA COMERCIAL DE MOÇÂMEDES.

-- 1955 - AGOSTO - 16 - Decreto nº 40.285 - Altera o Decreto nº 39.622 sobre os exames de admissão ao Magistério Primário a serem realizados nas capitais das Províncias Ultramarinas que não possuíssem esses cursos em funcionamento.
-- 1955 - Neste ano lectivo havia em ANGOLA : 364 Escolas em funcionamento, com 62o professores e o total de 37.392 alunos no Ensino Primário Geral. No Ensino Rudimentar : 995 Escolas, com 2.491 professores e o total de 98.494 alunos matriculados. Para o Ensino Técnico Profissional - 9 Escolas com 107 professores e 3.584 alunos. No Ensino Elementar Profissional : 7 Escolas com 26 professores e o total de 936 alunos. No Ensino Liceal : existiam 20 estabelecimentos com : 192 professores e um total de 6.223 alunos. No Ensino Normal : apenas um estabelecimento com 9 professores e 183 alunos (todos brancos e do sexo masculino). Os IRMÃOS MARISTAS instalaram um Colégio em SILVA PORTO com Internato e Externato para rapazes. No LICEU DIOGO CÃO funcionaram CURSOS DE REGENTES ESCOLARES e de PROFESSORES DO QUADRO EVENTUAL,
-- 1956 - AGOSTO - 1 - Criação de LICEUS em NOVA LISBOA e BENGUELA.
-- 1956 - OUTUBRO - Foi criado o INSTITUTO PROFISSIONAL em SILVA PORTO e MALANJE.
-- 1956 - Durante o ano foram criadas 2 ESCOLAS PRÁTICAS DE AGRICULTURA (uma a Norte e outra a Sul).A ESCOLA AGRO-PECUÁRIA "DR. FRANCISCO VIEIRA MACHADO", no THIVINGUIRO (na HUILA), passa a ENSINO MÉDIO AGRÍCOLA ( Cursos de REGENTES AGRÍCOLAS),com o mesmo.
Foram criadas ESCOLAS PRIMÁRIAS : "CÂMARA LEME" e "SOUSA DIAS", em SÁ DA BANDEIRA.

-- 1957 - ABRIL - 17 - Decreto Lei nº 2.820 - Cria cursos do ENSINO PRIMÁRIO para maiores de 14 anos e de adultos.
-- 1957 - OUTUBRO - Foi fundada uma Escola Feminina na Missão Católica da BELA VISTA sob a orientação das Irmãs Teresianas.
-- 1957 - Durante o ano iniciaram-se os cursos de REGENTES AGRÍCOLAS na ESCOLA DO TCHIVINGUIRO, substituindo os anteriores de PRÁTICOS AGRÍCOLAS e o ENSINO RUDIMENTAR passa a designar-se "de Adaptação".
Em LUANDA teve lugar uma CONFERÊNCIA INTER-AFRICANA da Comissão para a Cooperação Técnica na ÁFRICA AO SUL DO SAHARA, onde foram tratados assuntos sobre o ENSINO INDUSTRIAL e a introdução da língua portuguesa a partir do início do Ensino Primário, em que, no final do ano lectivo 1956/57 estiveram matriculados 26.787 alunos. O LICEU DIOGO CÃO tinha 500 alunos internos e 95 externos.

-- 1958 - DEZEMBRO - Abertura do EXTERNATO DO SEMINÁRIO DE MALANJE.

-- 1960 - DEZEMBRO - O recenseamento sobre o ENSINO apresenta os seguintes dados : um total de 200 mil estudantes, sendo 135 mil os "civilizados". Por milhares : brancos 79 -- Mestiços - 26 ; Negros - 30. -- Havia 43 mil analfabetos, sendo, em milhares : Brancos- 18 ; Mestiços - 10; Negros - 15.-- Os instruídos totalizavam 92 mil. Existiam mais de duas mil escolas : 717 do Ensino Primário 1.300 de "Adaptação" ; 7 Liceus e 20 Escolas Técnicas e Normais.

-- 1961 - MAIO - 15 - Fundação do LICEU "ALMIRANTE LOPES ALVES" no LOBITO.
-- 1961 - MAIO - 19 - Fundação do LICEU masculino de LUANDA "PAULO DIAS DE NOVAIS".
-- 1961
...................................................................

---------- De : "ANGOLA - DATAS E FACTOS - 5º Volume : ----------

-- 1961 - OUTUBRO - 21 - Fundação do LICEU "ALMIRANTE AMÉRICO TOMÁS", em MOÇÂMEDES.
-- 1961 - OUTUBRO - 26 - Foi estabelecida a ESCOLA PRÁTICA DE AGRICULTURA DE SALAZAR (criada em 13-10-1956). Criadas as ESCOLAS ´TÉCNICAS ELEMENTARES DE : LUANDA - NOVA LISBOA - CABINDA - CARMONA - GABELA e LUSO.
-- 1961 - Durante o ano foram criados : LICEU "PAULO DIAS DE NOVAIS"(LOBITO) - INSTITUTO INDUSTRIAL (NOVA LISBOA) - INSTITUTO COMERCIAL (SÁ DA BANDEIRA) --
Em NOVA LISBOA foram iniciados cursos de Agricultura e Silvicultura Tropicais; no LABORATÓRIO CENTRAL DE PATOLOGIA VETERINÁRIA os cursos de Pecuária e de Enfermagem Veterinária.

-- 1962 - FEVEREIRO - 28 - Portaria nº 12.110 (?) - Foram criadas 5 zonas de Inspecção do ENSINO PRIMÁRIO E SUPERIOR em ANGOLA : - LUANDA - MALANJE - SÁ DA BANDEIRA - NOVA LISBOA - BENGUELA --
-- 1962 - MARÇO - 9/10 - Realização do I ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES, em COIMBRA.
-- 1962 - MARÇO - 17 - Criação das ESCOLAS DE MAGISTÉRIO PRIMÁRIO em MALANJE e SILVA PORTO.
-- 1962 - MARÇO - 21 - Publicação do novo Regulamento da ESCOLA DE APLICAÇÃO DE ENSAIOS DE LUANDA. Revoga a portaria de 26/3/1938 .
-- 1962 - MARÇO - 23 - Em PORTUGAL foram proibidas as comemorações do "DIA DO ESTUDANTE", seguindo-se as greves às aulas...
-- 1962 - ABRIL - 21 - D.L. nº 3.235 - Organizados os CENTROS DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS, com diversos cursos, a funcionarem junto dos INSTITUTOS DE INVESTIGAÇÃO E DO LABORATÓRIO DE ENGENHARIA DE ANGOLA. - Fundação do CENTRO DE ESTUDOS DE ANTROPOLOGIA CULTURAL junto ao INSTITUTO SUPERIO R DE ESTUDOS ULTRAMARINOS.
-- 1962 - MAIO - 30 - Criação do CENTRO DE ESTUDOS DE ANTROPOBIOLOGIA na Junta de Investigação do Ultramar e em colaboração com o INSTITUTO SUPERIOR DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS.
-- 1962 - DEZEMBRO - 3 - Criação do INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E SERVIÇO SOCIAL PIO XII.
-- 1962 - DEZEMBRO - No ENSINO PRIMÁRIO DE ANGOLA estavam matriculados 123.641 alunos. No ENSINO SUPERIOR tinham tomado posse os primeiros reitores dos ESTUDOS GERAIS UNIVERSITÁRIOS DE ANGOLA "JOSÉ NAVARRO".

-- 1963 - MAIO - 4 - Foi atribuído o nome de "EMÍDIO NAVARRO" à ESCOLA TÉCNICA ELEMENTAR DE NOVA LISBOA e de "JOÃO CRISÓSTOMO" à de LUANDA.
-- 1963 - AGOSTO - 24 - Transferência da ESCOLA DO MAGISTÉRIO PRIMÁRIO DE MALANGE para LUANDA, por falta de frequência.
-- 1963 - SETEMBRO - 7 - Foi criado o INSTITUTO INDUSTRIAL e o INSTITUTO COMERCIAL DE LUANDA.
-- 1963 - OUTUBRO - 6 - Inauguração dos ESTUDOS GERAIS UNIVERSITÁRIOS DE ANGOLA...no LICEU "SALVADOR CORREIA", em LUANDA...
Foram iniciados os seguintes : LUANDA - Faculdade de Arte e Medicina; SÁ DA BANDEIRA : Faculdade de Educação; NOVA LISBOA : Faculdade de Agronomia e Veterinária. Tiveram uma frequência total de 314 alunos.
-- 1963 - DEZEMBRO : As matrículas no ano lectivo 1963/64 registaram o total de 181.848 (181.649 ?)alunos, assim distribuídos pelos Ensinos de : INFANTIL - 18 Escolas com 47 professores e 1.071 alunos -- PRIMÁRIO - 2.078 Escolas e Postos Escolares com 3.895 professores e 155.374 alunos; -- SECUNDÁRIO - 25 Escolas, 477 (?) professores e 10.220 alunos, sendo :(Profissional - 3.618 e Técnico 6.602) em 21q(?) estabelecimentos com 427 professores); -- LICEAL : 50 estabelecimentos com 542 professores e 10.403 alunos. -- MÉDIO : (com diversos cursos) 509 alunos, sendo : INSTITUTO COMERCIAL - 2 com 24 professores e 85 alunos; - INSTITUTO INDUSTRIAL - 2 com 29 professores e 123 alunos; -- MAGISTÉRIO PRIMÁRIO - 3 com 23 professores e 96 alunos; -- AGRÍCOLA - 1 com 192 alunos ; -- SERVIÇO SOCIAL : 1 com 20 professores e 13 (?) alunos -- PROFISSIONAL ELEMENTAR (ARTES E OFÍCIOS) - com 2.094 alunos; -- (ainda o número de alunos em : ESCOLAS DE QUADROS PÚBLICOS - 943; -- ECLESIÁSTICOS - 521; -- ARTÍSTICOS - 118; -- LÍNGUAS ESTRANGEIRAS - 102 -- UNIVERSITÁRIOS - 273; -- DIVERSOS - 220.--

-- 1964 - JANEIRO - 1 - Entra em vigor o novo sistema educativo que prevê a existência da SECRETARIA PROVINCIAL DA EDUCAÇÃO DE ANGOLA.

-- 1964 - MARÇO - 26 - Entra em funções o Secretário Provincial de Educação, PINHEIRO DA SILVA, natural do MAIOMBE (CABINDA), nomeado no dia 20.
-- 1964 - ABRIL - 20 - Inauguração de 13 Cantinas escolares em LUANDA.
-- 1964 - AGOSTO - 8 - As ESCOLAS TÉCNICAS ELEMENTARES de CABINDA, CARMONA, GABELA LUSO e SALAZAR passam a ESCOLAS INDUSTRIAIS E COMERCIAIS. Foi criado o FUNDO DAS CANTINAS ESCOLARES DE ANGOLA.
-- SETEMBRO - 10 - Decreto-Lei nº 45.908 - Reforma do ENSINO PRIMÁRIO ELEMENTAR DO ULTRAMAR, englobando diversa legislação. Desaparece a diferença entre o ENSINO SECUNDÁRIO RUDIMENTAR (de Adaptação) e o PRIMÁRIO. Prevê a fundação de mais ESCOLAS DE HABILITAÇÃO DE PROFESSORES DE POSTO ESCOLAR.
-- 1964 - NOVEMBRO - 27 - Foi aprovado o Regulamento Geral das Cantinas Escolares de ANGOLA,
-- 1964 - DEZEMBRO - No ENSINO (ano lectivo 1964/65) existiam : - 2.561 Escolas Primárias e Postos Escolares, com um total de 4,516 professores e 194.321 alunos (incluindo o ENSINO INFANTIL com 20 Escolas, 45 professores e 1.172 alunos); -- ENSINO ELEMENTAR - 7 Escolas com 21 professores e 522 alunos; -- ENSINO LICEAL - 51 Estabelecimentos, com 578 professores e 11.970 alunos; -- INSTITUTOS COMERCIAIS 2, com 27 professores e 152 alunos; -- INSTITUTOS INDUSTRIAIS - 2, com 25 professores
e 338 alunos; -- ENSINO TÉCNICO PROFISSIONAL - 41 estabelecimentos, com 656 professores e 11.745 alunos; -- ENSINO UNIVERSITÁRIO - 1 (em LUANDA) com 38 professores e 400 alunos; -- DIVERSOS - 19 com 177 professores e 1.171 alunos. A ESCOLA DE REGENTES AGRÍCOLAS "DR.VIEIRA MACHADO", no TCHIVINGUIRO , tinha 212 alunos, em regime de Internato. No distrito do UIJE e desde 15 de MARÇO de 1961, foram criadas 263 novas Escolas com a capacidade de 11.230 alunos. As cantinas Escolares atenderam (neste ano) 36.558 estudantes e serviram 5.618.555 refeições ! --- O TOTAL GERAL era de : 2.704 estabelecimentos, 6.083 professores e 221.891 alunos.

-- 1965 - JANEIRO - 19 - Nomeação da Comissão Provincial das Cantinas Escolares.
-- 1965 - MARÇO - 10 - Criação do MUSEU DE ETNOLOGIA na Junta de Investigação do Ultramar.
-- 1965 - JULHO - 31 - Decreto nº 46.464 - Cria as modalidades de ENSINO AGRÍCOLA ELEMENTAR, SECUNDÁRIO E MÉDIO em ESCOLAS AGRÍCOLAS.
-- 1965 - JULHO - 31 - Para o ano lectivo 1965/66 apresentavam-se as seguintes perspectivas : 3.202 estabelecimentos com o total de 7.555 professores e de 264.119 alunos, assim distribuídos : - 3.046 ESCOLAS PRIMÁRIAS e POSTOS ESCOLARES com o total de 5.771 professores e de 230.833 alunos, havendo ainda na INFANTIL : 22 Escolas, com 48 professores e 1.461 alunos; -- ENSINO ELEMENTAR - 8 Escolas, com 33 professores e 645 alunos; -- ENSINO SECUNDÁRIO e o ENSINO LICEAL com 55 estabelecimentos, 659 professores e 14.577 alunos (sendo 12.854 do Secundário);--- TÉCNICO PROFISSIONAL - 44 estabelecimentos, com 726 professores e 13.951 alunos; -- ENSINO MÉDIO com : INSTITUTOS COMERCIAIS - 2, com 33 professores e 199 alunos; -- INSTITUTOS INDUSTRIAIS - 2, com 41 professores e 256 alunos; -- ENSINO UNIVERSITÁRIO : 1, com 38 professores e 418 alunos; -- SEMINÁRIO - 7, com 55 professores e 679 alunos.-- DIVERSOS : - 15, Estabelecimentos com 151 professores e 1.100 alunos (incluindo o Magistério Primário e 3 estabelecimentos em : LUANDA, SÁ DA BANDEIRA e SILVA PORTO, com um total de 225 alunos.
-- 1965 - SETEMBRO - 4 - Criação do LICEU NACIONAL "SILVA CUNHA", em SILVA PORTO.
-- 1965 - NOVEMBRO - 17 - D.L. nº 1 - Cria O INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÌFICA DE ANGOLA (IICA). - Portaria nº 14.015 - Funcionamento da Comissão Provincial das Cantinas Escolares.

-- 1966 - JANEIRO - A ASSOCIAÇÃO DOS ESTUDANTES PORTUGUESES, na Universidade de LAUSANA, aprova uma declaração contra a política ultramarina do governo português.
-- 1966 - MARÇO - 16 - Extinto INSTITUTO DE MEDICINA TROPICAL e criada a ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA E DE MEDICINA TROPICAL.
-- 1966 - SETEMBRO - Para o ano lectivo 1966/67 estavam matriculados 332.587 (331.968 ?) alunos nos 3.775 estabelecimento de Ensino existentes e com um total de 9.150 professores : - PRIMÁRIO - 296.982; -- SECUNDÁRIO - 31.437(sendo : LICEAL - 16.191 e TÉCNICO PROFISSIONAL - 15.246) -- MÉDIO (diversos cursos) - 960; -- PROFISSIONAL ELEMENTAR - 1.035 ; -- ECLESIÁSTICO - 715 ; -- UNIVERSITÁRIO - 644 ; -- ARTÍSTICO - 195 -- SERVIÇOS PÚBLICOS - 619.

-- 1967 - JANEIRO - 2 - CICLO PREPARATÓRIO (?) -
-- 1967 - MARÇO - 25 - Fundado o LICEU NACIONAL "SALAZAR", na cidade de CARMONA.
-- 1967 - MARÇO - 25 - Foram criadas as ESCOLAS TÉCNICAS ELEMENTARES de : VILA NOVA DO SELES - SANTA COMBA (CELA) - GENERAL MACHADO (CAMACUPA).
-- 1967 - MAIO - 26 - Portaria Ministerial nº 1 - Cria Cursos de AUXILIARES TÉCNICOS DE PECUÁRIA em ANGOLA, a cargo dos Serviços de Veterinária.
-- 1967 - MAIO - 31 - Fundadas as ESCOLAS TÉCNICAS ELEMENTARES de : TEIXEIRA DA SILVA (BAILUNDO) - GOLUNGO ALTO - PORTO ALEXANDRE - NEGAGE - MARIANO MACHADO (GANDA)- FOLGARES (MATALA).
-- 1967 - JUNHO - 17 - As ESCOLAS TÉCNICAS ELEMENTARES de HENRIQUE CARVALHO e do CUBAL, passam a ESCOLAS INDUSTRIAIS E COMERCIAIS.
-- 1967 - JULHO - 19 - Ao LICEU DE NOVA LISBOA foi atribuído o nome de "NORTON DE MATOS".
-- 1967 - SETEMBRO - 9 - Inauguração de uma Escola construída pela MOCIDADE PORTUGUESA e entregue à Missão de CAZANGA.
-- SETEMBRO - O ano lectivo 1967/68 apresenta a seguinte posição : ENSINO MÉDIO AGRÍCOLA - 189 alunos (?).
-- OUTUBRO - 4 - Torna extensivo ao Ultramar a criação do CICLO PREPARATÓRIO (v. 2/1/1967) -
-- 1967 - NOVEMBRO - 20 - Portaria nº 15.254 - Aprova o Regulamento dos Cursos de AUXILIARES TÉCNICOS DE PECUÁRIA DE ANGOLA.
-- 1967 - NOVEMBRO - 22 - Instalação de uma ESCOLA PRÁTICA DE AGRICULTURA em FOLGARES (criada em 13-10-1956).
-- 1967 - DEZEMBRO - No ENSINO PRIMÁRIO existiam 9.447 agentes em serviço.

-- 1968 - JANEIRO - 10 - Passam a ser processadas em ANGOLA as cadeiras da parte final de MATEMÁTICA, FÍSICA, QUÍMICA e BIOLOGIA.
-- 1968 - FEVEREIRO - 28 - O Dr. LEANDRO DE MENDONÇA cessa o cargo de Reitor do "LICEU DIOGO CÃO", por limite de idade.
-- 1968 - MAIO - 20 - Falecimento do DR. LEANDRO DE MENDONÇA (conhecido por "O MENDONÇA DAS FORÇAS), que fora Reitor do LICEU "DIOGO CÃO".
Conforme sua vontade foi sepultado no "Cemitério dos Colonos nos Barracões", local da fundação da velha povoação do LUBANGO.
-- 1968 - JULHO - 19 - Ao LICEU DE NOVA LISBOA,fundado em 1-8-1956, foi atribuído o nome de "NORTON DE MATOS".
-- 1968 - AGOSTO - 7 - Publicação do novo Regulamento do ENSINO PRIMÁRIO ELEMENTAR.
-- 1968 - AGOSTO - 14 - Criação dos Cursos de Formação e Actualização de Professores do CICLO PREPARATÓRIO DO ENSINO SECUNDÁRIO.
-- 1968 - AGOSTO - 23/25 - Publicação das alterações ao Regulamento do CICLO PREPARATÓRIO do ENSINO SECUNDÁRIO DO ULTRAMAR.
-- 1968 - SETEMBRO - 3 - Início dum Curso de AGENTE RURAL em VILA MARIANO MACHADO (GANDA).
-- 1968 - SETEMBRO - 28 - Foram criadas ESCOLAS DE MAGISTÉRIO PRIMÁRIO em : LUANDA - BENGUELA e CABINDA.
-- 1968 - SETEMBRO - 29 - Termina o Curso de AUXILIARES DE AGENTE RURAL em VILA ARRIAGA (MOÇAMEDES), iniciado em 1 de Abril.
-- 1968 - OUTUBRO - 1 - O Curso de AUXILIAR DE AGENTE RURAL passa a designar-se de CAPATAZES, sendo efectuadas as necessárias adaptações e tendo inicio em SÁ DA BANDEIRA e devendo terminar no dia 5 de DEZEMBRO.
-- 1968 - OUTUBRO - 7 - Foram criadas Escolas do ENSINO SECUNDÁRIO em : LUANDA (2) - NOVA LISBOA (2) - e uma nas seguintes localidades : BELA VISTA - BENGUELA - CABINDA - CACONDA - CARMONA - CUBAL - DONDO - GABELA - HENRIQUE DE CARVALHO - LOBITO - LUSO - MALANJE - MOÇAMEDES - NOVO REDONDO - PORTO AMBOIM - QUIBALA - ROBERT WILLIANS - SALAZAR - SERPA PINTO e SILVA PORTO --- Foram convertidas em PREPARATÓRIAS DO ENSINO SECUNDÁRIO as ESCOLAS TÉCNICAS ELEMENTARES de : LUANDA("JOÃO CRISÓSTOMO" e "EMÍDIO NAVARRO") -- FOLGARES - GENERAL MACHADO (CAMACUPA) - GOLUNGO ALTO - MARIANO MACHADO (GANDA) - NEGAGE - PORTO ALEXANDRE - SANTA COMBA (CELA) - TEIXEIRA DA SILVA (BAILUNDO) e VILA NOVA DO SELES.
--1968 - OUTUBRO - 17 - Foi criada a ESCOLA PREPARATÓRIA "MARIA DO RESGATE SALAZAR" junto ao LICEU D. GUIOMAR DE LENCASTRE", em LUANDA.
-- 1968 - NOVEMBRO - 9 - Foi aprovado o novo Regulamento da ESCOLA DE ENSINO PRIMÁRIO DE APLICAÇÃO E ENSAIOS DE LUANDA.
-- 1968 - NOVEMBRO - 20 - Aplicado ao ULTRAMAR o Estatuto do CICLO PREPARATÓRIO do ENSINO SECUNDÁRIO, aprovado em 9 de Setembro.
-- 1968 - DEZEMBRO - 23 - Decreto-Lei nº 48.790 - Altera a designação de ESTUDOS GERAIS UNIVERSITÁRIOS para UNIVERSIDADE DE LUANDA (sendo o Professor Doutor IVO FERREIRA SOARES nomeado seu "Magnífico Reitor") e da UNIVERSIDADE DE LOURENÇO MARQUES.
-- 1968 - DEZEMBRO - Durante este ano foram publicadas as obras : "Luanda - ilha crioula", de MÁRIO ANTÓNIO (pela Agência Geral do Ultramar); -- "LUANDA - Estudo da Geografia Urbana", de ILÍDIO DO AMARAL; --

-- 1969 - JANEIRO - 16 - Foram criados os LICEUS de : - "GUILHERME CAPELO", de CABINDA e "MARCELO CAETANO", do LUSO -- a ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE SANTA COMBA(no Colonato da CELA) e as ESCOLAS PREPARATÓRIAS DO ENSINO SECUNDÁRIO em : S. SALVADOR DO CONGO, SANTO ANTÓNIO DO ZAIRE, AMBRIZETE ; CALULO e ANDULO.
-- 1969 - FEVEREIRO - 10 - Criada a ESCOLA PRIMÁRIA Nº 321, no DONDO.
-- 1969 - MARÇO - 10 - Foi criado o POSTO ESCOLAR de ALDEIA NOVA (CUANZA NORTE).
-- 1969 - ABRIL - 3 - Portaria da nomeação do Secretário Provincial de Educação, PINHEIRO DA SILVA, de Patrono da ESCOLA ELEMENTAR PROFISSIONAL DE ARTES E OFÍCIOS DE PEREIRA D'EÇA.
-- ABRIL - 5 - Anulada a criação da ESCOLA PRIMÁRIA nº 320, no CUMA, distrito do HUAMBO, transitando para o Bairro Académico, em NOVA LISBOA.
-- ABRIL - 13 - Início do 7º CURSO DE CAPATAZES AGRÍCOLAS, em QUILENGUES.
-- ABRIL - 25 - Portaria 24.044 - Aprovação e Aplicação às Províncias Ultramarinas do Programa do CICLO ELEMENTAR DO ENSINO PREPARATÓRIO (v. Decreto-Lei nº 45.908).
-- ABRIL - 29 - Portaria criando ESCOLAS ELEMENTARE-PROFISSIONAL DE ARTES E OFÍCIOS em : BUCO-ZAU, CABINDA, BEIRA A NOVA, CACONDA, CHIBIA, LUANDA (sub-urbana) , TOMBOCO e VILA ARTUR DE PAIVA.
-- MAIO - 5 - O Governador-geral, REBOCHO VAZ, inaugura o LICEU "AMÉRICO TOMAS", em MOÇÂMEDES.
-- MAIO - 6 - O Jardim Escola de BENGUELA recebeu o nome de "BERTA RIBEIRO A. CRAVEIRO LOPES". Foi criado o POSTO ESCOLAR de BANGA (CUANZA NORTE) .
-- MAIO - 27 - Criada a ESCOLA PRIMÁRIA Nº 322, no LUSO.
-- MAIO - 28 - Foram criados 15 Postos Escolares no distrito do CUANZA NORTE.
-- MAIO/JUNHO - Realização do 3º Curso de CAPATAZES AGRÍCOLAS em MALANJE.
-- JUNHO - 9 - Criados 7 Postos Escolares no concelho de PORTUGÁLIA (distrito da LUNDA).
-- JUNHO - 13 - Termina o 7º Curso de CAPATAZES AGRÍCOLAS em QUILENGUES.
-- JUNHO - 20 - Decreto-Lei nº 49.072 - Passa a ser professada nas Universidades de LUANDA e LOURENÇO MARQUES a parte final das licenciaturas de FILOLOGIA ROMÂNICA, HISTÓRIA e GEOGRAFIA, com o grau de bacharelato. Altera a constituição dos seus Senados.
-- JUNHO - 20 - Início do º (?) Curso de CAPATAZES AGRÍCOLAS EM QUILENGUES.
-- JUNHO - 25 - Criação da ESCOLA DE HABILITAÇÃO DE PROFESSORES DE POSTO ESCOLAR de CACONDA (HUILA) e das ESCOLAS PRIMÁRIAS: nº 323(em CARMONA) e nº 324 (em NOVO REDONDO).
-- JUNHO - Início do ( 5º ?) Curso de CAPATAZES AGRÍCOLA em SILVA PORTO (BIÉ).
-- JULHO - 9 - Foi criada a ESCOLA PRIMÁRIA nº 325, em CUNDA-RIA-BAZA (distrito de MALANJE), substituindo o seu POSTO ESCOLAR.
-- JULHO - 25 - Criado o POSTO ESCOLAR DE CEDOFEITA (distrito do MOXICO).
-- AGOSTO - 12 - Criado o POSTO ESCOLAR DE SANGAGE (distrito do MOXICO).
-- AGOSTO - 19 - Fundadas as ESCOLAS DE ARTES E OFÍCIOS em : - AMBRIZ - AMBRIZETE - BALOMBO (BENGUELA) - CARMONA - CAXITO - CUMA - HENRIQUE DE CARVALHO - MALANJE - NECUTO (CABINDA) - SALAZAR - SILVA PORTO - TEIXEIRA DE SOUSA - VIANA.
-- AGOSTO - 20 - Criada a ESCOLA DE HABILITAÇÃO DE PROFESSORES DE POSTO ESCOLAR, "D. MANUEL ANTÒNIO PIRES",no ANDULO ; a de CACONDA foi designada "D.ALTINO RIBEIRO SANTANA".
-- AGOSTO - 20 - Termina o 6º Curso de CAPATAZES AGRÍCOLAS em QUILENGUES.
-- AGOSTO - 26 - Foi atribuído o nome de "ANTÓNIO FERNANDES Jr."À ESCOLA ELEMENTAR DE ARTES E OFÍCIOS de BUCO-ZAU, criada em 29 de Abril.
Foram atribuídos "Patronos" às ESCOLAS ELEMENTARES de ARTES E OFÍCIOS de : BENGUELA - CABINDA - CACONDA - CARMONA - CHIBIA - CUMA - GABELA - LUANDA - LUSO - SILVA PORTO - TOMBOCO e VILA ARTUR DE PAIVA.
-- AGOSTO - Início do 4º (?) Curso de CAPATAZES AGRÍCOLAS em MALANJE e do 8º em QUILENGUES.
-- SETEMBRO - 5 - Foram criadas Secções Agrícolas (com um Curso de AGENTE RURAL) nas ESCOLAS : INDUSTRIAL E COMERCIAL "SÁ VIANA REBELO" (MALANJE) e "JOÃO DE ALMEIDA" (SILVA PORTO).
-- SETEMBRO - 17 - Criada na ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL "VASCO DA GAMA"(NOVO REDONDO), o Curso de FORMAÇÃO DE ELECTROMECÂNICO, substituindo o Curso de MONTADOR ELECTRICISTA.
-- SETEMBRO - 19 - Criação dos POSTOS ESCOLARES de QUIFANGONGO e da NBARRA DO BENGO (concelho do CACUACO), distrito de LUANDA.
-- SETEMBRO - 24 - Criação das ESCOLAS PRIMÁRIAS : nº 326 - QUICOLO(LUANDA) - nº 327 -BAIRRO DA MASSANGARALA (BENGUELA) - ; nº 328 - BAIRRO DA FRONTEIRA (BENGUELA) - nº 329 - BAIRRO RANGEL (LUANDA); nº 330 - BAIRRO DO PRENDA (LUANDA).
-- SETEMBRO - O ano lectivo de 1969/70 apresentava a seguinte situação : Matrículas para : Ensino Secundário Agrícola - 155 alunos. ENSINO MÉDIO AGRÌCOLA - 214 alunos.
-- OUTUBRO - 1 - Criação da "TELESCOLA" em ANGOLA, com a colaboração da Rádio.
-- OUTUBRO - 1 - Portaria nº 16.429 - Aprova o Regimento do Conselho de Inspectores Escolares do Ensino Primário.
-- OUTUBRO - 3 - Foi criada a ESCOLA PRIMÁRIA nº 331 "VILA GUILHERME CAPELO", em CABINDA.
-- OUTUBRO - 10 - O angolano (natural de CABINDA) PINHEIRO DA SILVA foi nomeado Inspector Superior do Ministério da Educação.
-- Foi criada a ESCOLA PRIMÁRIA nº 332 na QUILUNDA (CUANZA SUL)e atribuído o nome de "CARLOTO DE CASTRO" à ESCOLA ELEMENTAR PROFISSIONAL DE ARTES E OFÍCIOS DA LUNDA. Foi criado o POSTO ESCOLAR DO LUNGO (Posto da LOLA, distrito de MOÇAMEDES.
-- OUTUBRO - 16 - Criados os Postos Escolares de ICOLO e BENGO.
-- NOVEMBRO - 4 - Transferência da ESCOLA ELEMENTAR PROFISSIONAL DE ARTES E OFÍCIOS DE SALAZAR (criada em 19-8-1969) para SAMBA CAJÚ.
-- NOVEMBRO - 8 - Decreto-Lei nº 49.347 - Cria a ESCOLA PREPARATÓRIA DO ENSINO SECUNDÁRIO DA JAMBA, distrito da HUILA. Extinção da ESCOLA PRIMÁRIA nº 237, de BENGUELA. Criada a ESCOLA PRIMÁRIA Nº 333 em SALAZAR.
-- NOVEMBRO - 20 - Criação da ESCOLA PRIMÁRIA nº 334, em ROBERT WILLIANS (CAÁLA).
-- NOVEMBRO - 28 - Fundado o Posto Escolar de "MORADORES CAMBO" (MALANJE).
-- NOVEMBRO - 29 - Foram atribuídos novos "Patronos" às ESCOLAS PREPARATÓRIAS :SANTO ANTÓNIO DO ZAIRE (FERNANDO TORRES VIEIRA DIAS") - AMBRIZETE ("JOAQUIM CORDEIRO DA MATA") - CALULO ("FERNANDO S. PIMENTEL JR.) - ANDULO ("JUSTINO MENDES DE ALMEIDA").
-- DEZEMBRO - 27 - DEcret-Lei nº 49.448 - Cria a BIBLIOTECA NACIONAL DE ANGOLA e extingue a BIBLIOTECA CENTRAL DE EDUCAÇÃO.
-- DEZEMBRO - Durante o ano foram ainda criadas : - ESCOLA DE HABILITAÇÃO DE PROFESSORES DE POSTO ESCOLAR DE SANTA COMBA (CELA), distrito de CUANZA SUL, tendo-lhe sido atribuído o nome de "CABRAL CARMONA" e o CURSO DE FORMAÇÃO DE ELECTRO-MECÂNICO na ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL "ÓSCAR CARMONA", em SALAZAR, substituindo os Cursos de FORMAÇÃO DE SERRALHEIRO e MONTADOR ELECTRICISTA.
--Publicações deste ano : "Nationalismes en ANGOLA", da Revue Française de Science Politique, de RENÉ PÉLISSIER . "De manhã cai o Cacimbo", de ORLANDO DE ALBUQUERQUE-

-- 1970 - JANEIRO - 28 - Decreto nº 27/70 - Cria os LICEUS mistos de : "INOCÊNCIO DE SOUSA COUTINHO"(em NOVO REDONDO) e o de "PEDRO ALEXANDRINO DA CUNHA" na GABELA.
-- FEVEREIRO - 27 - Foi atribuído o nome de "NARCISO DO ESPÍRITO SANTO" à ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE SANTA COMBA DÃO (CELA).
-- AGOSTO - 25 - A ESCOLA DE HABILITAÇÃO DE PROFESSORES DE POSTO ESCOLAR de BELISE (CABINDA), passa a designar-se "EURICO FERREIRA GONÇALVES",seu patrono.
-- SETEMBRO - 17 - A ESCOLA ELEMENTAR DE ARTES E OFÍCIOS DA HUMPATA, distrito da HUILA, recebe o nome da sua patrona "IRENE B. MEDEIROS PORTELA",a primeira professora do Ensino Primário Oficial do LUBANGO.
-- SETEMBRO - O ano lectivo 1970/71 apresentava a seguinte situação : 483.134 alunos matriculados nos Ensinos : PRIMÁRIO - 420.410 ; - secundário - 51.815 ; - médio - 1.500; - eclesiástico - 841; - diversos - 8.568.
-- OUTUBRO - 13 - Atribuição do nome do militar GERALDO ANTÓNIO VICTOR" a uma ESCOLA PREPARATÓRIA de LISBOA.

-- 1971 - MARÇO - 12 - Foram criadas 4 ESCOLAS PRIMÁRIAS na LUNDA.
-- MARÇO - 17 - Posse do 1º Director da BIBLIOTECA NACIONAL DE ANGOLA, em LUANDA, Dr. CARMO VAZ.
-- MAIO - 5 - Nova Sessão do Conselho Legislativo. Foi criada uma secção do LICEU NACIONAL "PEIXOTO CORREIA", de BENGUELA.
-- MAIO - 29 - Criação duma ESCOLA PRIMÁRIA em MOÇÂMEDES.
-- JUNHO - 4 - Inauguração da ESCOLA DE ARTES E OFÍCIOS de VILA NORTON DE MATOS.
-- JUNHO - 16 - Foram criados 4o POSTOS ESCOLARES no distrito do ZAIRE.
-- SETEMBRO - Ano lectivo de 1971/72 - Nos diversos graus de Ensino estavam matriculados os seguintes alunos : PRIMÁRIO - 494.800 -- SECUNDÁRIO - 62.912 -- PREPARATÓRIO - 35.000 -- LICEAL - 16.000 -- TÉCNICO - 12.000.

-- 1972 - JULHO - 9 - Faleceu, em SÁ DA BANDEIRA, a Madre MARIA DA GLÓRIA ARRAIANO, Superiora das Irmãs DOROTEIAS, com 83 anos de idade e 38 de serviço naquele Colégio.

-- 1973 - SETEMBRO - Ano lectivo de 1973/74 - A frequência escolar era de 608.000 alunos ou seja 18,8 % da população em idade escolar.

-- 1974 - DEZEMBRO - Não obstante o "terrorismo" do Norte, ainda havia um total de 500.000 alunos matriculados nos Ensino Oficial e Particular, correspondendo a 8% da população total, média considerada de destaque para o continente africano ! Nas missões católicas e noutras instituições religiosas estudavam cerca de 150.000 alunos. A Congrgação de S. JOSÉ DE CLUNY exerciam 72 irmãs africanas e 101 europeias; as Irmãs Doroteias tinham 118 irmãs nos seus Colégios de SÁ DA BANDEIRA, BENGUELA e LUANDA . Nas Irmãs do SANTÍSSIMO SALVADOR existiam 32 irmãs africanas e 41 europeias. No total havia : 118 sacerdotes angolanos e 428 não angolanos; Irmãs - l58 angolanas e 753 não angolanas, a maioria dedicada ao ENSINO e à SAÚDE !.

-- 1975 -
.......................................................

----- DE : "ANGOLA - DATAS E FACTOS" -------- 6º VOLUME ----

-- 1975 - NOVEMBRO -
-- 1975 - DEZEMBRO - 9 - Lei nº 4/75 - Nacionalização do ENSINO (a todos os níveis) em ANGOLA.
.......................................................

=====================================================================

---------------------------- Em actualização) ---------------------------

-----------------------------------------------------------

--- DE : APONTAMENTOS VIRTUAIS DO AUTOR, (além dos constantes das suas obras, já publicadas (-- a intercalar oportunamente --) :

-- 1845 - Início da INSTRUÇÃO PÚBLICA oficial.
-- 1857 - FEVEREIRO - Publicação em LUANDA do Decreto (de 1856) sobre a criação do Colégio das Missões Ultramarinas.
-- 1883 - MARÇO - 3 - Chegam a LUANDA as Irmãs Hospitaleiras.
-- 1883 - ABRIL - 25 - As "Irmãs Educadoras" (S.José de Cluny) foram proibidas de exercer a sua actividade na Escola Indígena das INGOMBOTAS e regressam para PORTUGAL, acusadas de administrarem ilegalmente ..."instrução religiosa".
-- 1885 - FEVEREIRO - 22 - D.ANTÓNIO TOMÁS DA SILVA LEITÃO E CASTRO,Bispo de ANGOLA E CONGO,criou uma ..."Aula de Línguas africanas", em LUANSA.
-- 1883 - SETEMBRO - 6 - Início da primeira Escola Primária
-- 1888 - SETEMBRO - 30 - Início do funcionamento da Escola Primária das INGOMBOTAS (
Municipal e destinada apenas ao sexo masculino), em especial aos mais necessitados..."pois podia ser frequentada usando somente uma tanga,se não tivessem mais roupa"...
-- 1893 - DEZEMBRO - 12 - Determina a recolha de todos documentos oficiais recebidos até 1889, enviando-os para a Secretaria-Geral, para futura classificação e registos.
-- 1897 - JUNHO - 3 - Referência ao MUSEU PROVINCIAL DE ANGOLA, a cargo do pároco da Sé, Padre MIGUEL AUGUSTO FERREIRA (Conservador).
-- 1902 - ABRIL - 24 - Criação do HOSPITAL COLONIAL DE LISBOA e ESCOLA DE MEDICINA TROPICAL (anexa), sob a direcção do ex-governador-geral, RAMADA CURTO.
-- 1906 - JANEIRO - 18 - Foi criada a ESCOLA COLONIAL, em LISBOA,enquanto em LUANDA era criada a ESCOLA PROFISSIONAL D. CARLOS I.
-- 1906 - OUTUBRO - 25 - Inauguração da ESCOLA COLONIAL (com Estatutos aprovados no dia 4).
-- 1906 - DEZEMBRO - 12 - Inauguração do MUSEU ETNOGRÁFICO DE ANGOLA.
-- 1908 - JANEIRO - 9 - Publicação do "GUIA DE LÍNGUAS INDÍGENAS" : sua preparação -- penas aplicadas aos professores primários...
-- 1908 - MARÇO - 11 - Criação da ESCOLA PRIMÁRIA em Nª.Sª. DO CARMO (LUANDA).
-- 1908 - JULHO - 4 - Foram criadas 10 Escolas Primárias no distrito do CONGO.
-- 1908 - SETEMBRO - 25 - D. MANUEL II determina que devem ter preferências os alunos da Escola Colonial de Lisboa ou com o Curso Colonial da Faculdade de Direito.
-- 1908 - DEZEMBRO - 30 - Inauguração das "OFICINAS AUGUSTO DE CASTILHO".

-- 1910 - JUNHO - 1 - Criação das "ESCOLA MÓVEIS" em ANGOLA.-- Plano de criação de ESCOLAS MUNICIPAIS em LUANDA, CATUMBELA, MOÇÂMEDES (uma para cada sexo).
Um outro plano alargava as localizações dessas Escolas (então mistas).
Plano para a instalação do Ensino Secundário e suas disciplinas, bom como para a instalação de uma ESCOLA NORMAL e do Curso Profissional (comercial e industrial).
-- 1910 - JULHO - 29 - O Governador-geral,interino,determina a inspecção aos Arquivos Públicos da cidade de LUANDA para a sua selecção e divulgação pública.
-- 1912 - MARÇO - 5 - P.P. dá instruções para a remessa de exemplares angolanos para o MUSEU ETNOGRÁFICO DE ANGOLA E CONGO, então criado.
-- 1911 - MARÇO - 8 - BERNARDO PIRES, director do MUSEU DE ZOOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA, solicita a remessa de exemplares da fauna angolana, tendo o apoio do Governador-geral, MANUEL MARIA COELHO.
-- 1912 -
-- 1912 - Um relatório do Governador CÉSAR AUGUSTO DE OLIVEIRA MOURA BRÁS, refere-se às Escolas Primárias da HUILA (5), CHIBIA e HUMPATA.
-- 1919 - MARÇO - 10 - Criada a primeira Escola Primária na povoação da HUILA.
-- 1919 - MARÇO (?) - Fundação do LICEU CENTRAL DE ANGOLA.
........................................................
-- 1927 - ABRIL - 16 - Reorganização do Ensino Primário na Província de ANGOLA, dependendo cada Administração Escolar da respectiva Junta Distrital de Ensino.
Mantinham-se as designações :... "assimilado,europeu e indígenas com : ensino infantil - primário geral - elementar profissional - profissional"...
O elementar profissional era destinado mais aos indígenas nas escolas rurais, como um ..."meio-termo" !
-- 1927 - OUTUBRO - 1 - Alteração para "PROVÍNCIA" DE ANGOLA.
-- 1927 - OUTUBRO - 29 - Regulamento do Conselho de INSTRUÇÃO PÚBLICA DA COLÓNIA DE ANGOLA.
-- 1929 - MAIO - 15 - Publicação da "ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE INSTRUÇÃO PÚBLICA DA COLÓNIA DE ANGOLA", fixando as suas regras.
-- 1929 - AGOSTO - 19 - Criação de 4 Circunscrições Escolares em ANGOLA para o Ensino Primário : LUANDA(ZAIRE e CONGO) --- MALANJE (MALANJE - LUNDA - QUANA NORTE e QUANZA SUL) --- NOVA LISBOA (HUAMBO - BIÉ - MOXICO) --- SÁ DA BANDEIRA (HUILA _ MOÇÂMEDES) ---
-- 1933 - FEVEREIRO - 8 - Reorganização do Ensino Primário.
.........................................................
-- 1941 - JANEIRO - 4 - Foram extintas as 4 Circunscrições Escolares e criadas ZONAS.
........................................................
===================================

======= - 3) - O ENSINO SUPERIOR E A SAÚDE EM :
-------------------- (A) - ANGOLA / (B) - BRASIL / (C) - PORTUGAL -------
.......................................................................

----------------------------------------------------------
...
--- ----- "HUC / COVÕES" -- AS MESMAS ORIGENS E OS MESMOS FINS" ---


--- A estranha e curiosa História dos "HOSPITAIS DE COIMBRA" que tiveram algumas "origens" - ("caminhos") - comuns através dos tempos : "nasceram", cresceram e desenvolveram-se pelas mãos dos mesmos "HOMENS" (e seus descendentes), que também estiveram na base da antiga "COLÓNIA PORTUGUESA DO RECIFE" - (PERNAMBUCO) - e,que,ao fim de SÉCULO E MEIO, se reencontram, se unem,se modernizam para atingir objectivos que os tornaram grandes e importantes.
-- Parte desses "HOMENS" foram reconhecidos e recordados mas muitos outros e a sua dignificante "COLÓNIA PORTUGUESA NO BRASIL" caíram no esquecimento durante muitos anos ! No entanto, a sua indesmentível "UTILIDADE PÚBLICA BENEFICENTE", acabou por ser bem evidente e indispensável.
-- Entre muitas dessas valiosas boas vontades, dessas beneméritas "FAMÍLIAS PORTUGUESAS NO BRASIL", (..."A comunidade portuguesa de Pernambuco doava dinheiro e objectos para a manutenção do hospital, onde todos os pacientes eram atendidos gratuitamente"...- ("Mundo Português,13/7/2012 - Açores) --(*),... salientaram-se diversas, mas as "Memórias" recordam apenas e, principalmente : - "ALMEIDA" -- "CHAVES" -- "COSTA ALEMÃO" - "COSTA ALEMÃO COIMBRA" - "SOARES LIMA BASTO"...(que, curiosamente, mais tarde tiveram os seus destinos interligados em uniões oficiais : ("COSTA ALEMÃO COIMBRA" / "CHAVES")-- ("COSTA ALEMÃO COIMBRA / SOARES LIMA BASTO")... em terras sul-angolanas : HUÍLA - LUBANGO - MOÇÂMEDES...).

--- Vamos recordar,cronologicamente,entre muitas, algumas das datas mais significativas :

-- 1852 - MANUEL DA COSTA ALEMÃO matriculou-se na Faculdade de Filosofia,estudando e leccionando.
-- 1855 - JULHO - 20 - Leis cobre a colonização brasileira.

-- 1855 - SETEMBRO - 16 - Instalação solene do HOSPITAL PORTUGUÊS DE BENEFICÊNCIA
PROVISÓRIO" (Data que coincidia com a subida ao trono de D. PEDRO V) -
-- 1855 - NOVEMBRO - 18 - Inauguração efectiva do "REAL HOSPITAL PORTUGUÊS DO RECIFE" pelo português Dr. JOSÉ D´ALMEIDA SOARES LIMA BASTO, Presidente do GABINETE PORTUGUÊS DE LEITURA".
-- Foi nomeado seu primeiro Provedor, tendo sido um..."influente médico lusitano e grande impulsionador aquando a construção do Hospital. Como elemento activo ele foi á época, de uma devoção extrema,socorrendo e aliviando vítimas, expondo-se totalmente no combate ao vírus que entretanto grassava em toda a Região Pernambucana... (++)-
-- 1856 - JULHO - 02 - O rei de PORTUGAL coloca sob a sua "REAL PROTECÇÃO" os "HOSPITAIS DO RECIFE""...
--- 1860 - JULHO - 16 - MANUEL DA COSTA ALEMÃO concluíra a sua formatura e no ano seguinte matriculou-se em Medicina.
-- 1860 - (?) -- Um grupo de ex-residentes na "COLÓNIA PORTUGUESA NO BRASIL ( PERNAMBUCO), foi "transferido" para MOÇÂMEDES (ANGOLA), no navio "BARTOLOMEU DIAS", em virtude de revoltas que tinham surgido naquela região contra a sua presença.
Entre esses "indesejáveis" encontrava-se JOSÉ DA COSTA ALEMÃO "COIMBRA" (- irmão de MANUEL DA COSTA ALEMÃO) - ex-Governador do Distrito de COIMBRA, Presidenta da Câmara e um dos primeiros Administradores do HOSPITAL DA UNIVERSIDADE, naturais de COIMBRA. JOSÉ viajara com sua mulher (MARIA DO CARMO),brasileira,e 3 filhos nascidos no BRASIL.
-- 1864 (?) - JOSÉ DA COSTA ALEMÃO COIMBRA - (filho) - (nascera em MINAS - 1849) e completara o 6º ano liceal em COIMBRA, teve de interromper os seus estudos e regressar a ANGOLA por falecimento dos seus pais.
-- Fixou-se então em CAPANGOMBE (BUMBO - MOSSÂMEDES) como escriturário e agricultor, depois seguindo ainda para NOVO REDONDO.
-- 1864 (?) - JOSÉ DA COSTA ALEMÃO COIMBRA, meu bisavô,viúvo,casou com JOANA FARIA.
-- (?) --- Estando novamente viúvo, esse meu bisavô (COSTA ALEMÃO COIMBRA),casou em MOÇÂMEDES com EMÍLIA ADELAIDE SOARES E ALMEIDA DE ARAÚJO LIMA BASTO,mestiça,natural daquela cidade,viúva de LUÍS AUGUSTO SOARES DE ALMEIDA SANGRIA e filha de MANUEL SOARES DE ALMEIDA ARAÚJO DE LIMA BASTO, natural de MINAS GERAIS, ex-componentes da "COLÓNIA PORTUGUESA DO RECIFE",também chegados no navio "PERNAMBUCO".
-- 1871 - Nomeação de MANUEL DA COSTA ALEMÃO para lente da UNIVERSIDADE DE COIMBRA.
-- 1873 - Nomeação do mesmo para catedrático da 5ª Cadeira (Anatomia Tomográfica - Medicina Operária e Patologia Geral).
-- (?) -- MANUEL DA COSTA ALEMÃO foi nomeado Presidente da Câmara de COIMBRA e Governador Civil do Distrito. Obteve dessa Câmara a cedência à Faculdade de Medicina de larga área na encontra do Penedo da Saudade para a construção do Novo Hospital da Universidade"... - (não concretizado) - (+).
-- 1902 -- MANUEL DA COSTA ALEMÃO foi nomeado "Administrador dos H.U.C"... "iniciando a renovação do referido Hospital..."O Hospital Novo não se fazia e as velhas enfermarias do Colégio das Artes iam caindo de podres. Era uma vergonha"... - ... arranjando para estas obras, feitas um pouco ao acaso,dinheiro com prodígios duma economia por vezes cruel. Tinha uma vontade de ferro "...- ..."Metera-se-lhe na cabeça que havia de reconstruir o Hospital e não descansou enquanto não deu começo à tarefa, que minuciosamente dirigiu como mestre de obras poupado..." - ..."Mas o Hospital de Coimbra não seria certamente o que hoje é se Costa Alemão não tivesse começado a sua reforma"...-..."Muito se ficou devendo afinal a este homem severo,activo e persistente"...

--- (+) - Transcrição parcial de ALBERTO PESSOA,citada na obra "OS DIRECTORES DOS HOSPITAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA" - de JOSÉ CAVALHEIRO - (1870/1996) --
-- (++) - Consultar blog maiahoje (indicado no final ) --

-- 1907 -- NOVEMBRO - 07 - Alvará de D. CARLOS I confere o título de "REAL" ao HOSPITAL PORTUGUÊS DE BENEFICÊNCIA EM PERNAMBUCO".
-- 1910 - OUTUBRO - 31 - Cessaram as funções de "DIRECTOR/ADMINISTRADOR DOS HUC" de MANUEL DA COSTA ALEMÃO, natural de COIMBRA - 27 de Novembro de 1833) --
-- 1918 - MARÇO - 26 - Início do Projecto da "ESCOLA PRÓ-PÁTRIA" ("ASILO-ESCOLA") - destinado à recolha e educação dos órfãos dos soldados da 1ª Grande Guerra.
-- 1922 - NOVEMBRO - Falecimento em COIMBRA de MANUEL DA COSTA ALEMÃO.
-- 1931 - FEVEREIRO - 5 - Decreto nº 19310 - Doação da ASSISTÊNCIA PORTUGUESA DO BRASIL do seu Património ao Governo Português como "HOSPITAL-SANATÓRIO", (Anti-tuberculoso) para indivíduos do sexo masculino e por transformação da anterior "ESCOLA PRÓ-PÁTRIA",situado na "QUINTA DAS FLORES" ("COVÕES"), na freguesia de S. MARTINHO DO BISPO(em COIMBRA)..

+++++++++ ...... (em actualização ............

-- 1933 - JOSÉ DA COSTA ALEMÃO COIMBRA foi entrevistado por um jornalista de "A
HUÍLA", relatando os largos anos de civil e militar, tendo sido muitas vezes contactado por famosos expedicionários portugueses que buscavam a sua experiência e conhecimentos sobre aquela região.
-- 1934 - MARÇO - 11 - Falecimento no LUBANGO do meu bisavô, JOSÉ DA COSTA ALEMÃO "COIMBRA", depois de muitos anos duma vida activa como civil (administrativo e militar (capitão de 2ª linha, colaborador e guia nas Campanhas do Sul de ANGOLA, tendo sido agraciado com algumas Comendas e benefícios.)
-- 1970 -- JULHO -- 2 - Decreto nº 308/70 - Foi criado o "HOSPITAL GERAL DA COLÓNIA PORTUGUESA DO BRASIL" por transformação do ex- "HOSPITAL-SANATÓRIO".
-- 1973 - ABRIL - 27 - Inauguração do "HOSPITAL GERAL DA COLÓNIA PORTUGUESA DO BRASIL", situado na freguesia de S. MARTINHO DO BISPO (em COIMBRA)com diversos Serviços : MEDICINA - CARDIOLOGIA - CUIDADOS INTENSIVOS CORONÁRIOS - HEMODIÁLISE - CIRURGIA - UROLOGIA - NEFROLOGIA - LABORATÓRIOS - RADIOLOGIA - BLOCO OPERATÓRIO - CONSULTAS EXTERNAS...
-- 1976 - Entraram em funcionamento ainda : NEUROLOGIA - OTORRINOLARINGOLOGIA - GASTROENTEROLOGIA -
-- 1978 -- Foram iniciados os Serviços de Reabilitação e Neurorradiologia -
-- 1979 -- Incremento nos Serviços de Urgência.
-- 1982/86 -- Funcionamento do Instituto de Clínica Geral.
-- 1995 - ABRIL - 19 - Despacho de aprovação da proposta da UNIDADE DE SAÚDE DE COIMBRA (para os Concelhos do Sul do Distrito de COIMBRA.
-- 1995 -- AGOSTO - 8 - Despacho de aprovação do respectivo Regulamento.
...........................................................
.......................... (em actualização) ....................
*) - extraído de "MUNDO PORTUGUÊS" - 13/7/2012 - AÇORES --

----- Dados coligidos por ROBERTO CORREIA (sourreia2@gmail.com) em diversas "Fontes", designadas a seguir :

-- 1997 - "OS DIRECTORES DOS HOSPITAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA, de JOSÉ LOPES CAVALHEIRO --
--- INTERNET - Consultar :

www.rhp.com.br

old.chc.min-saude.pt/hg/hgapres.htm

www.chc.min-saude.ptorganizacao/historia

www.rhp.com.br/site/institucional.php

www.maiahoje.pt/noticia.php?id=3039

www.mundoportugues.org/content/1/5214/brasil-real-hospital-portugues-recife...

...................... (em actualização ) .......................

------------ (COIMBRA - JUNHO / JULHO de 2012) ------------
..............................................
------------------ (em actualização) ----------------------

============================================================

============= DIVERSOS "SÍTIOS") -- ( a consultar na INTERNET : =============

--- "PATRONOS DAS ESCOLAS DE ANGOLA" - MARTINS DOS SANTOS -- :

- www.geocities.com/Athens/Troy/4285

--- "CULTURA,EDUCAÇÃO E ENSINO EM ANGOLA" - MARTINS DOS SANTOS -- :

- geocities.com/athens/troy/4285/ensino.html

- www.minhasimagens.org/convidados/tomas/martinsdossantos.htm

.................................................

- sabercultural.com
............................................
=============================================

-- 3) --- PUBLICAÇÕES EFECTUADAS (LIVROS - REVISTAS - JORNAIS ,etc.)MENCIONADAS NOS DIVERSOS VOLUMES DE : "ANGOLA - DATAS E FACTOS" :---

.........,,,,,,... (RESUMOS EM PERMANENTE ACTUALIZAÇÃO) :........................
..........................................................

----- No 1º VOLUME (1482/1652) - (1ª e 2ª edição) -- :
....................................................

----- No 2º VOLUME (1652/1837) -

-- 1659 - (?) - Publicação da 2ª edição do Catecismo do padre MATEUS CARDOSO e a primeira Gramática Congolesa.
-- 1661 - ( ?) - Foi reeditada a obra "GENTILIS ANGOLAE", do jesuíta PACCÓNIO, por ANTÓNIO MARIA DO MONTEPRANDONE (em latim, quimbundo e português).
-- 1663 - (?) - MANUEL GODINHO publica o relato da viagem através de ÁFRICA, a caminho das "ÍNDIAS", considerando o caminho mais curto. Faz referência ao lago NIASSA(lagoa ZACHAF ou ZACHAVI) e ao CHIRE, afluente do ZAMBEZE.
...........................................................
-- 1681 - (?) - A "HISTÓRIA DAS GUERRAS ANGOLANAS",(até 1680), de ANTÓNIO DE OLIVEIRA CADORNEGA, foi completada em LUANDA.
-- 1687 - (?) - Edição em BOLONHA da obra "HISTÓRIA DOS REINOS DO CONGO, MATAMBA E ANGOLA" - do padre CAVAZZI, (desde 1654 até 1678).
-- 1697 - AGOSTO - 9 - Foi autorizada a publicação da Gramática de "Quimbundo"..."ARTE DA LÍNGUA DE ANGOLA OFERECIDA À VIRGEM NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO,MÃE E SENHORA DOS PRETOS" -- pelo jesuíta PEDRO DIAS. Era,assim, a primeira , tanto em ÁFRICA como na EUROPA !
..........................................................
-- 1731 - (?) - O Geógrafo D´ANVILLE elabora novos estudos e mapas mais actualizados no sentido de facilitar a travessia de ÁFRICA pelos portugueses, de ANGOLA para MOÇAMBIQUE, além do mapa que elaborara em 1725.
Apresentava então as Províncias de : ao Sul do CUANZA-LIBOLO,OACO,RIMBA,TAMBA,CELA,ALTO BEMBE (país dos Quimbundos),BAIXO BEMBA,PALANCA e OYLA.
-- 1747 - (?) Um jesuíta (?) publica "PRÁTICA MISSIONÁRIA" sobre o problema da escravatura.
-- 1750 - (?) - D´ANVILLE elabora uma "CARTA DE ÁFRICA".
-- 1758 - (?) - Publicação em LISBOA de : "ETHIOPE RESGATADO,EMPENHADO,SUSTENTADO,INSTRUÍDO,LIBERTADO", pelo padre MANUEL RIBEIRO DA ROCHA", condenando os novos tratos infligidos aos escravos pelos seus senhores...
-- 1784 - (?) - Foi elaborado e não publicado um Catálogo dos Governadores do REINO DE ANGOLA.
-- 1799 - (?) - Publicação em LISBOA do livro "ENSAIOS SOBRE ALGUMAS ENFERMIDADES DE ANGOLA", da autoria do médico (farmacêutico)JOÃO MANUEL DE ABREU, formado na ESCOLA DE MEDICINA DE LOANDA em 1794.
-- (?) - Publicação de "RELAÇÃO DAS IGREJAS DE ANGOLA", da autoria d Vigário-Geral, Cónego Dr.MANUEL DANTAS LIMA.
-- 1803 - ABRIL - Publicação de : "DERROTA DE BENGUELA PARA O SERTÃO", de autor desconhecido, onde consta a localização da nascente do rio CUNENE (CUNENI ou CUNENA)e o seu curso,até ao CABO NEGRO e ao rio ZAMBEZE (e ainda com descrições das viagens ao MOXICO, LUNDA e do Sul).
-- 1805 - Foi publicada a "COLECÇÃO DE OBSERVAÇÕES GRAMATICAIS SOBRE A LÍNGUA BUNDA OU ANGOLENSE" e do "DICIONÁRIO ABREVIADO DA LÍNGUA CONGUESA", de Fr. BERNARDO CANNETTIM (em Português, Latim e Quimbundo).
-- 1825 - (?) - Publicação do "lº CATÁLOGO DOS GOVERNADORES DO REINO DE ANGOLA", escrito em S. PAULO SA ASSUNÇÃO, de autor desconhecido (?).
-- Em PARIS foi publicada a "CARTA GEOGRÁFICA DA COSTA OCCIDENTAL DA ÁFRICA", da autoria de CORDEIRO FURTADO, elaborada em 1790, incluindo o traçado do curso superior do rio CUNENE e dos seus afluentes : CUANDO - CALABE - CUNHUNGAMA - CUBANGO - CUTATO DOS GANGUELAS - CACULOVAR(CACUL-BALLE - "o velho BALLE").
-- 1826 - Publicação em PORTUGAL da obra "RELACÇÃO UNIVERSAL" sobre os acontecimentos em PORTUGAL e suas Províncias, desde Março de 1625, sendo talvez a primeira(?) publicação, sendo autor MANUEL SEVERIM DE FARIA.
-- Publicação da 2ª edição (?) do "CATÁLOGO DOS GOVERNADORES ", escrito por em 1784, em S.PAULO DA ASSUNÇÃO (?).
-- 1830 - (?) - O governo francês edita um trabalho de D' ANVILLE sobre a sua expedição ao interior sul de ANGOLA.
-- 1834 - Publicação, em LISBOA,de "MEMÓRIA" do Escrivão-deputado, CARVALHO E MENEZES.
-- 1836 - DEZEMBRO - 7 - Publicação da lª "CARTA ORGÂNICA DO ULTRAMAR"
-- Foi criado um "BOLETIM OFICIAL" a publicar em cada uma das Províncias Ultramarinas, sendo rejeitada a designação "Colónias".

-- .................( em actualização)..........................

----- No 3º VOLUME (1837/1912) de "ANGOLA - DATAS E FACTOS" ---- -

-- 1843 - (?) - "ANAIS MARÍTIMOS E COLONIAIS" - de T.E.BOWDICH -
-- 1845 - "BOLETIM DO GOVERNO GERAL DA PROVÍNCIA DE ANGOLA" --
-- 1846 - "CARTA GEOGRÁFICA DE ANGOLA", de LOPES DE LIMA (em : ENSAIOS SOBRE ESTATÍSTICAS DAS POSSESSÕES PORTUGUESAS" --
-- 1848 - JULHO - 3 - O Boletim do Governo Geral de ANGOLA, passou a designar-se : "BOLETIM OFICIAL DO GOVERNO GERAL DA PROVÍNCIA DE ANGOLA" --
-- 1849 - "ESPONTANEIDADES DA MINHA ALMA", de JOSÉ DA SILVA MAIA FERREIRA, natural de BENGUELA . Era a primeira publicação de um livro de poesia na literatura portuguesa africana. --
-- 1855 - Os "ANNAES" , do Conselho Ultramarino (descrevem as viagens no sul, desde MOÇAMEDES ao MUCUSSO.
-- 1856 - MAIO - 31 (até 7 de JUNHO - ? - ) - "AURORA" - (semanário literário).O primeiro periódico não oficial, composto e impresso na IMPRENSA NACIONAL.
-- 1858 - OUTUBRO - (?) - Publicação dos ESTATUTOS DO MONTEPIO GERAL DE ANGOLA (B.O. nº 665) -

-- 1864 - DEZEMBRO - Foi publicada a obra "Elementos Gramaticais de Língua Nbundu", de SATURNINO OLIVEIRA E CASTRO FRANCINA.
-- 1866 - DEZEMBRO - 6 - Publicação do jornal, semanário, "A CIVILIZAÇÃO DA ÁFRICA PORTUGUESA", de ALFREDO MÂNTUA e URBANO DE CASTRO. -
-- 1867 - O novo jornal "O COMÉRCIO DE LOANDA" -- "EXAME DAS VIAGENS DO DR. LIVINGSTONE", por JOSÉ LACERDA. -
-- 1870 - JULHO - 8 (9?) - Primeiro número do periódico "O MERCANTIL" -
-- 1873 - JUNHO - 16 - Primeiro número do semanário de LUANDA : "O CRUZEIRO DO SUL", sendo um dos seus redactores o padre ANTÓNIO CASTANHEIRA NUNES (de MOÇÂMEDES).
-- 1873 -
-- 1873 - DEZEMBRO - Havia em ANGOLA apenas 2 professores do ENSINO SECUNDÁRIO e 25 do ENSINO PRIMÁRIO (mal recompensados e instalados).
-- Foi fundada a BIBLIOTECA PÚBLICA DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOANDA.
-- 1873 - A Sociedade de Geografia de LONDRES publicou "THE LANDS OF CAZEMBE", de R.F. BURTON, em que divulga os estudos do Dr. LACERDA E ALMEIDA (de 1798).
-- 1875 - JULHO - 29 - Publicação de "A CORRESPONDÊNCIA DE ANGOLA".
-- (?) - Publicação em LONDRES de "ANGOLA AND THE RIVER CONGO" por JOACHIM JOHN MONTEIRO.
-- 1878 - JULHO - 7 - Início da publicação de "O JORNAL DE LOANDA".
-- 1881 - AGOSTO - 4 - Fundação e publicação do quinzenário "JORNAL DE MOSSAMEDES".
-- 1881 - NOVEMBRO - 3 - "CÓDIGO ADMINISTRATIVO DAS PROVÍNCIAS ULTRAMARINAS", por JÚLIO VILHENA.
-- 1881 - NOVEMBRO - 12 - Surge o Jornal "ECHO DE ANGOLA".
-- 1881 - DEZEMBRO - No corrente ano foi fundada a "GAZETA DE ANGOLA" e publicado o primeiro "Boletim cultural : "BOLETIM DA SOCIEDADE PROPAGANDA DE CONHECIMENTOS GEOGRÁFICOS AFRICANOS". Foi também publicada a história da construção do "HOSPITAL DE LUANDA".
-- 1882 - FEVEREIRO - 12 - Primeiro número do jornal "A VERDADE", sob orientação de CASTANHEIRA NUNES e ALFREDO MÂNTUA.
-- 1882 - MARÇO - 4 - Publicação do primeiro jornal africano : "O FUTURO DE ANGOLA", em Kimbundo e português.
-- MAIO - Publicação do primeiro semanário político de LUANDA : "UNIÃO ÁFRICA PORTUGUEZA", sendo seu director URBANO DE CASTRO.
-- 1883 - FEVEREIRO - 10 - Publicação do primeiro número do jornal : !PHAROL DO POVO", sendo ARANTES BRAGA o seu director.

-- 1884 - DEZEMBRO - Publicação dos Jornais : "O RAIO"--"O BISNAGAS" -- (em LUANDA) e do "ALMANAQUE DE MOSSAMEDES".

-- 1886 - DEZEMBRO - Publicações neste ano : - (pela primeira vez : "O ARAUTO DOS CONCELHOS" e a "TESOURINHA" (em LUANDA) -- "A VENTOSA" (em CATUMBELA) --
-- 1887 - (?) - Primeira publicação (em LUANDA)de : "O PROGRESSO DE ANGOLA" e "O EXÉRCITO ULTRAMARINO" -
-- 1888 - DEZEMBRO - Publicações durante o ano : - "O FOGUETE" e "O IMPARCIAL".
-- "A ENCÍCLICA IN PLURIMIS" do Papa LEÃO XIII contra a escravatura.
-- 1889 - JUNHO - 2 - Primeiro número de "MUENE´XI" -
-- 1890 - JANEIRO - Iniciada a publicação do jornal "CORREIO DE LOANDA", sendo seu redactor o padre CASTANHEIRA NUNES.
-- 1890 - FEVEREIRO - 4 - Mudança de título do jornal "ARAUTO AFRICANO" para "O POLÍCIA AFRICANO".
-- 1890 - DEZEMBRO - Publicações - "O CORREIO DE LOANDA" e "O CHICOTE".
-- 1891 - MAIO - 1 - Publicação da folha "CONCELHOS DO LESTE".
-- 1891 - JUNHO - Publicação de "DA HUILA ÀS TERRAS DO HUMBE" do Dr. PEREIRA DO NASCIMENTO, sob patrocínio da MISSÃO CATÓLICA DA HUILA. Era o autor da obra "DISTRITO DE MOÇAMEDES", sobre a colonização portuguesa no Sul de ANGOLA.
-- 1891 - DEZEMBRO - Durante o ano foi publicado o 1º número do Jornal "NOTÍCIAS DE ANGOLA".
-- 1892 - FEVEREIRO (?) - Publicação da "CARTA DE ANGOLA" pela Comissão de Cartografia. Fixa o limite ocidental do REINO DO BAROTZE no paralelo 22º de longitude leste, em vez de 20º, no rio CUANDO.
-- 1892 - JULHO - 12 - Publicação do primeiro número do Jornal "COMÉRCIO DE ANGOLA".
-- 1892 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : "A SEMANA DE BENGUELA" - "A TESOURA" e "TESORINHA" (de MOÇAMEDES).
-- 1893 - DEZEMBRO (?)- Publicações deste ano : Jornais : "A PROVÍNCIA"(em LUANDA) -"A BOFETADA"(MOÇAMEDES) - "A AFRICANA" (AMBRIZ) -
-- 1894 - ABRIL - 26 - Publicação do primeiro (?) número de "O IMPARCIAL".(Existira um outro antes, iniciado em 1888).
-- MAIO - 25 - Fundação do periódico "O INDEPENDENTE", em LUANDA.
-- 1894 - OUTUBRO - Fundação do jornal "BOFETADAS".
-- 1895 - Publicação em PORTUGAL do "JORNAL DAS COLÓNIAS", defendendo uma maior autonomia e descentralização do "TERREIRO DO PAÇO".
-- 1898 - Publicação em LUANDA de : PROPAGANDA COLONIAL" - "O SANTELMO" - REVISTA DE LOANDA" e do jornal "PROPAGANDA ANGOLENSE".
-- 1899 - (?) - Publicação do "Regulamento da Colonização".
-- 1899 - DEZEMBRO - Publicações - Jornal "A FOLHA DE LOANDA".
-- 1900 - A Missão de Cartografia publica um novo mapa de ANGOLA.
-- 1903 - FEVEREIRO - "A CAMPANHA DO BAILUNDO" pelo Governador- geral, CABRAL MONCADA - e o Governador de BENGUELA responde com "EM LEGÍTIMA DEFESA".
-- 1903 - SETEMBRO - 9 - JOHN GOSSWEILLER ("jardineiro-botânico") publica um Relatório sobre a sua excursão à LUNDA.
-- 1904 - DEZEMBRO - 16 - Conflito entre o Governador-Geral, CUSTÓDIO MIGUEL DE BORBA e o Jornal "A DEFESA DE ANGOLA" por ter transcrito artigos sobre a escravatura publicados por : "O NORTE" e o VANGUARDA", jornais do Continente.
-- 1906 - OUTUBRO - O nº 42 do Boletim Oficial de ANGOLA publica o Regulamento do "novo imposto de cubata", substituindo o "imposto indígena".
-- 1908 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - "Traços Gerais sobre a Etnografia do Distrito de Benguela", de AUGUSTO TADEU BASTOS (pela Sociedade de Geografia)--
-- 1910 - FEVEREIRO - 9 - Publicação no B.O. nº 8 das "INSTRUÇÕES PARA A EXECUÇÃO DO RECENSEAMENTO", classificando o território em....
......................................
--------------------------------------------------

---- --- "ANGOLA - DATAS E FACTOS" - 4º VOLUME (1912/1961) -----

-- 1917 - DEZEMBRO - Durante o ano AUGUSTO TADEU BASTOS publica "A vida na Selva".
-- 1919 - DEZEMBRO - Publicações neste ano : "Os Gigantes Lusitanos através dos Mares", por AUGUSTO TADEU BASTOS.
-- 1921 - DEZEMBRO - Publicações neste ano : - Início da "REVISTA MÉDICA DE ANGOLA" --- 1923 - DEZEMBRO - Neste ano foi fundado o Jornal "MOÇAMEDES",sob a direcção de ALFREDO TRINDADE -- Iniciada a publicação do Jornal (semanário) "A PROVÍNCIA DE ANGOLA".
-- 1925 -
-- 1926 - DEZEMBRO - Publicações neste ano : - O Jornal "O COMÉRCIO",em BENGUELA, e o "MOSSAMEDENSE"(em MOÇAMEDES) - "ÁFRICA PORTENTOSA", de GASTÃO DE SOUSA DIAS (premiada pela Agência Geral das Colónias)-- "Ana e Kalunga" (Os Filhos do Mar),
de HIPÓLITO RAPOSO (LISBOA) --
-- 1927 -

-- 1928 - JANEIRO -- 19 - Publicação da obra "CARTAS DE ANGOLA" - por GASTÃO DE SOUSA DIAS -- ? - Publicações neste ano : - "África Misteriosa", de JULIÃO QUINTINHA --
-- 1929 - DEZEMBRO - Publicações : - O Jornal "INTRASIGENTE (BENGUELA) -- Jornal "A VANGUARDA" (LUANDA) (inicia a publicação de "O Segredo da Morta"), de ANTÓNIO DE ASSIS JÚNIOR -- "Huila" e "Em Terras de Pretos", de HENRIQUE GALVÃO --
-- 1930 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - Início de : o Jornal "NOTÍCIAS DA HUILA" (bi-semanário em SÁ DA BANDEIRA), "O PLANALTO" (NOVA LISBOA) e "O LOBITO" (direcção do jornalista ADOLFO PINA) -- "Nacionalização de Angola", de HENRIQUE GALVÃO --
-- 1931 - DEZEMBRO - Publicações : - Jornal "O CORREIO DA MANHÃ" (direcção de JOSÉ MANUEL DA COSTA) -- "ÁFRICA MISTERIOSA" , de JULIÃO QUINTINHA --
-- 1932 - DEZEMBRO - Publicações durante o ano : - Jornal "O SUL DE ANGOLA" (em MOÇAMEDES) sob direcção de MÁRIO TRABULO -- TOMAZ VIEIRA DA CRUZ publica "Quissange - Saudade Negra" -- JULIÃO QUINTINHA ("novela africana") -- HENRIQUE GALVÃO publica "O Velo d'oiro" --
-- 1934 - DEZEMBRO : Publicações no corrente ano : - "The Ovibundo of Angola", de WILFRIED D.HAMBY -- "Da Vida e da Morte dos Bichos" (1º volume), "A função Colonial Razão de ser da Nacionalidade", "No Rumo ao Império" e "Terras do Feitiço",todas de HENRIQUE GALVÃO -- "Quarenta anos em África", de MONSENHOR KELLING --
-- 1935 - DEZEMBRO - Publicações : - "Geologia e Morfologia da Bacia do Zaire", de VEATCH -- "África Selvagem", de MARIA ARCHER -- "Dembos", de HENRIQUE GALVÃO -- "O Segredo da Morta" de ANTÓNIO DE ASSIS JÚNIOR --
-- 1936 - DEZEMBRO - Publicações do ano : - O professor JESSEN (da Universidade de ROSTOCK) publicou um estudo sobre "Morfologia" -- "O Sol dos Trópicos", de HENRIQUE GALVÃO --
-- 1937 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - "Carta Fito-Geográfica de Angola" de GOSSWELLER e LUIS CARRIÇO (do Instituto Botânico da Universidade de COIMBRA) -- "Almas Negras", de JOÃO DE LEMOS -- "ANGOLA" e "PORTUGAL COLONIAL", de HENRIQUE GALVÃO --
-- 1938 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - GASTÃO DE SOUSA DIAS publica diversos escritos de ARTUR DE PAIVA de 1885/1891 e de 1892/1900)-- "Da Vida e da Morte dos Bichos" - 2º volume, de HENRIQUE GALVÃO.
-- 1939 - "Roteiro da Cidade de S. Paulo de Luanda", de Monsenhor ALVES DA CUNHA (pela IMPRENSA NACIONAL).
-- 1941 - DEZEMBRO - Publicações : - Regresso do Jornal "O APOSTOLADO" (LUANDA) -- "Tatuagem" de TOMAZ VIEIRA DA CRUZ --
-- 1943 -
-- 1944 - DEZEMBRO - Publicações : - "Pedra do Feitiço", de FERREIRA DA COSTA -- "Panguila", de LÍLIA DA FONSECA -- "Pioneiros do Império Colonial Português", de MANUEL PIRES ROZENDO.
-- 1945 - DEZEMBRO :- Publicações : - Jornal "CULTURA" (LUANDA) -- "Província de Luanda", de JOSÉ FERREIRA e "Angola, coração do Império", de A.C.THOMÁS DOS SANTOS.
-- 1946 - DEZEMBRO - Publicações : - "Justiça Colonial", de AGOSTINHO DE CARVALHO.
-- 1947 - DEZEMBRO : - Publicações : - "Despachos", de VASCO LOPES ALVES (governador-geral em 1943/1947) e professor do LICEU "SALVADOR CORREIA" (LUANDA).
-- 1948 - DEZEMBRO - Publicações : - "Mensagem" e "O MERIDIANO", da CASA DOS ESTUDANTES DO IMPÉRIO(COIMBRA)-- "Surpresas do Sertão", de LUIS CANCELA -- "Comentário à Carta Orgânica do Império", de RUI DE AZEVEDO GUIMARÃES -- "Angola, dois anos de governo - 1907/1909", de HENRIQUE DE PAIVA COUCEIRO -- "Lunda" de ALBERTO DE ALMEIDA TEIXEIRA --
-- 1949 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - "Mensagem", revista de poesia, da Associação dos Naturais de Angola -- "Perspectivas Económicas de Angola", de A.C. VALDEZ THOMÁS DOS SANTOS -- "O Trabalho Indígena", de SILVA CUNHA -- "Aviso Prévio", de HENRIQUE GALVÃO.
-- 1950 - DEZEMBRO - Publicações do ano : - "Mensagem" -- "CAZUMBI -POEMA DE ÁFRICA", de TOMÁS VIEIRA DA CRUZ -- O escritor GILBERTO FREYRE visira ANGOLA.
-- 1951 - DEZEMBRO : - Publicações - "Mensagem", do Movimento dos Novos Intelectuais de Angola(Associação dos Naturais de Angola).
-- 1952 - DEZEMBRO - Publicações : - "Ecos da Minha Terra", de ÓSCAR RIBAS -- "The Ovimbundu of Angola", de M.Mc.CULLOCH.
-- 1953 - DEZEMBRO - Publicações : - "Poesia Negra de Expressão Portuguesa" (antologia), de MÁRIO DE ANDRADE e FRANCISCO J.TENREIRO -- "História de Angola" (3º volume), de RALPH DELGADO.
-- 1954 - DEZEMBRO - Publicações : "Os Nativos na Economia Africana", de MARCELO CAETANO.
-- 1955 - DEZEMBRO - Publicações : "Clima de Angola", dos Serviços Metereológicos de Luanda.
-- 1956 - DEZEMBRO - Publicações : "Gazeta Agrícola de Angola" -- "Calema", de ERNESTO COCHAT OSÓRIO -- "No Sul de Angola", de ERNESTO MACHADO -- "Angola e o Futuro", de AUGUSTO CASIMIRO -- "Sumários do Boletim Oficial de Angola - 1ª serie - Anos de 1845 a 1955, de JOSÉ CARAMONA RIBEIRO.
-- 1957 - DEZEMBRO - Publicações : - "Cultura", (anterirmente "Mensagem")Jornal da Sociedade Cultural de Angola -- "Capim Verde", de ERNESTO COCHAT OSÓRIO -- "A cidade de Sá da Bandeira", por GASTÃO DE SOUSA DIAS -- "Cobiça de Angola", de E.M. SANTOS -- "Coisas do Tempo Presente", de CUNHA LEAL --

-- 1958 - DEZEMBRO - Publicações - A CASA DOS ESTUDANTES DO IMPÉRIO dá início à publicação da "Colecção de Autores Ultramarinos". Surgem as editoras "IMBONDEIRO" (Sá da Bandeira) e "BAILUNDO" (Huambo).

-- 1959 - DEZEMBRO - Publicações : - "Economia e Sociedade de Angola" por ADRIANO MOREIRA.

-- 1960 - DEZEMBRO - Publicações : "Cidade", de ERNESTO COCHAT OSÓRIO -- "O Tesouro", de GARIBALDINO DE ANDRADE (pela editora "IMBONDEIRO"), de Sá da Bandeira -- "Aspectos do Povoamento Branco em Angola", de ILÍDIO DO AMARAL --

-- 1961 - FEVEREIRO - Publicação de "Manifesto", do poeta ALEXANDRE DÁSKALOS (pela editora "BAILUNDO", orientada por INÁCIO REBELO DE ANDRADE e aquele autor.

-- 1961 - JUNHO (?) - Publicação de : "A Colonização de Angola e o seu Fracasso", por ORLANDO RIBEIRO.
........................................................
---------------------------------------------------------

----- DE "ANGOLA - DATAS E FACTOS - 5º VOLUME (1961/1975) - : ----- /b>

-- 1962 - "Encontros em Luanda", de A.SARAIVA DE CARVALHO -- "Missongo", de ÓSCAR RIBAS -- Novos Contos de África", de GARIBALDINO DE ANDRADE -- "As Raízes de Angola", de JOÃO FALCATO -- "Hora Grande", de ONÉSIMO SILVEIRA -- "Subsídios para o estudo da Biologia na Lunda", do MUSEU DO DUNDO (DIAMANG) -- "Angola Terra e Sangue de Portugal", de ALVES PINHEIRO -- "Angola in Flames", de M. PANNIKKAR (- cheio de falsidades --)"Portugal, o Ultramar e o Futuro", de MANUEL JOSÉ HOMEM DE MELO --- Fundação do Jornal "A VOZ DO BIÉ" -- o Jornal "Baluarte" do BATALHÃO FLECHA -- Em LISBOA foi publicado mais um número da Revista "Mensagem" pela CASA DOS ESTUDANTES DO IMPÉRIO --

-- 1963 - "Subsídios para a História, Arqueologia e Etnografia dos Povos da Lunda" - pelo MUSEU DO DUNDO (com mais de 12 mil peças de artesanato e 1.000 trchos de música gravada sobre ANGOLA)...-- "Subsídios para o Estudo da Bilogiana Lunda e "Subsídios para o conhecimento do Clima da Lunda", por TOMÁS REBELO DO ESPÍRITO SANTO -- "O Caso de Angola" e "Sangue no Capim Atraiçoado", de REIS VENTURA -- "Canto do Matrindinde", de ERNESTO LARA FILHO -- "Meu Tempo Perdido", (Poesias da sua vida) de MÁXIMO CONDE (um antigo colono, com 86 anos de idade)-- "Rumo à Industrialização de Angola" - de A.DIOGO -- "A Arte Mbali do Distrito de Moçamedes", por CARLOS LOPES CARDOSO -- "Guerra em Angola - Diário de um médico de campanha", de MÁRIO MOUTINHO DE PÁDUA -- "Anticolonialismo e Descolonização" por LUIS FILIPE DE OLIVEIRA E CASTRO; --- Publicação do Jornal "OS DRAGÕES", em SILVA PORTO ; -- "Canção da Esperança", de TOMAZ JORGE -- -

-- 1964 - DEZEMBRO - Foram publicadas as seguintes obras : - Contos de África e da Europa", de GARIBALDINO DE ANDRADE(SÁ DA BANDEIRA) -- "Missosso III" - de ÓSCAR RIBAS -- "Les Bantous du Sud-Ouest de l'Angola", de CARLOS ESTERMANN; -- "Missões Católicas Portuguesas" , da JUNTA DE INVESTIGAÇÃO DO ULTRAMAR; -- "A Origem dos Mbalis no distrito de Moçamedes", de CARLOS LOPES CARDOSO -- "Origem e generalização do nome "Angola", de JOSÉ REDINHA --

-- 1965 - DEZEMBRO - Durante o ano foram publicadas as seguintes obras : - "Alimentação Regional Angolana", e "IZOMBA", de ÓSCAR RIBAS; -- "Quinaxixe", de ARNALDO SANTOS ; -- "O Tocoísmo como Fenómeno Religioso", do Padre CARLOS ESTERMANN; -- "Tetembu" ,(da COLECÇÃO IMBONDEIRO), por JORGE MACEDO ; --- "Luuanda", de LUANDINO VIEIRA (premiado pela Sociedade Portuguesa de Escritores).

-- 1966 - DEZEMBRO - Neste ano foram publicadas as obras : "Poemas", de ALDA LARA (já falecida no DONDO em 1962) -- ""Biografia da Noite", de COCHAT OSÓRIO(apreendida pela PIDE) -- ; "Sunguilando", de ÓSCAR RIBAS -- "Olimbali do distrito de Moçamedes", por CARLOS LOPES CARDOSO; --

-- 1967 - DEZEMBRO - Durante este ano foram publicadas as seguintes obras : "A possessão espírita entre os Bantos" , pelo Padre CARLOS ESTERMANN; - "As plantas úteis de Angola", de ROMEU MENDES DOS SANTOS (pelo Instituto de Investigação Científica de Angola); - "ALDA LARA, a mulher e a poetisa" e "O Grande Capitão", de ORLANDO DE ALBUQUERQUE (seu marido); --

-- 1968 - AGOSTO - 14 - Publicação em SÁ DA BANDEIRA da obra "Plano Experimental de Controle e Possível Erradicação de DICHAPETALUM VENENATUM ENGL.& GILG, por RUI I. DE SOUSA CORREIA.
www.bodd.cf.ac.uk/BotDermiFolder/DICH.html

www.ville-ge.ch/cjb/bd/africa/details.php?langue=an&id=13418

-- 1970 - Publicações durante o ano : - "Tradicional and acculturated music of the King of Angola", de GERARD KUBIK -- "Distribuição Étnica de Angola", de J.REDINHA --
-- 1971 - Foram publicadas as seguintes obras : - "Mayombe", de PEPETELA -- "Vinte Canções para Ximinha" , de JOÃO MARIA VILA NOVA -- "Carta Fitogeográfica de Angola" de LA GRANDVAUX BARBOSA (pelo I.I.C.A.) -- "Dos Sistemas Primitivos de Farinação de Cereais usados no Distrito de Moçamedes - Subsídios-", pela Junta de Investigações do Ultramar -- Centro de Estudos e Antropologia Cultural (nº8), da autoria de CARLOS LOPES CARDOSO --

-- 1972 - Foram publicadas diversas obras : - "História Geral das Guerras Angolanas" (1681), de OLIVEIRA CADORNEGA (pela Agência Geral do Ultramar) -- !Itinerário da literatura angolana", de CARLOS ERVEDOSA -- "Servindo o Futuro de Angola", por J.OLIVEIRA (LUANDA) -- "Obra Poética" de MARIA DO CARMO MARCELINO - (publicação póstuma, tendo falecido em 19/10/1970) --

-- 1973 - Obras publicadas : "A família dos muceques de Luanda", por RAMIRO LADEIRO -- "Angola, da Escravatura ao Trabalho Livre", por A.CARREIRA; - "Seara Nova" controlada pelo PCP.

-- 1974 - Publicações (até 11 de NOVEMBRO) -- : "Nós os de Makulusu", de LUANDINO VIEIRA -- "A Voz da Terra". por ADRIANO B. DE VASCONCELOS -- "Etnias e culturas de Angola", por JOSÉ REDINHA -- "Angola, Estrutura Económica e Classes Sociais", de H.GUERRA --
.........................................................................
--------------------------------------------------------------------

--- De "ANGOLA - DATAS E FACTOS - 6º VOLUME (posteriores a 11 de NOVEMBRO de 1975 até JUNHO de 2002) - :

-- 1975 - NOVEMBRO - 17 - A "Luta" publica um poema épico dedicado ao "11 de Novembro", da autoria do poeta MÁRIO CESARINY DE VASSCONCELOS.

-- 1975 - DEZEMBRO - Neste ano foram publicadas as seguintes obras : "Literatura Tradicional Angolana", de DUARTE B.(de BENGUELA) -- "No reino de Caliban" (ANGOLA e S.TOMÉ) - 2º voluma -, de MANUEL FERREIRA -- "Vidas Novas", de LUANDINO VIEIRA -- "Colonizados e colonizadores", de RAÚL DAVID -- "A cidade e a sanzala", de EDUARDO BRAZÃO GIL -- "Poesia angola de revolta",- antologia - por GIUSEPPE MEA -- "Canto do martrindinde" - (incluindo algumas obras anteriores)- de ERNESTO LARA (FILHO)-- "O regresso e o canto". de COSTA ANDRADE -- "Poemas" - 2ª edição - de ALEXANDRE DÁSKALOS -- "Utanha Wátua", CARLOS GOUVEIA -- "Intelectuais angolanos dos séculos XIX e XX", de AUGUSTO BASTOS (LISBOA) -- "Angola, o longo caminho da liberdade",AMADEU JOSÉ DE FREITAS -- "Angola na Hora Dramática da Descolonização", FERNANDO BARCIELA SANTOS -- "Democratização e Descolonização", ´MÁRIO SOARES -- "Tudo isto aconteceu", (romance autobiográfico de ÓSCAR RIBAS) --

-- 1976 - JULHO - (?) - O Governo de ANGOLA confisca os bens dos seus ex-residentes, sem qualquer indemnização . Decide ainda a suspensão das Revistas : "ANGOLA" e "ANGOLENSE".
-- 1976 - SETEMBRO - 9 - Entrevista no semanário "A Rua" com o General GALVÃO DE MELO.
-- 1976 - OUTUBRO - 31 - Declarações do General COSTA GOMES ao "Jornal da Madeira"...
-- 1976 - OUTUBRO - - Entrevista no "Tempo" com SOUSA E CASTRO (capitão do 25 de Abril).
-- 1976 - DEZEMBRO - Publicações verificadas este ano : - "Vozes na sanzala", A. MENDES DE CARVALHO -- "Angola, angolê angolema", ARLINDO BARBEIROS -- "A luta continua", ARMINDO FRANCISCO -- "Poesia com Armas" - antologia de COSTA ANDRADE --
"Quando me acontece poesia", HENRIQUE GUERRA -- "Estórias de musseque", JOFRE ROCHA -- "11 Poemas em Novembro", MANUEL RUI -- "As lágrimas e o vento", MANUEL DOS SANTOS LIMA -- ""Memórias da longa resistência popular", NITO ALVES -- "Nós voltaremos,Luanda" , NGÚDIA WENDEL (VICTOR SEBASTIÃO DIOGO MOREIRA) -- "As aventuras de Ngunza", de PEPETELA -- "Antologia da poesia pré- angolana - 1948-1974", PIRES LARANJEIRA -- "A decisão da idade", RUY DE CARVALHO -- "Angola, a guerra e o crime", VALDEMIRO SOUSA -- "Angola, o Fim do Mito dos Mercenários", VALDEZ VIVO -- "Angola, Culturas Tradicionais", do Instituto de Antropologia -- "Angola, os Vivos e os Mortos", POMPÍLIO DA CRUZ --

-- 1977 - MARÇO - Foi criado o INSTITUTO ANGOLANO DO LIVRO.
-- 1977 - JUNHO - Publicação de "Literaturas Africanas de expressão portuguesa" - II, de MANUEL FERREIRA.
-- Publicação em LISBOA de "O Fim de uma Era, o Colonialismo Português em África", de EDUARDO SOUSA FERREIRA (?).
-- 1977 - DEZEMBRO - Foram pulicadas as obras : - "Poemas no tempo", de ARNALDO SANTOS -- "Clima do povo", JORGE MACEDO -- "Não adianta chorar", A.BOBELA-MOTTA -- "Crónicas da cidade estranha", M.ANTÓNIO -- "ANGOLA, documentos do MPLA - (1º volume) - "Crónicas do século XV", J.VERÍSSIMO SERRÃO -- "Nação Ovambo", MARIA HELENA FIGUEIREDO LIMA -- "LUANDINO e a sua obra" e "Angola em chamas", de vários autores. -- "O Ultramar, a Nação e o 25 de Abril" , SILVA CUNHA -- "O livro Negro da Descolonização" , LUIZ AGUIAR --

-- 1978 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : "País Sem Rumo", do General ANTÓNIO DE SPÍNOLA -- "Angola, a via agreste da Liberdade" de ARTUR QUEIROZ -- "Livro Negro da Descolonização" e "Julgamento dos responsáveis", de LUIZ AGUIAR -- "Colonialismo e Lutas de Libertação", de AFRONTAMENTO -- "História do Colonialismo em África" , PEDRO RAMOS DE ALMEIDA -- "Cultura e Revolução em Angola", LEONEL COSME -- "Angola, Comandos Especiais contra Cubanos", por diversos autores -- "A Escravatura. Conceitos", de JOSÉ CAPELA --

-- 1979 - JANEIRO - 31 - Declarações do Dr. MÁRIO SOARES ao Jornal "O DIABO".
-- 1979 - FEVEREIRO - Entrevista de MELO ANTUNES à "Revista Expresso".
-- 1979 - AGOSTO - 16 - Declarações de PEDRO SEM , na "Ordem".
-- 1979 - SETEMBRO - 6 - Relatório do MPLA no "Jornal de Angola", sobre as "assembleias de sensibilização" já realizadas 3.737).
-- 1979 - NOVEMBRO _ 17 - O jornal "EXPRESSO" revela o Acordo de SAVIMBI com o exército português...
-- 1979 - DEZEMBRO - Publicações constatadas durante o ano : - "Antologia temática da poesia africana" - 2º Volume - de MÁRIO PINTO DE ANDRADE -- "O Bando de Argel", de PATRÍCIA MACGOWAN PINHEIRO -- 1ª edição -- "Roteiro da Literatura Angolana", de HENRIQUE GUERRA -- "ANGOLA, a resistêcia em busca de uma nova Nação", de JONAS SAVIMBI -- "A CIA contra Angola" - de JOHN STOCKELL --

-- 1980 - DEZEMBRO - Publicações durante o ano : - "O Sistema Colonial Português em África" - de ARMANDO CASTRO -- "O Processo de Descolonização"., por FRANZ W.HEIMER -- "Literatura Angolana (Opiniões)", de COSTA ANDRADE -- "Baixa e Musseques", de ANTÓNIO CARDOSO -- "Forças Armadas, Defesa Nacional, Poder Político" - por LOUREIRO DOS SANTOS (General).

-- 1981 - DEZEMBRO - Publicações : "Estórias Antigas", ARISTIDES VAN-DÚNEM -- "Alguns Aspectos da Administração de Angola" - FERNANDES DE OLIVEIRA -- "O Poema e as Máscaras" - C. FILIPE MOISÉS --

-- 1982 - DEZEMBRO - Publicações : - "Poesia negra de expressão portuguesa" (reedição de MÁRIO PINTO DE ANDRADE e FRANCISCO J.TENREIRO (por MANUEL FERREIRA) -- "A renúncia impossível" (póstuma - dos poemas inéditos de AGOSTINHO NETO) -- "Histórias do Zaire", de ALEXANDRE CABRAL -- Foi criada a UNIÃO DOS JORNALISTAS ANGOLANOS (UJA).

-- 1983 - DEZEMBRO - 20 - Citação do Jornal "O Diabo" de afirmações do Dr. MÁRIO SOARES, sobre a ECONOMIA ULTRAMARINA.
-- 1983 - DEZEMBRO - Publicações : - "A Revolta" - LEONEL COSME -- "Tu não vistes nada em Angola" - F.MARCELO CURTO.

-- 1984 - AGOSTO - 15 - Prefácio de JOAQUIM VERÍSSIMO SERRÃO - 4ª edição da sua obra "Marcelo Caetano".
-- 1984 - DEZEMBRO - Publicação de ºHenda Xala" - de TEIXEIRA MENDES.

-- 1985 - MARÇO - Publicação da obra "Marcelo Caetano - Confidências no Exílio" - 4ª edição - de JOAQUIM VERÍSSIMO SERRÃO.
-- 1985 - JULHO - A RTA cancela o Programa "Grande Reportagem" sobre a UNITA.
-- 1985 (?) . Publicação das obras : "Milonga", DOMINGOS VAN-DÚNEM -- "A História de uma Traição", de SOTTO-MAYOR -- "Sobre o Kikongos de Angola" - por ANTONIO FONSECA.

-- 1986 - AGOSTO - 4 - "O Dia" publica "MARCELO CAETANO e o 25 de ABRIL", por SILVINO SILVÉRIO MARQUES -
-- 1986 - DEZEMBRO - Publicações : - "Agostinho Neto. A poesia e o homem", de LEONEL COSME (LUANDA - INALD) -- "Por um Futuro Melhor" , JONAS SAVIMBI -- "Questão do Barotze" , EDUARDO DOS SANTOS -- "Viagens e Apontamentos deum Portuense em África" , de SILVA PORTO.
-- 1986 - AGOSTO - 7 - "O Jornal" publica o artigo "Doze anos depois o que foi o Documento dos Nove" - de PEDRO PEZARAT CORREIA.

-- 1987 - DEZEMBRO - Publicações : "Angola. Comandos Especiais contra cubanos", por diversos autores.

-- 1988 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - "Kuluka" e "Dibundu" , DOMINGOS VAN-DÚNEN -- "Angola, estrutura Económica e Classes Sociais" ( ? - edição), de HENRIQUE GUERRA -- "Os Flechas atacam de novo" - JOÃO PAULO GUERRA -- "Resenha Histórico-Militar das Campanhas de África - 1961/1974 " - 1º Volume , Estado-Maior do Exército -- "Instrumentos Musicais de Angola" , JOSÉ REDINHA -- "A Colonização Portuguesa em África - 1890/1910 -" , por ARNALDO MADUREIRA -- "Da minha Infância", H.NOVAIS PESSOA -- "Ecos da Minha Terra", por ÓSCAR RIBAS -- "A Terra da Promissão (Revolta II") - de LEONEL COSME --

-- 1989 - JUNHO - 24 - Publicação de : "As ideias Kimamuenho",(em LUANDA), por EUGÉNIO MONTEIRO FERREIRA (?).
-- 1989 - OUTUBRO - 7 - O "Expresso" publica o artigo "Angola, invasão sul-africana usou camuflados portugueses", de PAULO CAMACHO.
-- 1989 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : "Adornos Africanos como Entidade Cultural", do Instituto de Antropologia da Universidade de COIMBRA -- "Plantas úteis de Angola" , de ROMEU M. SANTOS -- "Ilundu" - de ÓSCAR RIBAS.

-- 1990 - JANEIRO - 13 - O Jornal "O Expresso" publica "Savimbi, o carisma de um general guerrilheiro, da autoria de RUI RAMOS.
-- 1990 - MARÇO - Publicação de "A Igreja em Angola", de LAWRENCE W. HENDERON --
-- 1990 - ABRIL - 24 - Declarações do Dr. MÁRIO SOARES ao jornal "O Diabo" sobre o 25 de Abril.
-- 1990 - DEZEMBRO - 1 - O "Expresso" publica : "MPLA - a controvérsia da Fundação".
-- 1990 - DEZEMBRO - 16 - Assinatura do Acordo Ortográfico entre os PALOPS.
-- 1990 - DEZEMBRO - Publicações no ano corrente : "Negritude Africana de Língua Portuguesa (1947/1963)", de PIRES LARANJEIRA -- "Reler África" ,MÁRIO ANTÓNIO DE OLIVEIRA -- "Morto em Combate" ,ANTÓNIO SILVEIRA -- "Crónicas da Roda Gigante", de ERNESTO LARA (FILHO) -- "Vamos recordar o nosso Querido Huambo", de FILOMENA ALCOBIA -- "Elementos de Gramática Utchokwe" , de JOÃO VICENTE MARTINS (Instituto de Investigação Científica Tropical) -- "Economia e Sociedade em Angola", por ADRIANO PARREIRA.

-- 1991 - JUNHO - 4 - O Acordo Ortográfico com os PALOPS recebe aprovação da Assembleia da República Portuguesa.
-- 1991 - JUNHO/JULHO - Edição nº 7 de "Terra Angolana" (Boletim cultural da UNITA) por CARLOS DE OLIVEIRA FONTOURA ( incluiu o artigo ..."Cubanos para dar e vender"...
-- 1991 - DEZEMBRO - Publicações : - "Breve História da Evangelização de Angola" - 1491 / 1991) - por D.EDUARDO ANDRÉ MUACA -- "Descolonização de Angola" , por PEZARAT CORREIA -- "Angola, Saudade Nossa", RUI FERRERA COELHO, MÁRIO BORGES ALEXANDRINO e TOLSTÓI NÓBREGA MOITA -- "O Império Português entre o Real e o Imaginário", de ADELINO TORRES -- "Moeda e Sistema Monetário Colonial", JOÃO ESTEVÃO.

-- 1992 - ABRIL - 28 - DEclarações do General ANTÓNIO DE SPÍNOLA ao Jornal "O Diabo".
-- 1992 - NOVEMBRO - 3 - Entrevista de VEIGA SIMÃO ao Jornal "O Diabo" sobre o 25 de Abril de 1974.
-- 1992 - DEZEMBRO - Publicaçãoes :- "Angola e o distrito do Uige. A Hecatombe", de CARLOS ALVES (CAVE) -- "A BOneca de Quilengues", ARNALDO SANTOS -- "Meu chão Sagrado" , JAIME DA CRUZ SOARES -- "Portugal da Conferência de Paz" , MEDEIROS FERREIRA -- "Uma Perspectiva Etnológica", JOSÉ CARLOS VENÂNCIO.
.........................................................
-- 1994 - ABRIL - 27 - A Revista brasileira "VEJA" refere-se à deslocação do Presidente EDUARDO DOS SANTOS (de férias ? ) ao BRASIL.
-- 1994 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : - "Angola, Constituição, Lei Eleitoral e legislação complementar" , de M.A.I. -- "Saudade do Huambo" , por INÁCIO REBELO DE ANDRADE -- "Dicionário de Regionalismos Angolanos", de ÓSCAR RIBAS -- "Escultura Angolana", do Museu Nacional de Etnologia.

-- 1996 - DEZEMBRO - Publicação de "Desconolização Portuguesa - O regresso das Caravelas", de JOÃO PAULO GUERRA --
-- 1996 - Publicações : "O Pensamento Estratégico de Agostinho Neto", de IKO KUMBA CARREIRA -- "África a Terra dos Mil Sóis" - por ARMANDO L. LIMA -- "Angola, Transição para a Paz, Reconciliação e Desenvolvimento", de diversos autores. -- "Misericórdia para o Reino dos Kikongos" , HENRIQUE ABRANCHES -- "O Comportamento Político dos Militares" , J.M. FERREIRA --

-- 1997 - AGOSTO - 31 - Declarações de ANTÓNIO BARRETO no Jornal "Público" sobre o Dr.MÁRIO SOARES.
-- 1997 - DEZEMBRO - Publicações do ano : - "As Origens do Nacionalismo Africano" , de MÁRIO PINTO DE ANDRADE -- "O Breve Reino dos Vivos", FERNANDO MELIM -- "MPLA - um Nascimento Polémico", CARLOS PACHECO.

-- 1998 - DEZEMBRO - Publicações neste ano : "Na Linha dos Confins" , de ALBERTINO ALMEIDA -- "Misérias do Exílio", PATRÍCIA MACGOWAN PINHEIRO -- "A Colonização do Sul de Angola - 1485/1974", F.CERVINO PADRÃO -- "Mazanga", de ALBERTO OLIVEIRA PINTO -- "Regresso ao Passado", de URBANO TAVARES DE SOUSA -- "África Portuguesa(A Colonização Construiu...e a Descolonização ?", de ARNALDO SIMÕES.-

-- 1999 - FEVEREIRO - 4 - Publicação do "Diário de Notícias" duma Carta Aberta ao Presidente de ANGOLA, da autoria de FÁTIMA MOURA ROQUE --
-- 1999 - ABRIL - 19 - Declarações de JAIME NEVES ao Jornal "24 Horas".
-- 1999 - MAIO - Publicações : "A Última Grande Oportunidade Para a Paz em Angola", de PAUL HARE (um dos elementos da troika)
-- 1999 - JUNHO - 3 - Entrevista na TVI (Programa "Em Legítima Defesa") em que o jornalista, MIGUEL DE SOUSA TAVARES, faz declarações espantosas e inacreditáveis, também referidas e criticadas por J.P. FREITAS no Jornal "O LOBITO" -- nº 118 --..........................................................................
-- 1999 - JULHO - 13 - O "Diário de Notícias" publica o artigo de FÁTIMA ROQUE, intitulado "Por Favor, Façam a Paz em Angola".
-- 1999 - SETEMBRO - 6 - O Jornal "O Diário de Notícias" publica declarações de EMÍDIO GUERREIRO sobre a intervenção do Dr. MÁRIO SOARES.
-- 1999 - OUTUBRO - 3 - A campanha "Fatal Transaction", de LONDRES, , referindo-se a ANGOLA, revela que ..."entre 1992 e 1997, meio milhão de pessoas morreu, enquanto a UNITA arrecadou 3,7 mil milhões de dólares com a venda ilegal de diamantes !...
-- 1999 - OUTUBRO - 14 - Publicação da Carta Pastoral dos Bispos Católicos sobre a destruição e as milhares de mortes causadas por essa "guerra civil"...
-- 1999 - NOVEMBRO - 1 - No Jornal "Público", CARLOS LIMA, condena o aniquilamento dum povo inteiro provocado pelos dois partidos em guerra...
-- 1999 - NOVEMBRO - Foi criada a Editora e Livraria "CHÁ DE CAXINDE"...
-- 1999 - DEZEMBRO - Publicações durante o ano : - "A Espada de Dois Gumes", de DAVID MARTELO -- "ANGOLA 61" ,(crónica de guerra) de ROCHA DE SOUSA -- "Dos Jornais às Armas", MARCELO BITTENCOURT -- "O Nosso Bié", FILOMENA ALCOBIA -- "Senhores do Sol e do Vento", JOSÉ BENTO SOARES --

-- 2000 - JANEIRO - 29 - Declarações de ROSA COUTINHO ao "Diário de Notícias" sobre os "retornados"..."Foram enganados"...
-- 2000 - FEVEREIRO - 26 - No "Expresso", MÁRIO SOARES afirma que ANGOLA não é um Estado de direito,
-- 2000 - MARÇO - 2 - A RTP divulga afirmações de HANDRIK VAAL NETO, MInistro da Informação de ANGOLA, sobre o tráfico de diamantes e marfim "feito pela UNITA"...
-- 2000 - MARÇO - 29 - Mensagem Pastoral dos Bispos Católicos de Angola sob o tema "O Ano da Reconciliação".
-- 2000 - AGOSTO - 14 - 16 - Declarações do jornalista RAFAEL MARQUES no Jornal "O Público" sobre a situação da "GUERRA CIVIL".
-- 2000 - AGOSTO - 19 - Artigo de FONSECA BENGUI no "Actual" sobre o "Reino da Incompetência" (Angola) ...
-- 2000 - OUTUBRO - 11 - O Jornal "Diário de Notícias" publica um artigo de FÁTMA MOURA ROQUE sobre..."Petrópeo, Diamantes e Guerra em Angola : Construir as bases para a paz".
-- 2000 - OUTUBRO - 27 - O Supremo Tribunal de ANGOLA suspendeu, durante cinco anos,
a pena aplicada ao jornalista RAFAEL MARQUES...
-- 2000 - NOVEMBRO - Publicação da obra "ANGOLA, a festa e o luto" (Vinte e Cinco anos de Independência), de diversos autores angolanos.
-- 2000 - DEZEMBRO - Publicações deste ano : "Negritude Africana de Língua Portuguesa" (organização de PIRES LARANJEIRA -- "Adeus Angola", de ALBERTINA GERÓNIMO H.ALVES -- "Tudo isto pelo Norte" (Angola) - 1961/1963" , de JOSÉ MARQUES FIDALGO -- "Inferno em Terras do Fim do Mundo", por ADELINO PAIS FERNANDES -- "Vou lá visitar pastores", RUY DUARTE DE CARVALHO -- "Angola, o Futuro é Possível", FÉLIX MIRANDA -- "Angola,um sonho que eu vivi", GIANNI VALENTE -- "Apelos Angolanos", FÁTIMA MOURA ROQUE -- "Repensar Angola", CARLOS PACHECO -- "Depois da Caravelas", AMADO CERVO e JOSÉ CALVET DE MAGALHÃES -- "Angola, a Festa e o Futuro" (diversos autores) -- "Um testemunho para a História de Angola (Huambo) , SÓCRATES DÁSKALOS -- "Perspectivas sobre Angola", do Departamento de Antropologia da Universidade de COIMBRA --

-- 2001 - ABRIL - "Angola, Anatomia de uma Tragédia", do General A.SILVA CARDOSO (Alto Comissário em ANGOLA, com Prefácio do General SILVINO SILVÉRIO MARQUES --
-- 2001 - DEZEMBRO - Publicações : - "As Três Guerras do Mucondo", de ROGÉRIO CARVALHO -- "Filhos da Pátria", JOºAO DE MELO -- "Combatentes do Ultramar", da Comissão dos Antigos Combatentes do Ultramar, de BARROSELAS -- "A Nossa África", por FRANCISCO NÓBREGA -- "Angola no Contexto Africano", de FILIPE COELHO.

-- 2002 - ABRIL - Publicação de : "Recordando o Caso Delgado e Outros Casos", de CARLOS FERNANDES --
-- 2002 - ABRIL - "Savimbi - Vida e Morte" , JOÃO PAULO GUERRA --
-- 2002 - MAIO - "O Processo Judicial dos Espoliados de Angola" , da ASSOCIAÇÃO DOS ESPOLIADOS (AEANG) --
-- 2002 - JUNHO - "ANGOLA - Cultura do Medo" , CARLOS ALBUQUEQUE (LISBOA).
- e - "Ventos da História. Tormenta" --

----------------------------------------------------------
----------- DE OUTRAS FONTES ... :

-- 1995 - Talamungongo - 50 Anos de Poesia" - de TOMAZ JORGE.


=========================================================

--- "KUAMATO" (REINO DE CUAMATO) - "TERRAS DO FIM DO MUNDO" (1905/6/7) , artigo de : Mestre JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA, em :

- revistamilitar.pt/modules/articles/article.php?id=36

estudosafricanos.com/?page_id=92

2 comentários:

Roberto Correia disse...

-- Embora bastante atrasado,agradeço imenso o seu simpático comentário.
-- Pode dispor à sua vontade dos conteúdos dos meus dois blogs, o que muito me honrará e do que ficarei muito satisfeito.
-- Creio que reside em MINAS GERAIS (BRASIL). Como pode apreciar nesses blogs, o meu bisavô paterno (JOSÉ DA COSTA ALEMÃO COIMBRA)nasceu em MINAS (BELO HORIZONTE) em 1849, tendo seguido em 1860 com seus pais para MOÇÂMEDES (ANGOLA), onde nasci em 1932 . Vim para COIMBRA em 1975, pelos motivos que todos conhecem ! Tenho publicado alguns trabalhos (além dos blogs), principalmente a serie "ANGOLA-DATAS E FACTOS" (cronologia em 6 volumes). Como diz, infelizmente, os apoios têm sido escassos.
Mais uma vez agradeço a sua amabilidade. Ao dispor,
Roberto Correia (sourreia@gmail.com)

Anônimo disse...

UM BELO BLOG... ESPERO QUE TENHA MAIS DADOS SOBRE OS POVOS LUNDAS... E OS REIS LUNDAS... OS ANOS QUE ELES GOVERNARAM, QUE ÉPOCA. OUTRA COISA, REFERIU-SE DO SÉCULO XIX, ESTE SÉCULO SEGUNDO AS PESQUISA POR MIM FEITO E DE TUDO O MEU PAI ME CONTOU SOBRE A EMIGRAÇÃO BANTU, NÃO COICIDE CONM A COLONIZAÇÃO DAS LUNDAS... PROCURA ACTUALIZAR MAIS ESTES DADOS.... SOU FILHO DO PRIMEIRO REI COKWE, O MWAKANHIKA, EM ANGOLA LHE ATRIBUIRAM O NOME DE SOBETA. MAIS LAMENTO... E O MWACHISSENGUE SUCEDEU ESTE REINO EM 1874, QUANDO ESTE REI COKWE ESTAVA FLORESCENTE...
ESCREVEVA ME: GILUKALU@HOTMAIL.COM